1. Spirit Fanfics >
  2. Sweet Dreams - Imagine Park Jimin >
  3. Capítulo Único

História Sweet Dreams - Imagine Park Jimin - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


. ⸙. ͎۫ Oioioi anjinhos, tudo bem?? ༄ ‧₊

✨Olha quem voltou depois de um tempo com uma oneshot quentinha do nosso amado Park Jimin! ༎ຶ‿༎ຶ✨

✨Fiz essa oneshot com muito carinho e espero do fundo do meu coração que esteja ao menos próximo do agrado de vocês! :3✨

BOA LEITURA!✨

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Sweet Dreams - Imagine Park Jimin - Capítulo 1 - Capítulo Único

15 de junho - Seul, Coreia do Sul

Park Jimin

Point of view



Bocejo. Perdendo a conta de quantas vezes eu teria feito tal ato nesta madrugada. Aspiro o ar com força e suspiro na mesma intensidade. Céus, como estou exausto. Minhas costas doem por ficar tanto tempo inclinado em frente ao notebook e sinto a necessidade de as encostar mais confortavelmente na cadeira, adquirindo uma pose mais desleixada. Estico meus braços acima de minha cabeça, esticando todos os músculos tensos pela exaustão. Dirijo minha mão até a xícara de porcelana que contém minha cafeína e praguejo, pois mesmo depois de ingirir todo o líquido, ele ainda não fez o seu devido efeito de me despertar completamente.

Esses últimos meses estavam sendo extremamente puxados e se tornado meu motivo de dor de cabeça, mas hoje em especial, poderia culpar Jungkook por ter resolvido ir a um encontro justo quando eu precisava chegar cedo em casa para fazer esse trabalho, afinal, fiz hora extra a semana inteira já com a intenção de sair hoje mais adiantado; no fim das contas o culpado era eu por não ter recusado o pedido do meu dongsaeng tendo plena consciência dos meus afazeres, mas eu também me odiaria em fazê-lo desmarcar um encontro com a garota com quem ele estava começando a dar certo, até porque, eu ficaria chateado em desmarcar algo assim com ______________, mesmo sabendo que a garota sempre é extremamente compreensível e que não ligaria para esse tipo de coisa, mas sei que no fundo desmarcar um encontro tem sim um significado muito grande.

Eu e ______________ estamos namorando a três anos, e afirmo sem ao menos pensar duas vezes que esses foram os melhores anos da minha vida.Tudo que eu faço é para ela e por ela, e por esse motivo que eu estava fazendo hora extra até em finais de semana e me dedicando no meu máximo com a faculdade. Eu amo essa garota com tudo que tenho e com tudo que sou; a amo de corpo e alma, e a amo nos seus mais mínimos detalhes, como até mesmo sua pintinha no biquinho do seio esquerdo, pois levo extremamente a sério ao dizer "mínimos detalhes". E imagino que não existe algo melhor do que ser completamente correspondido; ser acordado logo de manhã recebendo seu sorriso caloroso e animado juntamente com um "eu te amo", mostra que sou o homem mais realizado e sortudo do mundo. E mais que qualquer coisa, eu queria ter ela ao meu lado e sentir esse sentimento maravilhoso para sempre, e por isso quero pedi-la em casamento. Mas não quero que seja qualquer pedido, queria que fosse um pedido digno a ______________; e para que isso aconteça, eu preciso me esforçar bastante, pois quero seguir com meus planos e pedi-la antes da virada do ano.

Meus olhos recaem sobre a tela do notebook e por mais que eu me esforce para entender as letras, o cansaço presente até nas minhas pálpebras insiste em embaralhar todas elas, embasando totalmente minha visão. Bufo. Fecho os olhos e coloco uma de minhas mãos na testa, a puxando para baixo até a bochecha em um sinal de desapontamento. Apoio minha cabeça no encosto da cadeira e permaneço de olhos fechados, procurando algum tipo de relaxamento. Não havia tantos motivos para mim estar sendo tão rígido comigo mesmo, esse trabalho é para ser entregue na segunda-feira e eu tenho tempo até lá, por mais que eu queira passar o final de semana apenas aproveitando a companhia da minha namorada e cortar qualquer laço relacionado ao meu trabalho ou a minha faculdade, até porque eu sabia que ______________ não se sentiria incomodada por algo do tipo, mas mesmo assim, eu queria apenas aproveitar esse curto período de dois dias para a gente, somente para a gente.

