História Sweet Intentions - Capítulo 68


Escrita por:

Postado
Categorias Barbara Palvin, Cameron Dallas, George Clooney, Harry Styles, Justin Bieber, Nash Grier, One Direction, Pretty Little Liars, Sabrina Carpenter, Shawn Mendes, The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Barbara Palvin, Cameron Dallas, Caroline Forbes, Ella Montgomery, George Clooney, Harry Styles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Klaus Mikaelson, Liam Payne, Louis Tomlinson, Nash Grier, Niall Horan, Personagens Originais, Sabrina Carpenter, Shawn Mendes
Tags Shawn Mendes
Visualizações 304
Palavras 7.096
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Menos de 10 capítulos para o fim desse livro, então se preparem! Boa leitura! ❤

Capítulo 68 - Why


Fanfic / Fanfiction Sweet Intentions - Capítulo 68 - Why

Point Of Views - Ashley Salvatore.

Nova York, Manhattan. - EUA.

— Não posso te levar Dyl. — eu suspiro. — É um baile da escola.

— Mas vai ter comida. — ele bufa cruzando os braços.

Ok. Agora estou de frente a uma maldita criancinha esfomeada que derrete o meu coração.

— Dessa vez eu não vou perdoar você Ashley Salvatore.

— Nem se eu comprar uma torta de morango para você? — eu pergunto descruzando os braços do pequeno, mas como ele se recusa a colaborar comigo, eu sou obrigada a fazer cócegas nele.

Dylan solta uma risada engraçada enquanto se revira. Eu realmente o amo. É algo muito diferente de qualquer outra coisa que eu já senti, como se de certa forma eu estivesse ligada a ele. Amo o abraço de Dylan, amo as frases doces, amo sua voz e seu cheiro, amo a forma que ele se esforça para fechar seus bracinhos em volta de mim. Não sei em que momento passei a ter com ele um laço tão forte, mas tenho certeza que minha existência nesse mundo não seria completa sem esse maldito molequinho.

— Acho que se você fizer isso eu posso sim te perdoar.

— Então acho que podemos negociar.

— Você vai com o Shawn?

— Não Dylan! Não estou mais com ele. — suspiro. — Você vive falando dele, meu Deus.

— Desculpa Ash, mas ele vive vindo aqui em casa e ele sempre traz hambúrguer! Não posso ser falso com ele.

— Hum. E o que ele fala?

— Ih, está curiosa, não é? Você é uma safadinha querendo saber do seu namoradinho.

— Duas tortas?

— Ok. Me convenceu. — ele sorri se sentando. — Ele diz muitas coisas, que você é linda, que você é dele... Quero dizer, nesse dia nós brigamos, porque você é minha... Ah, ele também diz que você ama muito ele e que está fazendo um jogo duro.

— Ele é idiota.

— Também acho.

— Acha?

— Claro que sim! Mas ele também está sofrendo, então está pagando por ser idiota. — Dylan da de ombros soltando uma risada, ele se arrasta na cama e para atrás de mim para fazer algum penteado em meu cabelo, ele sempre faz isso. — Mas prefiro ele do que o Justin.

— Por que o Shawn cozinha e o Justin não? — eu solto uma risada.

— Claro que sim! — ele concorda dando de ombros. — Mas não só por isso.

— Por que então?

— Porque acho que você não gosta de Justin, ele pode te fazer bem, mas não é dele que você gosta e eu acho que deve ser muito ruim ficar com alguém assim. Você ama o Shawn, não importa com quem esteja... — Dylan sussurra me fazendo arquear a sobrancelha.

— Quanto Shawn te pagou?

— Ele...

— Quanto Dylan?

— 10 dólares. — Dylan bufa. — Mas não conta para ele, eu domorei um tempão para decorar essas frases e tentei fazer direitinho. Que droga! Se você falar ele não vai me pagar mais.

— Ele é muito idiota. — eu suspiro ficando de frente para Dylan deixando meus braços cruzados. — Te pago 20 dólares para dizer a ele que estou muito feliz com Justin, que meu pai o adora e que eu ele estamos planejando passar alguns dias em Toronto.

— Você está me usando, que errado Ashley Salvatore.

— Ele te usou primeiro! Mas tudo bem... Que tal 20 dólares e uma caixa de donuts? Hum? Eu sei que você adora.

Dylan para por algum tempo fazendo cara de pensativo, ergue a sobrancelha e estende sua mão.

— Acordo fechado, eu aceito.

— Você é muito espertinho para a sua idade garoto.

— Para um garoto de 5 anos?

— Exatamente. Você finalmente acertou sua idade. — eu dou uma risada quando ele revira os olhos.

Me jogo na cama, Dyl faz o mesmo.

— Mas então... Com quem vai ao baile?

— Com a Emma e com a Beth.

— E qual vestido você vai usar?

— Aquele bem ali... — eu aponto para o outro lado do quarto. — O que você acha? Foi Liam quem escolheu.

— Nossa Ashley... — Dylan sorri juntando as mãozinhas, ele caminha até o vestido e passa os dedos com calma pelo tecido virando-se logo em seguida para mim. — Isso certamente vale mais do que minha vida.

— Se duvidar vale mais até do que a minha.

Dylan solta uma risada voltando a sentar-se ao meu lado.

— Posso te perguntar uma coisa?

— Claro que sim.

— Você acha que minha mãe vai morrer?

