1. Spirit Fanfics >
  2. SWEATER WEATHER - imagine taekook/Vkook >
  3. “Soirée jeux 2/2”

História SWEATER WEATHER - imagine taekook/Vkook - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Demoramos, mas taí

Capítulo 11 - “Soirée jeux 2/2”


Fanfic / Fanfiction SWEATER WEATHER - imagine taekook/Vkook - Capítulo 11 - “Soirée jeux 2/2”

{...}

 



- Por que só usa blusa de botão? – Virei a cabeça vendo Taehyung se trocar.

 

- Eu acho bonito. E eu não uso só blusa de botão. – Terminou de se olhar no espelho fechando a braguilha da sua calça jeans (que antes era de moletom, mas precisou ser trocada devido a enorme mancha de gozo.)

 

- Fica bem com essas roupas. – Falei simples e ele bateu as mãos sorrindo quadrado em forma de agradecimento. – Mas fica melhor sem elas. – Arregalou os olhos.

 

- Jungkook! Caralho gatinho hoje você tá impossível. – Riu de nervoso e eu ri também da sua cara de espanto. – Voltando ao assunto, como é que funciona essa noite de jogos que o Jimin tanto fala? – Acendeu um cigarro se referindo a conversa que nós estávamos tendo antes dele decidir se trocar.

 

- Ah, meio que é tradição de todos os domingos.

 

- Mas hoje é sábado. – Soltou a fumaça se sentando pensativo ao meu lado na cama.

 

- Sábado é dia de praia. Mas como choveu a tarde vamos adiantar a noite de jogos. – Tirei o cigarro dos seus dedos tragando.

 

- Certo, mas o que acontece especificadamente nessa noite de jogos?

 

- Jogos né Taehyung! – Disse óbvio soltando a fumaça e lhe devolvendo o cigarro. 

 

- Sim gatinho, mas que tipo de jogo? Isso que eu quero saber! – Aumentou um pouco a voz com o tom birrento.


- Varia, geralmente pedimos pizza ou hambúrgueres, e ficamos na sala. Tem vezes que jogamos cartas ou tabuleiro. Outras vezes jogamos no Playstation, jogos íntimos, ou assistimos algum filme. É basicamente uma noite que reservamos na semana para ficarmos todos juntos.

 

- Como assim jogos íntimos?

 

- Tipo verdade ou desafio. – Estalei a língua e ele fez um grunhido com a garganta sinalizando que havia entendido.

 

- Jogos e pizza? Comida e tudo? – Concordei com a cabeça.- E quando começa? – Taehyung estava bastante interessado naquela noite de jogos, pois desde que eu aceitei usar a merda da coleira ele não para de me fazer perguntas.

 

- Taehyung, eu não sei cara, na hora que o Hoseok vier aqui nos chamar.

 

- Ah não podemos ir logo? – Ele roía o canto das unhas e falava em ansiedade.

 

- O que tá acontecendo? – Perguntei irritado pois aquele comportamento não era normal.

 

- Gatinho eu estou com fome. Engoli meio litro de chantilly com gozo mas ainda estou com fome. – Começou a bater a perna direita compulsivamente e aquilo já estava me tirando do sério.

 

- Fala a verdade merda. Ninguém fica assim quando sente fome. – Pude ver ele ficar quieto de repente arrancando as pelinhas dos lábios com a ponta dos dentes.

 

- Juro que estou morrendo de fome, morrendo muito.  Quase desmaiando. – Sentia verdade em seu olhar apreensivo.

 

- Não comeu nada hoje? – Negou com a cabeça e eu ouvi sua barriga roncar.

 

- Não como nada a três dias. – Arregalei os olhos e percebi que Taehyung estava pálido e com a boca seca.

 

- Ficou maluco? Como assim não come nada a três dias?

 

- Eu não fico me lembrando de comer gatinho. Tenho coisas mais importantes pra fazer.  – Eu cruzei os braços fervendo em ódio com a irresponsabilidade de Taehyung consigo mesmo.

 

- Se lembra de fumar, se lembra de transar, se lembra de coisas completamente fúteis, e se esquece de comer? – Praticamente gritei.

 

- Vai ficar fazendo drama ou vamos pra sala?

 

- Vamos! Agora! – Me levantei já em direção a porta e ele riu. – Levante, vamos, vou enfiar uma caixa inteira de pizza dentro da sua garganta.


