1. Spirit Fanfics >
  2. Sweet Provocation (Imagine Hot Hongjoong - Ateez) >
  3. Capítulo Único

História Sweet Provocation (Imagine Hot Hongjoong - Ateez) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Um hot doce e delicioso para vocês, espero que gostem!

Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Algumas pessoas acham que preliminares são algo clichê, que provocar é um erro se não atingir logo o objetivo, mas de uma verdade que todos deviam saber, é que a provocação instiga o desejo.

Como soube disso? Acontece que o adiamento da satisfação atiça a fome, assim como alimenta a vontade de querer atacar os lábios de quem provoca. Meu namorado me ensinou tudo isso, ele é uma combinação perfeita de fofuras e safadezas insanas, e quando estávamos em um bar comemorando nosso aniversário de namoro, ele acionava o controle remoto do vibrador em minha calcinha que gentilmente me pediu para que eu usasse.

Ele sorria docemente enquanto observava como eu contorcia minhas pernas por baixo da mesa. Ele gostava de me ver sedenta em lugares públicos, para justamente me ver descontando nele meu desejo na cama ou no banco de trás do carro.

Seu nome? Hongjoong, que para mim, ele era o rei da provocação. Mas hoje, eu teria minha vingança.

(21:14)

O vapor quente cobria meu corpo nu, as partículas de água ainda deslizavam pela minha derme e os fios molhados caídos da toalha me dava a visão perfeita de mim mesma, hoje eu me sentia provocante, a garota que Hong jamais conhecera, ele sempre me exaltava e dizia o quanto me achava sexy, mas agora queria superar suas expectativas.

Abro a porta do banheiro e vou até o quarto onde Hongjoong estava, sua mesa de trabalho ficava no mesmo e lá estava ele sentado atrás do monitor do computador ao telefone com um de seus clientes, ele falava sério, o que o deixava ainda mais sexy, suas diversas personalidades me estingavam.

Desfilei naturalmente pelo quarto indo até o guarda roupa, ele ainda não me percebera ali, puxei minha gaveta de lingerie e escolhi uma vermelha, que inclusive havia comprado a alguns dias, porém, ainda não havia experimentado.

Retiro a toalha deixando a mesma cair no chão, Hong finalmente encontra seu olhar com o meu corpo o deixando hipnotizado. Finjo não notar e ouço sua dificuldade em responder a pessoa do outro lado da linha. Deslizo o tecido da calcinha pelas minhas pernas e vejo seu olhar seguindo minhas mãos.

Mas logo ele vira a cadeira para poder prestar atenção na ligação. Coloco meu sutiã e finalizo com uma camiseta branca dele, ela não era tão grande, o que fazia com que a poupa de minhas nádegas ficassem a mostra.

Isso é só o começo Hongjoong.

Saio do quarto discretamente e ainda o ouço concordar ao telefone, ele não se daria por vencido tão fácil assim, eu sabia.

Vou até a cozinha e abro a geladeira retirando um pote com morangos dentro, eu realmente gostava de morangos, principalmente quando combinados com chantilly ou espumante, e esse último seria meu gatilho, abri a garrafa sem dificuldade e enchi a taça sobre a bancada, adicionei os morangos e mexi um pouco para que a doçura da fruta se misturasse com o álcool.

Dou um gole gentil da bebida e através o vidro da taça vejo Hongjoong adentrar a sala sacudindo seus fios agressivamente, ele me percebe atrás do balcão e em gesto que eu diria impulsivo, desliza sua língua por seu lábio inferior soltando um sorriso safado em seguida.

- Está animada hoje querida? – Pergunta vindo em minha direção apoiando seus braços sobre o balcão, seu olhar me penetrou silenciosamente, um olhar que eu conhecia bem, o olhar que me despia por inteira. Eu não podia ceder, hoje seria minha vez de jogar sujo.

Nada respondi para ele, apenas sorri sínica. Ele estende seu braço para o lado alcançando o pote de morangos, escolhe um e leva até a boca dando uma mordida, impressionante como ele conseguia ser sexy sem fazer muito esforço, travo seu punho com minha mão e ele se surpreende, trago o morango em sua mão em direção à minha boca e mordo lentamente, o fazendo observar cada movimento de meus lábios rosados pela fruta.

- O que você está querendo fazer? – Seu olhar curioso ainda estava frisado em minha boca e isso me fez rir satisfeita. Eu estava conseguindo enfim.

Saí dali com a taça em mãos e decido ir até a sala, sento no canto pegando meu celular que havia deixado no mesmo. Finjo entrar em uma rede social qualquer e percebo ele sentar ao meu lado pegando o controle ligando a TV. Seus dedos ficaram inquietos em seus fios avermelhados, ele estava agoniado, mas por que não me beijou ainda? Ele estava se controlando? Era a hora de aumentar o nível.

