História Sweetness - Kim Taehyung - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 171
Palavras 1.707
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 39 - Controle


Fanfic / Fanfiction Sweetness - Kim Taehyung - Capítulo 39 - Controle

 

 

   Ele se aproximou e eu hesitei. Não sabia onde me esconder, e com certeza estava envergonhada. Desviei de Taehyung e fui em direção de minhas malas. Ele logo veio atrás de mim e me ajudou a levá-las até sua caminhonete.  Ah, a caminhonete... era outra coisa que eu sentia, e muita, falta. 

   Me sentei no banco do passageiro e relaxei, me familiarizando com o automóvel que eu tanto gostava. Observei Tae dar a volta e entrar no lugar do motorista. Ele deu partida na caminhonete e seguimos para nosso apartamento.

 

-Então quer dizer que o Sandro não sabia da aposta... interessante. -ok, ele havia começado o showzinho dele.

 

-É Simon. -retruquei, já enraivecida- E por que eu contaria? Eu ganhei mesmo. -dei de ombros e Taehyung soltou uma risada sem graça.

 

-Se você diz né, quem sou eu para discordar? -ele me olhou de canto e me toquei de algo.

  

    E se Taehyung tivesse ganhado a aposta? Eu teria que terminar com Simon e me jogar nos braços dele, sem contar que teria que parar com meu vicio de fumar. Mas, e se ele tivesse perdido? Bom, eu teria minha câmera mas não teria ele. Sou muito egoísta em estar de dedos cruzados para que ele tenha ganhado? Não consigo e nem quero imaginar ele transando com outra pessoa nesses seis meses, mesmo que eu tenha pedido para ele que fizesse isso. 

 

    Entramos no apartamento e meus seis meninos estavam lá, todos sorrindo. Os abracei fortemente, um por vez, deixando Kook por último. 

   Na vez dele me joguei em seus braços e fui acolhida por um Jungkook afoito e morto de saudades. Eu sentia falta dele no meu dia a dia, Jungkook era animado, fofo e carinhoso, sem contar que ele era parceiro para toda e qualquer coisa. 

 

-Princesa, que saudade de você. -ele me abraçou ainda mais apertado, e senti que iria chorar de felicidade.

 

-Eu também senti de você, Kook. Lembra da aposta que fiz com o Tae? Então, você cuidou para mim? 

 

-Cuidei Cass, quer que eu te fale tudo agora? -ele disse, se desfazendo do abraço.

 

-Não, me conte depois. 

 

   (...)

 

   Estávamos todos nos divertindo pra valer. Eu amava aqueles sete garotos, eles eram minha grande família. Sentados no chão ao redor de uma mesinha de centro, lá estávamos nós oito, jogando conversa fora enquanto comíamos pizza. Estava quase escurecendo quando todos foram embora, e novamente Taehyung estava lá, comigo, sozinhos.

   Dei um alto suspiro e me levantei do chão, pegando as caixas de pizza vazias e indo até a cozinha jogá-las fora. Taehyung começou a arrumar sala enquanto isso, enquanto cantarolava uma música que eu não conhecia. 

  Voltei para onde ele estava, e me sentei no sofá. Taehyung se sentou ao meu lado, e percebi que não podia mais fugir daquela conversa. 

 

-Jungkook não me falou ainda se você perdeu ou ganhou a aposta. -quebrei o silêncio e ele me encarou.

 

-E você quer que eu perca ou ganhe? -seu tom de voz era debochado, odiava isso nele.

 

-Essa não é a questão, Tae. -bufei e ele soltou um riso.

 

-Então qual é? Ah, já sei. Você gosta mesmo daquele cara? Me esqueceu tão rápido assim? 

 

-E-eu... -gaguejei, eu não sabia o que dizer.

 

    Não, eu não o esqueci. Simon era legal e bom de cama, eu gostava dele, mas Taehyung, era diferente. Sua voz me causava arrepios bons, seu jeito descontraído me fazia querer te-lo sempre por perto, o sexo com ele era... mágico. 

