1. Spirit Fanfics >
  2. SWEET - bokuto koutarou >
  3. Capítulo vinte e dois.

História SWEET - bokuto koutarou - Capítulo 23


Escrita por: kikipwpyu

Notas do Autor


olá, quanto tempo hein! enfim, voltei.

peço mil desculpas por ter demorado tanto para atualizar a fic, estava com um grande bloqueio criativo e meio que acabei me distanciando bastante da minha história, porém, cá estou eu novamente, feliz pelas férias terem chegado e agora tenho mais tempo para escrever e não deixar vocês esperando tanto.

a fanfic vai ser atualizada assim que eu puder pois os capítulos tendem a ser grandes e não dá para simplesmente escrever de um dia para o outro sem não ter um bloqueio. as vezes pode ser que não saia no dia previsto e demore um pouco mais de tempo, mas dessa vez não irei sumir do nada.

estou bem e agora tenho em mente em acabar de escrever fanfic que já estava quase na sua reta final e eu fico bastante feliz em saber que vocês gostam dela, o carinho de vocês me deixa ainda mais motivado, sério, muito obrigado gente! <3

enfim, falei demais KKKKKK boa leitura à todos.

Capítulo 23 - Capítulo vinte e dois.


Fanfic / Fanfiction SWEET - bokuto koutarou - Capítulo 23 - Capítulo vinte e dois.

O resto da semana passou rapidamente e já nos víamos na quinta. Quase não havia tempo para você ver Bokuto e ficar com ele pois o mesmo tinha que treinar e estudar e você também não estava diferente, a escola estava tomando muito do seu tempo e quando chegava em casa só queria dormir. Mas sempre que podia ele estava lhe mandando algumas mensagens e alguns vídeos fofos que achava na internet e deixava bem claro que estava morrendo de saudade e que arranjaria um tempo para que pudesse cuidar de você.

Você estava sentada na cadeira da sala de aula olhando entediada para a lousa aonde o professor escrevia algumas coisas que você não estava prestando tanta atenção assim.

Não via a hora de poder sair daquele lugar e ir para a casa, sua cabeça doía naquele dia e só de escutar um sussurro já te fazia dar careta. Naturalmente ficava chata quando isso acontecia, suspirou batendo a ponta da caneta na mesa levemente virando seu rosto para a janela vendo que tinha uma pequena movimentação dos alunos do lado de fora. Estava tão carente mas não admitiria isso, só queria uns beijinhos do seu garoto e a atenção dele mas sabia que ele tinha a vida dele e não tinha como só o ter para você.

Era a verdade, mas era chato.

Às vezes era um pouco egoísta da sua parte o querer para si assim mas o que podia fazer? Estava tão apaixonada e louca por Koutarou que quase não conseguia respirar bem num lugar aonde ele não estava. Seu irmão mais velho vive te provocando falando que você era uma doida que parecia que nunca havia namorado na vida. Na verdade você nunca havia encontrado alguém como ele.

Revirou os olhos vendo que faltavam alguns minutos para aquela aula acabar em seguida seria prova novamente, não aguentava mais. Suspirou sentindo o celular vibrar no bolso da saia que usava, o coração deu um pulo com medo de que o professor escutasse ou alguém lhe dedurasse mas por sorte isso não aconteceu. Colocou o aparelho cuidadosamente em cima da mesa e de forma discreta olhou quem lhe havia te mandando mensagem.

Era Bokuto.

Um sorriso involuntariamente se abriu nos seus lábios e a curiosidade lhe consumiu e você logo foi ver o que mesmo tinha te mandado.

"Vamos nos encontrar hoje à tarde no nosso lugar. Me espera na saída do prédio."

As batidas no peito até ficaram um pouco falhas estava surtando internamente aparentemente bem feliz por finalmente ter um tempo a sós com o outro que estava tão distante de si nessa semana. Logo o sinal bateu e o professor foi arrumar suas coisas se despedindo da turma e reforçando para terminaram a atividade em casa. Um breve suspiro saiu da sua boca e por alguns segundos se pegava olhando para o nada, que saudade que você estava de poder abraçar ele e ainda mais de escutar sua voz falando coisa com coisa ou contando alguma piada que você sempre acabava rindo no final, sentia falta do seu menino.

— você está viajando hoje. — uma aluna colocou a mão em cima da mesa em que você estava te olhando de forma amigável. — se continuar assim vai acabar indo para a direção novamente. — avisou-lhe e você apenas balançou a cabeça concordando. — aliás, é realmente incrível saber que você namora o capitão do time de vôlei da escola. eu fiquei impressionada quando me contaram. — disse mostrando sua surpresa. — bem que vocês formam um casal fofo. — sorriu.

— ah, obrigada. — sorriu também para a menina que estava a sua frente. era bem estranho alguém chegar assim do nada na sua mesa apesar de ser bem respeitada entre os alunos ninguém nunca se incomodava em vir falar com você a não ser para pedir o horário ou saber de alguma atividade, sobre outras coisas, não. — precisa de alguma coisa? — perguntou calma e também um pouco curiosa em saber se ela queria algo ou não.

— na verdade não. — parecia que estava falando a verdade mais ainda assim era um pouco suspeito. ela andou um pouco mais para frente agora colocando as mãos no seu ombro enquanto ia para trás de você. — mas já que você é assim tão próxima do time, poderia me ajudar em alguma coisinha. — deu uma risadinha.

