História Sweet Doom - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Personagens Originais
Tags Blackpink, Bts, Hot, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Rose, Suga, Taehyung
Visualizações 102
Palavras 2.621
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLHA EU AQUI DE NOVO! Khkgjhjhjgjg
Eu não me aguentei, fiquei tão contente com o último capítulo que resolvi postar mais um no mesmo dia! Enfim, quero agradecer pelos 12 favoritos, obrigada meus bebês! <3
E vamos para o capítulo né minha gente?
BOA LEITURA!

Capítulo 19 - Morrer por amor


Fanfic / Fanfiction Sweet Doom - Capítulo 19 - Morrer por amor


Point of vision Taehyung



 Nesse exato momento eu estava distante do dormitório, mesmo assim, consegui ouvir gritos dos Lee ecoando ao longe. Byeon estaria segura ao lado de Lisa. Eu não gostava da ideia de deixá-la sob a proteção daquele híbrido maldlto, mas eu não tinha escolha. Eu estava convicto de que os garotos conseguiriam facilmente defendê-la dos Lee, ainda mais porque eles não trouxeram seu exército, isso significa que vieram apenas confirmar os boatos que ouviram. Mas se houvesse uma próxima visita, com certeza eles trariam a família Lee inteira. 

  Andando para longe dos prédios, eu sabia que estava sendo seguido. Ouvia os passos e reconhecia o cheiro. O quarto irmão e o mais babaca dos Lee, Jin-woo. Ele estava me perseguindo à um bom tempo e eu sabia exatamente o que ele queria. Áurea. 

  Entrei em um pequeno bosque que a faculdade preservava para estudos da natureza e logo me misturei as árvores, escondendo-me e despistando Jin-Woo por um instate. Logo ele me localizaria sentindo meu cheiro, mas seria tarde demais pois eu já havia o visto. Ele estava parado olhando entre as árvores, me procurando. Senti meus olhos ficando amarelos e o meu sangue esquentando. Quando ele finalmente me avistou, eu não estava mais em forma humana. 

  Pulei em cima dele e ele caiu com tudo no chão. Seus olhos encararam os meus e pude os ver ficarem em uma tonalidade avermelhada. Suas mãos agarraram meu pescoço e ele me jogou contra uma árvore. Com o impacto, meu corpo voltou ao normal e o meu lado lobo recuou. Observei-o se levantar e eu fiz o mesmo. 

Nos encaramos por um tempo e nenhum de nós disse nada. 

_ A Áurea está aqui, não é? - Ele perguntou.

_ Tente sentir o cheiro dela e obtenha a resposta você mesmo.

  Ele fechou os olhos e inspirou o ar. Eu tinha certeza de que ele não havia a sentido, Lisa já devia ter feito o feitiço.

_ Não sinto o cheiro dela, mas sei que ela está aqui. Em toda encarnação de algum modo ela sempre está perto do Hoseok. E ela sempre faz as piores escolhas. 

  Suspirei, negando com o cabeça.

_ O que você quer? - Minha voz saiu como um rosnado. 

_ Você sabe o que eu quero. Já te fiz a proposta antes, mas a repetirei. Entre para o nosso clã, Taehyung. Eu e você juntos podemos tomar Áurea das mãos de Hoseok, e assim, evitaremos que a tragédia se repita. E claro, ambos teremos o que tanto desejamos, teremos ela.

  Senti a raiva subir pelas minhas veias.

_ Essa proposta é absurda! - Gritei. - Eu nunca entraria para os Lee e jamais faria isso com Áurea. Ela nunca vai ser sua, Jin-Woo.

  Meus olhos mudaram de cor só de pensar em Áurea nas mãos desse cretino. 

_ Taehyung, ambos sabemos que o Bangtan não se importa com você. Eles dizem ser seus amigos mas estão do lado do Hoseok. Vocês dizem ser uma família, mas eles o abandonaram. Onde estão seus amigos, agora? Se você fosse dos Lee, nós nunca te abandonaríamos como o Bangtan fez. 

  Não. Ele estava errado. Eu me afastei do Bangtan por vontade própria, eu quis sair para evitar brigar com o Hoseok. Eu não queria gerar confusão no clã e muito menos atrair a raiva dos meus amigos. Eles não me abandonaram, eu os deixei.

_ Os Lee realmente são tão bons assim? Eu aposto que não ligariam se eu te matasse agora. - Rebati. 