Eu paro no mesmo instante fitando Dylan. Sento-me bem de frente a ele, os olhinhos negros dele vidrados em mim, ansioso pela resposta... Não era uma criança querendo algo que desse esperança, era uma criança já cansada de ouvir tantas desculpas, queria apenas ouvir a verdade.

Acaricio o rosto de Dyl negando a cabeça. Ele respira fundo abraçando meu corpo.

— Você nunca é boa em mentir para mim.

— Eu nunca vou mentir para você. — respondo segurando o rosto de Dylan, beijo sua testa e volto a abraça-lo. — Nunca vou mentir para você Dyl.

— Você promete?

— É claro que prometo. — eu sorrio, dessa vez o soltando. — O que ela tem é algo muito... Ruim. É perigoso, eu não posso explicar isso a você, entende? Você só tem 6 anos e isso não é assunto para você. Mas está tudo caminhando agora, ela está tentando ficar bem por você e está tendo um tratamento excelente, então temos que acreditar muito que isso vai funcionar... Não quero você pensando isso, ok? — eu pergunto acariciando o rosto de Dylan com calma, ele fecha os olhos olhinhos concordando com a cabeça. — Temos que ter fé.

— Eu tenho fé Ashley, mas tenho medo. — ele sussurra voltando a me fitar. — Tenho muito medo mesmo, ela está toda fraquinha e vive cheia de aparelhos... Eu lembro quando eu era menor e nós brincávamos juntos, ela nunca me deixou sozinho. Eu nunca tive o meu pai por perto, nem sei como ele é.

— Azar o dele, porque você é incrível demais, ele nem imagina o que está perdendo! — afirmo. — Quero que você prometa para mim que não vai mais ficar pensando esse tipo de coisa! Agora só quero que você pense positivo, sua mãe vai sair disso o mais rápido possível. Entendeu?

— Eu prometo Ashley. — ele mostra o dedinho para mim e eu faço o mesmo, logo em seguida Dylan se joga em cima de mim me fazendo cair no colchão. — Sabe de uma coisa Ashley?

— O quê?

— Você acabou de dizer que eu tenho seis anos.

(...)

Sentada no pequeno banco do shopping esperando por Emma, nós havíamos combinado de nos encontrar aqui. Ela iria comprar o vestido para o baile, nesse estresse todo que Emma tem passado, ela nem sequer se preocupou em procurar um vestido. Enquanto isso, the heart wants what it wants tocava em meus fones. Suspiro com os olhos fechados absorvendo a letra.

É, querida Selena Gomez, acho que passamos por situação semelhantes.

Como se mesmo sem me conhecer ela estivesse bem aqui ao meu lado descrevendo tudo o que eu sinto. É incrível como algumas músicas são capazes de descrever exatamente a nossa vida.

Mas o meu momento de paz é interrompido quando meus fones são retirados de mim. Nem sequer abro meus olhos, um calor tão bem conhecido por mim.

Ele coloca o fone de ouvido e posso sentir sua respiração se acelerar, me repreendo mentalmente quando imagino um maldito sorriso torto se formando em seus lábios.

— Há um milhão de motivos para que eu abandone você, mas o coração quer o que ele quer... — Shawn sussurra e logo em seguida solta uma risada baixa passando os braços pelo meu ombro. — Sério Ashley? Aposto que você escuta pensando em mim.

— Você está me seguindo por acaso? — eu retiro o braço dele do meu ombro e solto de qualquer forma no banco.

Estreito os olhos virando-me para ele.

— Claro. Quem mais vai te proteger?

— Caso você não saiba eu tenho dois seguranças, e eles estão por aqui, só não sei onde. — bufo. — E eu sei me defender sozinha. Acha mesmo que eu preciso de você para tudo?

— Será que tem como existir paz entre nós? — ele pergunta se aborrecendo. — Mas que porra, você só sabe ser grossa comigo agora.

— Ah... Está sensível? Não está gostando de se sentir desprezado? Acredite, a escolha foi toda sua. — eu sorrio voltando a me sentar encostada no banco, pego meu celular tentando ignorar como é difícil me manter estável perto dele. — E não vai existir paz entre nós. Nunca temos paz quando estamos juntos.

— Você sabe que está errada.

— Estou?

— É bem ao contrário Salvatore, você sabe disso. Nós nunca temos paz quando estamos separados.

— Tanto faz Shawn.

— Eu quero te pedir uma coisa..

Shawn sussurra consertando a postura. Ele se recusou a olhar para mim, mexeu em seu cabelo e logo em seguida juntou suas mãos.

Isso é o Shawn nervoso? Quase solto uma risada observando-o. Ergo minha sobrancelha antes de me virar completamente para ele.

— Eu não vou transar com você.

Shawn solta uma risada irônica. Ele passa a língua pelos seus lábios deixando-os molhados, e sorri logo em seguida, mostrando seu conjunto impecável de dentes, um maldito sorriso tão bonito que seria capaz de me levar ao inferno em segundos. Repreendo-me mentalmente balançando a cabeça algumas vezes para afastar meus malditos pensamentos.

— Diga logo o que você quer Mendes, não quero mais perder tempo com você... E Emma já está chegando.

— Você... — ele começa, mas respira fundo mordendo os lábios. — Ah, que se foda! Quer ir ao baile comigo?

— Está falando sério? — solto uma risada irônica vendo as bochechas de Shawn vermelhas, ele vira o rosto para esconder o constrangimento.