Era óbvio que iria pedir algo, ninguém aparece na sua mesa sem ter algo para pedir em mente. Você suspirou olhando para o lado encontrando o olhar pidão que a mesma tinha.

— fale.

— não tem o kohona. — riu baixinho. — poderia conseguir o número dele para mim por favor? — juntou as mãos em uma súplica não muito exagerada. — é que, bem, sabe, ele é tão bonitinho. — as bochechas ganharam cor e você acabou sorrindo um pouco ao ver ela assim. estava apaixonada o que poderia fazer a não ser ajudá-la? pode até dar certo.

— irei falar com ele. — disse simples e menina quase faltou te deixar cair da cadeira com o abraço tão repentino que ela lhe deu. — n-não precisa disso. — a abraçou de volta de um jeito desajeitado.

— muito obrigada [seu nome]! você é incrível! — deixou um beijo na sua bochecha e saiu assim que o outro professor entrou na sala. você ainda se via um pouco estabilizada com tudo que havia acontecido em menos de 2 minutos mas no fim acabou rindo um pouquinho e se virando para frente agora com a intenção de ocupar a mente e não ficar tão ansiosa para o fim da aula.

Quando finalmente a última aula acabou você pôde se ver livre de qualquer coisa e agora sim poderia aproveitar e ficar o resto do dia nos braços de Bokuto. Guardou os seus materiais e a menina de mais cedo lhe deu um sorriso grande antes de sair da sala, ainda era tudo bem confuso mas falaria com Koutarou sobre isso depois. A mochila foi para as costas e finalmente estava saindo da sala que estava praticamente vazia agora. andou tranquilamente pelos corredores descendo a escadinha entrando em contato com o sol do lado de fora, olhando para o lado pôde ver o ginásio aonde ele deveria estar nesse horário teria que esperar mais um pouco para ter o mesmo somente para si.

Começou a andar novamente colocando as mãos na alça da mochila agora saindo da escola podendo há ver a movimentação dos carros na rua mas não esperava poder encontrar o de cabelo escuro te esperando do outro lado da calçada com o uniforme escolar. Um aceno veio dele e um sorriso também, assim que o sinal fechou você andou pela faixa de pedestre calmamente indo de encontro ao mais alto.

— o que faz aqui? — já foi direto ao ponto não entendendo a aparição repentina de oikawa em frente ao seu colégio.

— oi [seu nome]! estou bem também, obrigado por perguntar. — disse ironicamente te fazendo suspirar. — estava passando aqui por perto e achei que seria bom vir aqui, podemos almoçar. seu namorado também pode vir. — olhou para os lados vendo se bokuto apareceria.

— ele não pode vir, está treinando. — respondeu você vendo tooru dizer um "a" baixinho. — mas eu aceito o convite. — sorriu para ele que piscou algumas vezes sorrindo em seguida. — ah, estou com tanta fome é bom irmos logo.

— senhor.

Ambos riram. Era um pouco diferente essa nova fase que vocês estavam tendo agora mas você ficava feliz em saber que estava tudo bem agora. Desejou tanto por isso que por alguns momentos achou que esse dia nunca chegaria mas lá estava você agora, andando sem preocupação nenhuma ao lado de Oikawa que parecia calmo também apenas aproveitando o silêncio que pairava entre vocês mas que também era bastante agradável. Será que se não tivessem se conhecido naquele dia e nada disso tivesse acontecido, teriam virado amigos por conta da aproximação que ele tinha com os meninos da Karasuno?

O almoço havia sido tranquilo, tinham ido num restaurante próximo que Tooru reforçou dizer que tinham uma comida maravilhosa e de fato ele não estava errado, era tudo muito bom.

Estavam terminando de comer a sobremesa que ele mesmo fez questão de te dar como um "presente" e você acabou aceitando já que não tinha como negar isso à ele.

— seu namorado está treinando para ir às nacionais não é? — perguntou repentinamente ele e pôde perceber um sorriso sem emoção no rosto dele.

— está treinando para poder jogar um jogo amanhã para ver se realmente poderá ir às nacionais. — falou simples colocando mais um pouco de sorvete na boca. — ei, você joga na aoba johsai não joga? vocês conseguiriam?

— não. meu time perdeu. — falou dando de ombros olhando para o lado. — para o time do seu irmão. — riu pouco e você acabou se chocando um pouco.

Sabia como Oikawa era e poderia saber como ele deve ter ficado mal com tudo isso, mas também estava chateada por seu irmão não ter nem comentado nada com você sobre isso, era de se esperar já que ele quase nunca te contava nada. Um suspirou saiu da sua boca.

— haverão outras oportunidades para você, tenho certeza. pelo que já me falaram você é um ótimo levantador e todos reconhecem isso. — disse deixando o doce de lado recebendo a atenção do moreno à sua frente. — só não se cobre tanto.

Podia ver os olhos se arregalarem por um momento e depois relaxarem e o silêncio se estabelecer entre os dois que apenas se entreolhavam.

— foi pura sorte. — sorriu descontraído passando a mão no seu cabelo. — talvez se eu tivesse sido um pouco mais firme.. — suspirou. — bom acho que já podemos ir, tenho.. algumas coisas para resolver. — chamou o garçom com um sinal em sua mão.

Você não muda Oikawa.