Dou um sobressalto na cadeira ao escutar um barulho vindo da sala. Passo minha mão nos olhos, os esfregando tentando de alguma forma me despertar do pequeno cochilo que tirei. Como algo totalmente automático, meu olhar se dirige ao relógio do notebook percebendo que já havia dado o horário de _______________ chegar da faculdade. Apesar do cuidado que eu imagino que a garota esteja tomando ao andar, ainda é possível que eu escute seus passos próximos e deduzo que ela esteja vindo em direção do nosso quarto.

- Jimin-ah?!

Escuto sua voz me chamar assim que ela adentra o cômodo, e tenho certeza que ela faz isso por ver a luz do quarto acesa, coisa que não estaria caso eu já estivesse dormindo. A garota vasculha todo o local com os olhos visivelmente cansados, até pararem em mim e ela automaticamente abre um sorriso que me aquece por inteiro. A passos lentos ela caminha em minha direção e eu aproveito desse curto tempo para afastar a cadeira da mesa de escritório, dando espaço para que a mesma sente em meu colo.

- Boa noite Jagi!

Dou-lhe um selinho após cumprimentá-la sorrindo abertamente para minha namorada e jogando qualquer tipo de exaustão de lado apenas para a receber bem. A menor apenas sorrir antes de deixar um selinho na minha bochecha e encostar sua cabeça em meu ombro.

- Por que ainda está acordado?

Apesar de saber perfeitamente o quanto a garota não gostava nem um pouco que eu ficasse acordado até tarde, eu ainda insistia e era especialista em desobedecê-la nesse quesito.

- Estava terminando um trabalho.

- Esse trabalho não é para ser entregue na segunda, Park?!

Eu sabia que estava a desobedecendo, mas nunca sabia ao certo de como lidar com seus sermões sobre o assunto e principalmente com ela me chamando pelo sobrenome.

- É esse sim.

- Você conseguiu terminar? - Balanço minha cabeça de um lado ao outro, em sinal de negação. Isso me faz lembrar que acabei me entretendo demais com meus pensamentos e não adiantei mais algumas coisas desse trabalho. - Então você termina amanhã, da pra ver que claramente você está morrendo de sono!

- Está bem. E como você está?

Não posso vê-la pois ______________ tem seu rosto na curvatura de meu pescoço o que impossibilita tal coisa, mas sinto ela sorrir.

- Estou bem, um pouco cansada mas bem!

- Que bom. Ocorreu tudo certo no caminho?!

- Sim, sim. Foi tudo bem!

- Ainda não gosto dessa idéia de você voltar sozinha!

______________ conseguiu uma bolsa em uma ótima faculdade, mas o único problema é que são duas horas de viagem, da nossa casa até lá e ela ir e voltar sozinha já tarde da noite me deixa extremamente preocupado; mas a garota se recusa que eu vá a buscar após sair do meu serviço, ela alega que estou cansado demais e que não é tão perigoso já que a mesma vai de carro; mas mesmo assim, eu não me conformo com isso.

- Já tivemos essa conversa Jiminie. Eu vou tomar um banho rápido, porque você está extremamente cheiroso e acho injusto pra você dormir comigo nessas condições!

Dou um sorriso balançando a cabeça em negação logo em seguida. Posso levantar a hipótese que ______________ quer tentar relaxar um pouco, pois segundo a própria, tomar banho a ajuda aliviar o tensão da sua rotina puxada.

- Você é sempre cheirosa!

- É... Talvez seja, mas por qual motivo você acha que eu ando sempre cheirosa?!

Pergunta brincalhona e eu reviro os olhos, já sabendo da resposta óbvia de sua pergunta: tomo banho.

- Comeu alguma coisa oppa?

- Não... - Sua pergunta me faz lembrar que assim que cheguei do serviço, eu apenas tomei um banho e vim direto para o notebook, consequentemente eu não fiz a janta para a garota que deve estar faminta. - Céus! Eu me esqueci de preparar algo. Como pude me esquecer disso?! Está com muita fome ______________?