_ Taehyung, pense bem na minha proposta. Você sabe que os Lee dão valor à lobos alfas como você. O convite está feito e cabe à você a decisão. - Ele passou os dedos no longo cabelo negro que batia até os ombros. - Pense bem no convite, esperarei uma resposta. Te dou um prazo de uma semana para se decidir.

_ E se eu não aceitar? 

_ Então teremos que voltar aqui com o nosso exército e matar você e sua amiguinha Lisa. 

   Ele sorriu perversamente e eu rosnei, sentindo raiva novamente. Fechei os punhos com força e o encarei com os olhos ardendo em dourado.

_ Se encostar na Lisa, acabo com você Jin-Woo.

_ Isso é o que veremos. - Ele piscou um dos olhos e abriu um sorriso de canto. - Nos vemos em breve, Taehyung. Logo você será um membro dos Lee, meu caro.

   Ele se virou e sumiu entre as folhas, sem deixar rastros de sua presença. 

  Suspirei e me encostei na árvore. 

Droga, e agora? Eu não consigo lutar contra um exército inteiro. Precisarei da ajuda dos garotos.

  Fechei os olhos por um segundo e lembrei de Áurea. Logo os abri em alerta, eu precisava ver se ela estava bem. Corri em disparada, atravessando o bosque rapidamente e chegando ao prédio em menos de um minuto. Pulei a catraca e entrei no elevador do dormitório feminino. Assim que parou no andar de seu quarto, corri novamente até sua porta e girei a maçaneta sem exitar. 

  A porta se abriu sem oferecer resistência e meus olhos captaram uma cena nada agradável. Áurea estava abraçada à Hoseok, e ela parecia confortável em seus braços. 

  Aquilo foi como uma facada no meu coração.

  Assim que ela percebeu minha presença, o soltou e me inspecionou com o olhar. Ela se levantou e tocou meu rosto com as duas mãos, e continuou me olhando de cima a baixo como se estivesse querendo confirmar o que estava vendo.

_ Você está bem? - Ela perguntou.

_ Sim. E você? 

  Peguei suas mãos que estavam em meu rosto e as enlaçei às minhas.

_ Eu também tô bem. Quer dizer, eu acho que estou. 

  Percebi o olhar de Hope sobre nós. Ele realmente não sabia disfarçar que estava incomodado. Aquilo só me deu mais coragem para puxá-la para um abraço apertado que foi correspondido por ela. 

_ Fiquei com medo de que você se machucasse. - Ela disse.

_ Tá tudo bem. - Repeti.

  Ela me soltou - infelizmente - e eu olhei sério pra Jimin, prestes a contar sobre a ameaça de Jin-Woo.

_ Tenho algo pra contar. - Falei e logo em seguida expliquei tudo o que aconteceu, tirando a parte em que falamos de Áurea. 

  Ele abriu um sorriso de canto pra mim e deu um tapinha em meu ombro.

_ Bem-vindo de volta ao Bangtan, Tae. 

  Eu voltei para a minha família, voltei de onde nunca deveria ter saído. Eu estava de volta junto aos meus amigos.

_ E quanto aos Lee? - Perguntei.

_ Nós vamos lutar contra eles ao seu lado. Não importa o que tenha acontecido, você ainda faz parte da nossa família. - Dessa vez foi Hoseok que falou.

 _ Nós somos uma família, e lutamos juntos ao lado de quem amamos. - Lisa disse, sorrindo pra mim.

  E foi ali que eu soube que na verdade, nunca os deixei. Nossos laços nunca haviam se partido.

 Eu estava voltando para casa.


 [POV'S TAEHYUNG OFF]


(...)


Point of vision Gabi



  Os meninos estavam todos reunidos ao redor de uma mesa da biblioteca, olhando um para os outros apreensivos. Ao lado de Tae, estava Lisa e esta tinha uma garota pálida e com longos cabelos dourados em uma tonalidade forte ao seu lado, observei que elas estavam de mãos dadas. Além dessas duas garotas, também havia eu e Gio que estávamos olhando pra aquilo tudo sem entender nada.

_ Então os Lee querem te levar para o clã idiota deles? - Yoongi disparou, olhando para o Tae que assentiu suspirando.

_ O que nós vamos fazer? - A garota ao lado de Lisa se pronunciou.

_ Eu não sei ainda, Rosé. - Jin parecia estar pensativo e tentava transparecer calma.