Pagou o táxi na tentativa de te deixar chegar segura em casa, não discutiu muito pois sabia que acabariam brigando por uma coisa tão bobinha quanto à isso. Você estava no carro olhando as ruas pela janela do carro se permitindo distrair um pouquinho e se esquecer do mundo à sua volta apenas olhando para as coisas que passavam diante dos seus olhos nem percebendo que faltava algumas quadras para estar finalmente em casa.

O taxista lhe chamou umas três vezes até você realmente sair do mundo da lua e pedir desculpas por ter se desligado de tudo por um momento, por sorte ele entendeu e você logo se despediu dele saindo do carro um pouco envergonhada por conta desse repentino acontecimento. Não era a primeira vez que isso acontecia você se distraía com bastante facilidade e isso às vezes acabava te prejudicando um pouco.

Entrou no elevador e pressionou o botão do seu andar olhando as portas se fecharem a levando em alguns segundos para o andar em morava. Assim que chegou já enfiou as mãos no bolso da sua mochila pegando a chaga que estava lá a levando até a fechadura a abrindo logo em seguida. O ar quente se fez presente assim que entrou dentro do local já que estava tudo fechado e o sol do meio dia estava radiante no céu. Fechou a porta deixando a mochila no chão e os tênis ao lado assim indo até a cortina da sala a abrindo e abrindo a porta também respirando o ar sorrindo pequeno.

Estava ansiosa e queria que as horas passassem o mais rápido possível para que assim pudesse ver o seu grandão. Foi para o sofá aonde se sentou confortavelmente olhando em volta tentando procurar alguma coisa para fazer até que desse a hora para poder ir se arrumar aliás não iria de uniforme para poder se encontrar com o mesmo. Achou melhor ir tirar um cochilo e depois fazer atividade da escola, se deitou no sofá e respirou profundamente fechando os olhos já conseguindo encontrar o sono.


Bokuto cortava a bola com força que fazia estrondo ao ir de encontro ao chão. Estava ansioso por duas coisas, se encontrar com você e pelo jogo que tinha amanhã. Apesar de confiar plenamente no seu time ainda tinha um pouco de medo de acabar não saindo conforme imaginava quando for para a quadra amanhã, isso o assombrava um pouco. Mas Koutarou sempre foi muito cheio de si e também pensava que se ele estivesse ali não teria como o seu time perder, mas ainda assim a derrota o assombrava.

— akaashi, eu estou jogando bem? — perguntou ofegante levemente suado e talvez um pouco cansado de tanto pular mas ainda queria chegar ao máximo da perfeição e mostrar amanhã para você que era realmente bastante incrível. keiji lhe deu uma garrafa com água gelada que logo foi aberta pelo mais alto que bebeu o líquido com pressa.

— está. só não acabe exagerando demais. — avisou-lhe r acenou rapidamente lhe entregando a garrafa dessa vez com líquido na metade, estava realmente com sede.

— levanta 'pra mim 'kaashi.

O de cabelo escuro não hesitou em pegar a bola de vôlei e se direcionar a ir um pouco mais próximo à rede. Logo a levantou do jeito que Bokuto gostava e assim pôde ver ele pulando alto e de forma graciosa batendo a mão com força na bola que foi para o outro lado da rede fazendo um barulho alto ao ir de encontro ao chão. Koutarou sorriu convencido de que estava perfeitamente bem e que certamente não tinha como perderem amanhã.

— uou isso foi incrível! — um dos calouros dizia aos fundos para os outros que também observava bokuto jogando. — ele é realmente incrível!

Bokuto olhou para trás sorrindo dando um aceno para os meninos ao fundo que ficaram felizes e pouco envergonhados por serem notados pelo grande Ace.

Logo pegou a garrafa de água gelada que Konoha lhe ofereceu. Pensou no que você estaria fazendo agora. Obviamente comendo ou deitada no sofá vendo televisão já que sabia que você era uma preguiçosa nata mas também poderia ser que você estivesse algumas atividades para poder livre a tarde na hora em que se encontrariam.

Estava ansioso por demais para poder te encontrar e também já tinha planejado que te pediria em namoro decentemente hoje. Não tinha preparado nada muito grandioso pois estava realmente sem tempo mas pelo menos tinha pensado em algumas palavras bonitas e comprado um colar e um anel para assim poder deixar registrado mais um passo na relação de vocês dois. Suspirou mais animado olhando para cima já podendo imaginar como namorar você seria maravilhoso.

— que cara é essa de bobo apaixonado? — komi perguntou com a testa franzida ficando ao lado de sarukui que também o observava.

— ninguém está com cara de bobo apaixonado aqui não! — koutarou retrucou saindo de seu transe os olhando.

— deve 'tá pensando na namoradinha. — akinori jogou mais lenha na fogueira passando por eles com uma cara um tanto provocativa irritando mais um pouco o capitão do time.

E lá se começou uma pequena discussão entre os quatro. Akaashi observava quieto do outro lado da quadra ao lado de Suzumeda que sorria olhando para eles, às vezes se pegava pensando se eram quase adultos ou apenas um bando de crianças.

O final do treino ocorreu bem, Bokuto estava cansado porém se sentia bem. Estava tomando uma ducha de água fria calmamente enquanto escutava os outros meninos conversarem sobre coisas aleatórias que ele não estava entendendo muito bem também. Tinha os olhos fechados sentindo a água fria bater contra a sua pele enquanto passava o sabão por seu corpo com algumas lembranças vindo à sua mente.

