História Sweet Obsession... (Shawn Mendes) - Capítulo 24


Postado
Categorias Justin Bieber, Shawn Mendes, Zayn Malik
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais, Shawn Mendes, Zayn Malik
Tags Amor, Aventura, Possessividade, Protetor, Romance, Shawn Mendes, Violencia
Visualizações 129
Palavras 1.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Fluffy, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desde já pesso desculpas pelos erros, foi as pressas.

Capítulo 24 - Meu corpo. - gostou ?


Fanfic / Fanfiction Sweet Obsession... (Shawn Mendes) - Capítulo 24 - Meu corpo. - gostou ?


Shawn on...

Maria - Eu te amo !... - fico encarando a menor por um tempo. 

- eu  te amo !- selo nosso lábios aos seus em um selinho demorado.

Fiquei encarando seu e acariciando o mesmo, o silêncio não nos incomodou, pelo contrário, era como se nossos sentimentos tivessem ficados cada vez mais intensos a cada segundo.

- quero pedir permissão ao seu pai...

Maria - não fale dele agora... eu só quero aproveitar esse momento...- assinto.

- tudo bem...- deito ao seu lado e a para mim.ouvi a mesma soltar um grunhido baixo e me senti culpado, abracei seu corpo sentindo a menor se aconchegar melhor. - quer tomar algum remédio pra dor? Eu tenho...

Maria - não... só preciso de você .... quero ficar assim...

- Doi muito...?

Maria - só incomoda um pouco... eu quero sentir isso !

- Porque ?

Maria - estou feliz em saber que meu primeiro foi você! - fiquei apenas a olhando.

- oque meu tio realmente disse a você? - ela não me responde, apenas baixa os olhos.- eu não quero que saia sozinha...- deslizo minha mão por sua coxa esquerda e a puxa pra cima de meu quadril  sem malícia.

Maria - Porque diz isso? - pergunta preocupada.- vai se afastar ?

- não... nunca!- passo meu polegar em seu rosto.- Mais sei que nem sempre vou estar presente... meu tio pode querer me afetar usando você... e eu não quero que nada aconteça com você! - a menor fica em silêncio, estava me escondendo algo, eu podia sentir.

Desde a ligação, Maria está estranha, não tenho certeza, mas acho que meu tio a ameaçou.

- descansa um pouco... amanhã quero te levar a um lugar!

Maria - não tenho sono...

- Eu também não... mas sei que está cansada... vou cuidar de você!

Maria - tudo bem...

Q.D.T...

Acordo tenso, sentindo a presença de mais alguém no cômodo, a porta do quarto estava entre-aberta, Maria e eu não estávamos mais abraçado, oque facilitou com que eu me levantasse da cama.

Levantei da cama e fui pegando a calça do chão e vestindo de forma cautelosa para não fazer barulho.

 Fui até minha bolsa e peguei minha arma, o primeiro cômodo que verifiquei foi o banheiro, não tinha ninguém, olhei para Maria novamente e fui até a porta do quarto, logo saindo pela mesma. 

Escultei som de coisas caindo e acelerei o passo, um cara encapuzado estava com uma faca no pescoço do pai da Maria.

Destravei a arma chamando a atenção dos mesmo.

- Solta ele! - o cara apenas o virou de frente para mim precionando mais ainda o objeto cortante contra o pescoço de Carlos. - Se eu ver uma gotinha sequer de sangue, vou estourar teu Crânio! 

Carlos parecia nervoso, respiração descontrolada, isso tudo era medo ? O homem começou a andar de costas em direção a porta de saída e eu os acompanhei. 

- Quem te mandou? - assim que fiz essa pergunta o cara jogou seu Carlos em minha direção e correu .

Quase caímos, corri atrás do mesmo que caiu no meio da rua, apontei a arma para o mesmo que não reagiu .

- AVISA PRA ELE,  QUE SE ACONTECER ALGUMA COISA COM A MARIA.... - atirei no chão ao seu lado fazendo com que ele se envolvesse. - eu mato ele !

O homem se levantou e saiu correndo, levei minhas mãos até minha cabeça e '' rosnei'' com raiva. 

- Haaaa !!! 

Carlos - Você... você atirou nele ?- pergunta nervoso e baixo Mas não respondo. - Você tá bem? - vejo sua sombra se aproximando. 

- Vai ver como estão suafilha e sua mulher ! Devem ter acordado! - fica parado mas logo sua sombra some.

Sentei na beira da calçada sentindo os batimentos do meu coração se acalmarem.

- ele ira mata-la... eles descobriram onde ela mora....tenho que tira-la daqui...

Várias ideias apareceram em minha mente em questão de segundos, escultei Maria me chamando e correndo em direção a mim. Seus braços me envolveram em um abraços caloroso, como eu preciso dessa mulher.

Percebi que estava apenas enrolada pelo cobertor que nos cobria anteriormente, nem me concentrei nesse detalhe, ela estava ali, viva, bem e protegida nos meus braços. 

Se acontece algo com essa garota... eu simplesmente morro, fico louco, me perco, perco todo o sentido da vida !

- Eu te amo... - disse naturalmente e ela me encarou.

A puxei novamente para um abraço que não acabaria tão cedo, senti seu coração acelerado contra mim.

- Ei...não precisa ficar com medo !- ri. - não vou deixar nada te acontecer !

Maria - Eu não tenho medo que me aconteça algo... eu tenho medo de te perder...

- mas nada vai acontecer! Vamos entrar... você nem deveria ter levantado...

Maria- eu nem... Senti nada, quando ouvi o disparo e... você não tava lá comigo.. eu fiquei com medo e...

- Tudo bem... - levanto com a mesma no colo. 

Maria - não precisa disso !- rir.- me põe no chão vai...

- não quero... 

Maria - acho meu pai já sabe que a gente... sabe... que a gente... ficou...- ri. - eu nem sequer me vesti para te procurar...

- vocês discutiram? - a olho.

Maria - não... mas tô nervosa. 

- a gente vai direto pro quarto ok... amanhã a gente conversa com ele. - a menor assente e entramos em casa.

Vanessa- oque ela tem... ? - sigo em direção a sacada e Maria praticamente se esconde em mim..

- não devia ter levantado! - subo o primeiro degrau. 

Carlos - Vocês estão juntos ? - paro sem encara-lo.

- amanhã conversamos! - começo s andar novamente.- Tranquem bem as portas e janelas... principalmente as do quarto! 

 Senti os olhares dos mesmos me seguirem, porém ignorei. Ao entra no quarto acendi a luz logo vendo pequenas manchas de sangue no colchão. 

- vamos cuidar disso - coloco a menor sentada sobre  a cômoda. - tem lençóis limpos ?- assente envergonha.- oque houve..?

Maria - posso perguntar algo ?

- pode...

Maria - Você... não gostou do meu corpo né ?- s olhei tentando disfarçar a increduabilidade que havia de formado em meu rosto.

- oque? 

Maria - meu corpo... gostou...?

Contínua...?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...