   Olhei para trás e ele ainda estava sentado. Fui até lá com a maior paciência do mundo e puxei seu braço arrastando o seu corpo até a sala. Estavam todos no sofá esparramados, menos Namjoon e Jimin que afastavam a mesinha de centro para que pudéssemos sentar no tapete.

   Sentamos em uma rodinha, eu me coloquei de pernas cruzadas entre Yoon e Jin, e as pizzas e refrigerantes estavam no meio de nós. Comíamos e conversávamos, talvez fossem umas dez da noite, quase onze, pela programação que passava na TV. Vi Taehyung engolindo o último pedaço da fatia que segurava, uma pizza de pepperoni.


- Coma mais um. – Olhei para o platinado oferecendo outro pedaço.

 

- Gatinho, eu já comi três.

 

- Coma quatro.

 

- Jungkook ele vai morrer entalado. – Yoongi me repreendeu e eu estalei a língua achando seu comentário uma inutilidade.


   No fim Taehyung aceitou a quarta fatia e eu me sentei despreocupado me deliciando pela quinta vez. Sempre foi assim, comíamos e depois nos divertíamos até o dia amanhecer. Depois os que tinham emprego se fodiam, e eu dormia até as quatro da tarde.


- Hoje vamos jogar o jogo da verdade. – Jimin se pronunciou com a boca cheia e mãos gordurosas.

 

- Como funciona? – Namjoon perguntou desinteressado roubando a Fanta laranja do namorado.

 

- Esperem um pouco que eu já explico. – Jimin se retirou do espaço limpando as mãos na bermuda. Provavelmente foi ao banheiro.


   Catei um litro de coca cola que estava no final e apoiei a cabeça nas pernas de Yoongi virando o líquido gasificado goela a baixo. Meus olhos se esbarram com o do francês que estava conversando naturalmente com os outros no local. Ele sorriu quadrado quase que involuntariamente voltando a falar com Hoseok. Não prestei muita atenção mas os dois discutiam algo sobre as lindas praias de Marselha. Coisa de gente fresca.


- Voltei. – Jimin voltou a se sentar. – É o seguinte, o jogo funciona assim... Na verdade vocês já conhecem, vou explicar pro Taehyung só porque ele é novo aqui.

 

- Certo, deixe de enrolação. – Jin falou fazendo Jimin revirar os olhos.

 

- As regras são simples, vamos tirar no jo ken po e quem ganhar pode fazer uma pergunta pra qualquer pessoa na roda. Qualquer pergunta mesmo. E a pessoa é obrigada a responder. Caso contrário ela deve tirar uma peça da roupa. – O loiro disse explicativo. – Esse jogo é funciona como um quebra-cabeça, a pessoa que ficar nua primeiro perde, e a segunda vai lavar a louça amanhã.

 

- Mas então o primeiro a perder simplesmente perde? E o segundo fica com o pior castigo? – Taehyung que prestava atenção nas palavras do mais velho, questionou.

 

- Não, o primeiro recebe uma punição pior.

 

- Qual?


- Depois que as duas pessoas ficarem nuas, vamos jogar outro jogo, joga das palavras. Sorteamos quatro letras e um tema, então teremos que adivinhar palavras referentes a esse tema. Quem perder três rodadas tem que pagar o boquete pra pessoa que ficou nua primeiro no jogo anterior.

 

- O Hoseok não vai brincar. – Yoongi falou autoritário e o Hoseok o olhou sem entender. – Porra amor, você só tá vestindo uma calça, vai ficar pelado rapidinho.  

 

- Cala a boca porra! – Hoseok não parecia estar bem com Yoongi hoje. 


   Na verdade nunca se deram bem, desde que terminaram o relacionamento a alguns anos atrás.

Antes que se perguntem, sim eles ainda se pegam até hoje.

 

- Então, quem começa?

 

- Jin.

 

- Jimin, minha pergunta é para você, miniatura de boneca inflável. – Riu com o apelido que Seokjin te designou. – Diga a verdade, com quem aqui do albergue, você já trepou?

 

- Ora, com todo mundo. Menos com você, com o Nam e com o Taehyung. – Todo mundo se encarou chocado, o Jimin realmente era uma vadia louca.