_ Eles não podem levar o Tae contra sua vontade, não é? - Kookie perguntou, olhando para o Jin.

_ Eles podem sim, Kookie. Os Lee sempre conseguem o que querem e por isso são tão fortes.

_ Alguém já conseguiu escapar dos Lee? Quer dizer, sem ser morto. - Lisa olhou para Jin, mas dessa vez foi Namjoon que respondeu.

_ Nunca ouvi falar de alguém que tenha conseguido tal feito.

_ Droga. - Jimin passou a mão pelo cabelo, o bagunçando.

_ Tem que ter alguma coisa que possamos fazer! - Yoongi parecia irritado.

_ Suga, calma. Se exaltar não vai solucionar nossos problemas. - Hope lhe disse.

_ E o que faremos, então? - Rosé parecia desesperada. - Vamos deixar que levem o Tae?

Todos suspiraram.

_ Gente, eu não quero que se preocupem, tá legal? Olha, se não tiver jeito... Eu entrarei para os Lee. - Tae disse.

Os olhos de Jimin se arregalaram.

_ Não, Tae! Você só pode estar brincando.

_ Você não pode fazer isso, somos uma família. - Namjoon disse.

_ Não permitiremos que você vá. - Jin reforçou.

_ Mas se eu não for, vão matar vocês! - Tae rebateu.

_ Não. Nós vamos arranjar um jeito. - Hoseok tentou ser otimista.

Eu não estava entendendo mais nada.

_ O que está acontecendo? - Perguntei.

Eles se entreolharam e Hope ficou sério, algo que era bem raro de se ver.

_ Byeon, você sabe quem são os Lee? - Namjoon perguntou e eu neguei. - Eles são um clã que existe desde o século 13 e tem o objetivo de continuar sendo a família mais forte de todas. Eles usam a violência para conseguir o que querem. São sanguinários frios e sem coração.

Estremeci.

_ Mas o que eles fazem de tão ruim? - Gio perguntou.

_ Eles matam pessoas inocentes para satisfazer sua sede, além de torturar e matar quem se opõe à eles. - Jin explicou e de novo eu tremi internamente.

_ Mas ninguém para eles?

_ Ninguém é forte e nem corajoso o bastante para enfrentar os Lee. Eles são monstros, Harada. - Jimin disse a ela.

_ Você disse que eles eram antigos inimigos.

_ Nós já tivemos um desentendimento com eles no passado. Eles me queriam para o clã deles e eu neguei. - Tae suspirou. - E uma pessoa que eu amava acabou morrendo por conta dessa minha decisão.

_ O que aconteceu? - Perguntei.

_ Ana era humana e eu era apaixonado por ela. Mas... Os Lee descobriram sobre ela e me fizeram uma proposta, eu entrar para o clã deles em troca de Ana continuar viva.

_ E você escolheu continuar com os meninos. - Completei e ele assentiu com uma expressão chateada. - Sinto muito.

_ E desde a morte de Ana, os Lee continuam enchendo o saco para que o Tae entre para o clã deles. - Yoongi disse.

_ E dessa vez as coisas ficaram bem sérias. - Rosé suspirou.

_ E o que eu tenho haver com isso? Por que eles me querem? - Olhei para Hope, esperando uma resposta dele.

_ Eles sabem que meu ponto fraco é você. Eles estão torcendo para que eu entregue o V em troca de sua segurança.

Arregalei os olhos.

_ O quê? Não. O Tae não vai morrer por minha causa!

_ Ninguém vai entregar ninguém, Byeon. Nós somos uma família e cuidamos uns dos outros. - Jin pegou minha mão que estava sobre a mesa.

_ Se for pra morrer protegendo quem amamos, o faremos. - Suga completou.

_ Ninguém vai morrer. - Kookie disse.

_ Não. Ninguém vai. - Jimin reafirmou.

E então voltamos a olhar um para o outro buscando uma solução para o nosso gigantesco problema.

Estávamos voltando para o dormitório em silêncio, comendo nossos bolinhos como se nada houvesse acontecido. Hope estava ao meu lado comendo um bolinho de arroz. Aquilo me fez lembrar do Jimin. Chimchim. acabei rindo com meus próprios pensamentos e ele me olhou sem entender nada.

_ O que foi? - Ele perguntou.

_ Nada, é que você estava comendo esse bolinho e eu lembrei do apelido do Jimin.

Ele fez uma careta e abriu a boca fingindo vomitar.