— Estou Ashley. Eu sei que você não tem um par.

— Hum... — eu me levanto sorrindo, puxo minha bolsa e fico de frente para ele. — Melhor não. Eu realmente acredito que é melhor ir sozinha do que estar mal acompanhada.

Suspiro caminhando até a entrada da loja onde Emma disse que já estava. Nem sequer me viro para ver Shawn, qualquer olhar ou sorriso é perigoso demais para nós dois.

Emma sorri largamente quando me vê, a cutucada que ela da em meu ombro me faz revirar os olhos.

— Eu te vi com Shawn sua safada. — Emma solta uma risada abraçando meu corpo.

— Ele está me perseguindo.

— Como estão as coisas entre vocês?

— Não estão.

— O que ele fez afinal? — Emma suspira. —  Desculpa mesmo, eu tenho andado muito egoísta por causa do meu... Problema... Já faz um bom tempo que vocês estão nessa e eu nem me dei ao trabalho de perguntar o que aconteceu.

— Não quero falar sobre isso agora Emma... É delicado e eu não quero começar a falar aqui. Já me imaginou chorando no meio do shopping? — eu bufo. — Só se for por estar sem cartão de crédito ou não tiver o par de sapatos do meu número.

Emma solta uma risada concordando com a cabeça.

— Noite das meninas hoje?

— Assim que acabar o baile! — eu sorrio. — Já avisei para a Beth que ela está proibida de ir para a casa de qualquer macho e você também está.

— Você também está Salvatore.

— Pode ter certeza que eu não vou. — sorrio puxando Emma pela mão para entrarmos na loja. — Por minha conta, ok? Você não vai pagar merda nenhuma.

— Você sabe que eu não gosto disso Ashley.

— E você sabe que eu não ligo. — dou de ombros puxando algumas peças. — Qual é Emma? Nós somos amigas, sempre estamos com a outra quando as coisas estão pesadas, isso nunca vai mudar... Daniel me contou que vocês estão em uma fase difícil.

— Mas eu ainda tenho o meu salário, e meu irmão já está trabalhando de novo... inclusive obri..

— Não. Sem me agradecer por ter conseguido emprego para o meu ex que por acaso me traiu. — reviro os olhos, dessa vez ficando de frente para a ela. — Guarde o seu salário, você sabe que vai precisar dele daqui para frente.

— Eu ainda não decidi o que vou fazer... — ela sussurra desviando o olhar.

— Independente disso, eu vou estar aqui com você.

— Desculpa pela forma como eu te tratei. Eu não desconfio de você com o Liam. — ela diz me fazendo soltar uma risada. — Só queria que você me deixasse em paz.

— Passado! Primeiro vamos escolher um vestido muito bonito, depois vamos comprar algumas roupas mais folgadas... Acho que você não quer que as pessoas percebam, não é?

— Não mesmo. — ela suspira começando a olhar entre os vestidos para ver se encontrava algo. — Você acha que já dá para perceber?

— Claro que não! Quero dizer, eu só percebo porque sei da verdade, mas não tem sequer uma curva, é muito discreto. São só dois meses Emma, ainda está no início.

— É, mas o tempo está passando.

— Não Emma. — eu tampo a boca dela. — Nada de pensar nisso, hoje seu único dever é aproveitar o baile como a merda de qualquer adolescente da nossa idade faz.

Emma revira os olhos com meu tom autoritário.

— Tuuuuudo bem, Srta. Salvatore. — ela responde por fim, puxando um vestido vermelho que estava ali.

Era muito bonito, o tecido fino e confortável. Mostrava a medida certa e tampava a medida certa para tal evento. Apenas dando uma olhada, eu tinha quase certeza de que seria o tamanho certo para Emma. Ela sorri mostrando o vestido para mim, como se estivesse esperando qualquer tipo de aprovação da minha parte.

Nós vamos até o provador com uma montanha de vestidos, ela experimenta todos e por fim nós decidimos que o vermelho foi realmente feito para ela. Logo em seguida nós procuramos roupas que ficassem confortável nela e disfarçassem o pequeno relevo que sua barriga estava começando a formar.

A hora de ir até o salão de beleza chega, e eu relaxo enquanto tenho minha tarde de princesa. Pode parecer superficial, mas não há nada nesse mundo que me transmita mais paz do que cuidar de mim mesma. Unhas, sobrancelha, pele, cabelo, eu me sentia preparada para qualquer merda.

Sorrio ao fitar Emma que estava ao meu lado, sentada na pequena cadeira do meu quarto, de frente para o espelho enquanto terminava de arrumar sua maquiagem. Ela parecia tão feliz, por um segundo me senti em paz. Emma estava longe de seus problemas e tendo um dia normal depois de tantos vivendo refém de um segredo.

E, bem, eu sei como é se sentir sufocada por um segredo.

O celular de Emma vibra ao meu lado. Eu pego no mesmo segundo, ela nem sequer me repreende.

— Quem é? — ela pergunta terminando de passar o batom e sorri com o resultado.

— É o Liam.

— Ah... — ela suspira fechando os olhos. — O que ele quer?

— Está te chamando para ir ao baile com ele. O que você acha?

— Não! Claro que não! Isso está fora de cogitação, você sabe do meu segredinhos sujo... Já imaginou como ele vai reagir quando descobrir?

— Não, não imagino qual será a reação dele. — respondo, Emma caminha e se senta bem ao meu lado. — Mas não vamos pensar nisso agora, não está na hora. Me dê um motivo para não ir ao baile com ele.