   O  jogo seguiu no mesmo esquema, as perguntas estavam até confortáveis de serem respondidas, e apenas o Yoongi retirou a camisa quando o Namjoon perguntou se ele já havia traído o Hope. E agora, Hoseok estava tentando fazer de tudo para ficar pelado e conseguir irritar o ex, o que de fato estava funcionando.

   Taehyung acabou de me fazer uma pergunta, perguntou se eu possuía algum brinquedo sexual. Eu respondi tranquilamente, então não precisei tirar a roupa. No entanto, estava na minha vez de perguntar, e eu ia descobrir a verdade de uma vez por todas.


- Cretino! – Chamei Seokjin porém todos me olharam como se “cretino” fosse o nome próprio de cada um. O que era meio verídico. – Cretino idoso. – Me corrigi e Jin me xingou. – Me diga a verdade, nada mais que a verdade, apenas a verdade pura e verdadeira!

 

-Digo.


- Eu já havia me esquecido, mas este cidadão de cabelos prateados  e cara de tacho refrescou a minha memória alguns minutos atrás. – Me referi ao Taehyung. – Quando eu cheguei aqui, em 2015, eu trouxe a minha melhor amiga de Nova York. Kiki, a tarântula. E ela morreu, misteriosamente. Foi você quem pisou na minha filha? Sem dó nem piedade?  - Falei ríspido e ele engoliu a seco.

 

- Kook, foi um momento de pavor. – O tom de Seokjin era de arrependimento.

 

- Eu sabia! Seu monstro! – Aclamei berrando pela minha amiguinha de oito patas.

 

- Monstro era aquele bicho peludo que caminhava pela casa. Eu acordei no meio da noite pra mijar, era uma sexta feira, um dia antes do dia de ação de graças. E ela apareceu dentro do tubo de papel higiênico. Eu agi por impulso, joguei ela na privada e dei descarga.

 

- Foi um ato heroico meu amigo, será honrado por mim eternamente. – Hoseok o outro cretino apoiou o assassino de insetos indefesos, e eu bufei de ódio querendo chorar.

 

- Não acredito que você vai chorar gatinho.

 

- Ela morreu afogada. – Encarei o nada sentindo um forte aperto no peito. – Afogada e sozinha. – Funguei limpando uma única lágrima que havia escorrido pelo meu olho esquerdo. – Ok, momento de luto chegou ao fim. Está na vez do Jimin.


   O loiro pareceu pensar e logo apontou para o francês, que não tinha respondido nada ainda.


- Tae...Hyung – Disse pausadamente. – O que vossa excelência faz saindo de casa todos os dias exatamente as três em ponto da madrugada? – Taehyung congelou e eu me interessei naquela pergunta. 


   Eu já perguntei para ele sobre aquelas fugas misteriosas, mas ele sempre corta o assunto ou inventa algo nada fixo.

 

- Bom eu... Eu vou ao Persona.

 

- Todos os dias? – Yoongi pareceu provoca-lo.

 

- N-não, é que... – Gaguejou rodando os olhos.

 

- Gaguejou, então tá mentindo. – O ruivo debochou da feição assustada do platinado.

 

- É Taehyung, o que você tanto faz saindo escondido? – Yoongi sorriu malicioso e o francês coçou a própria orelha. Seu nervosismo era nítido.

 

- Eu, bom, vou espairecer. – Suas mãos estavam tremendo levemente, e eu pude ver que ele mentia. 


   Pois segundos depois puxou um cigarro do bolso e guardou novamente engolindo a seco quando percebeu que eu o olhava sério.

 

- Está mentindo, tire a roupa. – Jimin cortou o clima tenso.

 

- Mas eu respondi. – Juntou as sobrancelhas e eu passei a língua na bochecha sacando a falsidade em seu rosto.

 

- O jogo é da verdade, se mentir também deve tirar a roupa. E você claramente está mentindo. – Obrigado Jimin, leu meus pensamentos.


   Taehyung se levantou esticando os lábios e eu me sentei melhor para apreciar aquele strip-tease.


- Tenho mesmo que sensualizar? – Choramingou quase desistindo.

 

- Claro, está nas regras. Agora tire, devagar, e faz uma dancinha sexy. – O loiro soltou música colocando um som lento e com batidas instigantes.