Soube que estava mais próxima de Oikawa e não achou isso ruim, estava feliz por agora estar tudo bem de fato entre vocês. Mas às vezes a insegurança lhe acertava como um soco e o fazia achar que talvez não fosse o momento certo para poder te pedir em namoro. Mas também já havia se passado um certo tempo que vocês só estavam nessa e para ele já tinha passado do tempo de ter algo à mais com você, sua mente estava uma confusão.

E daí que se você optasse por pedir um tempo?! Pelo menos tinha tentado e espantaria o tempo que quisesse para poder te ter finalmente, realmente não se importaria se fosse dias, meses, anos, ele só quer você.

Desligou o chuveiro ainda meio absorto em seus pensamentos pegando a toalha e passando por todo o seu corpo se secando. Ainda podia escutar os murmúrinhos deles e não se importou com isso logo colocando a toalha em volta da cintura saindo da cabine recebendo os olhares dos colegas que estavam no outro lado sentados nos bancos e alguns em pé trocando de roupa.

Pegou uma roupa que trouxera de casa para poder já ir pronto para te buscar depois que saísse de lá. Sentiu uma aproximação de alguém a vir ao seu lado mais preferiu em se concentrar mais em vestir sua roupa calmamente.

— você vai sair hoje? — era a voz de keiji que soou baixinha na pergunta. — creio que vá se encontrar com a [seu nome], sim?

Recebeu a confirmação desejada com um balançar leve na com a cabeça do mais alto que logo se direcionou para o amigo após ter vestido as suas peças de baixo.

— iria precisar de alguma coisa? — perguntou agora bokuto passando o desodorante abaixo dos braços com os olhos ainda grudados no da cabelo escuro.

— não, só queria saber. — falou por fim. talvez ele quisesse algo mas não falaria apenas para não atrapalhar os planos que ele tinha para mais tarde, bokuto sabia que ele queria algo mas não insistiu pois sabia que ele não falaria nada mais sobre aquilo.

Quando se via finalmente pronto na frente do espelho pequeno que tinha na parede sorrindo pequeno ao ver que estava tudo certo até agora. A maioria daqueles que estavam no banheiro já haviam ido embora até Akaashi já não se encontrava mais dentro do lugar, deveria estar do lado de fora já que não mencionado nem nada de que iria embora naquela hora.

Pegou os dois capacetes e respirou fundo sorrindo mais ansioso do que já estava logo saindo de dentro do banheiro vendo o mais baixo encostado na parede olhando para o nada. Ele parecia.. triste? A expressão de Bokuto foi de feliz para preocupado aos poucos se questionando sobre o que poderia ter acontecido com o mesmo.

— Aka-

— fique bem, bokuto-san. tenha cuidado ao andar de moto. — cortou o koutarou se desencostando da parede parando na frente do mesmo. — tudo dará certo. — sorriu pequeno passando a mão levemente no braço do que estava em sua frente que tinha as duas orbes douradas arregaladas não entendendo.

Mas ele não falou nada mais que isso, saiu logo em seguida em passos lentos com a cabeça um pouco baixa. Estava sendo um pouco idiota? Tosco? Ridículo? Não sabia mas ainda assim sentia um enorme aperto no coração em ter que deixá-lo para trás daquele jeito. Sabia bem que depois ele viria cheio de perguntas sobre isso mas já tinha uma pequena desculpa na sua cabeça para essa situação.

Suspirou cruzando a saída do colégio caindo na realidade olhando para cima vendo que a tarde já caía livremente. Iria embora mesmo que seu coração dizia para voltar e conversar apropriadamente com seu amigo mais já era tarde demais para isso, obviamente já estaria em cima da sua moto se arrumando para encontrar a garota na qual ele estava mais que afim.

Tornou a andar novamente indo para uma direção oposta da qual normalmente vai para a sua casa afim de poder esfriar um pouco a cabeça antes de ter que enfrentar a dura realidade.

Seja feliz, Bokuto.

Mas antes de poder cruzar a esquina sentiu seu braço ser puxado o fazendo se virar e ver o mesmo que estava em sua cabeça em sua frente com um olhar preocupado sobre si.


Por outro lado você estava apressada a atrasada, dormiu tanto que esqueceu que tinha que acordar para se arrumar. Por sorte seu celular havia tocado ao receber uma ligação de sua mãe que estava preocupada com os estudos e também pelo fato de não ter mais ligado para ela depois de todos aqueles acontecimentos.

Agora estava se vestindo colocando uma roupa não muito formal já que não iam em um lugar que estaria cheio de pessoas. Já podia imaginar que ele estaria chegando e ainda não havia nem arrumado a bagunça que seu cabelo estava. Esse era o preço que pagava por sempre querer estar dormindo.

Suspirou tentando se acalmar e colocar as coisas em ordem talvez com calma as coisas pudessem dar certo, é como dizia o ditado "a pressa é inimiga da perfeição". Assim colocou o calçado se dirigindo para o espelho de seu quarto pegando o pente começando a desembaraçar aqueles nós em seu cabelo que a faziam até fazer uma careta de dor. Pegou um elástico e prendeu logo vendo seu reflexo no espelho vendo que estava bonitinha.