 

-Eu gosto do Simon. -falei baixo

 

-Hum. -ele apenas disse isso, logo se retirando do local. 

 

    Respirei fundo, tentando recuperar o ar que eu havia prendido após responder sua pergunta. Me levantei, indo à sua procura e o encontrei no nosso quarto, guardando umas coisas em cima da cama.

 

-Vai continuar dormindo aqui comigo ou vai morar com seu namorado? 

 

-Amigos em primeiro lugar. -recebi um olhar fulminante de Taehyung.

 

-Claro, amigos. -ele revirou os olhos e veio até mim, nossa aproximação era perigosa. -Me prove que você realmente gosta dele. -sentia sua respiração bater contra meu rosto de tão próximos que estávamos. -Eu vou ficar bem aqui, próximo de você, e se você gosta dele, você vai se controlar e não vai me beijar. -senti suas mãos em minha cintura e senti meu coração disparar, isso era covardia.

 

-Não acho que seja uma boa ideia. -engoli a seco e ele deu de ombros.

 

-Nada vai acontecer se você não quiser que aconteça. -ele sussurrou rente à meus lábios. 

    

    Assenti depressa, já sentindo minha respiração se descompassar. Taehyung vestia uma camisa, e começou a desabotoa-la lentamente, enquanto estávamos ainda próximos. Suas mãos abriam os botões com leveza, aquelas mãos que me apertavam sem dó nem piedade durante nosso sexo, e em seu rosto tinha um sorriso contendo pura malícia. 

  A camisa caiu no chão e minha sanidade também. O agarrei, sem pensar em nada, a não ser matar aquela saudade absurda. Colei nossos lábios num beijo afoito que foi retribuído da mesma maneira. Senti suas mãos apertarem com possessividade minha cintura, e as escorreguei por todo seu peito, parando elas em seu pescoço, afundando uma de minhas mãos em seus cabelos lisos. Parei imediatamente ao ouvir meu celular tocar no bolso de minha calça. Me afastei bruscamente de Taehyung e atendi, vendo que era Simon, pedindo se eu queria jantar com ele hoje. Respondi que sim e desliguei, encarando Taehyung, que tinha seus olhos presos a mim.

 

-É, você está errada. -ele cruzou os braços e soltou um sorriso encantador.

 

-Não, eu gosto dele. 

 

-Então por que me beijou? Eu não lembro de ter te roubado um beijo. 

 

-Foi por impulso e foi um erro.

 

-E você sentia falta desse erro e se seu namoradinho não ligasse, pararíamos na cama.

 

-Você é muito convencido, sabia? -cruzei os braços e arqueei uma sobrancelha.

 

-Sabia. -deu mais um sorriso.

 

-Vou tomar banho e me arrumar para sair com Simon, esqueça esse beijo Taehyung. -falei, rapidamente me afastando dele para pegar minha necessaire, contendo meus produtos para o banho.

 

-Claro, vou aproveitar para chamar sua irmã aqui e matarmos a saudade um do outro. -ele se escorou no batente da porta do quarto e me virei para ele, enfurecida.

 

-Eu mato vocês dois no mesmo segundo se isso acontecer.

 

-Está com ciúmes? -riu nasalado- Sabia que ela me chamou do apelido que só você me chama? 

 

-Tae? Sério? Eu vou matar ela, picar em cubinhos, fazer um ensopado e mandar para nossos pais como um presente. -gritei eufórica, sentia meu sangue ferver. 

 

-É, você está com ciúmes. -cruzou os braços e manteve seu sorriso convencido. 

 

-Eu não estou com ciúmes Taehyung! Grr -sentia minhas bochechas ficarem vermelhas de raiva, obviamente eu estava morrendo de ciúmes. 