- Hey, se acalma. Eu comprei algumas besteiras para comer no caminho!

- Pelo amor Jagi! Salgadinhos não enchem, eles apenas enganam o estômago! - Não poderia de maneira alguma deixar a garota dormir sem comer algo reforçado, como nossas rotinas são fadigantes, é necessário uma ótima alimentação. Sinceramente, as vezes me pergunto como aguentamos tudo isso, pois não é fácil para mim e nem para ela; logo de manhã quando eu vou para faculdade ______________ vai para o seu serviço e essa ação se inverte na parte da noite, quando eu vou para meu serviço e a garota para sua faculdade, nos restando apenas o horário de almoço e a hora de dormir para aproveitar um ao outro. Exaustante. - Vou providenciar alguma coisa para nós dois, enquanto isso você vai tomar seu banho!

- Está bem.

Concordou comigo, levantando em seguida do meu colo e seguindo caminho ao banheiro, não antes de me dar um selinho. Levantei-me da cadeira caminhando até a cozinha, local onde fiquei parado por um tempo com as mãos na cintura pensando no que poderia fazer que seria rápido e reforçado o suficiente para essa noite, optando por um bibimbap depois de tanto pensar. Separei todos os ingredientes necessários e tentei preparar tudo de maneira rápida, para que assim que ______________ saísse do banho já estivesse pronto para degustar. Já havia se passado aproximadamente uns quarenta minutos e eu estava quase terminando a receita, quando senti os braços de minha Jagiya rodarem minha cintura e sua cabeça apoiar em minhas costas, seu perfume de cereja adentra em minhas narinas e eu quase perco a noção do que está ao meu redor.

- Bibimbap?!

Pergunta e eu apenas dou um aceno positivo, me sentindo um completo bobo apaixonado por me perder na garota com tão pouco.

- Terminei!

Digo assim que término de preparar nossa janta. Distribuo uma porção considerável para encher nosso estômago vazio em um prato para cada e nos dirigimos a mesa, onde nos sentamos e comemos tudo sem interrupções com conversas paralelas. Assim que terminamos de comer, lavei toda a louça e a garota secou e voltamos para o quarto mais tranquilos de ter a cozinha organizada e um trabalho a menos para amanhã. Quando terminei de escovar os dentes e me deitei na cama, senti como um balde d'água ser jogado em meu corpo ao sentir toda a exaustão de mais cedo me atingir em cheio, e só então percebo que só me recuperaria após ter uma ótima e longa noite de sono.

Depois de tanto tempo me impedindo de fechar os olhos, finalmente posso ceder a esse desejo e assim faço, não muito importando com a luz acesa já que esse de longe era um incômodo se comparando com o a minha exaustão. Escuto apenas de longe os passos de ______________ saindo do banheiro graças ao sono que me cercava, e com o pouco de sentido que me restava consigo sentir o lado da cama se afundar, significando que a garota se sentou ali. Aguardo o momento em que minha namorada desligue a luz para que assim eu possa dormir melhor, mas isso não acontece.

- Jimin...

A garota me chama e eu murmuro apenas um "hmm", ouvindo uma risadinha baixa vindo da mesma, sabendo que era sua mania de me achar "adorável" sonolento.

- Jimin, sei que está muito cansado mas, podemos conversar?!

Abro os olhos encarando a figura feminina ao meu lado, demonstrando atenção a suas palavras e curiosidade ao novo assunto, deixando de lado minha abundante vontade de dormir.

- Claro que sim!

Respondo, me sentando na cama para não acontecer de cochilar por algum momento. Ela estava séria e isso me deixava apreensivo, resultando em pensamentos sobre o que eu poderia ter feito.

- Não é nada muito sério, eu acho. Eu só queria saber se você está bem?!

Franzi o cenho sem muito entender o por quê da sua pergunta.

- Estou bem sim!

- Tem algo que você gostaria de me contar ou quer que eu saiba?!

- Onde quer chegar?

Fui direto ao ponto, achando estranho sua maneira de desconversar até chegar ao seu real interesse.

