1. Spirit Fanfics >
  2. Swim >
  3. Oneshot

História Swim - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Oneshot


STEVE

Nossas bocas se encontram em um beijo macio e dolorosamente lento. Não é o suficiente. Eu vou parar em breve, a qualquer segundo agora, mas ainda não. Não até que ele me dê mais. 

Gemendo, ele me empurra contra seu peito e eu posso sentir seu físico musculoso sobre o meu. Billy fodo sua boca com minha língua, da mesma maneira que quer foder com seu pau. Profundo, com uma fome que deixa ambos sem fôlego. 

Quando nos separamos, estou ofegante, como um corredor que correu três maratonas sem parar. Billy juntou nossas testas uma na outra e sinto seu aperto atrás de meu pescoço, ele solta um longo suspiro e depois sorrir. 

"Harrington, que bicho te mordeu hoje?", ele perguntou. 

Eu rir. Sim, quem era eu? O Steve Harrington "popular" nunca iria fazer isso de repente; puxar o cara mais babaca e bad boy para um canto deserto do ginásio e o beijar até as pernas ficarem bambas. Rocei nossos lábios em busca de mais um pouco de contato.

"Stevie…", diz ele, a voz dele é como cascalho. Rouca e severa, quase como se estivesse me dando um aviso. 

Sorrir. 

Ele também estava perdendo o controle. 

"Você quer sair daqui?", perguntei encarando-o. 

Seus olhos azuis gelados me encaravam. 

"O que tem em mente Harrington?"

"Meus pais saíram para uma viagem fora da cidade, sabe? E como é verão… nós podemos ir tomar um banho de piscina.", sugerir, dando de ombros. 

Billy se afastou "Tá falando sério?", ele pergunta. 

"Sim, por que não?" sorrir "É verão, não é? E além do mais… eu vou ter aula com uma professora muito chata!" 

Billy instala sua língua no céu da boca, tão sexy. Ele passou a mão em seus fios dourados e o vejo assentir com a cabeça. 

"Você trouxe seu carro?", ele perguntou e eu neguei, "Então vamos no meu."

[···]

Depois de burlar a segurança do Colégio, conseguimos ir até o estacionamento. Billy catou pneu com sua máquina e não demorou muito para estarmos em minha casa, nós fomos direito para a casa de hóspedes - Assim teríamos mais privacidade e os empregados não iriam nós atrapalhar. Quando saímos de dentro do carro, não pude deixar de reparar em como Billy se mostrou surpreso ao ver a casa. 

Ele assobiou e então disse, "Bela casa…". 

Não sei se posso chamar bem esse lugar de casa, mesmo sendo a de hóspedes. 

"Valeu," murmurro batendo levemente no capô de seu carro, "Quer entrar?" perguntei. 

"Claro."

Pegamos nossas mochilas e adentramos a casa. Por sorte, a faxineira somente vem a esta casa uma vez por semana, para ser mais específico, todas as quartas-feiras. Hoje era apenas segunda e eu agradeço a Deus por ser segunda hoje, sem ninguém para nos atrapalhar. 

"Vamos deixar as mochilas na sala, a piscina é logo ali…", apontei para uma porta que dava aos fundos da segunda casa pela cozinha "Eu vou pegar algumas bebidas para a gente."

 Billy assentiu, deixou sua mochila na sala de estar em cima de um dos sofás e saiu pela porta que dava aos fundos. Eu conseguir o ver pela janela da cozinha, o cretino do Hargrove já estava tirando suas roupas e ficando apenas nu. E eu não pude desviar seus olhos de sua bunda bronzeada e grande. Ele deu um salto dentro da piscina e nadou até o outro lado, foi neste momento que eu consegui desviar minha visão de seu corpo esculpido por deuses. 

Resolvi subir rapidamente até o segundo andar da casa e pegar duas de minhas cuecas samba canção, visto a minha e guardo a outra para Billy usar. Descendo as escadas vou até a cozinha e pego algumas latinhas de cerveja no pequeno freezer que meu pai costuma colocar todo fim de semana. 