_ Que pensamento mais horrível.

Eu ri de novo.

_ Desculpe.

Ficamos em silêncio, apenas olhando um para o outro. A lua estava cheia e o céu escuro. Tudo parecia quieto e silencioso, existia apenas eu e ele.

Seus olhos tinham um brilho incomum e sua pele era refletida pela luz da lua. Ele era tão lindo, tão delicioso de se olhar. 

Meu Deus, como você consegue ser tão perfeito?

_ Você fica bonita desse jeito. 

Corei, envergonhada.

_ D-De que jeito?

Ele se aproximou de mim, ficando frente a frente. Ele era bem mais alto que eu e eu adorava o fato de ser menor que ele. Gostava de pensar que meu corpo se encaixava perfeitamente em seu abraço. Ele estendeu sua mão e colocou uma mecha de cabelo atrás da minha orelha, logo em seguida passando delicadamente dois dedos no canto da minha boca.

_ Estava sujo. - Ele disse e deu um passo pra trás, voltando sua atenção ao bolinho. 

  _ Ah, obrigada. - Murmurei, também voltando a andar e comer. - Hope, você já gostou de quantas garotas? 

Eu não sabia porque havia perguntando aquilo. Aquela pergunta estava armazenada na minha mente desde a manhã, quando eu ainda era Byeon e não Áurea, e ainda nem sabia que os Lee sequer existiam.

_ Ao longo dos anos conheci várias garotas diferentes e todas foram engolidas pelo tempo ou mortas pelos Lee. Em algumas eu nem cheguei a tocar, mas mesmo assim, elas morreram nas mãos dos Lee e eu não pude fazer nada. As pessoas que eu amo são mortas ou eu as vejo morrer por conta do tempo que passou pra elas. - Seu olhar era profundo e triste. - Esse é o preço da imortalidade, ver todos ao seu redor morrerem e você continuar vivendo.

Engoli o último pedaço do bolinho em seco. Parecia ser bem ruim aquilo tudo.

_ Sinto muito. - Falei.

Ele logo tratou de desfazer sua cara triste e dar um pequeno sorriso pra mim.

_ Entretanto, tem uma garota que sempre volta após alguns anos. Eu nunca sei quando ela vem ou com que idade a encontrarei, mas ela sempre vem jovem e em cada vida ela continua com a mesma aparência, mas de algum jeito é diferente. Eu reconquisto ela todas as vezes e... - Ele me olha de cima a baixo, parando em meu rosto. - Gosto dela todas as vezes.

_ E quem seria essa garota?

Ele dá um sorriso de canto. Ele se aproxima ainda mais e fica bem perto do meu corpo, colocando suas mãos em minha cintura e me puxando para si.

_ Você é a minha garota.

Senti meu coração bater forte e não segurei um sorriso. Era tão bom ouvir isso dele. Abracei-o e fechei os olhos, sentindo seus lábios roçando nos meus. Em um ato de coragem, selei meus lábios aos dele, senti ele me adentrando com a língua, dando início à um profundo e intenso beijo.

Quando nos soltamos, eu estava sem fôlego e ofegante. 

Uau, ele sabia como tirar o meu ar.

 Encostei minha cabeça em seu peito e deixei que ele me abraçasse.

_ Desculpe por hoje. Aconteceram muitas coisas e você descobriu muito em um só dia. Deve ser muito para se assimilar.

_ Não. Tá tudo bem. - Falei.

Senti ele encostar sua cabeça na curva do meu pescoço e ali deixou um beijo, em seguida, lambeu a região e mordeu, deixando um chupão.

_ Aí. - Soltei um pequeno gemido e ele riu.

O caminho até o dormitório foi preenchido por beijos e mordidas dele. Quando nos separamos e cada um foi para o seu quarto, fiquei pensando o tempo todo no gosto viciante dele.

Eu me deitei pensando no nosso encontro e no nosso primeiro beijo encima de uma pedra em meio à cachoeira. Fechei os olhos repassando cada momento nosso mentalmente.

Boa noite, meu Hope.

E eu dormi, torcendo para ter sonhos bons com ele.


[POV'S GABI OFF]



Notas Finais


E então meus bebês, o que acharam?
Desculpem por qualquer erro.
Não sejam leitores fantasmas, adoro comentários e interagir com vocês.
Até amanhã meus amores e...
Beijos da ~CatJungCrazy. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...