   Taehyung sorriu tímido estendendo seu celular para mim. Caminhou até o meio da roda molhando os lábios com a ponta da língua, retirando sua blusa social florida de dentro da calça, sorriu quadrado para mim e eu fiz um gesto com as mãos o encorajando a continuar. 

   Ele parecia confortável em fazer aquilo, como se fizesse todas as noites, ou assistisse aquilo todas as noites, o que era ainda pior.

   A música tocava no ritmo em que Taehyung desprendia o cinto, e ele me encarava de forma possessiva praticamente me comendo com os olho. Eu engoli a seco, não podia ficar duro ali, não na frente dos garotos. Porra aquela língua gostosa acabava com a minha sanidade.


- Gatinho venha aqui. – Falou rouco e eu estava hipnotizado, apenas concentrado em não me excitar. 


   Ele abriu um botão da camisa e ergueu o maxilar de forma que os seus cabelos fossem jogados para o lado por conta da pressão. Mordi o lábio inferior, e com um gesto tão insignificante, todos que estavam sentados no tapete, pareciam que babariam a qualquer momento. – Me ajude a tirar a camisa gatinho. Estou impossibilitado. – Caí na real mandando ele ir se foder, não ia fazer papel de go go boy na frende de todo mundo. 

 

- Se o Jungkook não vai eu vou. – Jimin ousou se levantar e eu o lancei um olhar mortal. 


   Taehyung ergueu as sobrancelhas de uma maneira pervertida segurando na cintura do loiro e o olhando de cima a baixo. Jimin desabotoou outro botão e Taehyung riu dançando de acordo com as batidas envolventes da música. Meu sangue ferveu, catei uma almofada e joguei na cara daquele sem vergonha.

 

- Sai daí garoto! Seboso, desencosta. – Me levantei empurrando o mais baixo que se jogou no chão gargalhando. – Não pode ver uma pica. – Reclamei e Taehyung cruzou os braços me encarando ríspido.

 

- Preciso que alguém tire a minha blusa, e se não quer fazer isso, deixe quem tem vontade. – Sussurrou no meu ouvido e eu segurei em seus ombros trazendo o seu corpo para mais próximo do meu.

 

- Deixa que eu faço essa merda. – Olhei em seus olhos e ele sorriu contente apertando o meu braço e selando a minha boca rapidamente. 


   O platinado tombou a cabeça para trás sentindo as minhas mãos tocarem o seu abdômen. Então lentamente desabotoei, o terceiro, quarto, quinto e assim por diante até seu tronco ficar completamente nu. Alisei sua pele quentinha e todos estavam estáticos. 

   Mordi o lábio inferior tirando a camisa de seus braços, então ele me puxou para um beijo quente e sincronizado, apertando a minha bunda e me preenchendo com sua língua. Era macio e molhado, podia ficar ali pra sempre, mas fomos interrompidos por um tapa que Taehyung levou na bunda, pelo Seokjin.


- Já deu. – Voltei para o meu lugar e o francês enrolou sua blusa nas mãos a lançando no sofá, também se sentando.

 

- Por que vocês não estão falando da tatuagem do Taehyung? – Namjoon falou como se estivesse tendo um delírio. – Eu ia morrer sem saber que esse homem classudo tem uma tatuagem de dragão chinês tapando as costas inteiras. – Realmente a tatuagem dele era enorme, e pouco podia se imaginar que Taehyung teria algo tão selvagem cravado em sua pele.


-Cara, foda-se o dragão. Ou eu estou muito louco, ou o Taehyung tem um piercing no mamilo? – Yoongi perguntou de boca aberta sem piscar em nenhum momento.


   Taehyung assim que ouviu o comentário tapou a região onde tinha uma joia prateada com duas bolinhas de aço na ponta. Ele sorriu envergonhado. Aquele piercing particularmente era um dos que eu mais gostava.


- Definitivamente, Kim Taehyung não para de nos surpreender. – O ruivo encerrou aquele assunto de forma pensativa.


   Agora já deviam ser meia noite e pouquinho, Jimin não se aguentou e foi na cozinha buscar cervejas. Algumas perguntas pecaminosas foram designadas para mim, como quais foram os meus empregos antes de desistir de ter um. Não quis responder e tirei o casaco de moletom. Depois fui tirando as meias, a blusa, a calça, e a samba-canção.

