História Sweetness Love, interativa - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens E'Dawn, Hwasa, HyunA, Jinyoung, Lee Chaelin "CL", Lee Sunmi, Lou, Min Hyuk, Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Interativa, Interativa Kpop, Romance
Visualizações 42
Palavras 2.569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OLHA QUEM VOLTOU!!! Meu deus, fazia uma eternidade que eu não aparecia nessa fanfic maravilhosa que eu amo do fundo do meu coração. Antecipadamente, peço desculpas pela demora excessiva que eu tive para postar esse capítulo. Tinha prometido esse final de semana passado, mas não deu para postar. Como ninguém sabe (porque eu nunca falei nada kkk), eu estudo em tempo integral. Vou as seis da manhã para a escola e só volto aos seis e meia da noite. Isso gasta bastante da minha energia e paciência para escrever, por isso os capítulos só são escritos em finais de semana ou feriado. Esse daqui foi uma luta para postar esse dia, já que eu tive que dormir tarde nos dias passados para garantir ele hoje. Bom, deixando isso de lado, vou tentar seguir o meu cronograma de postagem, que aliás vou disponibilizar na descrição do meu perfil. Lá vocês podem ver direitinho os futuros projetos em que eu vou postar.

ANTES DE LEREM, FIQUEM AVISADOS QUE:
[0.1] Não aparecerá nenhum personagem do turno matutino (inclusive os meus), já que esse capítulo foca apenas no turno da noite, já que no capítulo de introdução, eles foram o que menos tiveram destaque.
[0.2] Aparecerá um novo personagem: Qiáng Keung Wei. Ele estava na lista de aceitos, mas por conta de uns probleminhas, só teve um início nesse capítulo. Vamos bater palmas para esse coelhinho que é a coisa mais fofa do mundo!
[0.3] Esse capítulo pode desencadear altos berros e ships que, infelizmente, não vão acontecer, já que não são pares.
[0.4] O capítulo não foi revisado e nem betado, já que eu queria postá-lo logo, então é chance de conter alguns erros.
[0.5] Fiquem com a leitura e não se esqueçam de ler as notas finais <3

Capítulo 3 - Beleza tem horário, ela se encontra nas noites mais escuras


― Estão todos aqui? ― Bom-ah perguntou em um tom alto o bastante para todos ouvirem. Eram exatas 17h00, ou seja, faltava apenas trinta minutos para a cafeteria abrir e iniciar o turno noturno.

Depois da inesperada ação da gerente, um período de dois dias tinha passado e os corações dos novos funcionários começou a bater em ansiedade, afinal, iriam poder finalmente “trabalhar”. Entre aspas já que aquele dia seria apenas um teste, onde iriam observar os funcionários veteranos trabalhando e os auxiliar quando necessário. Claro, mas isso não impedia de ficarem nervosos e temerosos.

Seo U-hwa, Bae Hyun-woo, Kim Donghyeon, Bang Cho-hee e Qiáng Keung Wei eram os aceitos e novos funcionários do turno da noite, sendo seis ao total.

Qiáng Keung Wei, por motivos desconhecidos pelos novos funcionários, tinha feito a entrevista dias antes deles, por isso o chinês já era um tanto familiarizado com os veteranos do turno, podia-se obviamente notar pela forma que ele conversava com Seojun. Não era como se ambos fossem amigos de muitos anos, mas pessoas que possuíam uma leve intimidade.

Como os novatos pouco conheciam os veteranos como Keung Wei, ficaram apenas conversando e falando entre si. Donghyeon e Hyun-woo trocavam palavras, já que se conheciam e até trocaram contatos no dia da entrevista, já Cho-hee e U-hwa, a primeira que aparentava ser tímida, agora desfrutava de uma conversa animadora e calorosa com U-hwa, já que ambos pareciam ter gostos bastante parecidos.