Pegou o aparelho vendo se Bokuto havia lhe mandado alguma mensagem se já estava vindo mas nada havia. Mordeu o lábio um pouco nervosa largando o celular na cama respirando fundo, será que ainda estava treinando? Mas já estava beirando para às seis da tarde e nenhum sinal, certamente achou que ele chegaria antes mesmo de você terminar de se arrumar. Balançou a cabeça se sentando na ponta da cama olhando para o nada, esperaria mais um pouco antes de descer e o esperar lá em baixo.


— você não precisava ficar comigo. você não tinha um encontro com [seu nome]? ela vai ficar chateada se você não for logo. — akaashi falava meio receoso de acabar sendo a causa de alguma briga de vocês.

— tenho certeza de que ela entenderá. — disse simples olhando para o céu que começava a ficar mais escuro e às estrelas começavam a ficar mais brilhantes e ainda mais lindas.

Ainda assim o keiji não se sentia bem em ver o maior ao seu lado sabendo que ele obviamente era para estar com você e não consigo naquela hora mas acabou nem insistindo e ficava na esperança de que nada acontecesse quando se encontrassem.

Bokuto acharia que você entenderia que estava tentando ajudar o amigo que parecia bastante abatido nesses últimos dias e dessa vez acabou cedendo em lhe fazer uma pequena companhia e conversarem como grandes amigos que eram.

— você vai pedir ela em namoro não é? — perguntou o de olhos escuros encarando a rua que estava movimentada nessa hora do dia.

— sim! bem, ainda estou um pouco confuso. — suspirou passando a mão no cabelo. — tenho medo de ser rejeitado e ela acabar nunca mais olhar na minha cara. às vezes penso que ela prefere o que temos agora do que ir mais 'pra frente. — virou o rosto para poder olhar para o amigo.

— não acho que ela te rejeitaria. — falou sincero, era mais do que óbvio. — ela te ama demais e quase não conseguem viver um sem o outro, creio que este passo vai ser bastante importante para vocês. — sorriu pequeno vendo que não faltava muito para chegar em sua casa. — você a ama tanto, eu os invejo. — revelou sorrindo sem graça.

— você também irá encontrar alguém que irá te amar mais do que imagina. — falou confiante. — e quando isso acontecer, não se atreva a se esquecer dos amigos.

— não irei. — ditou pouco envergonhado pensando nessa possibilidade de algum dia se entregar para alguém. — você a ama muito, não é?

— você não tem ideia. — suspirou sorrindo de canto. — eu faria qualquer coisa só para poder ver ela feliz. sorrindo. podendo ser ela mesma. — falou e akaashi mais que percebeu que ele estava mesmo apaixonado e se entregando inteiramente a você.

ficava feliz em saber que seu amigo mais próximo estava bem com você.

Apesar dos apasares, ele tinha ficado bastante feliz com a presença de Koutarou conversando consigo e lhe tirando o do mais sinceros sorrisos de Akaashi enquanto caminhavam calmamente pela rua agora próxima da residência do mesmo. Quando chegaram ambos se olharam e Bokuto sorriu deixando seus lindos dentes brancos à mostra, Keiji achava lindo o sorriso que ele tinha.

— obrigado por me acompanhar. — agradeceu simples olhando agora para os lados colocando as mãos no bolso.

— não foi nada, espero que fique bem. — bateu de leve a mão em seu ombro dando uma pequena risadinha ao ver a careta do de cabelo escuro. — bom, vou indo, se cuide. — fez um sinal com a mão logo se virando para trás indo embora.

— boa sorte. — disse baixo antes de entrar para dentro suspirando alto. aceitaria tudo mesmo ainda não estando completamente feliz em saber que ele logo oficializaria o namoro de vocês.


Os pensamentos negativos tomavam conta da sua cabeça enquanto você estava em pé em frente ao portão da portaria do prédio na qual morava olhando fixamente para o lado de fora. Não sabia que iria fazer frio quando a noite realmente caísse e assim sentia suas pernas tremeram levemente e você tentava segurar a vontade enorme de começar a chorar tendo quase a imediata certeza de que ele simplesmente esqueceu de você.

Mas por que? Por que justo hoje que era exatamente o dia que poderiam se ver, se abraçar e ficar juntos pelo resto da noite? Existia algo mais importante? Vôlei? Nem percebeu quando uma lágrima solitária desceu pelo seu rosto sentindo o olhar preocupado do porteiro que via que você estava a mais de quarenta minutos no mesmo lugar sem se mexer uma única vez sequer. Queria saber o que havia acontecido para estar daquele jeito.

Limpou o rosto em um movimento rápido respirando fundo, talvez estivesse pegado um imprevisto no treinamento e iria acabar saindo mais tarde do colégio. Sim! Isso! Só poderia ser isso. Mordeu o lábio inferior olhando para as horas na tela de bloqueio do celular que agora marcava quase sete da noite, logo desligou a tela voltando a olhar para frente na espera do Koutarou na esperança de que ele chegaria logo logo.

Mas agora tinha certeza de que ele não viria, já eram mais do que nove e meia da noite e nada e sem contar que chovia bastante, seria bastante difícil sair naquela tempestade toda. Não havia nenhuma mensagem do mesmo dando pelo menos um sinal de vida, estava cansada de esperar, sua bunda doía de tanto ficar agora sentada no banco duro e o frio estava ainda mais intensificado também.