   Hoseok estava realmente empenhado em provocar o ex namorado, e se recusava a responder perguntas idiotas como “o que você comeu ontem” apenas para ficar sem roupas mais rápido. A partir desse momento eu e o ruivo estávamos de cueca, apenas. 

   Os outros, não retiraram muitas peças. Jimin estava vestido dos pés a cabeça, não tinha vergonha alguma de responder qualquer coisa, das mais desnecessárias inclusive.


- Hosoek, última chance de se salvar. Responde ou tira essa cuequinha de ursinho. – Taehyung falou bebendo um gole de refrigerante. Foi o único que não tocou nas cervejas. – Já transou com o Jungkook? – Falou simples e eu arregalei os olhos olhando para Hoseok que fez a mesma coisa.

Não, não, não.


- Eu tiro. – Se levantou devagar e Yoongi se jogou em cima dele.

 

- Sim! Eles já transaram! – O moreno gritou e eu me joguei nos braços do Jimin morrendo de vergonha. – Pronto, respondi, não precisa mais ficar pelado. – Sentou o ex namorado com cautela concertando os fios vermelhos de seu cabelo.


   Taehyung me lançou uma encarada interrogativa dobrando os lábios para baixo, como se quisesse dizer: “tu é o bichão mesmo ein gatinho”. Juro que ouvi ele dizer isso com os olhos.

   Hoseok empurrou Yoongi e se levantou do mesmo jeito retirando a peça íntima, eu abri a boca chocado com o membro semi depilado do mais velho, e mais chocado ainda com a sua audácia. Sorriu mordendo o lábio e jogou a cueca na mesma direção que Taehyung jogou sua camisa pouco tempo atrás.


- Quero arrancar os meus olhos. – Jin bebeu um gole da cerveja perplexo.

 

- Eu não falei que o cabelo dele era pintado? – Jimin se pronunciou cheio de razão.  – Coreano não tem cabelo ruivo Hoseok querido.


- Vai a merda Jimin. – Se sentou novamente com as pernas relativamente abertas e Yoongi se mordia em fúria. Pelo menos o plano do Jung deu certo.

 

- Espera... – Namjoon falou atraindo atenção. – Se o Hoseok quando transa com o Yoon é o passivo, quando ele transou com o Jungkook ele foi o que? – Eu ri, eu ri muito forte, eu ri como se meus órgão fossem sair para fora.

 

- Quem te disse que o Hoseok é o passivo? – Yoongi riu soprado e o Taehyung cuspiu desesperadamente o refrigerante.


   Certo, por essa eu também não esperava. Acho que ninguém esperava.


- Não, chega. Isso é demais para mim. Yoongi dá a bunda mano. Vai se foder... Desisto de viver. – Enterrei meu rosto no carpete fofinho indignado em descobrir que o moreno que sempre pareceu socar, na verdade é socado.

 

- Você também dá Jungkook.

 

- Mas eu tenho cara de passivo. – Minha voz saiu abafada. 

 

- Se eu gosto de pau, eu vou querer receber pau. Porque eu já tenho o meu próprio pau, então posso usar outras partes porque assim eu fico com dois paus. – Tentou se defender, e aquela sem dúvidas foi a frase mais estranha que eu já ouvi em toda a minha vida. Depois é claro de descobrir que o Jimin se masturbou com a minha escova de dentes.


   Senti um corpo se aconchegar ao meu lado, mas como a minha fuça estava enterrada no tapete não pude ver quem era.


- Gatinho, acho que já pode se cobrir não acha? – Levantei rápido quando ouvi a voz de Taehyun em sussurro no meu ouvido. Me ajeitei e os outros garotos estavam em uma discussão ainda sobre o fato do Yoongi ser bicha passiva.


- Saia de perto de mim. – Respondi no mesmo tom e ele fez uma cara de nojo.

 

- Ok, ok. Agora eu pergunto pro Jungkook. – Jimin falou calando a boca dos demais. Hosoek já estava deitado no sofá, com a piroca pra cima, já que havia sido o primeiro a perder. – Quando te perguntamos sobre o seu emprego de 2015, preferiu tirar as calças ao invés de responder. Agora que está de cueca perguntarei novamente, e espero que use bem o seu cérebro. – Engoli a seco e a minha respiração se pesou. Minhas mãos esfriaram de repente e a minha garganta travou.