 

-Minha doçura -ele se aproximou, pegando a necessaire de minhas mãos e a colocando na cama, para entrelaçar nossas duas mãos- Não precisa de ciúmes -continuou- Eu sou todo seu. -falou calmamente, me arrepiando.

 

    Meu coração batia aceleradamente, e sentia arrepios múltiplos só por ter nossas mãos entrelaçadas, isso não podia continuar assim. 

   Me afastei dele, pegando minha necessaire e correndo para o banheiro, me trancando lá para tomar um longo banho de água fria e acalmar o calor que eu sentia por te-lo tão perto.

 

(...)

 

    Simon estacionou o carro na garagem de seu prédio, e subimos até seu andar em silêncio. Simon era quieto na maior parte do tempo, mas eu sabia que dessa vez, seu silêncio significava algo a mais. 

   Entramos em seu apartamento e me joguei no sofá, vendo Simon tirar seus calçados e vir em minha direção, se sentando ao meu lado.

 

-Não gostei do seu amigo. -ele foi direto.

 

-Não tenho culpa, ele vai continuar sendo meu amigo.

 

-Você não vê que esse cara quer te comer? 

 

-Na verdade, ele já fez isso. -sussurrei para mim mesma e ele me olhou confuso.

 

-O que disse? Eu não ouvi. 

 

-Nada não. Olha Simon, não posso fazer nada se vocês dois não se deram bem. Taehyung é meu melhor amigo desde que éramos crianças e eu não quero perder a amizade dele.

 

-Parece que ele é mais importante que eu. 

 

-Ele é. -sussurrei outra vez, sabendo que ele não ouviria.

 

-Fala mais alto, eu não entendo quando sussurra. 

 

-Você não precisa entender. E outra, você me chamou aqui, só para me infernizar? 

 

-Não, quero te fazer uma proposta. Vem morar comigo? Estamos namorando há 4 meses, e eu não gosto de você morando com ele.

 

-Está muito cedo para isso, Simon. Eu nem mesmo sei se quero continuar com você. -me alterei, percebendo a burrada que eu havia dito.

 

   Simon arregalou os olhos e desviei o olhar, não sabendo o que fazer ou como agir.

 

-Casey, diz que me ama. -ele levantou do sofá e parou em minha frente- Vai, diz que me ama.

 

-E-eu... -gaguejei, eu não conseguia falar.

 

-Você nunca, nesses quatro longos meses respondeu às minhas declarações de amor para você, então responda agora. Se você quiser que a gente continue juntos, diga que você também me ama.

 

 -Eu... Eu não posso. -me levantei, o encarando de volta.

 

-Por que não? 

 

-Porque eu não amo você, Simon. -suspirei, baixando meu olhar.

 

-Então por que diabos está comigo? Por que sou bom de cama? -ele ironizou, e senti que iria explodir a qualquer minuto.

 

-Porque eu gosto do seu jeito, gosto de como me trata. Amar é uma palavra muito forte para agora, e você está apressando as coisas. E sobre o sexo, já provei melhores, e mesmo assim não estou reclamando. -alterei meu tom de voz, fixando meu olhar ao dele. 

 

-Se está tudo tão ruim assim, então por que não termina e volta pra aquele japonês debochado? 

 

-Taehyung é coreano seu idiota, e não toque mais no nome dele. Acabou Simon. -esbarrei em seu ombro e sai batendo porta.

 

    Ao sair do prédio pedi um táxi e liguei para Jungkook, dizendo que iria até a casa dele. Isso tudo aconteceu porque eu não conseguia tirar Taehyung da cabeça, porque era ele que eu amava. Eu pressentia que tudo iria por água abaixo quando eu o visse de novo, e foi exatamente isso que aconteceu. Por que você é assim Kim Taehyung? Por que eu amo tanto você


Notas Finais


Genteeee, vou começar outra fanfic. De que membro vocês querem que ela seja?

Boa leitura! Bjinhos 🍓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...