1. Spirit Fanfics >
  2. Sweet Revenge >
  3. Almost There

História Sweet Revenge - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Almost There


Estados Unidos, Miami Beach, 20 de Abril, 13:45 PM


P.O.V.'s Kayla Tageryan


Entrei na nova mansão, não aguentava mais Dubai, eu amo a tecnologia e tudo, porém eu adoro os estados unidos, e resolvi que dessa vez ficarei em Miami, e sim, eu construí essa mansão de quatro andares, e dois subterrâneos em dez dias.
Ser bilionária e poder comprar até a lua é bom demais, um dia dessas eu compro a lua, foi uma boa ideia.
Essa mansão é no mesmo estilo que a outra, só que tem uma pegada mais rústica, porém não deixa a tecnologia de lado. Parei o carro depois de passar pelo longo jardim com chafarizes, a paisagem é linda, e a mansão tem muitas paredes de vidro, e por todo perímetro da casa tem gente minha espalhada, com as armas apontadas para cada coisa ou pessoa suspeita, chega de explosões nessa merda.




Olho para o lado, vendo Bonnie admirar.


- Gostou? – Perguntei, vendo ela me olhar e sorrir um pouco.


- Sim, eu gostei. – Seus cabelos castanhos já estão crescendo, ela cortou o deixando bonito, Bonnie é bonita, e isso se deve ao gene perfeito dos meus país.



{...}


Pego minha maconha preparada, faz muito tempo que não fumo uma, coloco na boca sugando a erva, suspirando logo depois de modo lento.
Observo o sol se pondo longe, pela varanda do meu quarto, fico pensando que depois que meus criadores, vulgo pai e mãe, tudo piorou, e eu quero saber o porquê, o que Thiago quer, que merda de senha é essa?
Vasculho na minha mente atrás de algo, e tenho uma lembrança distante.

Memories-On

Metralhei o rosto do policial, ele não deveria ter se metido nos meus negócios, não agora.
Como acabei de completar catorze anos, minha mãe deixa eu me envolver nos negócios, na verdade sempre deixou.
Vou atrás do outro, com os olhos cheio de maldade, e os respingos de sangue pelo rosto e mãos.

- Meu deus, o que é isso? – Ele pergunta e me viro, para saber o que era.

Percebo que ele se referia a mim, como se eu fosse algum tipo de aberração. Olhei para minha mãe atrás de mim, com cara de confusa e ela me olha assustada, vindo até mim e me fazendo fechar os olhos.

- Sobe, agora, vai lá para o seu pai. – Ela mandou, terminando o meu serviço, não entendi quando ela colocou óculos escuros em mim, subir as escadas do porão da polícia, vendo o rastro de massacre que fizemos.

- O que foi? – Pergunto meu pai em seu terno elegante, sem nenhum rastro de sujo.

Tirei os óculos, com ele se assustando de imediato.

- Coloque os óculos novamente. – Fiz na mesma hora, depois disso minha mãe chega com meus irmãos, fomos para casa.

- Controle sua raiva, Kayla. – Fala meu pai me olhando.

Eu nunca tinha visto eles ficarem assustados, com nada.

Memories-off

Isso foi estranho, e até hoje me pergunto o que eu fiz para os assustar tanto, naquele dia eu me sentir uma assassina nata, parecia que eu controlava tudo.
Terminei a maconha, jogando o resto fora.
A casa fica vazia sem a equipe do Bieber, tem duas maneiras de transitar pela casa, escadas e elevador.
Assim como na antiga mansão, aqui temos galpão de treinamento, armamento, tecnologia, e o inusitado é um estábulo.
Daqui a um mês é o dia de nascimento da Bonnie, mas nunca fiz nada demais, na verdade nossos pais detestavam dias comemorativos, diziam que era apenas perda de tempo, que enquanto estaríamos comemorando o inimigo estava fazendo planos para cortar nossas cabeças. E acho que ela não liga também, mas sei que quando jovem eu queria ter ganhado algo no meu aniversário, porém estou na dúvida.

Não sei como devo agir com Bonnie, o jeito Tageryan de ser, ou o jeito bom.

Stassie está presa no subterrâneo da casa, em um dos quartos brancos, ao qual usamos para torturar as pessoas.
Desci encontrando Niall, ele não é muito de conversar, depois de passar por ele vou para a sala de visitas, vendo Zayn sentado.

- Oi, estava procurando a senhorita. – Falou se levantando.

- Corta essa de senhorita Malik, acho que já passamos dessa fase. – Falei, fazendo ele sorrir.

