1. Spirit Fanfics >
  2. Sweet Redhead >
  3. Natasha Tompson!

História Sweet Redhead - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura 🌈

Capítulo 5 - Natasha Tompson!


Fanfic / Fanfiction Sweet Redhead - Capítulo 5 - Natasha Tompson!

      𝐃𝐨𝐦𝐢𝐧𝐢𝐪𝐮𝐞 𝐌𝐢𝐥𝐥𝐞𝐫 𝐂𝐚𝐫𝐩𝐞𝐧𝐭𝐞𝐫 

— está bem, onde está a mamãe? – perguntei para a mulher de cabelos rosados e um sorriso no rosto. 

— Sua mãe está viajando. Não pode se despedir de você mas mandou um beijo..

— Ah, claro.. eu ligo para ela de tarde.. bom, vamos subir para pegar alguns objetos de escola. Viemos estudar e só.. o Castiel não precisa ficar para o almoço.. – justifiquei vendo a mulher soltar um muxoxo.

— Querido, quer almoçar conosco? – convidou sorrindo. – eu fiz sobremesa. Espero que goste de Pumpkin Pie..

— Se der para engolir sem vomitar eu aceito! – sorriu subindo com pressa para meu quarto mesmo sem conhecer. Eu revirei os olhos e apenas fui atrás dele vendo o mesmo arregalar os olhos pela quantidade de cômodos que tinha em minha casa.

— Quinta porta a direita! – ele assentiu e foi andando com as mãos no bolso. – Hey Regina, Hey George.. – cumprimentei os pequenos peixes rosas que nadavam com pressa em seu aquário. 

— Eu estou delirando ou você literalmente chama seus peixes de Regina e George?

— O outro era para ser Heather mas mamãe não deixou..

— Bom, seu quarto é irritante! Tem pôsteres rosas e roxos.. e detalhes neon.. é.. 

— do meu gosto! Eu gosto de coisas chamativas! Não posso ter um quarto triste e escuro como um enterro sem graça! Aposto que seu quarto deve ser cheio de pôsteres também!

— Pôsteres bonitos! Não.. isso!

— Gosto não se discute! Enfim, eu vou lavar minhas mãos, tomar um banho e me trocar.. se quiser espere na sala!

— Não quer tomar um banho comigo? – sorriu malicioso e convencido. Apenas Revirei os olhos.

— agora que você terminou com a Debrah está atirando para todos os lados, hein! – seu semblante automaticamente se tornou sério. Talvez eu tenha acertado em sua ferida.

— Cala boca! – saiu de lá rapidamente me mostrando o dedo do meio. 

Então quando o nome da Debrah é mencionado ele fica assim! Eu deveria perguntar ao Nath, com certeza ele sabe algo do Castiel sobre isso. Já que o ruivo tem tanta convicção de que Debrah e Nathaniel tiveram algo!


                     .    .    .

— Quanto tempo demorou nesse banho, querida! Já achei que tinha desmaiado ou estava se masturbando! – corei na hora pelas últimas palavras ditas pela minha tia. De onde ela tira essas idéias?

— Ahn, tia! Não fale essas besteiras! Eu sei que é só o Castiel! Que mente dizendo que é meu melhor amigo já que nos conhecemos a dois dias.. mas é alguém, né!? – o ruivo revirou os olhos.

— eu e o Castiel viramos super amigos. Estou pensando em convidá-lo para seu aniversário o que acha? – foi minha vez de revirar os olhos pelo convite.

— Eu aceito. Vai ter comida?

— Sim, comida de montão! Ainda estamos decidindo as coisas. Tem que ser perfeito! Minha bebezinha já vai fazer dezoito aninhos! Idade para fazer as melhores loucuras! – Suspirei sorrindo.

Minha tia poderia parecer um pouco louca as vezes mas era a melhor tia do mundo. Quando minha mãe viajava ela me acolhia com todo amor, como se fosse minha mãe. E parecia mesmo! Ainda insistindo nesse assunto de sexo, dezoito anos e adolescência. O que não era um tabu. Pelo contrário! Ela falava disso sempre. Mas não se conformava sobre minha virgindade! A única coisa que já fiz na vida foi beijar pessoas. Eu nunca havia transado de verdade. O que é bom, já que prefiro permanecer assim por um bom tempo.


O almoço foi tranquilo, aliás. Castiel e me minha tia faziam piadas de mal gosto comigo. E conversam sobre seus cabelos belos e coloridos me deixando um pouco excluída. 

— Bom, eu vou levar os pratos para não atrapalhar a conversa de vocês.. – os dois continuaram a conversar me ignorando totalmente. Eu Suspirei. Fiz um coque simples em meus cabelos e fiz uma pequena pilha de três pratos. Me levantei e caminhei até a cozinha sem que ninguém me visse ou soubesse de mim. Provavelmente se eu estivesse fora de casa morta atropelada por um carro eles continuariam no ritmo. Enquanto lavava os pratos ouvia eles mencionando meu nome. A cada segundo ficava mais constrangedor. É o que dizem! Não tenha uma família se não quiser ser exposta!

— Quer ajuda? – ouvi a voz rouca do rubro em meu pescoço e dei um pequeno pulo. 

— Aí! Que susto! – coloquei minha mão no coração sentindo o mesmo sambar dentro de mim. – Achei que estivesse conversando com a Tia Ágatha..

— eu estava.. mas aí percebi que você não estava mais lá e vim aqui para te procurar.. quer ajuda?

— se você insiste! – juntei um pouco de espuma da esponja em minha mão, me virei até ele e assoprei o mesmo em seu rosto, cabelo e vestimentas..

— sua..

— só queria ver se estava alerta! – sorri convencida.

— Eu posso ser pior, garotinha! – passou as mãos em volta de minha cintura chegando até a torneira, a abrindo e pegando um pouco de água em suas mãos. Logo senti meus cabelos serem completamente molhados por cima. Me fazendo rangir os dentes.

— seu..

— só queria ver se estava alerta. – justificou me imitando com um sorriso ladeado. 

— Com licença! A campainha tocou.. acho que é para você querida! – Comentou Ágatha sorrindo minimamente. – quer que eu despense? 

— Nã-não eu.. eu posso atender..

— está bem então se solte de Castiel! Se quiserem fazer isso podem ir para o quarto. A tia deixa! – Finalmente percebi. As mãos de Castiel estavam pousadas em meu pescoço. Logo as mesmas me soltaram sem graça. Eu fui correndo até a porta para saber quem seria a uma hora dessas. Arregalei os olhos ao abrir a porta e sentir meus lábios sendo esmagados em um beijo. Ela voltou! Natasha Tompson!


Notas Finais


Sorry qualquer erro ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...