- Eu... - Suspirou, não demorando para continuar a falar. - Apenas quero que abra o jogo comigo. Talvez você ache que não, mas eu percebo as coisas, principalmente quando se trata de você. Só quero que confie em mim para conversar sobre o que quiser... Eu notei seu comportamento esses últimos meses e de princípio achei que você estava somente se esforçando, mas ao ver você deixar de comprar algumas coisas, evitar de sair para não gastar e fazendo horas extras sempre que pode, soube que você estava economizando dinheiro para pagar algo. Você sabe que seus problemas ou ambições são os meus, pois somos namorados, e por mais que eu esteja juntando dinheiro para comprar meu notebook, eu não veria problema nenhum em te ajudar a pagar o que você está querendo!

Escutei atentamente cada palavra dita por ela, e assim que finalizou pude ter ainda mais certeza que sou completamente apaixonado pela garota certa. Não consigo explicar em palavras o quanto é satisfatório ver a preocupação de ______________ para comigo, isso só faz me sentir especial e ter a certeza que quando eu estiver realmente com problemas - que não é o caso agora -, ela rapidamente perceberia e buscaria de alguma forma me ajudar, como está fazendo nesse momento. Sorrir, tentando de alguma maneira a confortá-la para dizer que está tudo bem e acho que funciona, pois aos poucos sua expressão se torna mais suave.

- Está tudo bem Jagi, eu apenas quis me esforçar mais nesses meses por opção própria, nada demais. Não precisa se preocupar comigo!

Eu não poderia dizer a ela os meus reais propósitos por mais que eu queira, se não, perderia a graça da surpresa que estou preparando.

- É claro que preciso me preocupar com você Jimin. Mas você tem certeza que não é nada?! Não está sentindo ou passando por algo?

- Tenho certeza sim, e no momento a única coisa que tô sentindo é cansaço!

Ela sorrir mais tranquila, por mais que eu ache que a mesma não se deu totalmente por vencida com minha resposta.

- Você sabe que me preocupo porque quero seu bem, e você também sabe que faço isso porque te amo demais, não é?!

______________ sorriu após declarar seus sentimentos e eu me senti preenchido cada vez mais de amor por ela.

- É eu sei, e eu também te amo muito!

Disse me aproximando cada vez mais da garota, o suficiente para sentir ainda melhor seu cheiro de cereja que exalava pelo ar e sua respiração se mesclar com a minha. Levei minha mão até seu rosto e alisei com delicadeza a pele macia de sua bochecha fofa. Não aguentando mais conter a pouca distância que nos separava, puxei seu rosto para ainda mais próximo do meu, consequentemente colocando nossos lábios e dando início a um ósculo apaixonante. Movi meus lábios contra os da garota com sutileza, tentando demonstrar e convencê-la com esse beijo, que não tinha com o que ela se preocupar e que estava tudo bem comigo. Quando dou por mim, sua língua estava invadindo minha boca e explorando todo o local e eu faço o mesmo na sua, levando o beijo calmo e carinhoso para um caminho mais intenso e sensual. Apoio minhas mãos na cama e inclino meu corpo sobre o da garota, fazendo com que ela deite no colchão macio e solte um suspiro manhoso dos lábios ainda colados aos meus. Os braços de minha namorada dão a volta em meu pescoço e suas mãos macias e delicadas tomam rumo à minhas madeixas negras, alisando o local em um cafuné gostoso que me faz sorrir entre o ósculo por amar o carinho dado. Quando sinto a falta de ar se fazer presente, sinto a necessidade de me afastar de seus lábios carnudos, mas não antes de morde-los e deixá-los ainda mais vermelhos. O som de nossas respirações descompassadas era a única coisa que se podia ouvir no quarto, pois ficamos apenas nos encarando em silêncio, até eu dizer um "boa noite" e me jogar ao lado de ______________ na cama, de modo que eu ficasse de costas para a mesma, e puxo em seguida o cobertor para me embrulhar com o pano quentinho. Imagino que a menor tenha ficado surpresa com meu ato, pois demorou cerca de trinta segundos para se pronunciar.