- Queria perguntar se quer dá uma volta a cavalo na praia, lembro que quando criança gostava de galopar. – Ele fala vindo para mais perto de mim, e como tudo na vida, sinto que minha atração por Zayn se fora completamente.

- Claro que podemos. – Falei, conosco indo logo para o estábulo, comigo escolhendo a égua Star, ela parece uma bela noite estrelada.

Quando chegamos na praia, o sol já tinha se posto, e conseguimos escutar as ondas ao longe, ele andava elegante ao meu lado em seu cavalo chocolate.
Meus cabelos voavam a favor do vento, comigo sentindo meu corpo frio.
Fechei a jaqueta, olhando para o horizonte, eu prefiro mil vezes lugares isoladas a cidades grandes. As estrelas aparecem ao anoitecer.

- Kayla... – Ele me chamou, e me virei, fazendo o cavalo andar do seu lado e mais perto.

- Fale Zayn. – Falei tirando o cabelo da frente do rosto, inferno, ia engolindo o cabelo.

- Eu só... – Ele parece engasgar com as próprias palavras.

- Pode falar. – Falei sorrindo para o motivar.

- Kayla, você sabe que crescemos juntos e... Sempre tivemos uma química, eu sou maravilhado por participar da sua vida, todas as coisas ruins que já me aconteceram me compensa assim que olho para você, e penso que tudo valeu a pena se vou poder te ter ao meu lado. – Presto atenção no que ele diz, com muito medo de onde pode chegar.

Ele respira fundo, comigo fazendo o mesmo, porra, eu estou nervosa, não de está com ele, mas por ele.
O cavalo relincha, trotando um pouco e Zayn me acompanha, conosco voltando ao ritmo logo depois.

- E... Porra Kayla, esse últimos meses foram um inferno, um inferno pessoal. Eu tive que ver ele se aproximando de você, ganhando sua confiança aos poucos, te pegando aos poucos, te levando com ele. – Engolir a seco, merda. – O Bieber conseguiu fazer mais avanços com você, do que eu fiz em anos, ele conseguiu beijar você! – O olhei, como ele sabe disso? Em nenhuma das vezes ele estava comigo. – Eu vi vocês se beijando na piscina, ele conseguiu beijar você, e isso me mata. – Ele desvia o olhar.

- Zayn...

- Desculpa, mas deixa eu terminar. – Fico calada, com muito medo do final.  – Ele alcançou um lugar que era pra ser meu, Kayla... Desde os meus dez anos, eu tento dizer isso... Eu amo você.

Parei o cavalo, com minha cabeça dando pane, como se eu fosse um grande computador entrando em pânico, e com os sistemas falhando.

- Desculpa... Acho que você se confundiu. – Falei não o olhando.

- Porra, Kayla! Eu te amo! Nós quase tivemos um filho juntos!

- O Henry foi um erro, de dois jovens idiotas que entendiam que deveriam usar camisinha, porém foram burros o suficiente para não usar.

- É isso que você acha de mim, de nós, um erro? – Ele pergunta, correndo atrás de mim quando me distancio.

- Não Zayn, eu sou um erro, eu sou uma pessoa com defeito que não merece ser amada. – Falei o olhando.

- Mas eu te amo, porquê você não entende isso?

- Porquê era físico, apenas físico Zayn, eu gosto do seu corpo, não de você. – Falei sorrindo, essa sou eu no meu modo automático e que magoa a tudo e todos ao meu redor. – Eu não sou uma pessoa amável, você me amou sabendo que sou uma vadia sem coração. – Rir o olhando, que parecia quebrando em um milhão de cacos. – Eu não amo você, Zayn Malik, eu nunca vou te amar do jeito que quer e nunca amarei ninguém, e sabe porquê? Porquê não sei o que é amar e nem faço questão.

Ele abaixa a cabeça, porém consigo ver a lágrima única que cai de seu olho, com ele a secando rápido.

- Você é uma mulher rígida, fria. As pessoas tem medo de você, não respeito.

- Medo é a fortaleza de tudo.

- Medo é algo que não podemos contar com fidelidade.

- Zayn, você pensa que me conhece, mas antes do medo sempre coloco o respeito, sabe porquê? Porquê eu sou a porra de uma mulher muito inteligente. – Balancei a cabeça. – Eu não amo você, e nunca existiu mais do que desejo entre nós, da minha parte, a “nossa história”, foi uma ilusão.

Me virei, andando para longe dele, e sei que ele ficou parado lá, me vendo partir.

{...}


Penteio meus cabelos, depois da volta na praia eu tomei um banho, me preparando para dormir, alguém bate na porta e sei que é Louis.
Mando ele entrar, comigo só de calcinha, me deitando na cama de bruços, ele chega com a maleta de sempre, com os medicamentos preparados por Liam.
Ele pega o gel, esverdeado e vai passando nos cortes, que quase estão desaparecendo.


