1. Spirit Fanfics >
  2. Sweet Memories, Odaiba Memorial Day >
  3. Prólogo

História Sweet Memories, Odaiba Memorial Day - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Pra quem me conhece há um tempo, sabe como o dia de hoje é importante pra mim, mesmo que eu não seja mais a criança que já fui um dia, e que adorava digimon - e ainda hoje adora. Quando a franquia teve início, eu nem se quer tinha nascido ainda, na verdade. 1999 parece ter sido um ano conturbado para os digiescolhidos, afinal. Ainda assim, o dia Primeiro de Agosto sempre vai ser um dia extremamente importante para a minha pessoa, porque o Odaiba Memorial Day foi um dia que marcou os meus sonhos de criança. Eu sonhava em ter um dia como aquele para mim também, onde eu seria transportado para um mundo meio louco - como eu não tinha medo disso? Só Deus sabe - e encontraria o meu próprio parceiro digital, e que sim, seria um Patamon, é o meu digimon favorito. Mas não reclamaria se fosse um Biyomon também. Amo Biyomons. E Tailmons, apesar de não ser fã número um da Kari, mas enfim, não vamos ser polêmicos. De qualquer forma, muitos de nós que estão a que hoje, muitas das crianças que estiveram no passado desses adultos que nos tornamos, cresceram correndo animados para a televisão quando ouviam a música característica (Angélica, eu sinto vergonha alheira, mas a música é um chiclete). Naqueles dias, nós aprendemos muita coisa com o que deveria ser apenas um desenho para crianças (E não, Dora, nós não precisávamos dizer onde está o rio, embora adorássemos imitar os digimons evoluindo. Era muito mais do que isso. Nós aprendemos a ter coragem para fazer tudo que fosse necessário. Aprendemos que sempre vamos precisar das amizades que nos rodeiam, porque ninguém vence a guerra diária que é a vida real sozinho. Aprendemos que o Amor não se trata apenas de palavras, ma de ações, e nem sempre entendemos as ações daqueles que nos amam. Aprendemos que a Sabedoria é um grande virtude, que é preciso ter confiança em nós mesmos e que, além disso, um pouco de Sinceridade nunca é demais (Mimi rainha). Digimon também nos ensinou a nunca perder as esperanças e a luz que está em nossos corações. Torcemos, gritamos, choramos junto de digimon. Aposto até que todo mundo odiou o Piedmon junto. E depois disso, muitas outras lembranças vieram, e ficaram guardadas em nossas memórias. Eu sei que você ainda lembra o quão fissurado o Davis era na Kari, a bandeira que fizeram com o Culumon no Tamers e do sacrifício que o Koichi fez para salvar os outros, além do Marcus dando socos em qualquer digimon que ele visse pela frente. Hoje, fazem vinte e um anos desde que Tai, Matt, Mimi, Izzy, TK, Joe e Sora foram ao digimundo pela primeira vez e quando isso começou. E Sweet Memories é um agradecimento, por tudo que digimon já me ensinou e, até hoje, continua me ensinando (O reboot tá aí pra isso, né?). E eu agradeço imensamente a isso. A pessoa que eu sou hoje agradece a criança que fazia o possível em suas ações para que, de alguma forma, pudesse "ativar" os brasões que via em digimon e vencer os seus desafios. A digimon, e a todos os digiescolhidos que fizeram parte dessa jornada (menos o Marcos. E os de Fusion/Appli Monster. A Meiko também não), obrigado. Por tudo.

É, eu me empolguei de novo, como em todo ano. De qualquer forma, vamos ao especial, que é o que interessa.

Capítulo 1 - Prólogo


“Nem todo dia é ensolarado

Então às vezes mesmo se uma fria chuva estiver caindo Apenas abra seu guarda-chuva

Não há um mapa de como se viver, por isso somos livres

Você pode ir à qualquer lugar”

— Brave Heart, Ayumi Miyazaki (from: Digimon Adventure 1999).