- E-eu não acredito nisso Jimin! - Reprimo minha vontade enorme de soltar uma risada com sua incredulidade e apenas sorrio, achando graça da sua reação. - Como você pode me beijar desse jeito e apenas me dá um "boa noite" e ir dormir, sem mais nem menos?!

Ignoro totalmente suas palavras direcionadas a mim e fecho os olhos, tentando pegar no sono que tanto queria. Escuto ______________ bufar e consigo imaginar o bico infantil que provavelmente está formado em seus lábios cheinhos. A luz do quarto se apaga e escuto minha Jagiya se remexer na cama procurando uma posição confortável para dormir. Consigo sentir o calor do corpo da garota que está extremamente próximo do meu e seu braço que rodeia minha cintura. Inicialmente pensei que ______________ realmente iria dormir, mas minha hipótese foi deixada de lado ao sentir sua mãozinha atrevida invadir o pano de minha camisa e ela alisar meu abdômen fazendo desenhos aleatórios e seguir caminho até a barra de meu short, a qual ela brincava ameaçando adentrar a mão ali a qualquer momento. Pensei que ignorando seus toques ela desistiria, mas concluir que estava definitivamente errado quando a menor colocou sua mão para dentro do meu short e começou a alisar meu membro adormecido ainda por cima da cueca.

- ______________... - A repreendi, pegando sua mão e a afastando dali, mas me esqueço totalmente que tenho uma namorada que sabe ser extremamente teimosa quando quer, e ela retorna com sua mão para onde estava. - Você deveria aproveitar de seu tempo para dormir, resolvemos isso amanhã!

Falo arrastando as palavras em um tom mais manhoso que o habitual, e me xingo mentalmente por isso.

- Mas eu queria aproveitar do meu tempo para fazer amor com o meu namorado!

A garota apertou meu pau exatamente na mesma hora que se referiu para fazermos amor, e um suspiro pesado escapa de meus lábios com sua carícia brusca repentina. Aos poucos meu falo responde à suas investidas e começa a endurecer em sua mão a medida que minha namorada massagea o local com mais precisão.

- Você disse pra mim que estava cansada!

- E eu estou, mas agora também estou com vontade de fazer amor com você, e a culpa é sua!

Sorrio achando graça na garota me culpar por isso. Gradualmente, sem que eu ao menos me dê conta, começo a me deixar levar e não recuso seus toques nada inocentes, deixando novamente meu cansaço de lado e agora dando abertura para o prazer se fazer presente no momento.

- Por que a culpa é minha?

Minha respiração de torna mais irregular e eu começo a perder mais da minha noção a medida que seus movimentos ficam mais categóricos. A menor invadiu o pano de minha cueca e tocou diretamente em meu membro e foi impossível segurar o gemido manhoso que saiu de meus lábios. Sinto seu dedo tocar minha fenda e ela fazer movimentos circulares pelo local delicadamente, segurando em seguida com certa firmeza a base e escorregando a mão num movimento de sobe e desce que me sensibiliza de maneira quase surreal. Fecho os olhos, e substituo o gemido que queria escapar por uma arfada alta.

- Você sabe o porquê!

- Sei é? Acho que não, me diz o porquê?!

Provoco, apesar de não estar muito em condições para fazer isso.

- Porque foi você que me beijou daquele jeito e me deixou com vontade!

- De que jeito? Assim?!

Pergunto, antes de me virar com rapidez e me pôr por cima do corpo curvilíneo da menor, tomando seus lábios para mim em um beijo ainda mais intenso do que o primeiro, deixando mais que claro as segundas intenções de ambos. Chupo com vontade sua língua e a garota geme em minha boca, deixando o clima cada vez mais sexual. Ela retira a mão de dentro da minha cueca e a passa para dentro da minha camisa, local em que ela arrasta levemente as unhas fazendo meu abdômen se contrair arrepiado. A falta de oxigênio se torna o culpado por eu me afastar dos lábios macios e agora vermelhos da garota, e uso desse pouco período de tempo para me afastar o suficiente da menor e livrar-me da camisa que já estava se tornando um incômodo para nós dois.

- Sim, desse tipo de beijo que eu estava falando!