Bom-ah observava todos com atenção e sussurrava palavras desconexas, como se estivesse pensando alto ― mesmo que o alto não fosse o bastante para alguém ouvir. Ela esperava “pacientemente” Hyujin e sua bunda gorda para abrir o 7S.C, já que ele era o “cantor” ao vivo que tocava quase todos os dias no noturno. 

Ouvindo o sininho da porta principal tocar, a primeira coisa que ela fez não foi ir até lá e o receber, mas sim pegar uma caderneta onde anotavam-se encomendas, e com sua mira perfeita, atirar exatamente na cabeça do indivíduo que acabara de entrar no estabelecimento.

Olhares surpresos e um tanto medrosos enchiam Bom-ah.

Então é isso que Soo-young noona falou sobre quem chegar atrasado?, Hyun-woo pensou e engoliu seco, fazendo uma anotação mental de nunca, em hipótese alguma, chegar atrasado para o serviço.

Reclamações e gemidos dolorosos vieram do Im, no qual só foi socorrido por Seojun e Keung Wei, enquanto Nari olhava tudo aquilo com desdém. Ela claramente também reprovava o comportamento de Hyujin, dando a impressão de que se Bom-ah não o punisse, ela mesmo iria o fazer.

― Já que todos estamos aqui, vou começar explicando a vocês como devem se comportar e agir com os clientes ― A mais velha da sala ficou no centro, de modo que todos pudessem vê-la e ouví-la sem problemas ― Quero que saibam que o que eu mais prezo é o respeito. Sejam gentis e modestos com os clientes, ofereçam mesas de acordo com a quantidade de pessoas ― Apontou para as mesas, umas que possuíam mais cadeiras do que outras ― E não se esqueçam de dar o cardápio, perguntando educadamente o que o cliente vai querer. Como vocês são novos e não irão realmente atender os clientes, não é necessário que decorem o nosso cardápio, mas quando for amanhã, quero cada vírgula e ponto gravado na cabecinha de vocês ― Alguns não evitaram de engolir seco ― Por causa de um certo incômodo ― Claramente refere-se a Hyujin ― Não poderemos treinar adequadamente, mas muitos de vocês já são adultos responsáveis, por isso devem saber o mínimo, não é? Bom, agora vamos para as regrinhas básicas que todos devem saber. Primeiramente, se eu estou falando, vocês devem parar de falar e me ouvir. Caso tenham alguma pergunta, não hesitem em falar com Seojun ou Nana, não façam absolutamente nada sem ter certeza, estão ouvindo? ― Todos acenaram com a cabeça, obedientemente, e Hyun-woo não pode deixar de compará-la com uma professora rígida que apresentava um conteúdo novo e extremamente difícil, mas ele prestou atenção em cada palavra dita por ela. 

Quando todos foram para o vestiário trocarem de roupas, ficaram animados por finalmente conhecer os seus uniformes [1]. Ele era bonito e aparentava tornar qualquer pessoa mais elegante se o vestisse. O uniforme de ambos os sexos eram praticamente iguais, diferenciado por pequenos detalhes. Ele era composto por uma blusa social preta, e uma calça da mesma cor, seguinte de um avental marrom escuro que era prendido por uma fita preta.

No vestiário feminino, só se encontrava Nari e Cho-hee, já que a maior parte das meninas estavam no turno matutino. Pode-se dizer que a Bang estava com um pouco de medo da morena, mas isso não a impediu de tentar iniciar uma conversa.

― Nari noona, você trabalha aqui faz muito tempo? ― Ela tentou ser o mais educada possível para não irritar sua veterana, já que ela parecia ter um temperamento um tanto explosivo. 

Nari que estava pensativa, retirou o vestido vermelho que usava, ficando apenas com sua lingerie preta. Cho-hee não pode evitar não olhar, afinal o corpo escultural da Na não era uma visão que qualquer poderia usufruir. Sem pensar, a Bang também retirou toda a sua roupa e mostrou sua lingerie branca, diferentemente da de Nari, ela era simples e comum, já que seria embaraçoso para a acastanhada se despir na frente de suas veteranas com algo provocante. 

