História Sweet Paradise - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Johnny Depp
Tags Amor, Drama, Johnny Depp, Musica, Romance
Visualizações 18
Palavras 1.382
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Revelações


Fanfic / Fanfiction Sweet Paradise - Capítulo 10 - Revelações

Mia

 

Entrei em casa, fechei a porta e finalmente me permiti derramar todas as lágrimas que eu estava segurando, eu não podia acreditar que isso estava acontecendo, mas a essa altura da minha vida eu já deveria ter aprendido que os meus momentos de felicidade são escassos, a vida me dá o que eu tanto quero, me deixa pensar que finalmente estou plena e feliz, e então... me tira tudo da pior forma possível. Mas também, o que eu esperava? Que meus sonhos de adolescente iam se realizar? Que o Johnny e eu iríamos ficar juntos pra sempre? Mais uma vez eu fui ingênua e me deixei levar pelo meu coração, eu preciso urgentemente aprender a tomar as rédeas dos meus sentimentos.

 

      Estela chegou pouco depois das cinco da tarde, eu havia tomado um banho e trocado de roupa, meus olhos ainda estavam inchados, e eu estava rezando pra que as minhas desculpas funcionassem, estávamos sentadas na mesa da cozinha tomando um café enquanto conversávamos, até que ela tocou no assunto que eu preferia não falar.

 

-O que houve? Porque seus olhos estão inchados?

 

-Acho que foi o shampoo que caiu neles quando eu estava no banho.

 

-Não mente pra mim Mia, você estava chorando, e não foi pouco.

 

-É que eu estou com saudades das meninas, nunca fiquei tanto tempo longe delas.

 

-Mia, eu te conheço, não precisa mentir, se não quiser falar tudo bem, mas se quiser desabafar, saiba que eu estou aqui pra tudo que você precisar.

 

-Obrigada Estela, você tem razão, eu estou em um dilema enorme, não sei o que fazer.

 

-Continue.

 

-Eu estou ficando com um homem, ou estava, já nem sei mais, o problema é que eu sou amiga da filha dele e ela me confessou que quer que ele e a mãe dela se acertem, e agora eu não sei o que fazer. 

 

-Quem é ele?

 

-Eu prefiro não falar, pelo menos por enquanto.

 

-Tudo bem, ele é muito tempo mais velho que você?

 

-Trinta anos.

 

-É uma diferença grande, mas idade é só um número, o importante é vocês se gostarem.

 

-Eu sei, mas não quero me sentir como se estivesse atrapalhando, e não posso tirar a razão dela de querer os pais juntos de novo.

 

-Você o ama?

 

-Mais do que tudo.

 

-Então não desista, lute por ele, e enfrentem juntos os obstáculos que aparecerem.

 

-Eu não sei, não sei se consigo encarar mais uma decepção.

 

-Eu vou te contar uma coisa, quando eu me separei do seu irmão e ele começou a se relacionar com a Deena, os meus filhos não aceitaram, não se davam bem com ela, viviam provocando e fazendo de tudo pra que nós voltássemos. Até depois de muita conversa e muita paciência, eles finalmente perceberam que o que eu e o Paulo vivemos tinha sido lindo, mas havia acabado, e que Deena o amava, e o fazia feliz, hoje em dia todos vivemos muito bem e em completa harmonia. Tenho certeza que a sua amiga pode até chiar um pouco no começo, mas quando ela perceber que vocês se amam, e são felizes juntos, ela vai entender, afinal, ele é o pai dela, ela o ama, e a felicidade dele vai ser a felicidade dela também.

 

    Agradeci pelos conselhos, mas ainda estava confusa sobre tudo, Estela foi embora pouco depois. Agora já eram quase dez da noite, eu estava deitada no sofá, olhando pro teto e pensando se realmente deveria seguir os conselhos que a Estela havia me dado, de repente ouvi a campainha tocar, achei estranho, era raro alguém vir me visitar, principalmente a essa hora, e quando vinha sempre avisava antes, me levantei e abri a porta, quase não acreditei quando vi quem estava ali.

 

-Johnny?

 

-Oi Mia!

 

-O que você tá fazendo aqui?

 

-Eu posso entrar?

 

-Ahn? É... claro!