- Zayn já falou com você?


- Como você sabe disso? – Perguntei-lhe.


- Sei de tudo meu bem, eu sou os olhos e ouvidos dessa casa. – Sinto suas mãos grandes.


- Falou sim, e agir como a vadia estúpida que sou.


- Quebrou o coração do Malik, pena, aquele homem não se joga fora. – Revirei os olhos para seu comentário.


- Você também acha que estou amolecendo com o Bieber?


- Acho que está sendo você mesma. – Suas mãos pararam e sei que ele parou, escuto o mesmo abrindo meu closet, volta com uma camisa social, e me vestir. – Belos peitos.


- Obrigada?


Ele rir balançando a cabeça.


- Kayla, você foi muito pressionada e ser quem não é durante sua vida toda, acho que com Justin você tem uma segunda opção, dê essa a vocês dois.


- Mas tudo que eu sinto por ele é físico... Eu acho.


- Não vai saber se não provar, aliás, você já... – O cortei.


- Tchau, Louis. – Falei fazendo ele revirar os olhos e sair, me deitei na cama, sentindo o ar-condicionado fazer efeito, vou para debaixo dos edredons.


Canadá, Toronto, 25 de Abril, 23:57 PM


P.O.V.’s Justin Bieber


- Porra, eu amo rachas, a gente ganha muito dinheiro. – Fala Nolan assim que chegamos em casa.


- Além do dinheiro tem as gatas, cacete, é muita mulher bonita. – Chaz responde sorrindo.


- E muita máquina boa, ganhamos mais umas sete só em uma noite. – Ryan chega, carregando Christian, que bebeu muito.


Jazmyn aparece na escadas, com uma cara de brava, ela vai amanhã se encontrar com Jaxon.


- Vocês são uns babacas, para quê vão a rachas? – Falou descendo.


- Porquê é foda. – Respondi beijando sua cabeça quando ela vem para perto


- Eu acharia foda se me levassem.


- Boa tacada, agora vai dormir. – Falei apontando para cima.


- Estava só esperando vocês mesmo, tchau Bizzle, tchau menino, boa noite. – Falou sorrindo.


Vou até eles, se sentando no sofá.


- Bizzle? Que porra de nome é esse? – Disse Nolan fazendo uma careta.


- As antigas amigas da escola dela que inventaram.


- E as novinhas piram no chefinho. – Fala Chaz fazendo todos rirem, com Christian acordando e logo depois desmaiando de sono.


- Não vi você pegando nenhuma mina hoje, o que aconteceu irmão? – Ryan pergunta se servindo de uísque com gelo.


- Não estava no clima, queria mais adrenalina.


- Nós vimos, ganhou três carros dos que estão lá fora e uma boa grana. – Nolan pega um gelo e coloca na boca, o mastigando logo depois.


- Tá pensando nela? – Pergunta Chaz.


- Quem?


- Se faz de sonso não. – Nolan aponta para mim.


- Mas quem?


- Kayla Tageryan. – Respondem os três juntos.


Revirei os olhos, batendo nas coxas e me levantando.


- Essa noite foi boa, e estou cansado para um cacete, vou dormir, se quiserem ficar, de boas, se não, metam o pé logo. – Falei indo em direção as escadas.


- E o Beadles? – Pergunta Nolan.


- Deixa esse babão aí. – Falei rindo e indo para o meu quarto.


Tiro minha roupa tomando um banho, colocando um cueca box, e me jogando na minha enorme cama.
Olho para o teto, vendo aqueles olhos castanhos penetrantes na minha mente, fecho os olhos, com uma cena vívida na minha cabeça.


26 de Abril, 9:34 AM


Pego as malas de Jazmyn, acompanhando ela até o carro.


- Vamos no ver novamente, em breve, você não consegue se livrar de mim por muito tempo. – Ela fala, depois de entrar no carro.


- Eu vou sentir falta é do Ryan, vocês sempre levam ele embora. – Falei fazendo ela rir.


- Eu volto daqui a três dias irmão, tenta não foder com tudo até lá. – O mandei meu dedo do meio.


- Se foder otário. – Jazmyn bate na cabeça da gente, e me puxa para a abraçar, com seu corpo saindo um pouco pela janela.


- Se você ver a Bonnie novamente, fala que mandei um beijo. – Sorrir de lado para isto, essas duas são estranhas.


- Fala pro Jaxon que amo ele, beleza?


- Beleza, irmão babão. – Nós rimos, com ela logo depois partindo.