Respondeu minha pergunta que quase não me lembrava mais qual era. Retorno para ela com ainda mais vontade e passo a dispersar beijinhos por todo seu rosto delicado, aproveitando da proximidade para observar cada pequeno detalhe da sua face angelical. Desço meus selinhos até seu pescoço e sorrio rente a pele tão branquinha e sensível, marcando em seguida o local com chupões que deixavam a área vermelha. Comecei a ondular meu quadril sobre o da garota, me deliciando com seus suspiros e gemidos sôfregos ao sentir minha ereção ser esfregada em si. Apertei a cintura alva com sutileza, subindo cada vez mais a mão para dentro da sua fina blusinha do babydoll, não demorando para tocar um de seus seios, o qual apalpei e deixei o biquinho já rijo entre o dedo indicador e o médio, para o espremer entre eles enquanto massageava o local com maestria. A garota fechou os olhos e mordeu o lábio inferior, soltando um gemido manhoso. Cansado daquele pano atrapalhando, puxei sua blusinha a jogando para longe sem muito me importar em qual direção ela foi parar, e sorrir ao contemplar com privilégio os seios fartos da minha namorada diante dos meus olhos. Ela deu um sorrisinho envergonhado e desviou seu olhar do meu por alguns segundos. Desci com minhas carícias até seu seio direito e tratei de chupar e morder levemente seu biquinho, contornando minha língua por ali vez ou outra, enquanto ainda massageava o esquerdo. Senti sua mão afagar os fios de cabelo da minha nuca, alternando em dar algumas puxadas leves, enquanto ela mexia inquieta suas pernas uma na outra. Simulo uma estocada forte e a garota solta um gemido alto, apertando os olhos nas pálpebras e mordendo os lábios fortemente no processo. Sorrir, traçando uma trilha de beijos e alguma das vezes chupões, até a barra do seu fino e curto shortinho do babydoll que fica maravilhosamente bem na menor mas que não teria um aproveito nesse momento e por tal motivo, removo a peça de pano juntamente com sua calcinha rendada de cor preta que estava completamente encharcada com sua lubrificação natural.

- Como você está molhada Jagi!

Comento, com um sorriso descarado no rosto. A menor que antes estava apoiada nos cotovelos para me ver melhor, retorna a se deitar totalmente na cama com um rubor evidente nas bochechas que a deixa incrivelmente adorável.

- V-você me deixa assim!

Diz com a voz um pouco trêmula. Sorrio, pegando com sutileza em sua mão e a levando até meu membro, fazendo com que ela sinta a ereção que pulsa assim que sente seu toque e eu gemo arrastado em surpresa quando a garota aperta a área tão sensível.

- E você me deixa assim!

Repito sua frase e recebo um sorriso singelo da garota. Minhas mãos vão diretamente à suas coxas macias como imãs, e eu dou um aperto com gosto na região farta. Separo as pernas de _____________ uma da outra e me coloco no meio delas, aproveitando para beijar toda a parte interna do local e seguindo caminho até sua intimidade que expelia uma quantidade excessiva de pré gozo. Ao perceber que a garota se encontrava ansiosa para o que eu estava prestes a fazer, tenho a brilhante idéia de brincar um pouco com isso, e passo a provocá-la quando apenas assopro seu clitóris que nessa altura do campeonato estava totalmente inchado e dou um leve tapinha no local; repito o mesmo ato mais três vezes, vendo a garota se contorcer de prazer e se arrepiar por inteira.

- Ahhh... Jimin... P-por favor!

Vê-la pedir indiretamente de maneira tão manhosa para que eu a chupe faz meu pau latejar dentro da minha cueca, e eu acabo por soltar um gemido sôfrego por isso. Realizo sua vontade quando lambi toda sua extensão e chupei seus lábios vaginais com um pouco de força, recebendo em troca uma das oitavas maravilhas do mundo: a garota gemendo meu nome.

- J-Jimin!

