1. Spirit Fanfics >
  2. Sword dance >
  3. O começo...

História Sword dance - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá leitores! espero que se divertem com a minha história!

Ps:as letras em negrito são as palavras de Demon e as letras em itálico são pensamentos

Capítulo 1 - O começo...


A beleza da floresta, ela simplesmente me intriga pelo fato de ser incrivelmente belíssima. Ela é uma casa, um refúgio para os seres vivos...
Imagino também quem criou as florestas Deuses? Demônios? Ou até mesmo um mortal?


Uma borboleta azul aparece me tirando de meus pensamentos, ela pousa em cima de minha espada que está ao meu lado, estico meu braço para que ela pouse sobre minha mão, mas ela voa suavemente de volta para a floresta.
 

Me levanto, pego minha espada e coloco na bainha.
Não posso ficar perdendo tempo com esse tipo de coisa tenho que achar boatos de pessoas trazendo os mortos de volta à vida... 

 

Vou até a vila mais próxima.


Vou em direção ao caminho principal, fico caminhando por um tempo. Avisto um esquadrão de homens que parecem ser...aventureiros eu acho, eles me olhavam com caras sérias… Coloco meu capuz escondendo a aparência. Eles talvez estejam a 3m de mim, continuo a caminhar naturalmente e escuto um deles cochichando, mesmo estando distante deles.

- ela vai ser um bom brinquedinho para nós hoje - diz um deles com tom de malícia

Me espanto quando ele diz isso, abaixo a cabeça e continuo seguindo a estrada principal, infelizmente cada vez mais perto deles e começam a andar em minha direção.
Começo a tremer e a soar... Eu simplesmente não sei o que fazer, seguro minha espada sem que eles possam ver. O homem que tinha falado veio até mim e disse:

 

– Olá docinho… que tal você brincar com a gente? - diz  enquanto agarra minha cintura

 

– Me solta! - grito e empurro ele

 

Os outros homens me seguraram limitando meus movimentos.

 

Droga não sei o que fazer e eu não quero machucar eles, mas… eles iram me machucar também… não tenho escolha.

 

Recito a magia em pensamento: "Pelos deuses,pelas forças da natureza, eu te ordeno que ataque meus inimigos!"  Ra ed Oslupim!

 

Causando um grande impulso de ar, joga os homens para longe de mim. Então retiro minha espada da bainha e ficando em posição de ataque

 

O homem que estava falando dá uma risada e diz:

 

– Você vai se arrepender de ter feito isso!

 

Ele retira um machado de duas mãos da costas e avança rapidamente em minha direção em posição de ataque.

 

Me esquivo rapidamente para o lado evitando o ataque.

 

Ele estica a mão e de repente aparece mãos de rocha segurando meus pés impedindo de me mover.

 

– Não é só você que sabe usar magia  - diz e solta uma risada enquanto guarda o machado de volta

 

– Por favor me solta! - falo enquanto tento usar magia para levantar as rochas mais falho Que droga!

 

– Eu disse que ia brincar como você, então cala a boca e fica quieta - diz com tom malicioso 

 

Em seguida ele passa a língua dele em meu pescoço, a sensação da sua respiração ofegante é horrível…

 

– Agora fica quieta para podermos brincar  - diz enquanto tira a calça, se aproxima de mim e solta uma risada maliciosa 

 

– POR FAVOR NÃO!!! - grito bem alto Não faça isso por favor!

 

Escutei uma voz na minha cabeça dizendo: “Me deixe assumir agora” a voz era parecida com a minha só que meio distorcida, eu não sei o que ela quis dizer mas… se puder fazer alguma coisa faça! Por favor

 

Que humano patético! - falo com tom de deboche mas o que? Eu falei isso? É como se alguém tivesse controlado meu corpo, Não consigo me mover ou falar

 

– o que? Seu cabelo mudou a cor? Que estranho… Achei que você era medrosa mas talvez esteja só fingindo - solta uma risada de deboche e diz com o mesmo tom

 

aquela garota? Ela só não está preparada para esse mundinho - solta uma risada e diz com um tom calmo enquanto se solta dos “braços de pedra” Ei.. para de contar mentiras… Mas como ela sou eu… quer dizer… E-u…

 

– Mas o que?! Eu disse fique quieta! - Diz enquanto avança em minha direção segurando seu machado

 

sinto meu corpo se esquivando rapidamente em seguida espontaneamente uso a espada para se defender, causando uma colisão de “espadas” e soltando faíscas.

 

– Quem diria que teria uma luta de verdade com uma mulher… Que patético - diz com tom de deboche

 

Sinto meu corpo recuar para trás

 

Sinta o fogo do inferno!! - digo enquanto aponto a mão para ele então uma chama negra o consome, seu corpo pega fogo completamente. Mas que poder é esse?

 

Ele agoniza de dor por causa do fogo e vem a falecer.