Volto para dentro da mansão, com os cara na piscina.


- Vocês tem casa não?


Eles me olham, se levantando.


- Ok, vacilão, vamos embora, bate umas punheta pra Tageryan aí sozinho. – Fala Nolan comigo rindo.


- Até mais. – Se despede Chaz.


- Qualquer coisa só ligar. – Fala por último Christian.


Me deito no meu jardim, com a grama verdinha, estava com saudades de ficar sozinho, sem nada de ação, balas, nada mesmo.
Pego meu celular e digitei seu número, colocando no ouvido logo depois.


- Saudades? – Kayla atende.


- Não, sua convencida, só que percebi que é diferente meus dias sem você, acho que virou um costume. – Respondi sorrindo, e imaginando que ela parou tudo que fazia, mordeu o lábio e ficou mais confortável.


- Isso se chama saudades. – Escuto ela rindo. – Porquê ligou Justin?


- Acordei hoje de um sonho maravilhoso, nesse sonho você estava por cima de mim, totalmente nua e deliciosamente perfumada, gemendo meu nome e pedindo mais, sabe como me sentir ao acordar e saber que tudo era um ilusão?


- Imagino que você se virou, até porquê tem duas mãos, a não ser que tenha perdido as duas no tempo longe de mim.


Rir de seu comentário, passando a mão nos cabelos, preciso os cortar.


- Sabe o quê mais tinha no sonho?


- O quê?


- Você dizendo “Aí Justin, como você é delicioso!”. – Falei fazendo nós dois rir.


- Só? Sei gemer mais que isso.


Mordi o lábio sorrindo.


- O que está fazendo agora?


- Imaginando nós dois fodendo, você começou.

- Além disso. – Bufei sorrindo.

- Calculando os gastos que tivemos esses meses, foram grandes, porém não fazem falta na minha vida. Agora voltando ao assunto, estava ficando interessante, me detalhe mais seu sonho, por favor. – Ela parece se mexer, escuto ela abrindo uma porta.

Fechei os olhos para deixar um sonho quase esquecido mais vívido em minha mente, pois não é muito difícil de imaginar.

- Você tinha suas mãos sobre meus peitos, e pulava, mordendo o lábio inferior, e o suor descendo entre os seios... Gemia meu nome alto, e me falava coisas obscenas, minhas mãos se ocupavam com sua bunda, e você fazia um ótimo trabalho cavalgando sobre mim.

- Hummm.... – Ela parece distante e distraída. – Seus sonhos são maravilhosos... Gosto deles, em todos estou por cima?

- Sim, acho que é por causa do seu jeito mandona, imagino você no comando.

- Gostei...

- O que tá fazendo agora?

- Me masturbando, escutando você e imaginando seu sonho.

Porra, nenhuma mulher tinha me deixado sem fala, porém quando escutei isso eu travei, merda, só de imaginar ela se contorcendo todinha por causa de seus próprios dedos, porém pensando em mim.

- Ficou sem fala, senhor Bieber?

- Não, apenas queria está aí para fazer eu mesmo.

- Já fez sexo pelo celular?

- Não.

- Certo, vá para algum lugar que te dê privacidade.

Me levantei, e fui para o meu escritório.

- E agora?

- Apenas me escute. Me ligue por vídeo chamada, do notebook.

Desligo o celular e abri meu notebook, fazendo um vídeo chamada com ela.
Observo a mesma apenas de sutiã e calcinha.

- Olá senhor Bieber.  - Ela falou com uma voz sexy do caralho.

- E agora Kayla?

- Me observe.

Ela leva seus dois dedos a boca e os chupa, e eu fico hipnotizado observando cada movimento seu.
A mesma passa as mãos por seu corpo, colocando a mão dentro da calcinha, e se tocando, ela começa a se masturba e faz umas caras prazerosas. Aperto meu pau me sentindo mais desconfortável dentro da calça.

- Aí Justin, como você é delicioso!

Ela geme com uma puta voz sexy, que me deixa duro dos pés a cabeça, desabotoando minha calça, continuo a observar.
Tiro meu pau totalmente duro de dentro da cueca, e começo a me masturbar a observando.

- Merda, se fosse você... Me tocando...

Ela geme mais baixo e gostoso, me deixando louco, me masturbo na velocidade de seus gemidos me imaginando dentro dela, a fodendo com força.
Depois de alguns minutos a mesma chega em seu ápice, me mostrando seus dedos melados, os colocando na boca de um jeito fodidamente sexy.
Depois de um tempo eu gozei, comigo indo no banheiro do escritório e me limpando, me vestindo logo depois.
Me sento a minha cadeira novamente, a vendo que ela também já tinha se limpado e estava de bruços me olhando.