Sua mão esquerda se mantinha firme em agarrar o lençol branco, enquanto a direita estava ocupada em puxar minhas madeixas e forçar minha cabeça para ainda mais perto da sua intimidade, talvez com receio que eu me afaste. Mordi levemente seu clitóris e direcionei meus dedos - indicador e médio - para sua entradinha escorregadia, que acolheu satisfatoriamente bem ambos, e somente por imaginar o quanto seria perfeitamente maravilhoso sentir essa mesma recepção no meu falo, já sinto que posso facilmente gozar. Fiz os típicos movimentos de "vai e vem" com os dedos enquanto ainda chupava seu clitóris necessitado de atenção, e conforme a garota pedia, aumentei a intensidade das investidas e chupadas.

- E-eu... Ahh... Eu vou g-gozar!

Assim que terminou de falar, a menor arqueou as costas e tentou fechar as pernas mas eu a impedi quando as segurei firmemente as mantendo abertas, e assim ela se desmanchou em um orgasmo intenso. Observei com um sorriso nos lábios minha namorada tentar controlar sua respiração desregulada, e céus, como ela é perfeitamente bela até mesmo realizando um simples ato como este. Me levantei e caminhei até o criado-mudo ao lado de nossa cama e abri a última gaveta, pegando um entre os outros preservativos; terminei de me despir e voltei a me sentar na cama, observando a garota aos poucos se sentar assim como eu. _____________ sorrir, antes se aproximar cada vez mais de mim e me beijar, enquanto subia em meu colo e se sentava em cima de minhas coxas. Senti sua pequena mão segurar meu membro que estava extremamente sensível e necessitado de atenção e ela começa a mover lentamente a mão para cima e para baixo, me arrancando um suspiro pesado. Minha Jagiya separa nossos lábios um do outro e ela passa a beijar meu pescoço, fazendo com que eu me arrepie com seu ato. Fecho os olhos para aproveitar ainda melhor suas carícias ousadas, mas não permaneço muito tempo desta forma, pois assim que ela para os movimentos e eu escuto o barulho do plástico da camisinha ser rasgado eu os abro para poder observá-la colocar a proteção no meu falo. Sorrindo, inclino meu corpo sobre o de _____________, consequentemente a deitando no colchão macio e espero ela se arrumar confortavelmente no local para me posicionar entre suas pernas e situar meu membro em sua entradinha lubrificada. Devagar a penetro, aproveitando ao máximo a sensação extraordinária de senti-la me apertando a medida que entro cada vez mais.

- Ohh...

Gemi baixinho rente a orelha da garota e aproveito para morder seu lóbulo e meu ato faz com que eu arranque um gemido seu.

- J-Jimin... Ahh!

Começo a me mover devagar e me surpreendo com o quanto a menor é apertada, pois mesmo depois de já termos feito amor várias vezes, aparenta que cada vez ela me aperta ainda mais. Minhas estocadas ficam mais precisas e rápidas conforme os pedidos de minha namorada. _____________ envolve meu pescoço com seus braços e ela passa a unha por minhas costas, provavelmente deixando marcas que ficariam para me relembrar desse momento maravilhoso amanhã. Escuto a garota dizer palavras desconexas e única coisa que eu conseguia assimilar melhor era meu nome que ela dizia vez ou outra. Saio de dentro da menor e me deito ao seu lado, recebendo um expressão confusa que logo se transforma em compreensão quando ela entende o que quero e se senta em cima de mim, com uma perna de cada lado e com meu falo já dentro de si.

- V-Você não faz idéia do quão bom é te sentir assim, com você por cima!

Comento com um sorriso ladinho no rosto, recebendo um sorriso seguido de um gemido de parte da garota.

- T-também gosto de te sentir assim!

A garota começa a quicar em meu colo e eu seguro firmemente em sua cintura a ajudando com os movimentos de sobe e desce. Suas paredes internas me apertam a medida que os movimentos ficam mais categóricos e isso indica que seu ápice está cada vez mais próximo. Seguro com as minhas, cada uma de suas mãos e entrelaço meus dedos nos seus. ______________ começa a quicar mais devagar devido a sua sensibilidade e eu a ajudo, impulsionando meu quadril para cima para se chocar com o seu. Minha vontade era de fechar os olhos, mas isso se torna impossível pois sinto a necessidade de capturar perfeitamente cada expressão de prazer da menor. Meu orgasmo fica cada vez mais próximo e fica difícil demais de mim segurar.

- Jagi... E-eu... Hmm...

- E-eu também...