- Conte para todos como era o seu emprego naquela boate em Malibu. – Me encararam em julgamento e eu comecei a estralar todos os dedos da minha mão em nervosismo.

 

- Jungkook trabalhou em Malibu? Desde quando isso?

 

- Conta vai. Conta ou fica nu. – Yoongi insistiu em pirraça, e eu travei o maxilar com vontade de soca-lo.

 

- Ele era ator pornô?  - Vi um sorriso se formar nos lábios de Taehyung.

 

- Não. Pior. – Jimin ameaçou e eu puxei a minha box por impulso ficando pelado de uma vez só.

 

- Gatinho! – Taehyung praticamente me atacou cobrindo o meu corpo inteiro com o próprio corpo. – Se vista, se vista, se vista. – Se desesperou puxando o tapete e tentado enrola-lo em mim. Sem sucesso, parecia que ia explodir.

 

- Lindo, o Jungkook lava a louça. – Namjoon falou. – Lembrando que não pode se vestir até as dez da manhã do dia seguinte.

 

- Não...! – Taehyung choramingou, não sabia se tapava o meu membro ou os olhos do Yoongi, que me comia mentalmente. Ou me dava a bunda já que ele é passivo! 


   Eu estava completamente confortável, costumo andar pelado para cima e para baixo diariamente. Eles já deviam estar acostumados.


- Gatinho se cubra por favor. – Catou sua blusa rapidamente, ele estava realmente passando mal, parecia que ia desmaiar a qualquer momento.

 

- Taehyung se continuar assim, vai ter uma parada cardíaca. – Hoseok estava certo, era possível ver os batimentos do francês saltarem do seu peito.

  

   Eu estava estático parado de pé no meio da sala, vendo aquele showzinho que o platinado fazia. Parecia uma criança birrenta quando a mãe doava os brinquedos para uma instituição de caridade.

   Eu cruzei os braços revirando os olhos quando o mais velho correu de um lado para o outro puxando os cabelos.


- Taehyung calma! – Pedi soltando sua camisa no chão e ele soltou um grito apavorado quando percebeu que todos olhavam para mim.

 

- Olha Jungkook... Até que é gostosinho. – O pálido de cabelos pretos falou na intenção de provocar, e eu me sentei ao lado do ruivo que se encontrava na mesma situação que eu.

 

- Calado Min! – Mudou seu tom de voz de desespero e birra, para um de superioridade, fazendo Yoongi se recolher e se por no seu lugar. Como se fosse um cachorrinho obedecendo seu adestrador. 

   

   Sinceramente nunca havia visto o mais magro reagir daquela forma com ninguém. Geralmente ele mandava a pessoa ir se foder, ou ir pro inferno.

Mas ele parecia ameaçado por Taehyung. O que foi esquisito para todos que observavam.


- Taehyung, relaxa, todo mundo aqui já viu esse pinto pequeno do Jungkook. Agora se sente quieto, e aceite as regras do jogo. – Pinto pequeno, vê se pode. Seokjin diminuindo o meu ego só pra se sentir melhor. Ridículo. Pelo menos o francês se acalmou.

 

   Continuava se ardendo em ódio e agonia, mas parou de gritar como um louco acendendo um cigarro e me puxando para um canto da sala.


- Escute, por tudo que é mais sagrado. Coloque pelo menos uma almofada em cima. – Juntou as sobrancelhas insistindo manhoso e eu lhe dei um chute na canela.

 

- Primeiro, meu caralho que eu vou colocar uma almofada. – Agora eu acertei seu ombro com um tapa ouvindo um gemido de dor do mais velho. – Segundo, que porra de escândalo foi esse?

 

- Gatinho, não aguento ver eles olhando pro seu  pau. Que na verdade é meu. – Sussurrou ainda em um tom desesperado atropelando as palavras devido a rapidez que falava.

 

- Saia de perto de mim. – Tentei sair mas ele me pegou pela cintura jogando o meu corpo por -cima dos seus ombros. Eu gritei me debatendo e ele riu caminhando até o lugar que ou outros estavam. Me jogou no sofá ficando por cima de mim, eu o xinguei com vontade, de todos os palavrões que eu me recordo desde os doze anos de idade.