Segui meu caminho em direção a piscina, no momento em que chego na borda, Billy estava nadando borboleta em minha direção. 

"Que tal começar vestindo algo?", perguntei assim que o Hargrove parou em minha frente, ele sorriu como um demônio sexy e secou seus cabelos balançando-os como um cachorro molhado. Eu lhe entreguei a cueca samba canção e o vejo fazer uma careta descontente, "Que foi?". 

"Acha que essa sua cueca vai caber em mim? Quero dizer, eu sou um cara bem grande  Harrington.", ele diz simplesmente. 

Eu corei. 

"Billy você é um idiota às vezes, sabia disso?", disse eu.

Ele saiu da piscina e logo vestiu a cueca "É, e você parece gostar desse meu jeito". 

Ele estava certo. Eu gostava. Não só gostar, como amava quando ele agia assim, sempre com segundas intenções nas palavras. Isso me deixava excitado demais. 

"Cerveja?", perguntei mudando de assunto. Ele assentiu e eu joguei a latinha em sua mão. 

Eu tento olhar para ele pela primeira vez desde que estamos sentados na borda da piscina e vestidos. Billy bebericava de sua cerveja enquanto a minha continuava cheia na latinha. 

"Você esteve com a Nancy sexta a noite?", ele pergunta, quebrando o silêncio e me deixando surpreso. 

Sexta a noite? Eu tento pensar sobre sexta e com quem estava. Sim, eu estava com ela. 

"Sim…?", respondi. 

"Vocês ficaram?"

"Não!", eu disse rapidamente. 

Billy riu, "Olha tudo bem ficar com ela, nosso negócio não é tão sério assim Harrington."

Algo errado se agita em meu estômago com a ideia de Billy. Nosso caso não era sério mesmo, ficamos de vez em quando, batemos uma para o outro de vez em quando também… mas nada algo tão sério. Mas mesmo quando ele me disse uma noite que gostava de caras também, eu fiquei confuso, mas resolvi experimentar - secretamente - com Billy. Esse nosso "lance" está rolando já faz três meses, nesse tempo inteiro, eu deixei de sair e ficar com Nancy.

Parecia que tudo o que eu sentia ao beijar ela não parecia real o suficiente com o que sinto quando beijo Billy. Ela é uma garota bonita, só não faz muito meu tipo ideal de parceiro… Billy por outro lado. 

"E aí, vocês ficaram?", ele pergunta novamente. 

"Não.", suspirei, temendo se ele iria acreditar em mim ou não. 

Ele me olha, parecendo buscar a verdade em meus olhos. Eu estava dizendo a verdade, eu não fiquei com Nancy, não fico com ela desde quando nós dois começamos a ter nosso "lance secreto".

A expressão dele é tão poderosa que me deixa estático no local, "Tá." ele diz e então sorrir "Acredito em você."

Fiquei em silêncio, não sabia o que responder, Billy já havia terminado a sua cerveja e eu ainda me encontrava na primeira. Ele abriu outra latinha e voltou a beber, continuamos assim até eu resolver quebrar o maldito silêncio entre nós, lhe perguntei como andava as coisas com a Max – sua irmã –, Billy deu de ombros e mudou de assunto, disse que estava indo bem nas aulas – as que ele não decidia faltar. Enquanto ele falava, meus olhos se fixaram em seus lábios, eles se puxaram em um sorriso de lado e eu olho em seus olhos. 

"Escutou o que eu disse?", ele pergunta. 

Tomo um gole profundo da minha cerveja. Que se dane. 

"Não."

Billy abre sua boca, ele não disse nada, porque eu estou quebrando minha boca contra a dele. Eu avanço e coloco minhas pernas em torno de sua cintura, céus, Billy começa a profunda o beijo enquanto correr seus dedos em meu cabelo. Solto um gemido contra seus lábios, e Billy aperta sua mão, puxando meu cabelo. Sinto o volume entre as suas pernas, e isto me faz querer rebolar em seu colo. 