Se levantou sentindo os olhos arderem um pouco se virando para assim poder seguir o caminho da onde estavam os elevadores já com a intensão de não olhar na cara do Bokuto pelas próximas semanas. Andou em passos firmes até o elevador que logo abriu as portas e você adentrou no cubículo apertando no botão do andar que morava vendo as portas se fecharem.

Se olhou no espelho podendo ver a tatuagem pequena que estava ao lado do seu pulso se sentindo uma completa idiota de ter achado que Bokuto era diferente. Esperava que ele tivesse uma ótima explicação para isso tudo, estava tão chateada, triste, não conseguia expressar o quão desapontada estava se sentindo agora com tudo isso. As portas se abriram novamente e assim você saiu pegando a chave de casa a abrindo e entrando a fechando em seguida deixando sua mão na porta encostando a testa na madeira fechando os olhos por alguns instantes.

— idiota — xingou ele deixando agora se levar pelo choro e a decepção desse dia que gostaria que nunca tivesse acontecido. queria poder voltar á algumas horas atrás e ter tentando ligar para ele assim saberia o que havia acontecido e não ficaria agora pensando em coisas piores.

Esperava pelo menos ele estivesse seguro em algum lugar e não andando adoidado de moto numa chuva dessas que estava lá fora e apesar de tudo queria pelo menos um sinal de vida do mesmo, uma ligação ou uma mensagem já era o um pouco do suficiente para se acalmar um pouco.

Iria se arrastar para o sofá e se afogar em lágrimas mas a companhia tocou e se coração deu um pulo em seu peito achando que era ele que estava ao outro lado da porta. Se fosse iria lhe cobrir de murros que daria em seu rosto mas quando abriu era apenas a vizinha lhe entregando uma panela que havia pegado emprestado.

E quando estava prestes a fechar a porta depois de agradecer viu a figura alta sair de dentro do elevador todo molhado olhando diretamente para você assustado mas seu olhar também carregava um pouco de culpa e tristeza, a mulher saiu ao perceber o clima pesado que havia se instalado entre os dois. Bokuto se aproximou aos poucos com medo de você acabar avançando sobre si e lhe bater até estar completamente desacordado, sabia que estava chateada ainda mais pelo fato de não ter avisado nada.

— me d-

Você pegou a porta pronta para fechar na cara do mais alto mas o mais alto forçou para isso não acontecer tentando entrar para dentro mais você também não deixou por isso mesmo colocando toda a sua força para não o deixar entrar mais foi insignificante já que ele era certamente bem mais forte que você.

Ele adentrou o seu apartamento te olhando pouco nervoso e você apenas desviava cruzando os braços com a raiva bem evidente em seu rosto.

— [seu nome]. — a chamou calmamente se aproximando aos poucos notando que estava molhando a casa já que estava encharcado com a chuva que havia pegado.

— você está molhado, fique aonde está. — falou vendo agora bokuto estar parado ainda com os olhos grudados em você.

— [seu apelido] me perdoe eu deveria ter te avisado que me atrasaria bastante hoje. — começou a falar novamente estando um pouco hesitante e cada vez mais nervoso vendo que você não demonstrava nenhuma reação. — akaashi estava estranho então eu resolvi-

— você estava com akaashi? — foi a primeira pergunta que você naquela noite para o mais alto que abriu e fechou a boca várias vezes mais nenhuma som saia. havia entendido, era novamente o keiji.

— não é bem assim. ele realmente não estava bem então achei que seria uma boa conversar com ele e também tive que arrumar mais umas coisas e-

— tanto faz. — disse sentindo um gosto amargo na sua boca. — estou cansada e você também está todo molhado pode acabar pegando um resfriado. — suspirou.

iria protestar mas acabou ficando quieto concordando levemente com a cabeça.

— certo. — resolveu não insistir tanto pois sabia que você não gostava de discussões e semore acabava pedindo para pensar um pouco sobre e depois conversarem sobre.

Agradeceu em pensamento por ele não querer ter continuado com aquilo agora. Já derrotado o Bokuto suspirou se virando para ir embora, com o coração na mão já que tinha pisado na bola e como consequência você estava com raiva dele. Não era isso que ele tinha planejado para hoje, não era nada disso que tinha imaginado, por que tudo isso acontece justo hoje?

Assim que saiu do cômodo escutou a porta se fechando atrás de si deixando tudo ainda mais melodramático para si.

— mas que diabos de dia foi esse? como faz para apagar isso? — resmungou apertando com um pouco de força os fios prateados indo até a sua porta contra-gosto já que se não fosse por tudo isso, obviamente estaria deitado juntamente com você na grama sob o céu estrelado.

Tal pensamento o deixou ainda mais frustrado adentrando o apartamento escuro sentindo frio pelas roupas molhadas, iria já diretamente para o banheiro tomar um banho quentinho e se enrolar nas cobertas enquanto assistia alguma filme chato apenas para adormecer mais rápido.

Enquanto passava o sabonete por seu corpo se questionava se amanhã você aparecia em seu jogo seu maior medo agora era isso. Como jogaria bem amanhã se você não estiver lá? Um arrepio passou por seu corpo e tratou de pensar que amanhã estaria tudo bem depois de uma boa conversa entre vocês e assim você estaria gritando, chamando, torcendo por ele na primeira fileira da arquibancada.

Sorriu de lado desligando o chuveiro se apressando para ir dormir logo.