 

Os outros homens aparecem segurando espadas e um deles diz:

 

– CHEFE! O QUE VOCÊ FEZ COM ELE?! - diz com tom de espanto

 

Suas armas são jogadas no chão por algum tipo de magia digo:

 

O que foi? está com medo?!  - digo e rio com tom de deboche. Não precisava ter falado isso…

 

– Você é louca! - gritam enquanto corram para longe de mim

 

Um deles é puxado pelo mesmo tipo de magia fazendo ele cair e com um simples estalar de dedos, a espada vai em direção a ele e dá uma saraivada de cortes.

 

Mas… porque você fez isso? Eles não fariam nada comigo. Não importa, ele deve morrer. me deixe voltar ao normal.

 

Sinto meu corpo como se tivesse voltado ao normal mas ainda tenho ela na minha cabeça, dou leves tapas no meu rosto e me apoio numa árvore próxima… 

 

Olho para o corpo carbonizado com cara de espanto. Ela realmente queimou ele até a morte, na verdade eu fiz isso… eu deixa ela assumir, Eu… matei eles… é culpa minha, sou uma assassina! Desculpa! Me desculpa… nunca mais irei manter alguém, nunca.

Escuto um barulho de uma flor da noite, elas começam a desabrochar quando o pôr do sol está prestes a começar. Olho para trás e vejo o lindo pôr do sol acontecer, é melhor eu encontrar um lugar para passar a noite em alguma vila próxima.

 

Depois de algum tempo caminhando avisto uma placa dizendo: “ Vila Riverwood a 70 pés” Espero que tenha algum hotel…

 

Finalmente chego em Riverwood ela tem uma taverna e algumas casas em volta. Vou tomar alguma coisa na taverna, chego perto do dela e pela janela vejo vários homens bêbedos conversando e cantando, abro a porta fazendo tudo pararam de conversar e ficar os olhares em mim mas logo em seguida me ignoram por completo.

 

Chego perto do balcão e me apoio de lado dele, olho para o barman, ele diz:

 

– O quê deseja senhorita? - diz enquanto faz movimentos circulares com um pano no balcão

 

– É… você tem alguma bebida que não seja com álcool? Melhor eu não beber…

 

– Eu posso preparar um chá… você quer?

 

– Eu quero, de hortelã por favor 

 

Um cara que estava sentado ao meu lado olha para mim e diz: 

 

– Então gatinha, você não é daqui né? - diz com tom de deboche

 

Ele tinha mais ou menos dois metros, cabelo loiro longo liso, barba mal feita e usava um sobretudo marrom, uma calça preta, sapato de ponta fina e uma pele de animal no pescoço. Na minha mente veio a cena de antes na floresta me causando um pouco de medo fazendo um tremer, vai ignorar ele? Que maldade... você ainda tá aí? Achei que tinha saído da minha cabeça. Ele ainda estava olhando para mim com cara de malícia então digo:

 

– É… não… só… es-tou de passagem… - digo tremendo e corada

 

– Por que não deixa a garota em paz? - diz o barman com tom de autoridade

 

– Tsc! Eu fiz uma pergunta, vai se ferrar - diz enquanto sai de perto do balcão e vai em direção a porta principal

 

Olho para o barman, ele usa um terno preto com uma gravata borboleta azul e cabelo preto esbranquiçado curto com um bigode médio, melhor eu agradecer.

 

– Obrigada… - digo num tom de alívio 

 

– Tudo bem, aqui está o seu chá - diz o barman enquanto coloca um copo de chá em cima do balcão na minha sempre

 

O copo ele parece bem velho, é feito provavelmente de barro ou talvez argila. Pego o copo com as duas mãos e levou para perto de minha boca e assopro em seguida bebo um pouco. Será que o barman sabe de algum boato de ressuscitação? Pergunta para ele então..

 

– O senhor sabe de algum boato recente? 

 

– Bom… algumas horas atrás um senhor desesperado chegou e falou de uma garota de cabelos brancos, que matou o chefe dele. Então os cavaleiros aqui apelidaram de a Espadachim Branca, esse é o boato mais recente por aqui

 

Quem diria que eu me tornei tão famosa rapidamente  O meu homicídio… se tornou famoso mas… eu matei eles.. ai! para de se culpar, fui eu que fiz isso mas eu te deixei você me assumir você ia morrer, então esquece isso…

 

– você ouviu alguma coisa sobre ressuscitação? - pergunto para ele

 

– que eu me lembro não… - ele responde com tom neutro

 

Olho para o lado vejo um homem vestindo uma túnica longa roxa escura acompanhado de uma toca escondendo sua aparência e aparenta ter 21 anos por conto de sua altura. Ele olha para mim de cima baixo e diz:

 

- Você é deste reino senhorita? Parece ser de Kanto com essas vestimentas… - diz com uma voz serena

- Sou de Kalus… se-nhor… - digo com tom de timidez  Estranho, minhas roupas são normais e sempre usei meu vestido rosa e branco meio curto com essa capa com touca marrom e meia calça branca, com botas pretas… Você me lembra daquela história da Chapeuzinho Vermelho...