0

[Tudo dá errado nas férias de verão]

Cais, Ocean Valley, 01 de Agosto de 2018

O DIA PRIMEIRO DE AGOSTO SEMPRE era um dos mais esperados, e naquele ano não seria diferente. A escola de ensino médio de Ocean Valley sempre entrava em férias exatamente no dia anterior, e todos os alunos já estavam livres para aproveitar seu tempo de férias, euforia e, para alguns deles, finalmente, liberdade. Os alunos do último ano dividiam opiniões e pensamentos. Alguns deles estavam eufóricos. Haviam acabado o ensino médio e agora eram livres, tinham uma vida inteira pela frente, muitas aventuras para viver, muitos momentos para serem guardados na memória. Outros, no entanto, não estavam tão eufóricos, mas sim, amedrontados. O ensino médio tinha acabado e com ele, havia ido embora a fase adolescente e agora deveriam entrar na fase adulta e, alguns poucos sabiam que ser adulto era bem mais que poder fazer tudo que quer sem pedir permissão aos pais. Ainda assim, aqueles jovens em especial decidiram passar o seu último momento juntos antes de irem para faculdades diferentes, cidades diferentes, destinos diferentes. Antes de serem pessoas diferentes, eles lhes deram uma última oportunidade para serem jovens adolescentes com os hormônios a flor da pele. 

No entanto, nem tudo saiu como eles esperaram. Deveria ser apenas uma noite acampando na ilha vizinha a cidade, comum entre os passatempos dos jovens de Ocean Valley, alguns daquele grupo até mesmo já haviam ido, mas eles não esperavam que aquilo fosse acontecer. Quando todo o grupo já estava pronto, eles partiram do cais para em direção a Ilha, mas infelizmente - ou felizmente - eles nunca chegaram até lá. A previsão do tempo dizia que seriam dias ensolarados, e que nem mesmo uma nuvem nublada tomaria o céu, então, eles certamente acharam que estavam seguros. Tudo começou com uma leve ventania, que logo se transformou em neblina, e quando eles menos esperavam, uma grande tempestade os impediu de chegar até a Ilha. Os raios e as ondas os assustaram, os pequenos redemoinhos de água os faziam acreditar que nunca mais tornariam a voltar para casa, até que uma luz os cegou momentaneamente e os adormeceu. O barco onde eles estavam desapareceu enquanto atravessavam e, quando voltaram a acordar, estavam em outro mundo. O digimundo. E, não importa o que acontecesse, eles sempre se lembrariam daqueles dias, de tudo que viveram e de todas as guerras que tiveram que lutar. De todas as vidas que salvaram.

A vida é feita de lembranças. Cada um de nós, em algum momento da vida, sempre para e recapitula tudo que vivemos até este determinado momento. São amores, amizades, tristezas e decepções que fazem de nós as pessoas que somos atualmente. Mas, de tudo isso, existem as lembranças que nos aquece o coração, as que gostaríamos de viver infinitas e infinitas vezes, as que deixam marcas impossíveis de apagar em nós. As doces lembranças, as que nos deixam nostálgicos e enchem os olhos de lágrimas de alegria e saudade. Cada um daqueles jovens tinham doces lembranças que gostariam de reviver mas, juntos,  tinham uma lembrança em comum de quando tudo aquilo aconteceu. O dia primeiro de Agosto, quando suas vidas mudaram para sempre. Seus planos foram por água abaixo e tudo deu errado nas férias de verão de 2018 mas, talvez, os erros foram o que fizeram daquele ano tão inesquecível. Foram o necessário para que eles guardassem tantas lembranças. E, às vezes, algumas doces lembranças merecem ser revividas.


Notas Finais


É, o prólogo é isso. Diferente do ano passado, esse especial tem um pequeno enredo de lutas e uma fuga de alguém já conhecido pelos nossos digiescolhidos que vocês vão conhecer nos próximos capítulos. Em tese, devem ser uns 7//8 capítulos, talvez um epílogo, e é isso mesmo. Como eu já falei muito nas notas iniciais, aqui eu quero deixar meu agradecimento as pessoas do grupo Fodidos e Shallow Now (nome chique, né? Também acho). Obrigado por me deixarem usar os personagens de vocês e por todo o apoio ontem, ou hoje, tecnicamente. E a minha amiga @cinderelIa perfeita que fez a capa. E é isso, até o próximo, galerou.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...