- E então?

- Foi interessante, mas nada mudou em questão do toque.

- Muito em breve você vai poder me tocar por toda a parte.

Ela sorriu e depois alguém bateu na sua porta.

- Preciso ir, se cuida Bieber e dia 3 do próximo mês, vem... Vai ser meu dia como oficialmente dona da porra toda.

- Você sabe que eu vou, mesmo se não quisesse. – Falei fazendo ela rir, depois ela se despede e desliga.

É isso mesmo, acabei de me masturbar para uma pessoa que está em outro país, estou surpreso comigo mesmo.
Recebo uma ligação, número desconhecido, atendi mesmo assim, posso conhecer.

- Justin Bieber?

- O mesmo, quem fala?

- Thiago Tageryan, quero falar com você, sobre assuntos que lhe interessa, venha sem ninguém, e nos encontraremos no local que estou mandando, se não vim vou entender.

Ele desligou e eu jogo o celular na mesa, mas que merda, e agora?

{...}

Chego no local, é um bar simples da zona norte.
Entro vendo todos se divertirem, avisto Thiago de longe e vou até ele.
Me sento a sua frente tirando minha arma da cintura.

- O que você quer? – Pergunto pedindo um uísque.

- Um acordo, bom para mim e para você. – Ele sorriu.

Estados Unidos, Miami, 30 de Abril, 8:57 AM

P.O.V.’s Kayla Tageryan

- Então a festa vai ser aqui em Miami? – Pergunta Bonnie enquanto treinamos, Vitória esperava para treinar também.

- Sim, não pretendo passar minha vida em um avião, já chega. – Falei me desviando de seus golpes.

Depois de um tempo eu declaro empate, e Vitória vai no meu lugar.
Ela realmente melhorou muito nesses meses, seu corpo fica mais firme e ela não tem medo de enfrentar.

- Vitória, depois daqui eu quero falar com você, pode ser? No meu escritório. – Ela concorda e eu saí do galpão, andando até a mansão e indo para o meu quarto, tomar um banho.

Me vestir, colocando minha calça branca de couro, um blusa colada ao corpo preta e a jaqueta, com minhas botas de salto. Alguém bate na minha porta, esse pessoal tem mais o que fazer não, incrível.

- Pode entrar. – Falo enquanto arrumo meu cabelo.

- Kayla, estava pensando sobre aquela conversa e... Eu aceito. – Louis fala enquanto entra.

- Ok, agora vamos comigo no escritório a Vitória vai está esperando lá. – Falo com ele concordando e nós indo para o andar do meu escritório.

Me sento na minha cadeira e ele fica do meu lado, Vitória entra já banhada.

- Sim?

- Vitória, o presidente dos Estados Unidos me ligou hoje, e disse que você tá sendo procurada no Brasil, porquê de alguma forma o embuste do seu pai era relevante.

Ela se senta na minha frente.

- E só tem um jeito de você ficar comigo sem criar muitos problemas, você tem que ser adotada, não posso adotar você, porém Louis aceitou. Basta você concordar, vai ser temporário, mas você vai ter que mudar de nome, tudo, se reinventar.

- Porquê está me ajudando senhorita? – Ela me perguntou, confusa.

- Você me interessa. – Falo sorrindo. – E então?

- Quando vamos fazer isso?

- Louis vai cuidar de tudo.

2 de Maio

- Já é amanhã. – Fala Louis

- Eu sei. – Falei revirando os olhos e puxando o vestido.

Alguém bate na porta, meu deus, eu vou arrancar todas as portas dessa casa, quando me viro vejo um loiro muito gato.

- Oi, vim mais cedo. – Ele sorriu, comigo sorrindo de volta, merda, foi automático.

Vejo Louis fugindo de fininho da sala.

- Você tá muito gostosa nesse vestido. – Falou se aproximando.

Ele me pega pela cintura e me beija. Ele se afasta e eu estranho.

- O que foi?

- Sempre que eu te beijo acontece alguma merda ou alguém aparece, estou esperando o dessa vez. – Ele olha para os lados me fazendo rir.

- Idiota, agora me ajuda a tirar esse vestido. – Me viro de costas.

Ele desliza o zíper, comigo sentindo a ponta dos seus dedos na minha coluna, me causando arrepios.
Sinto seus beijos na curvatura do meu pescoço.
Ele me puxa pela cintura fazendo nossos corpos se baterem.

- Finalmente vou foder você.

XXX


Caralho, vocês me pediram tanto, tanto pra eles foderem, que ainda tô pensando kkkk.
Xoxo.


























































Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...