 

- Continuem a brincadeira. Eu estava me divertindo. – Taehyung fingiu naturalidade enquanto eu socava suas costas. – Ignorem. – Se referiu ao meu ataque de fúria.

 

- Tudo bem. Alguém me diz que horas são? – Seokjin perguntou e Jimin responder “Duas e quarenta e sete” – Ainda temos outro jogo. O das palavras.

 

- E como o Jin é um homem comprometido, ele não vai brincar. Então nós dois iremos sortear as letras, pra vocês chuparem o pau do Hoseok. – Namjoon disse e Yoongi suspirou raiva.

 

- Que se fodam vocês. – Acendeu um cigarro claramente se mordendo de ciúmes.

 

- O Jungkook não vai brincar também. – Taehyung novamente abriu sua boca para defecar palavras.

 

- E por que não? Vou sim, eu ein. Perder a chance de me recordar como é engasgar com o pauzão do Hobi. – Brinquei fingindo seriedade e Taehyung estalou os lábios desinteressado escorregando o corpo para o chão. 


   E puxando as minhas pernas no sofá para que conseguisse esconder meu membro com sua cabeça.

 Eu achei melhor relevar. As vezes ele sofre de algum distúrbio grave e eu aqui acusando.


- O Jungkook não vai brincar já disse.

 

- E por que? – Hoseok perguntou. – O Namjoon pelo menos deu um motivo plausível pro Jin não participar. Eles são comprometidos. – Falou óbvio.

 

- Que seja, Jungkook e eu também estamos comprometidos. – Aliviou-se e eu revirei os olhos.

 

- Desde quando?


- Desde que eu dei uma coleira pra ele.

 

- Deu uma coleira pro Jungkook?! – Jin arregalou os olhos e eu sorri com as bochechas apontando pro “presente” no meu pescoço. – Tira! Agora!

 

- Calma Jin.

 

- Esse safado deu uma coleira pro meu bebê Namjoon. Sabe se lá o que ele vai fazer com isso. – Ok, Jin não estava muito sóbrio.

 

- O que tem de mais? É só uma gargantilha. – Falei.

 

- Sei bem o que uma “gargantilha” significa no mundo dos BDSM. – O mais velho estava revoltado. – Jungkook, se eu te pegar com alguma chicotada ou marca de tortura, eu juro, juro pela minha vozinha. Que deus a tenha. Que expulso tanto você quando o descarado do Taehyung. – O francês gargalhou olhando para cima pra conseguir me encarar.

 

- Relaxa a gente cobre com maquiagem. – Sussurrou apenas para eu ouvir. E eu soltei uma risadinha acariciando o seus cabelos.

 

- Ninguém liga Jin, começa logo a droga do jogo porque eu preciso urgentemente de um boquete.  – Hoseok jogou as pernas no sofá onde eu estava fazendo a colcha levantar sutilmente.


   Namjoon começou a escrever as letras do alfabeto em um papel. E logo depois destaca-las. O jogo era quase uma “adedonha”. Sorteava uma letra de cada vez, e nós teríamos que discutir um tema. Por exemplo: a letra sorteada é “R”, e o tema é “animais”. Temos um tempo de quinze segundos para falar um animal que começa com a letra “R”.

São quatro rodadas, quem perder três, chupa o pau do Hoseok. Simples e prático.


- Preparados? – O mais velho entre nós perguntou remexendo um potinho com os papéis. – O tema é “Tudo aquilo relacionado a sexo” – Leu em voz alta e Jimin comemorou.


   Eu me atentei, não queria perder nem fodendo. Não por conta do castigo, um oral no Hoseok era moleza. Mas sim por que “perder” não existe no meu vocabulário.


- A primeira letra é... “E”

 

- Esperma. – Yoongi falou grosso soltando a fumaça, passando o cigarro pro Taehyung.

 

- “Eu quero gozar Taehy...” – Taehyung imitou um gemido manhoso caindo na gargalhada logo em seguida, e eu fiquei eufórico pois não consegui me lembrar de nada.

 

- Nove segundos. – Seokjin olhou no celular e eu me desesperei, nada vinha a minha cabeça. 


   Olhei pro Jimin que estava quase abrindo a boca pra falar algo. Lhe dei um tapa no rosto e uma onda de involuntarismo tomou conta do meu cérebro.