— Eu não quero.

— Que pena, porque eu já mandei uma mensagem para ele confirmando que você vai com ele. — sorrio mostrando para ela a mensagem.

Emma puxa o celular da minha mão e cruza os braços me encarando.

— Que merda Ashley! Isso não estava no nosso combinado.

— Para de se impedir de ser feliz, que droga Emma. Liam realmente te ama, eu passei muito tempo com ele e posso te dizer com todas as palavras que ele gosta de você, que ele ama você e que está disposto a fazer qualquer coisa por vocês. — eu sussurro colocando o cabelo dela para trás. — Você é uma pessoa brilhante, linda, maravilhosa, merece todas as coisas boas do mundo. Não se prive de ser feliz por causa disso aqui.

Coloco a mão na barriga dela acariciando com calma.

— Não sei o que você vai fazer amanhã, depois de amanhã, ou semana que vem... Mas hoje você vai ao baile com Liam, vocês vão dançar uma música lenta, ele vai te abraçar, vai te beijar, vai dizer que te ama, e nos braços dele você vai encontrar o conforto que tanto procura. Pelo menos hoje.

Emma concorda com a cabeça me abraçando.

— Obrigada por tudo! Você tem sido minha base esses dias, eu não sei o que seria de mim sem você. — ela beija minha bochecha antes de se afastar. — E você? Como fica?

— Eu tenho Beth, nós vamos juntas... Mas a noite das meninas ainda está de pé. — cruzo os braços, Emma revira os olhos se jogando na cama. — Se quiser transar então arranje alguma sala daquela escola, mas você volta comigo hoje.

— Ashley! Nós não vamos transar, meu Deus!

— Ah, por favor né, pode até transar sem camisinha.

— Liam não transa sem camisinha.

— É, mas não tem como você engravidar duas vezes.

Emma me olha com a cara fechada, mas não segura a risada.

— Você é horrível Salvatore.

— É melhor sem camisinha. Estou falando sério. — sorrio me jogando na cama. — Quero dizer... Você sabe né. Mas é uma merda também, pode dar problema.

— É, eu sei. — ela solta uma risada sem graça. — Você está bem safadinha Ashley.

— Culpa de um garoto chamado Shawn Mendes.

— Transavam muito? Hum? — ela solta uma risada me cutucando com o dedo, acabo rindo junto com ela.

— Muito mesmo... — suspiro. — Era incrível.

— Ele é bom?

— Muito. Não me deixou na mão uma vez. — mordo o lábio fechando os olhos, mas logo em seguida sorrio. — Mas eu finjo que não, ele se acha muito... Mudando de assunto, já está na hora de descer, Liam já vai passar.

Emma concorda com a cabeça, e nós descemos as escadas juntas. Não demora tanto tempo para Liam passar, ele sorri largamente ao vê-la. Bem, ele estava lindo... Claro que estava, eu que escolhi a roupa dele. Liam me agradece baixinho por ter ajudado ele, eu apenas o abraço e peço para que ele aproveite a noite.

Resolvo ir até o escritório do meu pai para avisar que eu estava de saída, duas batidinhas e ele pede para eu entre, hesito no início, mas por fim acabo entrando. Aquela continuava sendo a sala dele, e ninguém além do meu pai entrava ali.

Ele sorri se levantando, mas acaba fechando os olhos com força, como se, por segundos, tivesse perdido o equilíbrio, mas logo se recupera.

— Você está bem? — pergunto me aproximando dele, passo minha mão em seu braço e ele reage abrindo um sorriso.

— Muito tempo sentado da nisso. — ele suspira. — E a idade não colabora.

— Você não deveria trabalhar tanto papai! As vezes dar um tempo é bom.

— Você está certa... Já estou planejando algo para nós, tenho que resolver com sua mãe. — ele diz, logo em seguida me oferece a mão dele para que eu dê uma voltinha e ele possa ver o meu vestido. — Você está tão linda! Meu Deus! Está tão grande Ashley, ontem mesmo eu te carregava no colo, o tempo passa rápido.

Solto uma risada abraçando ele.

— Eu já tenho 17 anos pai.

— Saudade da época que eu podia te proteger de tudo... — ele suspira acariciando meu rosto. — Você é a coisa mais preciosa da minha vida... Sabe disso, não é?

— Você também é a pessoa mais preciosa do mundo, é o meu maior conforto... — sorrio. — Eu amo você.

— Mas então... Onde vai linda assim? Aliás... Com quem você vai Ashley Salvatore. — ele cruza os braços revirando os olhos.

— Vou ao baile de inverno pai, com Beth.

— Sem Shawn?

— Nós terminamos pai!

— Ah, vocês, jovens, vivem com esses relacionamentos... — meu pai revira os olhos. — Terminam, voltam, terminam de novo... E por fim, voltam.

Reviro os olhos.

— Não pretendo voltar com ele.

— Tudo bem então, eu acredito em você... — ele solta uma risada e olha ao redor da sala. — O que acha dessa sala?

Eu sorrio puxando o retrato que havia em cima de sua mesa. Eu e ele.

— Eu acho bonita... Quero dizer, é bem organizada, mas existe algum motivo especial para aquela parede ali não ter nada? — eu aponto. — Você poderia colocar as fotos que eu tiro ali, ela é tão... Vazia.