Ele pensava em assistir algum filme e comer alguma coisa já que não tinha comido absolutamente nada desde que saiu do colégio mas assim que deitou na cama por cinco segundos o mesmo já se via dormindo fazendo breves barulhos não muito altos. Estava cansado havia feito muitas coisas hoje para no final simplesmente não dar em nada, era culpa sua? Ou simplesmente não era para ser?


Você acordou no outro dia parecendo que não havia dormido absolutamente nada na noite anterior, as costas doíam e não aguentava mais bocejar. Ao se levantar da cama pegou o celular podendo ver que haviam mensagens do Oikawa na tela. Pensou o que ele poderia querer.

"ei, está em casa?"
"pq não responde?"

Ele havia lhe mandando isso às onze da noite e você com certeza já estava na cama dormindo ou tentando. Mas ainda assim a dúvida estava em sua cabeça, o que ele queria? Bocejou mais uma vez abrindo a porta do quarto indo até a cozinha procurar algo para comer já que sua barriga roncava baixinho.

Depois de comer e escovar os dentes devidamente, estava terminado de colocar o seu uniforme de forma preguiçosa querendo muito voltar para a cama e dormir pelo resto do dia.

— finalmente o último dia de prova. — suspirou aliviada terminando agora de amarrar o cadarço do seus tênis se levantando da cama estando já pronta para poder ir ao colégio. pegando a mochila se dirigiu para fora do quarto olhando para os lados da casa, a quem queria enganar? estava sentindo falta do bokuto.

Ontem havia tido a grande chance de poder vê-lo mas não foi exatamente do jeito que queria, estava frustrada. E muito. Revirou os olhos andando até a porta emburrada pois também teria que ir para o colégio sozinha e não gostava já que estava bem mais acostumada com o fato de ir com o mesmo. O que faria agora que estava afastada do mais velho? Fez uma careta andando para fora do elevador passando pelo corredor do prédio saindo logo em seguida.

Quando chegou no colégio já foi recebida pela menina de ontem que queria o número de Konoha, nem teve tempo de pensar nisso quando pôde ver Koutarou totalmente molhado em sua frente parecendo um tanto arrependido. Explicou para ela que acabou não se encontrando com ele por conta da chuva mas a assegurou de que pegaria em algum momento que se encontrasse com ele por aí. E assim ambas foram juntas para dentro da sala de aula, agradeceu por ela não ter ficado insistindo naquilo e esperaria seu tempo para conseguir falar com ele.

Entraram na sala e sentaram próximas uma a outra. "Até que ela não é tão chata assim." Você pensou sorrindo pequeno logo pegando suas coisas e colocando e cima da mesa. O professor entrou em seguida dentro da sala já falando para deixar os cadernos abertos para ele dar o visto na atividade que era para responder em casa, foi aí que você se tocou que não havia feito a tarefa de casa. Havia esquecido completamente, seu dia já não estava começando nada bem.

Por sorte o professor deixou responder em sala e corrigiu assim que você terminou. As duas provas não foram tão difíceis já que retratavam assuntos que você conhecia bem e estava confiante de que havia se saído bem nelas.

Faltava alguns minutos para a aula acabar e sua "amiga" comentava sobre diversas coisas com você mas você estava ocupada demais olhando para a porta pensando em ir embora o mais rápido possível quando o sinal batesse até que escutou algumas meninas conversando na outra extremidade da sala.

— o jogo de hoje vai ser incrível! tenho certeza de que o nosso ace vai dar o seu melhor como sempre! — falava animada e com as bochechas levemente rosadas e as outras concordaram na mesma animação da mesma.

Como podia ter esquecido? Era o jogo que definiria se iria ou não para a nacional, teria que trocar de roupa o mais rápido possível quando chegasse em casa para poder pegar a primeira fileira para poder acompanhar tudo. Mas aí se lembrou de que estavam um pouco afastados por conta de ontem e desanimou rapidamente. Seria uma boa ir?


Koutarou almoçava junto aos outros que estavam mais que ansiosos para o jogo que aconteceria em algumas horas. Dava para perceber de longe que estava um pouco murcho hoje e nem seu cabelo se dava ao trabalho de ficar em pé como sempre, quem estava mesmo preocupado era Akaashi com medo de isso acabar prejudicando o jogo que era mais que importante para eles.

— bokuto-san está no modo emo? — komi perguntou com a testa franzida olhando para o mesmo que comia com cara de enterro. — isso é péssimo.

Keiji se perguntava o que poderia ter o deixado assim. Não era para ter pedido [seu nome] em namoro? Era para estar feliz não era? Então por que estava daquele jeito? Havia sido rejeitado? Isso não era possível alguma outra coisa deveria ter acontecido para estar assim e certamente envolvia [seu nome].

Se aproximou do mais alto que remexia a comida para lá e para cá mas não comia quase nada do que estava lá dentro.

— aconteceu alguma coisa? — resolveu perguntar mais uma vez mesmo sabendo que a resposta seria a mesma. teria que arranjar alguma forma de deixá-lo mais motivado pois se continuar desse modo vai ser ainda mais difícil conseguirem ganhar esse jogo.

— eu 'tô bem. — falou baixo largando os hashis em cima da mesa saindo da cadeira deixando akaashi na mesa sozinho.

Por mais que queria tentar não demonstrar que estava um porre hoje, os meninos o conheciam bem demais e ele não conseguia esconder quando estava triste ou chateado com alguma coisa. Não queria falar sobre isso pelo simples fato de não querer ficar lembrando do quando você estava chateada com ele que não queria quase nem olhar em sua cara ontem.

