1. Spirit Fanfics >
  2. Sweet as lemon >
  3. Nathaniel

História Sweet as lemon - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - Nathaniel


Fanfic / Fanfiction Sweet as lemon - Capítulo 15 - Nathaniel

Capítulo 15


Voltando a rotina de sempre, trabalhando no café, estou sozinha aqui, o movimento está fraco demais. 


Fico mexendo em meu celular esperando que alguém apareça, estou sentada atrás no balcão em uma banqueta.


- Eu quero um café forte e sem açúcar por favor.-Alevanto meus olhos e é Nath.

- Bom dia...-Falo sem graça e levanto e começo a fazer o café dele.

- Eu achei que tínhamos algo.-Ele diz e eu nem ouso olhar em seus olhos.

-  Acho errado.-Digo e término de fazer o café, entrego para ele.

- Esse café ta uma porcaria.-Ele fala e arremessa a xícara com café e tudo na parede.

- Nath, me respeita este é meu local de serviço, você não pode fazer essas coisas aqui.-Levo um susto imediatamente com o som da xicara quebrando, Digo nervosa com a voz trêmula, estou com vontade de chorar. 

- Eu só queria você para mim, e você me trocou por aquele ruivo falso.-Ele diz e soa muito infantil, por dentro eu do risada por fora estou com medo dele.

- Nath, sai daqui, por favor, eu estou trabalhando.-Meus olhos se enchem de lágrimas e pego um balde e um pano de chão para limpar a bagunça que ele fez, limpo a parede e desço ficando de quatro no chão para limpar o café que escorreu.

- Cat... você me enlouquece.-Ele fala e aperta minha bunda, levanto rapidamente com toda minha fúria e acerto um tapa em seu rosto. 

- Você nunca mais faz isso.-Digo irritada e saiu de perto dele.

- Cat, você me bateu, me perdoa, você faz eu tomar atitudes inadequadas, vamos lá para casa sério.-Nath diz. 

- O que você quer? Por que está aqui?-Digo estressada.

- Eu precisava te ver...-Ele diz olhando em meus olhos, parecendo sincero.

- Mas eu não estou nenhum pouco contente em te ver.-Eu digo seria.

- Eu sei que não te mereço, mas eu estou sendo sincero.-Ele diz.

- Não, não merece.-Digo.

-  Não sei o quer ouvir de mim, mas acho melhor você se retirar.-Digo.

- Por favor, eu sei que fui um babaca, mas foi porque fiquei com ciúmes de te ver pelada com o Castiel.-Ele diz e franze a testa. Não falo nada.


- Me perdoa, nada justifica minhas atitudes mas estou abrindo meu coração, para você.-Ele continua...

- Eu nunca vivi nada assim tão intenso, sinto que quero acordar ao seu lado pro resto da minha vida.-Ele diz... continuo sem saber o que dizer, sinto como se tivesse levado um grande soco no estômago, fico sem ar.

-  É difícil demais acreditar em tudo isso Nath, eu me entreguei para você e você me descartou como lixo, você partiu meu coração .-Digo com a voz trêmula.

- Não vai mais acontecer.-Ele diz.

- Eu não consigo acreditar, no outro dia não era o que você estava falando.-Eu respondo.



- Você decidiu me tratar como lixo.-Eu término.

- Eu tive que te manter distante, me meti em problema, mas quando te vi com Castiel, senti que te perderia te afastando, e não te protegendo.-Ele fala.

- Que tipo de problema?-Eu pergunto, mas já imagino o que seja.

- Eu não vou te falar.-Ele diz.

-  Você não me conta nada e quer que eu acredite em tudo.-Digo 

- Os caras que eu vendo drogas, eu disse que ia sair e eles me ameaçaram de morte.-Ele fala.

- Eu não acredito nessas bobagens.-Digo.

- Cat existe gente ruim de verdade...- Nath diz e ele parece transtornado, começo a me tremer ao ver ele daquele estado.