- “E-engole tudo gatinho!” Engole tudo, engole tudo! – Gritei extremamente animado e percebi que todos me olhavam segurando a risada. – Engole tudo... – Sussurrei para mim mesmo percebendo que eu devia me controlar.

 

- Jimin perdeu. E de onde caralhos surgiu esse “engole tudo” ? – Namjoon falou e Taehyung gargalhou alto ao ponto de ficar vermelho colocando a mão na boca. Começou a cair duro pro lado ainda rindo sem fazer som algum com a boca. Batendo palmas feito um retardado.

 

- Para Tae. – Sorri envergonhado choramingando, queria morrer.

 

- Próxima letra. – o moreno de cabelos castanhos embaralhou os papéis e Taehyung voltou a sua postura normal soltando um “ai ai” quando parou de rir. – Letra “A”.

 

- Amor. – Yoongi falou.

 

- O tema ainda é sexo sua mula. – Hoseok comentou fazendo o pálido revirar os olhos.

 

- Pra rolar um sexo bom precisa de amor. – Tentou se defender.

 

- Precisa de uma pica dura e uma bunda empinada. – Jimin falou sorrindo inocente.

 

- Doze segundos. – Jin falou sonolento e eu apertei os olhos pra pensar.

 

- A... Algemas! – Taehyung apontou o dedo pro Namjoon que concordou com a cabeça.

 

- Apanhar, apanhar! – Falei repetindo para ter certeza de que ouviram. 

 

- Tu gosta né? – O platinado me olhou por baixo com um sorriso malicioso.

 

- Vamos Jimin, cinco segundos, vai ter que chupar meu pau... – Hoseok provocou e Jimin deu uma piscadinha pra ele.


   O desgraçado estava fazendo de propósito. Incrível.


- Tempo esgotado.  – o loiro fingiu tristeza e eu cerrei os olhos já sacando qual era a dele.

 

- Não acredito que o Namjoon considerou “amor”. – Hoseok pigarreou quando falou tragando o cigarro também.

 

- Queria que eu perdesse não queria, vida? Só pra eu te pagar um boquete. – Yoongi tirou o cigarro dos seus dedos ficando em pé focado na próxima letra que estava por vir.

 

- Vai se foder Yoongi. – O ex namorado disse.

 

- Deixa que eu te fodo... – Rebateu mandando um beijinho.

 

- Calado passivo. – Ironizou.

 

- Calado os dois. – Jin indagou. – Vai, letra “B”

 

- Boquete. – Yoongi falou provocando Hoseok com uma risadinha maligna.

 

- Bunda. – Jimin finalmente disse algo que preste.

 

- Buceta! – Gritei fazendo uma cara de criança feliz depois. Não tenho psicológico pra lidar com essa brincadeira.

 

- Ah meu deus... – Taehyung roía as unhas pensativo e agoniado.

 

- Vamos Kim, oito segundos...

 

- Bater, bater na bunda. – Sorriu quadrado e comemorou quando Namjoon aceitou sua resposta.

 

- Bom tecnicamente o Jimin perdeu, mas vamos outra rodada porque eu estou amando as respostas. – O mais velho falou tirando um papelzinho do pote.

 

- Nem ouse encostar a boca no Hoseok tá entendendo? – Sussurrou ameaçando o loiro que apontou o dedo do meio para Yoongi.

 

- Letra “G”.

 

- Gozar! – Falei sentindo fogos de artifícios dentro do meu estômago. – Caralho eu sou um talento nesse jogo.

 

- Gostoso. – Yoongi falou.

 

- Glande, a cabeça do pau. – Jimin falou sem escrúpulos.

 

- Taehyung? – Namjoon questionou quando viu que o platinado não havia respondido. Ele ficou em silencio profundo aparentemente buscando alguma resposta do fundo da sua alma. Parecia intocável, parecia um buda. Ou sei lá um hippie com retiro espiritual.


- Taehyung dois segundos. – Alertou e Taehyung se levantou ansioso como se estivesse na ponta da sua língua.

 

- Gatinho gostoso gozando na minha glande! – Gritou para Deus e o mundo e Yoongi levantou comemorando junto com o francês, como se estivessem em meio a um torneio de futebol acabando de marcar o gol de pênalti ganhando do time adversário.


Notas Finais


aiai amdbskdbskbdkxbxkxjd


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...