― Eu trabalho aqui desde que Bom criou o café.

Percebendo a intimidade que ela possuía com a sua gerente e o modo que ela citou seu nome sem usar um sufixo de respeito, era porque ambas eram próximas. 

― Você e a gerente são amigas? 

Diferente do esperado, Nari demorou um pouco para responder e deu-se para notar o tanto que ela ficou surpresa, mas logo acabou com o clima em uma risada um tanto seca.

― Não sei se somos mais amigas há muito. 

[...]

― Você malha? ― Keung Wei não era uma pessoa descarada, na verdade ele era bastante tímido, mas não pensou muito antes de observar o físico de Seojun. Quando percebeu o que tinha dito, seu rosto atingiu uma vermelhidão que fazia até mesmo o tomate ter inveja. ― D-Desculpe, hyung!

― Não, tudo bem ― Seojun respondeu docilmente ― Respondendo a sua pergunta, sim eu malho, mas com certeza não chego no nível do Hyun-ah ― As faces no vestiário ficaram ainda mais chocadas. U-hwa, Donghyeon e nem Hyun-woo possuíam um físico muito malhado, mas era de se impressionar o Kim dizer aquilo, pois na primeira e ― até agora ― última vez que viram o meio-britânico de perto, ele pareceu ser um rapaz magro e franzino ― Sei que é surpreende, pois já que ele usa muitas roupas largas, aparenta é estar com anorexia ― O moreno brincou, mas sabia que anorexia era uma doença séria e que deveria ser tratada com urgência, sobretudo foi a única palavra que pareceu adequada para descrever o loiro, já que ele aparentava ser MUITO magro, mesmo que não fosse o caso. ― Mas ele leva esse negócio de malhar muito a sério, por isso não exito em dizer que ele é um bombadinho.

Donghyeon, meticulosamente, olhou o abdome de seu veterano. Ele era deveras confiante da sua aparência e dificilmente sentia inveja de alguma coisa ou pessoa, mas não pode evitar de franzir a testa.

Humm…! ― Ele ouviu um leve gemido descontente e olhou na direção de Hyun-woo, que encarava, mesmo que disfarçadamente, o abdome de Seojun.

― Vão demorar ainda mais? ― Dessa vez, a voz que ouviram não pertencia a nenhum homem e sim a Nari, que estava prestes a abrir a porta se não fosse por Seojun, que conseguiu fechá-la a tempo, mas com certeza ela surpreendeu aos novatos com as seguintes palavras: ― Ei! Eu quero também analisar os corpos deles! Por que só a gerente tem que fazer isso?!

― Dá pra parar com essa perversidade? Eles são jovens inocentes que não merecem ser tocados por suas mãos recheadas de pura luxúria! ― Com a resposta ríspida do Kim, os quatro lá dentro não puderam evitar de se envergonhar e se apressarem para vestir o uniforme, enquanto uma batalha era travada por Nari e Seojun, um para conseguir abrir a porta e outro para fechá-la. 

[...]

― Sabia que o uniforme combinaria com vocês. ― A Park elogiou-os com um leve sorriso no rosto, os olhando como se fossem seus próprios filhos que tinha arrumado para um evento importante.

― Com licença, senhora Park ― U-hwa levantou a mão educadamente e pôs-se a perguntar uma dúvida que martelava a sua cabeça. ― Sinto muito se estiver sendo invasivo, mas os cozinheiros ainda não chegaram?

Seo U-hwa trouxe uma questão que os novatos queriam saber, afinal não tinham visto mais ninguém além de Bom-ah, Nari, Seojun e Hyujin. 

― Alguém falou sobre a minha ilustre pessoa? ― A porta atrás do balcão foi aberta por uma animada Sunhee e logo atrás, seu fiel acompanhante, Young-hoo.