-  Minha vida toda passei fazendo coisas erradas, mas você me faz ver a vida em outro ângulo, agora é tarde demais, mas por você eu mudaria. Só que eu falhei com você.-Ele desaba no chão na minha frente e me envolve seus braços, fico chocada com tudo isso.

- Por favor me da uma chance de mostrar apenas, que estou disposto a mudar.-Ele diz.

- Nath...-Vendo-o tremer e me abraçar, meus olhos se enchem de lágrimas. Estendi a mão para ele e o ajudei a levantar. Ele me contou tudo o que estava acontecendo, e eu não tive como não acreditar. Ele foi embora e eu terminei o dia atordoada com tudo aquilo.


Chego em casa, tomo um banho e vou fazer algo para comer, enrolada em um toalha. Ouço a campainha tocar e vou atender.


- Nath, o que está fazendo aqui?-Digo olhando para ele, e me apavoro vendo como está seu rosto.

- Eu preciso que me deixe passar a noite aqui com você.-Ele  fala e entra sem que eu tivesse deixado.

- O que aconteceu?-Pergunto trancando a porta, preocupada.

- Eles Cat, me bateram, e eu consegui fugir quando consegui revidar, não parecia para vender hoje.-Ele me explica. 

- Temos que contar para polícia.-Digo nervosa.

- Para mim ser preso de novo?-Ele diz.

- Ae verdade....-Digo. 

- Posso ficar aqui até tudo acalmar?.-Ele pergunta olhando em meus olhos.

- Ok...-Digo e ficamos em silêncio... 

- Você está de toalha... pretendia sair com o Castiel?-Ele peegunta e franze a testa.

- Não, até mesmo porque se eu fosse, não deixaria você ficar.-Digo e vou em direção ao meu quarto para me vestir.

Tiro a toalha e jogo na cama pego uma calcinha de renda azul bebê e vou vestir, derrapante entra o Nath e levo um susto. 


- Merda! Que me matar do coração! Não tá vendo que to me vestindo?-Tomo um susto e me cubro.

- Sim, é exatamente por isso que estou aqui, por que você está pelada...-Ele abre um sorrisinho malvado. 

- Não, eu não vou fazer nada com você, até por quê, se o Castiel me querer, vou ficar com ele, e por tanto eu não vou ficar dando pra ti.-Digo seria.

- Você me brocha falando essas merdas, onde ele está?-Ele fala parecendo encomodado.

- Tá viajando, a trabalho, não que isso seja da sua conta.-Digo seria ainda cobrindo minhas partes.

- E quem está aqui com você? Isso mesmo, eu.-Ele diz cheio de si.

- Eu estive em minha pior fase a uma semana atrás e você não me mando nem uma mensagem perguntando como eu estava, então não venha me dizer sobre quem está do meu lado agora, e quem estava comigo? Castiel, porquê ele sim é homem de verdade, e sabe separar as coisas, você só me procura quando quer da uma esvaziada. Sai do meu quarto agora.-Digo irritada.

- Desculpa.-Ele vai se aproximando, e eu bato com meu quadril na cômoda, ele segura firme no meu quadril, eu não consigo resistir a este jogo de sedução.

- Sai.-Eu digo e ele me beija, segurando firme na minha nuca com sua mão esquerda, e com a direita segura na minha cintura. Eu tento empurrar ele, mas tudo foi ficando mais interessante quando ele me deita na cama, aconteceu o que eu nao queria, mas não conseguia resistir, fizemos sexo selvagem. Após terminarmos eu fui para o banho e me vesti, depois ele também foi e se vestiu.


- Você não acha, que já deu tempo suficiente?-Digo.

- Você não me quer mais né.-Ele diz e eu não sei o que responder, porquê apesar de tudo eu não quero que ele se afaste.

- Eu não sei, é que quando você está perto, só quero que fique longe, e quando está longe eu sinto saudade.-Falo olhando em seus olhos.

- Eu gosto de você, quando você decidir o que quer eu vou estar te esperando.-Ele diz.

- Você me trata muito mal, talvez quando você souber tratar uma mulher eu te de uma chance...-Digo e ele fica vermelho.

- Eu prometo melhorar, você vai ver.-Ele diz e vai em direção da porta.