— Posso pensar sobre isso, mas existe algo especial sobre isso, você é esperta Ash. — ele sorri me abraçando mais uma vez e logo em seguida volta a se sentar. — Melhor ir, ou vai se atrasar... Não acha? Ah, eu e Marie não estaremos aqui quando chegar, nós vamos sair... Coisa de casal. Aproveite bem a sua noite, e não faça nada que eu não faria.

— Pode deixar pai.

Solto uma risada descendo as escadas. Entro no carro e o motorista de Richard me leva até a casa de Beth, ela também estava linda, e posso até dizer que nossos vestidos estavam combinando. Beth pega o seu celular e nós tiramos uma sequência de fotos, ela é sempre tão animada que é quase impossível ficar para baixo perto dela.

Assim que chegamos na porta da escola já era possível ver toda a organização. Dessa eu não tinha o que reclamar, estava incrível. Eu e Beth entramos de mãos dadas, e nos juntamos com o nosso grupo.

Nada diferente do normal.

Emma e Liam. Niall e duas desconhecidas. Harry e Louis. Scott e um copo batizado com vodca.

— Você está com o Salvatore errado Beth. — Louis brinca ganhando um tapa.

— Não estou Louis.

— Como vocês estão? — eu pergunto para Harry e Louis ao me sentar do lado deles.

— Bem. Estamos até morando juntos. — Harry sorri abraçando o corpo de Louis. — No apartamento de Louis.

— Ah, lá é muito bonito... Droga. Qualquer dia vou visitar vocês.

— Cuidado para não esbarrar com o Sr. Dono da cobertura. — Louis responde dando uma risada.

Louis tão venenoso. Não sabe a hora de parar.

— Eu não estou nem aí para ele Louis.

— Fiquei sabendo que ele comprou a cobertura para vocês dois. — Scott solta uma risada terminando de tomar um copo e partindo para outro.

Ele ultimamente só tem andado bêbado, nem sequer lembro a última vez que conversei com Scott e ele estava sóbrio.

— Se já é ruim comprar um anel e terminar o namoro antes de ter pagado imagina comprar a cobertura do empire e terminar antes de ir morar lá. — Louis comenta soltando uma risada.

Todos na rodinha riem me fazendo revirar os olhos. Liam da um tapinha na cabeça de Louis.

— Só eu posso fazer esse tipo de piada com ela, porra!

— Já está se achando o melhor amigo dela. — Harry revira os olhos passando os braços pelo meu ombro. — Não funciona assim.

— Sinto muito cara. Mas você não tem mais lugar.

— Mudando de assunto... — Niall se joga entre Harry e Louis. — Vamos batizar logo essa bebida.

— Está brincando, não é? — eu pergunto revirando os olhos.

— Claro que não, essa bebida aqui vai ficar muito melhor com vodca. Qual é? Tem 10 garrafas ali, e eu pretendo colocar todas lá, isso aqui precisa de animação.

— Você não sossega o cu mesmo Niall. — Beth revira os olhos dando um tapinha na cabeça do loiro.

— Claro que não, eu não fico sem álcool... Mas então né minha linda... — Niall sorri colocando o braço ao arredor de Beth. — Você está sozinha, eu também estou... Isso só pode ser o destino querendo dizer algo. Você não acha?

— Claro Niall... É o destino querendo dizer que terminamos há um ano atrás e não vamos voltar nunca mais. — ela sorri afastando o braço de Niall. — Por que não volta para as duas menininhas com quem você estava?

— Você sabe que eu posso largar elas por você no momento que você pedir.

— Eu estou bem assim Niall.

— Essa menina é muito difícil, que droga. — ele revira os olhos voltando a se sentar no colo de Louis. — Enfim, vamos logo batizar essa merda porque eu preciso de álcool.

— Eu também preciso. — Scott suspira.

— Qual é a merda do plano Horan?

— Você, Emma e Beth podem tirar a atenção da diretora, o resto pode deixar comigo e os meninos.

— E se der merda? — Emma pergunta. — Eu e Scott somos bolsistas.

— Não vai, pode confiar. — Niall sorri se levantando. — Qualquer coisa tiro o de vocês da reta.

— Ótimo Horan. Minha mãe vai gostar muito se der merda. — Beth ironiza.

— As vezes vocês até esquecem que o pai da Ashley manda em tudo. — ele revira os olhos. — E a diretora não faz merda nenhuma nessa escola para prejudicar a Ash.

— Falando assim parece até que eu sou privilegiada Niall. Não gostei. — cruzo os braços.

Ele revira os olhos beijando minha bochecha.

— O que eu quero dizer é que de qualquer jeito não vai dar nada. Deixem comigo. Só faz o que eu estou falando.

— Niall...

— Rápido Ashley. Você é boa nisso. Qual é? Cadê seu lado malvado? Você já foi mais divertida do que isso.

— Ai que droga Horan. Odeio como você consegue ser persuasivo. — reviro os olhos segurando a mão das meninas. — Vamos logo de uma vez.

Eu e as meninas paramos perto da diretora. Ela estava bem ao lado das bebidas, como se soubesse que algum aluno fosse tentar fazer algo.... Bem, deve ser porque sempre fazemos algo.

— O baile está legal. — eu sussurro para Beth ganhando a atenção da diretora. — A decoração está tão boa. Quem será que fez?

— Foi eu. — ela sorri se aproximando mais. — Gostaram?

— Nossa, sim! — Beth sorri. — Eu adoro o baile de inverno, mas esse está tão mais bonito do que os outros. A senhora caprichou.

