História Sweet lies - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Haechan, Jaemin, Jeno, Jisung, Mark, RenJun
Tags Adolecente, Chensung, Fuga, Johnten, Markhyuck, Nct, Nct Dream, Norenmin, Sweet Lies
Visualizações 29
Palavras 722
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, genteee!
Peço perdão pelo tempo sem postar, esses dias tenho estado indisposta para tudo e com uma vida muito corrida, sinceramente vou demorar um pouco para atualizar, mas volto ao ritmo logo.
Bom, espero que gostem, até depois!

Capítulo 6 - Doce segredo de Na Jaemin.


Jaemin POV☆~

Desde criança meu número favorito era o três, na verdade sempre preferi números ímpares, achava que nada estaria completo sem um meio termo.

Esse número rondava minha vida desde então.

Era dia três de janeiro, eu andava apressado, estava atrasado para o primeiro dia de aula no segundo ano do ensino fundamental, logo um dia após falar com minha avó jurando tirar as melhores notas de todas, na intenção de que ela me amasse.

Minha avó não erauma senhora fofa e carinhosa... muito pelo contrário. Sempre fiz de tudo para agradá-la, mas isso é outra história.

Estava desesperado para chegar na sala, então corri, pela primeira vez não dando ouvidos aos inspetores daquele internato, e por isso acabei esbarrando em alguém, o garoto, um tanto mais alto que eu, parecia triste até esbarrarmos.

Ele caiu com o bumbum no chão e eu também, acabamos por nos encarar, ele acenou fraquinho e eu sorri torto, só então percebendo que meu primeiro dente de leite a cair estava logo alí, junto dele.

Entrei em desespero.

Acreditava que ficaria sem dente para sempre, até que ele riu e apanhou meu dente.

 Où est la salle de bain?

Perguntou em francês, entendi por minha avó ser francesa e quase sempre falar comigo nesta língua, assim como alguns empregados da casa.

Apontei para o banheiro masculino mais próximo e logo fomos para lá, ele me disse para limpar a boca, então após fazê-lo me explicou, depois de limpar o dentinho, que os dentes caiam naturalmente para nescerem novos, o sorriso que ele tinha era amável, mas não parecia muito feliz.

Após a conversa, cheia de sorrisos infantis, decidimos nos conhecer melhor, lanchamos juntos e conversamos bastante, descobri que seu nome era Lee Donghyuck, que, antes de entrar nesta escola, morava na França com o tio, já que seus pais haviam falecido há um ano.

Éramos da mesma sala, então foi mais fácil nos tornarmos amigos e logo depois, nossa amizade evoluiu para melhores amigos.

Eu e ele já tivemos pensamentos "fora da caixinha", e justamente foi com ele que descobri por completo minha sexualidade, mas não, não temos nada mais que uma linda amizade, havia sido apenas um selinho, estava gostando de um garoto na escola e Hyuck me acalmou dizendo que isso era normal e me beijou para que eu percebesse o mesmo.

De fato o selinho que ele me deu não havia mudado nada, comparando com a garota que já havia beijado anteriormente, nisso estávamos no fim do nono ano do ensino fundamental.

Mal sabia eu que ele teria de fato, pego o pepel de meu irmão mais velho, esse que eu não via desde pequeno.

Naquela noite eu estava pronto para fugir, havia mandado mensagem para um dos amigos do meu irmão avisando que arrumasse um dos quartos de sua casa para mim, estava preparado, enfrentaria céus e terras por isso.

Mas então o outro acordou antes de eu fugir e acabamos indo juntos, por consciência aqueles garotos conheciam exatamente o local para qual eu iria, então após pedir para abortar o plano, alegando que meu melhor amigo iria comigo, chegamos no mesmo lugar, então sorri irônico, mas manti isso em segredo.

Lembra do número três? Pois é, mais uma vez ele me rondava. 

O casal entre aquelas crianças ficava me espiando, eu não vou mentir que gostava daquilo, algumas coisas eram sim meio confusas, mas não deixava de entender suas intenções.

Sinceramente, eles não sabiam medir preocupação, nem Hyuck ficou me procurando pela escola, quando havia fugido.

Contudo não podia me envolver em romances naquela casa, Jaehyun estava me ajudando, mas não havíamos tido muito resultado.

Mentiras e mais mentiras me rodeavam, tudo para tentar descobrir onde meu irmão estava.

— Quando vai parar de procurar?

Falou Taeyong entrando no quarto e me assustando.

— Do que fala?

Ele riu irônico e fechou a porta.

— Na Jaeyoon não quer ser encontrado, aceite.

Mordi o lábio inferior e sorri me levantando da cama.

— Foda-se, eu quero e preciso encontrá-lo!

Insisti e ele relachou os ombros.

— Não insista, Jaemin. Isso pode te matar, volte para os braços daquela velha escrota e deixe Jaeyoon em paz.

Então saiu e fechou a porta, eu apenas chutei um travesseiro caído alí, mas não, eu não desistiria.

Eu iria achar meu irmão com ou sem ajuda de Taeyong.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Até o próximo capítulooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...