- Amor... – Digo e vejo ele me olhando umedecendo os lábios. – Segura isso para mim, por favor? – Estendo a taça de espumante para ele e o mesmo obedece rapidamente me levanto sentando em seu colo colocando uma perna em cada lateral das suas e senti o mesmo arfar surpreso. – Obrigada! – Agradeço docemente.

Sinto suas mãos percorrer minhas coxas e antes que pudesse chegar à minha cintura eu as tiro, deixo a taça na mesinha que havia na lateral do sofá e encontro seu olhar cheio de luxúria.

- Não te dei permissão para tocar! – Garanto e ele sorri confuso.

- Está me limitando hoje? – Ele tenta novamente envolver meu corpo e eu levanto suas mãos para cima da sua cabeça pressionando meu quadril sobre o dele o fazendo suspirar.

- Quero brincar com você um pouco daddy! Quero descobrir seu nível máximo de desejo.

- E como pretende fazer isso baby? – Seu sorriso de canto me incentivou. Iniciei um beijo cativante e ele seguiu meus passos, antes que ele pudesse intensificar o beijo, separei o deixando de boca aberta, me aproximei de seu ouvido fazendo questão que ele sentisse minha respiração quente em contraste com sua pele.

- Você vai descobrir! – Sussurro.

Iniciei outro beijo, dessa vez mais intenso, ainda segurava suas mãos mas desfiz trazendo minhas mãos para seu pescoço o segurando firme, suas mãos vagamente caminharam pelo meu corpo e o deixei se aventurar um pouco enquanto subi com os dedos pela sua nuca até os cabelos suavemente puxando com um pouco de força em sintonia com o beijo doce com aroma do morango mergulhado no álcool. Quando senti suas mãos forçando meu quadril com o ritmo de meus movimentos de vai e vem novamente subi suas mãos para cima da cabeça mordiscando seu lábio.

- Baby... – Gemeu em reprovação.

- Não abaixe suas mãos! – Ordenei e o mesmo hesitou, mas manteve suas mãos no pescoço. Adentrei minhas mãos por baixo de sua camiseta e subi até a altura do peito, passei a descer fazendo um pouco de pressão com as unhas, indo até quase chegar à altura do botão da calça.

- Você está querendo me deixar louco? – Ele morde fortemente os lábios.

Me aproximei novamente do seu outro ouvido depositando um beijo molhado e estalado na região abaixo do mesmo o que senti uma pulsação contraria em minhas pernas, seu membro estava bem acordado, e parecia sedento já.

Passei a acaricia-lo com a língua na orelha, na nuca, no pescoço e dei pequenas mordidas em seu queixo o fazendo gemer entre os dentes.

- Pare com isso baby! Quero estar dentro de você! – Ele implorou e eu o calei com um selinho demorado.

- Shh! Estou apenas me divertindo... – Sorri marota.

- Você está pedindo para ser castigada! – Ele admite com um olhar provocante e eu amei ver ele assim, dependente, sedento, arfando sem ao menos tocar meu corpo por completo. Mas eu também o desejava, sua boca molhada... eu a necessitava em minha pele. E só precisava fazer uma coisa para conseguir...

- Me fode daddy! – Digo sussurrando e ele logo desce suas mãos até minha bunda onde apertam forte e me levantam em seu colo, enrosco minhas pernas em seu quadril e meus braços em sua nuca me envolvendo em seus lábios fervorosos, apenas me entreguei ao seu desejo. Ouço um barulho agudo e uma enorme ardência em minha bunda, ele havia depositado um forte tapa em minha nádega o que me fez contrair contra seu membro coberto.

Sou levada para o quarto sendo jogava com força na cama, sorri com o ato. Minha cintura é tomada por suas mãos, ele me puxa com certa violência para um beijo, um beijo quente e necessitado, nós dois queríamos um ao outro, a tensão sexual já está presente no quarto e pude sentir minha intimidade formigar.

Ele se ergue retirando sua camiseta e sua calça de moletom mostrando sua cueca box cinza com um volume extremo na mesma. Ele vem em minha direção e abre minhas pernas se encaixando no meio delas levanta minha camiseta bruscamente invadindo meu sutiã, ergue o mesmo deixando meus seios à mostra, passa a mordiscar um deles enquanto massageava com uma certa intensidade o outro, aquilo me enlouquecia, mal parecia a mesma pessoa que me trouxe chocolates com um sorriso meigo mais cedo.

Me levanto retirando a camiseta juntamente com o sutiã e aquilo deu fim ao contato da sua boca com minha pele.

- Você... – Ele passa a mordiscar minha cintura. – Vestiu minha camiseta... – Seus toques eram lentos, mas intensos. – Escolheu uma renda vermelha... – Gemi ao sentir seus dedos pressionarem a parte interna da minha coxa. – Me provocou daquele jeito... – Sua respiração se aproximou de minha intimidade e aquilo me fez arrepiar. – Eu só não te dou o troco hoje, pois quero ver você bamba em cima dessa cama! – Ele abre mais minhas pernas com um gesto brusco mas acompanhado de um toque delicado pela extensão de minhas pernas.