— Obrigada... Mas achei que as cores não combinaram.

— O quê? — Emma nega com a cabeça caminhando até o canto para tocar no tecido azul que estava colado desde o teto até o chão. — Isso está maravilhoso. Que pano é esse?

A diretora caminha até ela. De rabo de olho consigo ver os meninos misturando a vodca. Aquilo demoraria um tempo considerável.

— Não vou me lembrar agora o nome. — ela suspira. — Eu estava pensando em fazer algo parecido no baile de formatura.

— Ficaria perfeito. — digo. — Já pensou em colocar algumas coisas diferentes no teto também? Fica tão vazio.

— Claro! Eu espero que o baile de formatura fique incrível. O melhor de todos.

— Também esperamos. — Beth diz.

— Bem, eu vou voltar para o...

— Não! Quero dizer... Eu preciso te contar a ideia que eu tenho. Meu Deus você vai adorar, aposto!

— Mas...

— Sim! Você vai adorar a ideia da Ashley.

— A ideia da Ashley é maravilhosa mesmo, você precisa escutar. — Emma concorda. — Conta aí Ashley.

— Então... — eu solto uma risada. — Que tal um baile com tema dos anos 80?

— Ashley... Nós temos isso todos os anos.

— Ela disse anos 80? Não... Ela quis dizer, por que não fazemos um baile com o tema... — Beth morde o lábio sem saber o que responder.

— Universo? — Emma completa um tanto nervosa, a diretora ergue a sobrancelha.

— O quê?

— Isso mesmo! Olha só... Imagina isso aqui escuro e... Alguns efeitos. Nós podemos colocar algumas estrelas, enfeitar o teto e... — eu viro ela para o lado do palco. —Podemos colocar uma lua enorme bem ali. O que você acha?

— É uma boa ideia.

— Boa ideia? Isso é espetacular! — Beth sorri. — Podemos enfeitar totalmente. Imagina só, vai ficar parecendo que estamos pertinho das estrelas.

— Posso pensar no caso, eu gostei da ideia, mas eu preciso vol..

— Ai, eu vou chorar... — sussurro fungando, meus olhos se preparam para lacrimejar, a diretora olha para mim. — Eu não acredito...

— O quê?

— Acho que torci o pé... — suspiro me apoiando nela. — Está doendo muito! Que droga! Meu pai não vai gostar nada disso, amanhã temos um evento e...

— Você tem que se sentar. — ela responde no mesmo instante puxando uma cadeira para mim. — Nossa... Mas também, olha o tamanho do salto.

— O quê? Ele é pequeno... Quero dizer, deve ser por isso mesmo, está doendo muito.

— Não parece ter nada de errado.

— Mas está doendo muito... — eu choramingo colocando a mão do ombro dela. — Meu Deus, eu vou morrer.

— O que está acontecendo? — Shawn se aproxima, e se abaixa para ver o meu pé, ele coloca a mão na minha perna.

Reviro os olhos.

— Nada shawn! — eu bufo tirando a mão dele de cima da minha perna, as meninas negam com a cabeça e eu suspiro. — Na verdade eu machuquei meu tornozelo.

— Ah, droga Ashley! Você vive fazendo isso. — ele suspira pegando o meu pé. — Sempre torce.

— Bom, ele vai cuidar de você então eu já vou.

— Mas...

— Eu realmente preciso ir! Shawn cuida muito bem de você que eu sei.

Reviro os olhos puxando meu pé assim que ela sai.

— Que droga Shawn! Você estragou tudo.

— Tudo o quê? — ele pergunta se levantando.

Shawn oferece sua mão para que eu me levante, mas eu ignoro fazendo ele suspirar.

— Os meninos estavam batizando a batida e agora não sei se deu tempo.

— Acho que não deu... — Beth morde o lábio.

A diretora passa por alguns alunos e chega na frente de Harry e Louis que dão um beijão na frente de todos. Ela fica parada por longos segundos olhando aquilo, solto uma risada pela técnica de distração deles. Depois de passar por eles, chega em Liam que começa uma série de elogios sobre ela, fazendo-a sorrir como uma adolescente.

Quando ela chega até a mesa das bebidas eu finalmente consigo respirar. Niall e Scott sorriem erguendo o copo para ela e logo em seguida se afastam.

— Ainda bem que deu certo. — Emma sorri caminhando até a Liam e Beth faz o mesmo.

Quando estou prestes a me juntar a elas, Shawn me segura pelo braço, me colocando de frente para ele.

— Ashley, eu...

— Agora não Shawn! — eu puxo meu braço me afastando dele. — Vai aproveitar o baile.

Os meninos estavam felizinhos com seus respectivos copos. As músicas estavam agradáveis. Eu e Beth dançamos juntas a maioria, já que Emma estava com Liam. É tão bom quando posso me sentir alguém normal, quando posso esquecer dos segredos e dos corações partidos. Quando posso ser só uma menina normal aproveitando a vida da forma que convém.

Aaliyah se junta a nós duas e Beth pede desculpa pelo que fez na festa do Cam. As duas de acertam, ela ainda gosta de Nash e ele também gosta dela, o único problema é que existe muito ciúmes entre eles. Talvez daqui algum tempo tudo se acerte entre os dois.

O barulho do microfone faz com que todos os alunos parem e olhem para o palco. Inclusive eu.

Suspiro ao ver Shawn ali na frente.