 

Johnny

 

      Eu tentei, mas não consegui ficar em casa, precisava saber o que havia acontecido, entrei no  meu carro e fui para a casa da Mia, como o prédio não tinha porteiro foi fácil entrar, toquei a campainha e ela atendeu logo em seguida, usando um shortinho branco, uma blusa preta de alcinha e sem sutiã, respirei fundo, essa garota ainda vai acabar me matando, pedi pra entrar e ela, mesmo que um pouco relutante, permitiu. O apartamento dela era todo  em tons de branco e rosa, e decorado com temas de unicórnios, achei lindo e surpreendente ao mesmo tempo, me sentei no sofá e ela se sentou do meu lado, como não gosto de perder tempo fui direto ao assunto.

 

-E então Mia? Vai me contar o que está acontecendo?

 

-Johnny, eu acho melhor a gente deixar tudo do jeito que está, e...

 

-De jeito nenhum Mia, nós estamos nos curtindo, eu quero você, e sei que você também me quer, então porque está agindo assim?

 

-É por causa da Lily entende?

 

-Como assim por causa da Lily?

 

-Eu conversei com ela hoje a tarde, não comentei nada sobre nós é claro, e ela me disse que não gostaria de te ver com nenhuma fã, e também que tem esperanças que você é a Vanessa se entendam de novo.

 

-Mas a Vanessa está casada.

 

-Eu disse isso pra ela, mas ela mantém viva a esperança que vocês voltem, eu entendo perfeitamente o ponto de vista dela de querer que os pais voltem a ficar juntos, e eu não posso atrapalhar isso.

 

-Mia, você não está atrapalhando nada, muito pelo contrário, você está fazendo com que eu me sinta vivo de novo, está trazendo de volta pra mim sensações que eu achava que nem existiam mais. Vanessa e eu já estamos separados a muito tempo, desejo que ela seja feliz, mas pra gente não tem mais volta.

 

-De qualquer forma, eu não quero perder a amizade da Lily, e ela não vai aceitar absolutamente nada entre a gente.

 

-Por favor Mia, não faça isso com a gente, eu quero você.

 

      Nesse momento, eu puxei a Mia mais pra perto de mim, a coloquei no meu colo e a beijei. A beijei como nunca havia beijado ninguém antes, no começo ela foi relutante mas depois se entregou, nos beijávamos como se precisássemos dos lábios um do outro pra sobreviver, eu já estava completamente duro e me esfregava nela sem parar, em certo momento, parei o beijo e sussurrei no ouvido dela:

 

-Durma comigo hoje!

 

-O quê?

 

-Vamos dormir juntos hoje?

 

-Eu não posso Johnny.

 

-Você não me quer?

 

-Eu te quero, e muito. Mas...

 

-Mas o quê?

 

-É que já faz muito tempo que eu não...

 

-Eu já entendi, mas podemos apenas ficar juntos, não vamos fazer nada que você não queira.

 

      Nesse momento ela sorriu levemente, se levantou, me pegou pela mão e me conduziu até o quarto, que assim como o restante do apartamento, era todo decorado com unicórnios, me sentei na cama e tirei os meus sapatos, em seguida me levantei e tirei a minha camisa, ficando de frente pra ela todo o tempo, e fazendo questão que ela visse o volume na minha calça, em seguida me deitei na cama e me cobri, mantendo um suave sorriso nos lábios, nesse momento ela respirou fundo, desligou a luz e se deitou do meu lado, mas o quarto não ficou escuro, a parede acima da cama era toda decorada com pequenas lâmpadas, ficamos nos olhando e voltamos a nos beijar, apenas a nos beijar, nada além disso. Nem sei por quanto tempo ficamos nos beijando, até que decidimos dormir, nos deitamos de conchinhas e eu a abracei forte, pra provocar, esfreguei a minha ereção nela, pra mostrar o efeito que ela tinha sobre mim.

 

-Olha só como você me deixa.

 

      Falei baixo, quase como um sussurro, e ela respondeu com uma risadinha baixa, ela era tímida e eu estava adorando provocá-la. Durante a madrugada, enquanto ela dormia, eu me mantive acordado, acariciando aquele corpo maravilhoso que tanto me enlouquecia, nem sei de onde tirava forças pra me segurar, eu estava louco pra fazer tudo com ela, mas pelo que pude perceber, ela foi muito machucada, alguém a magoou profundamente, e ela não permitiria que ninguém se aproximasse mais do que eu havia me aproximado até esse momento, mas eu estava disposto a mudar essa situação, eu faria de tudo pra que ela se recuperasse.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...