Todos os novatos já tinham visto os três (Hyujin, Young-hoo e Sunhee), mas apenas sabiam que Hyujin era um “cantor” que cantava e tocava frequentemente em comemorações do café, e até dias comuns. Agora que reviam aqueles belos rostos, lembraram que não sabiam o que os dois últimos exerciam no 7Seasons Coffee. 

Com a inesperada entrada deles, após a pergunta de U-hwa, obviamente eles eram os cozinheiros da cafeteria. E mesmo atrás deles, outros quatro rostos desconhecidos apareciam, sendo três homens e uma mulher. 

― Olha, olha, olha, não é que todos foram mesmo aceitos? ― O Yoo tomou um tom brincalhão e saiu de trás da Park, indo em direção aos novatos. ― Naquele dia não nos apresentamos muito bem, porém me chamo Yoo Young-hoo, o cozinheiro-chefe do 7S.C. E essa é a Sunhee.

Depois das apresentações, todos começaram a arrumar as cadeiras, enquanto Bom-ah começou a ligar as máquinas e as luzes, além dos enfeites que a cafeteria possuía. Seojun conectou a caixa de música com a playlist costumeira do estabelecimento e Colors da Halsey começou a tocar. 

Minutos se passaram e finalmente o momento crucial tinha chegado: o horário de abrir o café. 

― Parece que minhas tripas vão sair pela a minha boca. ― As palavras de Hyun-woo foram direcionadas à Donghyeon, que estava mordiscando prazerosamente um croissant, mas assim que ouviu o Bae, ele quase cuspiu a comida para fora, após imaginar a cena nojenta dita.

― Eu estou comendo, sabe? ― O Kim disse rancoroso, mesmo que não tenha sido a intenção ser tão grosso com um pseudo-amigo como Hyun-woo, mas ele apenas riu em resposta.

Bang Cho-hee e Qiáng Keung Wei pareciam dois papagaios tagarelando, já que descobriram muitas coisas em comum e não pararam de falar até os primeiros clientes entrarem.

Eram três homens de terno, e ao que pareciam, discutiam sobre coisas relacionadas a empresas. Nari saiu de trás do balcão e foi direcioná-los a uma mesa de três pessoas, onde caberia os homens perfeitamente. 

Os funcionários que estavam dispersos automaticamente endireitaram a postura e passaram-se a ficar mais sérios e atentos com as pessoas que entravam na cafeteria. Falando nelas, pouquíssimos minutos após a entrada dos homens, duas amigas adentraram no 7S.C e ficaram aguardando na entrada algum garçom vir atendê-las.

Hyun-woo foi levemente olhado por Nari que anotava os pedidos dos homens, e entendeu na hora que ele devia atendê-las.

Com o coração na mão e um “fighting” dado por Cho-hee, ele arrumou levemente o uniforme e foi cumprimentar as duas moças gentilmente, que ficaram impressionadas pela voz profunda e aparência dócil do garoto.

― Boa noite, senhoritas. Podem me acompanhar, por favor? ― Hyun-woo as deu um tom gentil e envergonhado, mas elas de repente ficaram bastante animadas e o seguiram obedientemente. Quando chegou em uma mesa de duas cadeiras, ele esperou que ambas sentassem para anotar seus pedidos. ― O que irão querer?

Ele ouviu um pequeno sussurro da menina à sua esquerda e não pode deixar de ficar um tanto irritado, afinal ele não estava ali para brincar e sim trabalhar. As palavras que saíram da boca da menina foram: “Seu número de telefone.”

― Humm… O que você acha, Yejin-ah? ― A garota da direita perguntou para a da esquerda, que se nomeara Yejin ― Tem tantas opções… ― Ela olhou para Hyun-woo e sorriu. ― Ei, oppa, o que você recomendaria para nós?

Nessa hora um “click” ecoou pela mente do Bae, ele não tinha provado nenhum lanche do café ainda para recomendar as duas meninas.