- Eu preciso te contar uma coisa antes de você ir.-Digo e ele para na frente da porta e se vira para mim.

- O que é?-Ele diz chateado.

- Eu tô falando isso, só porque eu acho que você tem direito de saber... eu perdi um bebê que podia ou não ter sido seu.-Eu digo e meus olhos se enchem de lágrimas. 

- Você está bem?-Ele diz é vem me abraçar, fiquei sem graça e retribui. 

- Estou ficando.-Digo.

- Se precisar de alguém pode contar comigo.-Ele diz, e ele sai do abraço, eu o beijo, um beijo intenso, e suave.

- Tchau.-Digo e ele sai porta fora, tranco a porta com medo dos bandidos virem atrás de mim.


Alguns dias se passam. 


02:43AM.


Acordo no susto, escuto alguém na minha sala, corro para ver quem é. 


- Quem são vocês?-Tem três homens armados na minha sala.

- Onde está o Nathaniel?-Um careca pergunta.

- Eu não sei moço, faz 5 dias que não o vejo.-Eu digo em choque.

- Vem você vai ligar para ele.-Um de cavanhaque, me puxa pelos cabelos e me joga no sofá.

- Meu celular não está aqui.-Digo com muito medo.

- Vão procurar.-Um homem de bigode fala e os outros dois vão para meu quarto.

- Por favor, me deixem em paz.-Digo com a voz trêmula.

- Fica quietinha que não vamos te machucar.-Ele diz parecendo impaciente, os outros dois homens vem e eu disco o número do celular do Nath.


# Ligação On 


Catherine: Nath? Por favor me escuta.-falo com a voz trêmula. 


Nathaniel: Oi Cat, não to podendo falar agora, fala rápido.-Ele diz cheio de presa.


O homem de bigode: Nathaniel é melhor você vir aqui no apartamento dela, se não quer que aconteça algo com ela.-O homem pegou o celular da minha mão em uma agressividade. 


# Ligação Of 


O homem desligou antes que eu dissesse algo.


Ele pegou uma cadeira na cozinha, e um fio e me amarrou. Estou sentada amarrada no meio da sala, com fita na minha boca, estou chorando muito, e o tempo não parece passar, o homem de cavanhaque está me olhando dos pés a cabeça. 


-  Eu posso brincar com ela, ela ta muito gostosinha nesta camisola.-Ele diz é eu fico com muito medo e tento gritar.

-  Deixa ela em paz cara.-O homem careca fala. Ele não liga para o que ele diz e vem na minha direção, o homem de bigode está em uma ligação. 

- Você podia fazer um  carinho bem gostoso em mim né.-Ele fala com as duas nas minhas coxas. Ouço barulho de alguém entrando no meu ape, olho em direção à porta e é Nathaniel.

- Vocês não podia ter metido ela nisso.-Ele chega, e empurra o cara que esta com as mãos em mim.

- Ela é tua cadela cara?-O homem pergunta atirado no chão pelo tombo que levo.

- Ela não é minha, menos ainda minha cadela, tu respeita ela.-Nath diz e tira uma arma da cintura e aponta para o cara de cavanhaque, e o homem de bigode aponta uma arma para mim, e o careca aponta a arma para o Nath. Entro em despejo e choro mais ainda.

-  Ei Nathaniel, calma ai cara.-O homem de cavanhaque diz com as mãos para cima.

-  Nathaniel, olha o que está fazendo.-O careca diz.

- Nathaniel vamos resolver isso fora do ape da moça, não queremos testemunhas.-O homem de bigode diz. Sem falar nada, Nath me desamarra, e tira a fita adesiva da minha boca.


- Nath, eu preciso chamar a polícia.-Eu digo chorando muito.

- Vai ser pior para nós dois se envolver a polícia.-Ele diz e me beija na testa.

- Te cuida, por mim e por você.-Do um beijo nele.

- Deu com a melaçao.-O careca diz e Nath vai. Fico chorando e coloco um sofá atrás da minha porta, pois a fechadura ta quebrada. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...