História Sweet Sicheng - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Winwin, Yuta
Tags Cafeteria, Dong Sicheng, Nakamoto Yuta, Nct, Nct 127, Nct U, Wayv, Winwin, Yuta, Yuwin
Visualizações 206
Palavras 964
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Queria escrever Lemon e saiu isso aqui...




AVISO: Os personagens citados são maiores de idade tanto na vida real quanto na fanfic!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Dong Sicheng. O japonês não aguentava mais ouvir falar nesse nome que o fazia tão mal… Ou talvez não.

Toda vez que o presenciava, pensamentos impuros se apossavam de sua mente, afinal, não tinha culpa alguma se o chinês ficava fodidamente gostoso naquele uniforme.

Todas as manhãs ia até a cafeteria. Não suportava mais beber do líquido escuro, mas necessitava ver o quão marcada a bunda de WinWin, apelido dado por ele próprio, ficava nas calças de cor cinza.

Lá estava ele novamente, sentado em uma das mesas cujo um vaso repleto de flores brancas pousava sobre. Os dedos tamborilavam de forma nervosa, até que o rapaz aparecera em seu campo de visão.

As coxas fartas eram delineadas pelo tecido.

Yuta, sem ao menos perceber, lambia os lábios secos de forma compulsiva.

A cena do corpo nu do chines tomava a sua mente. Ele só queria analisá-lo por inteiro, da forma mais erótica possível.

Sorrira ao vê-lo indo ao seu encontro.

-Bom dia Sr. Sakamoto- curvara- se minimamente- Gostaria de algo?

-Hum… Você rebolando no meu pau enquanto chama pelo meu nome.

As bochechas do Dong assumiram uma coloração forte de vermelho.

-Eu acho que podemos resolver isso depois- aproximara-se, passando a sussurrar- Quando a cafeteria esvaziar, venha me ver…- lhe dera as costas.

-Puta que pariu!- praguejou baixinho, sentindo-se molhado nas partes baixas.

 

 

 

 

 

O estabelecimento encontrava-se vazio e a placa pendurada na porta possuía a palavra "fechado" em sua extensão.

Yuta levantara-se, deixando os materiais de jornalismo sobre o estofado, indo em direção ao balcão. Passara pela portinhola, abraçando o mais novo por trás, enquanto pressionava o seu pênis na entrada do loirinho.

-Ah…- um gemido sôfrego escapara pelos lábios róseos- V-vamos para o depósito.

Ao adentraram o local, selaram os lábios em um beijo afoito e sedento.

-Anh… Yuta…- lambera os lábios- Acabe comigo…

O maior sorrira, desabotoando a camisa e afrouxando a gravata que usava. Retirara os sapatos, seguidos da calça, ficando assim, somente de cueca.

Fora ao encontro de Sicheng.

Distribuía beijos pela pele alva do pescoço, enquanto despia o mais novo, até o mesmo já estar completamente nu, assim como viera ao mundo.

-Ah, Winko…- sussurrara, acariciando o peito do menor- Você não sabe o quão duro me deixa com essa sua bunda gostosa…- apertara o local citado, recebendo um murmúrio em resposta por parte do chinês.

-Yu…- posicionara as mãos curiosas na barra da peça íntima do Nakamoto- Deixa eu te chupar…

E com isso fora o suficiente para arrancar o tecido do outro. Ajoelhara-se em frente ao corpo perfeito. O olhar carregado de luxúria.

O moreno fizera um sinal com a mão, o incentivando a continuar.

Sentira um arrepio percorrer a sua espinha ao sentir a boca quente em contato com o seu membro pulsante.

Segurara os fios claros com força, o fazendo realizar garganta profunda. Os estalos que ocorriam devido as sugadas do mais novo o deixavam ainda mais excitado.

Impulsionara-se contra a corpo pequeno. Quando sentira o membro bem molhado, afastara-se.

-Cheng…- chamara com a voz levemente rouca- Levante-se.

E assim como pedira, o chinês fizera. O moreno não conseguia retirar os olhos do corpo alheio completamente suado.

Puxara-o para mais perto, o virando de costas para si. Distribuía beijos pelos ombros quentes. As mãos grandes acariciavam o pênis sujo pelo pré-gozo.

-Yuta… Eu quero te ter dentro de mim…- suplicara.

O sorriso sardônico tomou conta do rosto do maior.

-Quer que eu te prepare?

-N-não… Só me fode logo…

E isso foi a deixa perfeita para puxar o corpo bonito para si, forçando o pau para dentro do outro.

-Ah… Tão apertadinho…- mordera o lábio inferior, estocando mais fundo. Os corpos se chocando deixava tudo ainda mais quente.

-M-mais…- antes de terminar a frase, sentira o seu ponto doce ser surrado com maestria, lhe arrancando um grito agudo.

-Uhn…

-Winnie… Geme mais para mim…

E assim fora feito. O chinês não poupava nos gemidos, chamando pelo nome do outro usando um timbre de voz deveras sexy.

-Anh… Eu estou quase lá…- avisara, sentindo pontadas em seu baixo ventre, mostrando o quão próximo o seu orgasmo estava.

Fora o suficiente somente mais quatro estocadas para que se desmontasse por inteiro no interior rosado do menor.

Saiu de dentro das nádegas que lhe encurralavam. Pegara o próprio pênis por entre os dedos. 

-Donggie… Vem aqui sentar em mim…

Com um sorriso de canto, o loiro o empurrou de encontro ao chão, sentando-se com força sobre o pau desperto.

As mãos experientes posicionaram-se na cintura magra, o ajudando a se movimentar. A próstata sendo surrada pelo membro grosso.

O chinês encontrava-se suado. Olhos fechados e boca entreaberta, procurando por mais oxigênio.

As pernas bambas circundavam o tronco do japonês, que apertava a sua cintura a ponto de os nódulos dos dedos tornarem-se esbranquiçados. 

Espalhava chupões do pescoço até o peito, vez ou outra brincando com os botões rosados dos mamilos, necessitados por atenção.

Os dentes mordendo o local com vontade, na intenção de fazê-lo  gozar.

Em uma tentativa falha de reprimir um gemido, Sicheng sujara o abdômen marcado do Nakamoto com sua porra.

Fora surpreendido ao visualizar a cena dos dedos longos indo aos lábios finos, chupando o líquido branco, com um sorriso ladino no rosto.

O de fios claros respirava fundo, encostando o rosto na curvatura do pescoço alheio, sentindo caricias sendo depositadas em suas costas.

As respirações descompassadas se misturavam. Os cabelos grudados na testa, devido ao suor.

Os peitos colados um ao outro, podendo ser possível sentir os corações retumbando de forma acelerada.

Os lábios finalmente se encontraram em um beijo banhado a  doçura e calmaria.

Fecharam os olhos, até que ouviram batidas na porta, seguido de uma voz abafada.

-Ei, Sicheng, você está aí? Por que fechou mais cedo? Abra a porta...


Notas Finais


Obrigada por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...