Com um gemido torturado, ele nós separar. Sua respiração está ofegante e a minha também, "Porra Stevie," sua voz está rouca com emoção "Se continuar rebolando assim, eu não vou conseguir me segurar."

Eu rir segurando em seu rosto "Se segurar?" perguntei "Quem disse que eu quero isso?" 

BILLY

Eu sou um cara forte. Eu sou um cara durão.

Quem eu quero enganar? Eu não fui construído para suportar a visão e sensação de ter Steve Harrington rebolando em meu colo. Agora, sua bunda está bem em cima de meu pau, rebolando, provocando-me. 

Soltei um rosnado de aviso "Stevie."

"Eu quero isso Billy. Apenas me dê." ele disse. 

Essa palavra é suficiente para me fazer perder totalmente o controle, eu já havia perdi as contas de quantas vezes precisei me segurar na presença de Harrington, acho que posso segurar mais um pouco… tortura-lo também. 

"O que você quer?" Pergunto-lhe. E eu preciso que ele seja mais específico. Este é um jogo muito perigoso que estamos jogando.

"Você sabe o que quero…" ele diz, e eu sei que ele está com vergonha de dizer. Afinal, eu seria o seu primeiro. 

Dei de ombros "Talvez, mas eu quero ver você pedir Harrington."

Steve para por um momento, o rosto vermelho como a de um morango. Um morango suculento. 

"Billy boy…" 

"Hm"

Ele grudou seus lábios em minha orelha e sussurrou rouco "Eu quero muito que você me masturbe. Pode fazer isso? Pode realizar esse meu desejo?"

Eu ouvi um suspiro e percebo que veio de mim.

E então? Os sorrisos de Harrington. 

Isso me desperta e eu já não sou mais o mesmo Billy de antes. É um milagre que eu seja capaz de responder com uma voz quase normal "Coloca ele para fora."

Steve rapidamente obedeceu à minha ordem e ele coloca seu pau para fora, deslizo minha mão entre nossos corpos e seguro ambos os nossos paus na minha mão.

A coluna do Steve arqueia em um gemido rouco. 

"Oh, merda."

Eu fodo-nos lentamente, apertando a cada movimento ascendente. Sua boca encontra a minha novamente. Ele vira a cabeça para aprofundar o beijo, sua língua mágica passa entre meus lábios novamente, com fome e ansiosa. Não acredito que estamos fazendo isso. Não acredito que ele me deixou fazer isso.

Estamos ambos vazando, tornando muito fácil para meu punho deslizar sobre nossos paus duros. Minhas bolas estão pesadas, formigando com a necessidade de liberação. E em mais alguns movimentos, provavelmente vou explodir, mas Steve não deixa que isso aconteça.

Ele foge do meu aperto e se levanta, meu pau se ergue e estapeia meu umbigo, e ele geme com a 

visão disso. 

"Espere um pouco." ele disse e logo em seguida entra na piscina, Steve nada em minha direção e fica entre minhas pernas, antes de envolver os dedos em torno do meu eixo. 

Eu puxei todo o ar, quase perdendo a cabeça quando a língua dele me toca. Cada polegada de mim está quente, apertado, picando-me com a necessidade. Ele lambe um círculo lento em torno de minha ponta e, em seguida, beija o seu caminho ao longo do meu eixo. Ele está beijando meu pau, eu vejo uma luz, ele abre boca e suas carícias explodem minha cabeça. Puta merda. 

"Harrington está tentando me deixar louco?" Eu rosno depois que ele beija outro caminho até meu pau. Sua risada vibra através de mim.

"Está funcionando?"

"Sim". Eu deslizo as mãos pelo seu cabelo, segurando a cabeça dele.

Ele suga, me levando mais profundo neste momento, meu pau pulsa incontrolavelmente. Ele deve sentir isso em sua língua porque ele geme alto, desesperadamente. Ele levanta a cabeça, sua expressão é nebulosa com luxúria, 

nublada com confusão.

" Quer ir pro meu quarto?" Steve pergunta.

Alegria surge através de mim.

"Claro!"




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...