Mas ainda assim daria o seu melhor no jogo mesmo sabendo que obviamente não te veria na arquibancada gritando seu nome de forma orgulhosa. Suspirou se sentando no banco passando a mão pela sua cabeleira na expectativa de focar totalmente sua mente em se sair bem hoje.

Estava nervoso? Não era de ficar nervoso sempre ficava bastante energético em saber que poderia ter a chance de tocar na bola mais uma vez e pisar na quadra. Tinha que se acalmar e respirar um pouco de ar fresco antes de qualquer coisa era o único jeito de ficar mais calmo. Achava que a ideia de que você poderia simplesmente deixá-lo estava o atormentando bastante que quase não o deixou dormir essa noite pensando em mil e uma maneiras de tentar falar com você e deixar bem claro que te amava demais e não te trocaria por outra coisa.

Só estava na esperança de te ver lá.

Assim como havia pensado foi descansar um pouco no lado de fora e respirar um pouco de ar fresco enquanto observava as nuvens no céu conforme o vento ficava mais forte naquele começo de tarde.

Akinori o chamou depois de um tempo para poder ir até a quadra se aquecer junto com os outros jogadores. Estavam na escola adversária entao não estava tão acomodado ao lugar mas às vezes fazia questão de lhes lançar um olhar intimidador quando passava por eles. Bokuto era um tanto bipolar quando queria.

Pessoas e mais pessoas começavam a se sentar nos bancos e Koutarou olhava para lá a cada segundo fazendo os meninos se perguntarem o que estava acontecendo.

— ele está esquisito demais. — konoha comentou com a bola em mãos junto aos outros que também olhavam para o ace que alongava os braços com os olhos fixos em um ponto específico.

— deixem ele, pelo menos agora não tem aquela cara de bunda estampada na cara. — komi falou sorrindo divertido andando para perto da gerente pedindo uma garrafa de água.

O jogo já estava prestes a começar e o platinado estava com o coração na mão quase voltando a entrar em seu modo emo. Colocou a camisa que tanto tinha orgulho de usar mais acabou se lembrando de que você também tinha a mesma blusa e até mesmo já usou em um jogo dele. A tristeza veio mais uma vez.

Em fila todos os jogadores andaram para cumprimentar os outros jogadores adversários com um aperto de mão. Agora sim começaria, depois de tirar cara ou coroa a fukurodani começaria.

Komi sacaria primeiro. Preparou a bola e esperou o juiz apitar, assim que o fez jogou a bola e fez o saque viagem com perfeição. Por sorte o outro time havia recebido mal e logo se preparou para a jogada que fariam. Onaga fez o primeiro toque dando a bola para Akaashi que a levantou para Bokuto que pulou alto sorrindo ao ver a bola ao seu alcance, como sempre Akaashi levantava sempre muito bem para si. Tocou a bola com força e a mandou para o chão fazendo o som alto ecoar pela quadra logo ouvindo a gritaria do público.

— hey, hey, hey! isso foi bom 'kaashi!!! — disse pouco mais animado vendo keiji sorrir pequeno para si.

Acabou que olhou de relance para a arquibancada mais uma vez e sentiu o coração acelerar ao ver você parada olhando para ele com um sorriso quase invisível em seus lábios mas que ele percebeu perfeitamente. Bokuto sentiu suas bochechas queimarem e viu também que as suas estavam rosadas, ele queria manter aquele contato visual com você para sempre mas o mesmo tinha um jogo para ganhar e agora que sabia que você estava lá para vê-lo se sentiu agora bem mais motivado.

Aquele era só mais um ponto de 24 que seu time faria naquele primeiro set.


"você consegue, bo!"

E como esperado ele e seu time jogaram lindamente na quadra, você ficava simplesmente encantada com os saltos e os cortes que o Koutarou dava e ainda mais quando comemorava gritando seu típico "hey, hey, hey!". Ele ficava adorável quando estava felizinho principalmente agora que iria aos nacionais, estava tão feliz por ele ter conseguido.

Você ainda usava o uniforme da sua escola não sabia que o jogo seria em outro lugar e quando soube veio o mais rápido possível de ônibus para poder chegar a tempo e graças a deus havia dado certo. Quando desceu as pequenas escadas já pôde dar de cara com o mais alto que tinha uma garrafa de água na mão e uma toalhinha na outra secando o pescoço.

— você jogou bem, digo, vocês todos jogaram bem. — colocou uma mecha do seu cabelo para trás um pouco atrapalhada, por que agora estava sendo tão difícil ficar frente a frente com ele.

— obrigado por ter vindo. — escutou sua voz saindo um pouco arrastada e viu que as pontas da suas orelhas estavam bastante vermelhas. — seu apoio foi essencial para.. mim. — confessou.

Agora havia sido você que havia ficado vermelha com tais palavras. Como pode ser tão fofo assim? Não dava para tentar ficar brava com ele fazendo aquela carinha adoravelmente fofa.

— podemos sair e conversar hoje? — perguntou você mordendo o lábio um pouco nervosa logo encontrando as orbes douradas fixas em si.

— claro. e eu faço questão de te levar na minha moto, [seu apelido]. — sorriu. e como você estava com saudade daquele sorriso.





Notas Finais


até o próximo ! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...