― Com licença, por favor ― A voz doce de U-hwa preencheu seus ouvidos de alegria. Ele vinha socorrê-lo ― Seojun hyung está te chamando ― O Seo claramente mentiu, já que Seojun estava com cara de quem jogava Truco atrás do computador do caixa, mas Hyun-woo saiu na hora e deixou nas mãos do loiro ― Perdoem o transtorno, senhoritas ― Ele se desculpou educadamente e colocou-se a dar cada informação dos pedidos, já que no tempo livre, memorizou a maior parte. ― “Os especiais da temporada” são lanches e bebidas planejados especialmente para cada estação do ano. Como estamos no verão, temos uma grande variedade de bebidas geladas e sobremesas refrescantes.

Bae Hyun-woo voltou ao balcão e ficou um tanto chateado consigo mesmo, sobretudo o olhar aconchegante que ganhou de Nari o fez dar um leve sorriso. 

Pouco a pouco, cada um atendeu seus clientes e a cafeteria começou a lotar. Donghyeon manteve-se o mais sério possível quando mulheres mais velhas, porém ainda bonitas, começaram a falar de sua aparência como se ele não estivesse bem ali. Cho-hee tinha feito questão de entregar os pedidos das abusadas para não provocarem mais o Kim mais novo.

Os novatos também conheceram um lado afetuoso e protetor de Nari para com eles, tanto que nas vezes em que cometiam pequenos erros e deslizes ― alguns por pouco não choraram, com medo por terem cometido leves enganos, vulgo Keung Wei ―, ela sempre os tratava com ternura e falava palavras encorajadoras.

Quando deu 21h30, alguns só faltaram dar pulos de felicidade. Sabiam que nada seria fácil, mas também não imaginavam que seriam tão difícil.

― Minhas bochechas estão doendo de tanto sorrir. ― Um Keung Wei indignado exclamou para Cho-hee, que apenas pode massagear a musculatura facial do recém amigo.  

― Você se acostuma. ― Seojun falou.

Após fecharem tudo e trocarem de roupas, todos saíram pela entrada principal e se prepararam para se despedirem uns dos outros e irem em direção ao metrô, sobretudo, antes dos novatos poderem ir, Bom-ah ofereceu carona no seu SUV vermelho, já que Nari e Seojun estavam de moto.

As duas mulheres foram na frente enquanto U-hwa, Keung Wei, Hyun-woo e Donghyeon foram atrás confortavelmente, já que o carro era grande e espaçoso.

― Então… ― Bom-ah iniciou um diálogo. ― Como foi a primeira experiência traumática do trabalho? 

― Sorrir demais, firmemente. ― Keung Wei respondeu, ainda massageando as bochechas.

― Receber flertes descaradamente? ― Donghyeon e Hyun-woo falaram ao mesmo tempo.

― Trocar de uniforme sozinha com a Nari unnie, com toda a certeza. ― Cho-hee respondeu confiante e não pode deixar de ficar vermelha ao perceber o que tinha dito, fazendo os meninos atrás também ficarem com as orelhas e o pescoço avermelhado, enquanto Bom-ah apenas ria discretamente. 


Notas Finais


GOSTARAM?! Espero que sim! Não se esqueçam de comentar e me dizer o que acharam, anjos. Aliás, se eu estiver interpretando mal o seu personagem, por favor me avise. Como são muitos e minha memória é péssima, não consigo memorizar muito bem suas personalidades e fico com uma aba aberta na ficha deles, e posso confundir e trocar algumas personalidades.
Gente, caso tenham quaisquer dúvidas, podem me perguntar, tanto nos comentários, na timeline ou por MP. Estarei sempre disposta a respondê-los <3 Para os que têm personagens do turno da manhã, não se preocupem, o próximo capítulo focará totalmente neles.

Uniforme [1]: https://imgur.com/109TbAH


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...