— Bem... Disseram que eu podia cantar uma música, então eu vou cantar. Espero que gostem. — ele sorri. — Quero dizer, se não gostarem eu realmente não estou nem aí para vocês.

Reviro os olhos quando alguns olhares param em mim.

Ele começa:



Why

I know a girl, she's like a curse
We want each other, no one will break first
So many nights, trying to find someone new
They don't mean nothing compared to her, and I know

When people ask about us, now, we just brush it off
I don't know why we act like it means nothing at all
I wish that I could tell you that you're all that I want, yeah

I pretend that I'm not ready
Why do we put each other through hell?
Why can't we just get over ourselves?
And you say hi like you just met me
Why do we put each other through hell?
Why can't we just get over ourselves?
Why can't we just get over ourselves?

When I hear you sing, it gets hard to breathe
Can't help but think every song's about me
And every line, every word that I write
You are the muse in the back of my mind, oh

Don't want to ask about it 'cause you might brush it off
I'm afraid you think that it means nothing at all
I don't know why I won't admit that you're all I want

I pretend that I'm not ready
Why do we put each other through hell?
Why can't we just get over ourselves?
And you say hi like you just met me
Why do we put each other through hell?
Why can't we just get over ourselves?

I pretend that I'm not ready
Why do we put each other through hell?
Why can't we just get over ourselves?
And you say hi like you just met me
Why do we put each other through hell?
Why can't we just get over ourselves?

I know a girl, she's like a curse
We want each other, no one will break first
So many nights, trying to find someone new
They don't mean nothing compared to you

Ele termina e olha para mim. Não existia segredo ali, a canção foi cantada para mim, e ele fez questão de deixar isso claro enquanto me encarava durante cada verso.

As pessoas batem palma e ele agradece. Conseguia ver como todas as meninas se sentiam caidinhas por ele, não as condeno, com a voz e a beleza dele isso é inevitável. A música continua e todo mundo volta a dançar, eu me sentia agora sem vontade de voltar para a pista de dança.

Shawn para na minha frente ao me ver caminhar até a cadeira.

— Dança comigo? — ele pede me encarando, eu nego com a cabeça e dou um passo, mas ele faz o mesmo. — Qual é Ash? Só uma dança. Me concede só uma dança. Não estou pedindo nada demais.

— A música é agitada e....

E nesse exato momento uma música lenta começa a tocar. Mais especificamente the night we met. Como se o destino estivesse brincando comigo. (eu recomendo que vocês leiam escutando essa música)

— O que você ia dizer? — ele pergunta oferecendo sua mão para mim.

Eu suspiro caminhando junto com ele. Shawn coloca as mãos na minha cintura e eu ponho as minhas em volta do seu pescoço. De salto eu conseguia ficar razoavelmente maior, mas ainda assim não ficava do tamanho de Shawn.

Ele sorri como se estivesse contemplando internamente aquele momento. Os olhos dele não se desgrudavam dos meus, era cômico o esforço dele para não piscar, como se não quisesse perder um momento sequer.

O meu olhar cai sobre o sorriso dele e não posso segurar o meu. É involuntário. Ele sorri e então o meu corpo reage.

— Eu cantei para você.

Solto uma risada baixa deitando minha cabeça em seu peito. Posso sentir a respiração dele pesando cada vez mais, as batidas aumentando... Como um recado do corpo dele dizendo que entre cada batida o meu nome ecoava pelo seu coração.

— Não me diga! Quando é que você canta e não é para mim?

Nem sequer preciso olhar no rosto dele para saber que ele sorri, o arrepio que percorre o corpo dele confirma tudo.

—Tem razão. Sempre é para você.

— A única forma que você encontra de se expressar.

— Posso te elogiar?

— Sinta-se a vontade para repetir coisas que eu já sei.

— Você está incrível.

— Eu sei.

— É tão superficial elogiar só a sua beleza. — ele suspira. — Quando me envolvi com você, quando você despertou algo em mim foi muito além disso. Você é especial. Tem um coração especial. Uma alma especial. Um cérebro especial. É por isso que eu não consigo deixar você ir.

— Também acho você uma pessoa especial.

— Mas eu não sou.

Reviro os olhos.

— Você é. Você só não quer ser, tem medo de ser, isso me cansa. Me cansa conhecer partes tão boas de você, mas saber que você só as usa quando convém. Queria que você fosse sempre o meu Shawn.

— Eu ainda sou o seu Shawn.

— Não. Eu nem tenho mais tanta certeza se o meu Shawn existiu. Eu só sei que o meu coração está com ele e eu gostaria muito de recuperar.

— Talvez você tenha que devolver o dele também.

Solto uma risada baixa por me sentir patética. Ele suspira percebendo que a música já estava quase no fim.

— Queria parar esse momento. — ele assume. — Congelar tudo. Sabe? Passar a eternidade aqui, preso a esse momento. Com os meus braços em volta de você, os seus em volta de mim. Com as nossas respirações e nossas batidas sincronizadas. A música lenta. E tudo o que você me faz sentir.

— Por que é tão fácil para você falar as coisas só depois de me ver desistir de você? — eu pergunto voltando a ficar com o rosto de frente para o dele.

Shawn revira os olhos.

— Eu estava com saudade do calor do seu corpo contaminando o meu. Você também estava?

— Não.

— Seja sincera.

— Talvez um pouco.

