História Suzan. O surgir de uma heroina. - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação
Visualizações 2
Palavras 690
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpa pela demora da postagem, estava sem tempo... Espero que gostem...

Capítulo 12 - Chegando aos limites!


Fanfic / Fanfiction Suzan. O surgir de uma heroina. - Capítulo 12 - Chegando aos limites!

...Só tem uma forma de saber...

Suzan não estava muito confiante, mais não via outro possibilidade a não ser ataca-lo,  com tanta força que ele não aguentaria absorver tanto poder, e não podia esquecer que cada vez que ela atacava o oponente, o mesmo ficava mais forte e ela ficava cada vez mais cansada, então  seu ataque tinha que colocar um ponto final nisso. Sem enrolar muito, Suzan parte para cima do grandalhão, o mesmo  nem fez questão  de se mover, e esperou o golpe, ela tenta colocar o máximo de seu poder nesse golpe, com intenção de que esse fosse o ultimo, então calcula o momento mais apropriado e então o acerta no rosto, ela colocou tanta força, que ela conseguiu escutar os ossos do rosto do arruaceiro se quebrando em mil pedaços, e sentiu sua mão  se afundando no crânio dele, como se batesse em uma massa de pão. Ele foi arremessado em instantes e percorreu por um quilometro destruindo tudo ou seu caminho em segundos. 

Suzan fica em choque com que tinha sentido ao socar o rosto dele, e pelo que ela tinha feito. 

— A-ai meu d-deus, eu matei ele, não tem como ele ter sobrevivido a esse soco, eu senti o rosto dele furando uma gelatina em meus punhos!? - diz levantando as mãos e observando que elas estavam trêmulas, então  levanta o rosto e vê o estrago que o corpo do homem tinha feito.

Então  começa escorrer lagrimas de seus olhos, ela estava um pouco arrependida por matar o homem, era a primeira vez que ela tinha feito algo assim, então  ela começa a se recuperar, e limpa os olhos com o pulso e começa a caminhar em direção  aos estragos para ver o resultado  do corpo do homem, alguns mim depois ela chega onde supostamente o corpo deveria estar, ela olha em todas as direções e não  vê  nada, nem uma gota de sangue no chão, ela então  fica em alerta e começa a descartar a possibilidade do grandalhão ter morrido, e se lembra q ele absorve os impactos e os transforma em poder para ele, ou seja se ele não  havia morrido, de teria ficado muito mais forte com o soco dela.

— Ah... Isso doeu sabia, eu achei q eu tinha morrido, mossa você  tem um soco bem forte em, ate eu estou impressionado como eu consegui viver a isso - diz saindo de um beco — acho que agora é  minha vez não  é - falar sarcástico e apitando um sorriso.

Ele tenta fazer o mesmo com Suzan, e então solta um golpe dando tempo dela apenas colocar seus braços antes que o golpe a atingisse, com o impacto ela também foi arremessada, mas acabou batendo em um prédio ali próximo, antes que ela pudesse sair da parede, ela recebe mais um golpe, fazendo q ela atravessasse a parede e parando na porta extremidade do prédio.

— Uau que poder incrível que você  me deu garota, te agradeço muito, agora conseguirei atingir o meu objetivo - e sorri novamente.

Ele retira Suzan da parede e vê  que ela já está muito ferida, mas ainda estava respirando e estava com os olhos entreabertos, e então ele a jogá no chão e com o choque Suzan começa  cospir sangue e sua respiração  ficou difícil, como se seus pulmões estivessem se esvaziado e não conseguia segurar o ar, então  começa a respirar com desespero e na tentativa acabava engasgado com o sangue.

— Tadinha, você parece estar mau, pena que eu não  posso te ajudar, se não você  pó de tentar estragar meus planos e vai acabar se machucando com agora. - diz fazendo uma careta e levantando o tronco de Suzan pra próximo dele.

— Vai pro inferno! - diz com dificuldades e cospe no rosto dele.

— GAROTA, você  é  corajosa, terá meu respeito, mas agora tenho que acabar com você! - fala levantando o punho e flexionando o braço direito...

—————————※——————————

Tica escuta alguns estrondos bem fortes e começa a procurar de onde estava vindo esses barulhos, então escuta mais um barulho e começa  a correr e a saltar os prédios em direção  aos estrondos para ver o que estava acontecendo...




Notas Finais


Até o próximo capítulo galera


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...