Apesar de não ter conseguido terminar a frase, ela entende que eu quero dizer. Não bastou mais que duas quicadas da garota em meu colo, para que nós dois gemessêmos juntos e nos entregássemos a um orgasmo extraordinário. Percebo que o corpo da menor fica mole pelo recente clímax e ela deita lentamente seu troco sobre o meu.

- Eu te amo!

Sussurro para _____________ como se estivesse contando um grande segredo.

- Eu também te amo!

Respondeu, enchendo meu peito de repleta alegria. Céus. Não vejo a hora de me casar com essa garota e tê-la somente para mim inteiramente.

- Jimin-ah!

Murmuro um "hm" audível o suficiente para que ela ouça, mas garota nada responde e mesmo assim me chama de novo o que me deixa de certa forma meio confuso.

- Jimin-ah!

Sinto vários beijinhos carinhosos serem depositados por toda extensão de meu rosto e acabo involuntariamente soltando um sorriso com isso. Lentamente vou abrindo meus olhos, mas a forte iluminação me incomoda ao ponto de me fazer fechar um. Me deparo com _______________ a minha frente com um sorriso radiante nos lábios carnudos, enquanto segura delicadamente com as duas mãos meu rosto. Olho ao meu redor e faço uma expressão confusa por não entender absolutamente nada do que está acontecendo e automaticamente um bico se forma em meus lábios. Percebo então que ainda estou sentado na cadeira de frente ao notebook e a menor ainda veste as roupas de quando foi para a faculdade.

- Céus, nunca me canso de dizer o quão adorável você fica sonolento! - Diz entre um riso. - Acabei de chegar da faculdade e te encontro dormindo aqui. Quantas vezes já te falei para não ficar até tarde fazendo trabalhos, Park!

Eu dormir?! Aos poucos tudo começa a fazer sentido e me dou conta que nada do que aconteceu foi real; provavelmente acabei dormindo quando quis dá um descanso à meus olhos e os fechei. Céus, eu estava tão cansado ao ponto de dormir sentado na cadeira e ter um sonho erótico com minha namorada?!

- Desculpa...

Sussurro. Continuo sem acreditar que tudo não passou apenas de um sonho, ou ao menos quase tudo, pois nem preciso olhar, até porque consigo sentir perfeitamente a ereção formada no meio de minhas pernas.

- Você parecia está em um sono tão profundo. Fiquei com dó de te chamar, mas não poderia deixar você dormindo numa cadeira! - Ela retirou suas mãos de meu rosto e uma delas repousou em minhas madeixas, fanzendo ali um cafuné gostoso. - Você estava me chamando... Sonhou com algo?!

- Sim!

Meus braços deram a volta por sua cintura e eu a puxei para mim, fazendo com que ela se sente em meu colo, exatamente em cima do volume que começava a incomodar. Ela rapidamente percebe e sorrir maliciosa.

- Parece que estava tendo bons sonhos!

- Ah sim, eu estava; e vou adorar torná-lo realidade!

Última coisa que digo antes de atacar seus lábios em um beijo afoito.


Notas Finais


✨E então?! Trolei vocês né?! Kskks Jimin estava dormindo o tempo todo :3✨

⚠︎ Deixem a opinião de vocês nos comentários! (Lembrando que estou sempre aberta a críticas construtivas :3) ⚠︎

Leiam também:

𝒪𝓃ℯ𝓈𝒽ℴ𝓉 𝒹ℴ 𝒥𝓊𝓃𝓰𝓀ℴℴ𝓀:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/arte-de-desenhar--imagine-jeon-jungkook-18422675

ℱ𝒶𝓃𝒻𝒾𝒸 𝒹ℴ 𝒥𝓊𝓃𝓰𝓀ℴℴ𝓀: https://www.spiritfanfiction.com/historia/os-10-passos-para-conquistar-alguem--imagine-jeon-jungkook-18334067

𓏲 𝒞𝒶𝓅𝒾𝓈𝓉𝒶: @_Miih_x 𖧧

𓏲 ֶָ֢ ℳℯ𝓊 𝓅ℯ𝓇𝒻𝒾𝓁: @Evaporei 𓂃 ✦

Puuf 💨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...