Senti seu nariz roçar meu ventre e tive a cena dele retirando minha calcinha com os dentes lentamente, eu estava totalmente nua, e sedenta por ele.

- O que vai fazer comigo Daddy? – Indago manhosa. Ele sorri sínico lançando de meu próprio veneno:

- Shh! Estou apenas me divertindo! – Ele se aproxima lentamente e ataca minha boca começando um beijo sedento por prazer, nós dois queríamos tudo que o outro pudesse nos oferecer nessa única noite, suas mãos exploram toda a extensão de meu corpo, já as minhas o puxam cada vez mais para mim, nossas línguas davam nós enquanto exploravam a boca alheia. Nossas bocas são separadas por causa da falta de ar, desço minha mão de seu pescoço até o cós de sua cueca explorando toda a área exposta de seu corpo e o puxo para mais um beijo, antes de realizar esse ato ele para e me encara nos olhos.

 –Eu que mando agora! – Ele fala com a voz rouca e falhada ao pé do meu ouvido me fazendo arrepender por inteira.

Ele se abaixa e começa a beijar minhas coxas bem perto de minha intimidade logo segurando minhas pernas com uma violência que nunca o vi usar, ele não parava de me encarar, estava tão perto que eu podia sentir sua respiração quente no ponto mais sensível de meu corpo. Em um só ato ele percorre minha entrada e clitóris com sua língua molhada me fazendo gemer abafado.

Automaticamente quando eu sinto sua língua em minha intimidade minhas mãos vão para seu cabelo, ele sabia muito bem o que estava fazendo, sua língua ia até meu clitóris e depois descia, entrava e saia algumas vezes e então subia até meu clitóris de novo. Hongjoong é experiente quando se trata do assunto “prazer”, eu já estava em outro universo sem ao menos estarmos no principal.

–Hong!– Era tudo que eu podia falar além de gemer, gemer e gemer.

 –Você já vai gozar?– Ele fala abafado pelo local em que se encontra e estremeço sobre sua boca.

Sinto minhas paredes se contraírem contra a língua fervente e empurro mais ainda Hongjoong contra minha intimidade encharcada, é tão bom sentir sua língua brincando comigo que eu poderia passar minha vida inteira assim e nem reclamaria, meu líquido sai de mim e encontra a boca do meu namorado.

- Peça de novo baby! – Ele estala um beijo em minha coxa e arfo.

- Me fode Daddy! – Peço entre um gemido e outro enquanto ele flexionava seu dígito em minha entrada. Vejo ele retirar seu membro da cueca box e minha intimidade parece implorar por prazer.

Ele estende o tronco até o móvel na lateral da cama, pegando uma camisinha logo a colocando. Hong se senta em minha frente e modela minhas pernas passando uma de cada lado de seu quadril, seu corpo esta a centímetros do meu, tento me aproximar procurando contato mas sou impedida pois o mesmo segurava meu quadril com força.

–Hong! Por favor!– Peço manhosa. Como resposta ele pincela sua glande por toda minha intimidade, mordo meus lábios em reprovação.

- Isso é por me fazer passar vontade... – Ele brinca com minha entrada. – E isso, é por ser tão gostosa! - Hongjoong literalmente desliza para dentro de mim de tão molhada que eu estava, assim que sinto ele me preencher por inteiro gemo alto e ele passa a me estocar “delicadamente”.

Meu corpo estava em êxtase, eu não me importava com mais nada a não ser Hongjoong dentro de mim, uma de suas mãos apertou minha coxa enquanto a outra apertou meu seio, eu só conseguia gemer e falar seu nome de uma maneira manhosa, praticamente implorando por mais.

Cada estocada era mais um passo para o paraíso, seu sorriso provocante em meio as feições de prazer me embalavam de desejo. Mais algumas estocadas e ele acha meu ponto g, eu gemi alto o mesmo acerta ele várias e várias vezes. Sinto minhas paredes se contraírem contra seu membro, contraio meu corpo contra o dele o chamando para mais perto, dando algumas mordidas de leve em seu pescoço, me desfaço pela segunda vez em uma só noite.

Suas mãos percorreram as minhas até sobre minha cabeça e ele sela nossos lábios, meu corpo a qualquer momento poderia entrar em combustão.

Uma... Duas... Dez... Vinte estocadas e por aí foi, gozei mais uma vez gemendo alucinadamente, ele aperta mais ainda minha cintura e da uma estocada forte e fundo cortando meu gemido no meio. Ele se desfaz cedendo seu corpo sobre o meu, nossas peles ferviam, o abracei fortemente selando nossos lábios enquanto ele ainda se remexia sobre mim.

- Vai ter volta _______! – Ele fala com dificuldade por causa da respiração descompensada.

- Quero! – Digo entre um sorriso aberto para ele.


Notas Finais


Gostaram? Dependendo trago um capítulo bônus...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...