— Tudo bem. Eu sei que estava. — ele sorri beijando minha testa. — Você é tão minha Ashley. Foi tão perfeitamente feita para mim. Tão perfeitamente errada. Eu só consigo te querer, mesmo que eu não possa.

Ele desvia o olhar para cima, como se estivesse impedindo que as lágrimas descessem.

— Eu... Eu amo vo...

Tampo a boca dele antes que ele complete a frase, nego com a cabeça várias vezes seguidas. Dessa vez com meus olhos molhados.

— Não termine a frase. Você não tem esse direito.

Ele suspira.

— É o que você queria escutar. Não é?

— Não nessa situação. — respondo soltando-o quando a música para. — Não quero que diga essas palavras só porque não me tem mais.

— Eu não tenho, e preciso voltar a ter.

— Você já me deu as suas três palavras Shawn... E todos os dias, todas as noites, cada segundo, cada vez que minha mente viaja até você, eu lembro da sua voz dizendo que é só desejo. — eu respondo. — Sinto muito. Queria que tivesse um final feliz para nós dois. Mas ultimamente anda difícil acreditar nisso.

Ele concorda com a cabeça sem me impedir de sair, mas eu escuto quando ele sussurra:

Não te dizer, não significa que não sinto.

Caminho até Emma e Beth tentando ignorar as palavras de Shawn. Puxo as duas para irmos embora, o baile já tinha rendido até demais. O caminho é lento e eu tento ocupar a cabeça com as histórias de Emma sobre a noite que ela teve com Liam.

E, claro, eles transaram.

Assim que chegamos em casa, Beth da de cara com Richard. Ele suspira olhando ela de cima a baixo e a elogia recebendo um olhar duro da mesma. Eles começam uma discussão sobre como Richard foi um merda, Beth perde o equilíbrio deixando as lágrimas rolarem enquanto repete que ela fez de tudo por ele enquanto ele deixou que ela fosse embora só por medo do que aconteceria pela diferença de idade. Richard também não controla as lágrimas.

Meu coração se parte ao ver os dois nesse estado. Era para tudo dar certo. As pessoas constantemente dificultam coisas tão simples.

Eu interrompo a discussão puxando Beth para o quarto e tranco a porta. Peço para ir Richard passe a noite fora. Ela troca de roupa, toma banho e se acalma. Eu e Emma fazemos o mesmo.

Nós deitamos na cama como nos velhos tempos.

— Está bem Beth?

— Estou... Desculpa por isso Ashley. É meio difícil lidar ainda, eu sei que ele é seu irmão.

— Está tudo bem Beth. Eu sei como é isso, entendo vocês dois. — suspiro. — Não gosto de ver nenhum dos dois assim.

— Isso vai passar. — ela diz, mais para ela do que para mim. — E então? E você e Shawn?

— Não temos mais nada. Não acho que voltaremos a ter.

— Você está com Justin? — Emma pergunta com a boca cheia de chocolate.

Ela estava com desejo. Solto uma risada.

— Não. Só estamos passando um tempo juntos.

— Ah, fala sério Ashley! Vai mesmo deixar aquele homem passar? Qual é? Ele é um pedaço do céu. Meu Deus.

— Eu seeeeei. — suspiro. — Ele é lindo, carinhoso, romântico... Ele só é a pessoa certa no momento errado.

— Por que não tenta logo de uma vez? Você sabe que com Shawn não tem futuro.

— Eu não consigo! Não consigo me entregar... — mordo o lábio sentindo minhas bochechas ruborizarem. — Não consigo me entregar completamente para ele.

— Talvez é isso que falta. — Beth sussurra. — Shawn foi o único e você se sente presa a isso.

— Ele não foi o único só nesse quesito. Shawn conseguiu acesso a partes de mim que ninguém mais conseguiu — respondo. — Mudando de assunto... Pegou ou não o Niall?

— Não! — Beth nega.

— Qual é Beth? Ele beija bem. — Emma diz soltando uma risada. — Ele é o mais diferente dos meninos.

— Mas eu ainda odeio ele.

— Beth curte mais os que não tem tatuagem. Bem ao contrário de mim. — eu brinco pegando um pedaço de chocolate. — Scott e Niall são os únicos que não tem. Richard também não.

— Niall tem sim. — Beth enruga o nariz, eu ergo a sobrancelha.

— Não tem, não. Ele morre de medo de agulha.

— Tem sim! Mas é bem pequeno. Só da para ver quando ele está pelado. — ela solta uma risada negando com a cabeça. — Bem brega. Um tigre.

Eu paro por alguns segundos absorvendo a informação.

— Isso deve ser coisa de amigo, Liam também tem um, mas não dá para ver por causa do relógio.

Eu nego com a cabeça várias vezes seguidas afastando alguns pensamentos que ganham força dentro de mim. Não é possível. Não é.

Suspiro ao ter o olhar delas preso em mim. Sorrio tentando disfarçar meu nervosismo.

— Você está bem? — Emma pergunta e eu concordo com a cabeça.

— E você Emma? Alguma novidade?

Emma suspira agoniada sentando-se na cama.

— Tenho que conta algo Beth. Você tem que se preparar. — Emma morde o lábio e eu passo minhas mãos gentilmente pelo seu braço já sabendo do que se trata.

— O quê? — Beth se senta no mesmo instante intercalando o olhar entre mim e Emma.

— Eu... Eu estou grávida... — ela sussurra fechando os olhos. — E o pai é o Scott.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...