 

- Ah, me desculpe... - diz e ri com uma risada sem graça

 

- Você ouviu algum boato recentemente - digo com tom de serenidade Ele se parece com meu pai, o modo de falar, agir. Acho que ele não vai me machucar Porque sempre você quer saber sobre ressuscitação? Depois eu explico… 

 

-  Sim, sobre uma caverna que você pode falar com os mortos ou coisa do tipo, disseram que tem algum tipo de entidade sagrada lá dentro

 

- Muito obrigado pela informação… Finalmente! espero que isso seja verdade

 

- De nada, fica aqui perto, é só seguir em frente então você vai ver os caminhos e escolher da esquerda, a primeira caverna que ver vai ser… 

 

- Obrigado mesmo - agradeço o homem

 

Olho para o barman e digo:

 

– Você teria algum quarto para alugar?

 

- Temos sim, o livre é o quarto 2 no segundo andar… - diz enquanto aponta para as escadas que levam para o segundo andar

 

- Ok - digo enquanto levanto e vou em direção ao quarto

 

Entro no quarto ele é pequeno tem uma cama pequena, gaveta e uma pia pequena acompanhada de um espelho. Retiro minha mochila e coloco em cima da gaveta, tiro minhas botas e deito sobre a cama. Melhor eu dormir um pouco para ir cedo amanhã, então dormo… No meio da noite tenho uma pesadelo com aquele dia trágico, eu era criança e estava na sala com minha família conversando,  estava sentada ao lado de minha mãe no sofá e então meu pai diz

 

- O que vamos fazer no aniversário dessa fofura aqui… - diz enquanto faz carinho na cabelo de minha irmã Lena

 

- hehe! Eu quelo um bolo gandão - diz com tom animado e alegre

 

- É claro que você vai ter filhota - diz minha mãe com tom sereno

 

- E eu vou ajudar, Né Lena? - digo com tom animado Eu vou comprar uma boneca bem bonita para ela

 

- Sim! - diz enquanto pula em cima de mim e rindo

 

De repente alguém chuta a porta fazendo ela cair e minha mãe diz pra mim

- Se esconde com a sua irmã agora! - diz com tom de autoridade

 

- Mas mãe, o que acontecendo? Quem são eles? - diz enquanto minha mãe me coloca no armário junto Lena.

 

- Agora não! - diz enquanto fecha o armário

 

- O que tá acontecendo Emilly? - diz com tom de medo

 

- Calma Lena… Vai ficar tudo bem

 

Dois homens entram trajando capas com toucas, um deles saca uma espada e realiza um corte na cabeça do meu pai causando morte instantânea, sinto uma dor horrível no meu peito, fico revendo aquela cena na cabeça. Então a Lena começa a gritar e chorar fazendo um deles escutar a gente, ele nos tira do armário, agarra a Lena e quebra o pescoço dela, levanto do chão e digo:

 

- Não!!! Por favor não!!! - digo gritando e chorando

 

MInha mãe tenta reagir e levantar, mas ele facilmente a agarra e enforca ela. Então tudo ao meu redor começa a flutuar, sinto a sensação estranha no corpo, como se existisse um vazio no meu coração, e esse buraco cresce mais e mais 

 

- Não!!! - diz enquanto eles são empurrados por algum tipo de vibração no ar e voam pela janela caindo num penhasco perto de casa

 

Acordo assustada e suando com respiração ofegante. O que? Um pesadelo? Melhor eu esquecer isso. Levanto da cama e vou até o espelho, me vejo pelo o espelho minha aparência, cabelos longos lisos negros até o começo das costas, olhos azuis oceano e minha cara limpa passando uma visão de inocência. Vejo pela janela que já amanheceu, calço minhas botas e a mochila nas costas, abro a porta e vou até o balcão em seguida digo ao barman:

 

- Bom dia, quanto deu o quarto e o chá? - digo enquanto tiro minha mochila das costas para procurar moedas

 

- Humm… são 7 moedas de bronze

 

Pego da Mochila 7 moedas e coloco as moedas sobre o balcão e digo:

 

- Prontinho… - digo com tom de serenidade 

 

Saio do bar e sigo a estrada principal calmamente, Garota não queria dizer isso mas.. Sinto muito pelo seu pai e sua irmã. ah.. você viu, tudo bem, aliás como você “entrou” em mim? Não sei, mas quando um demônio é selado em alguém ele perde a memória de como foi selado e sim eu sou um demônio. Sério?! Nossa.. Você pelos menos o seu nome?  Infelizmente não lembro Entendo… Posso te chamar de Demon? Me chama do que você quiser garota, aliás… me explica esse negócio de Kalus Ah sim! antigamente teve uma guerra entre demônios e anjos, com a guerra os humanos tiveram que fugir dela e então dividiram os mundos em três reinos, o mais rico era Unova, o intermediário era Kantos e o por fim Kalus o mais pobre, é o reino que estamos Entendo… Essa guerra eu não quis participar, achava uma perda de tempo, se não me engano foi nessa que criou o Selo angelical né? Sim sim! ele foi feito para nenhum demônio ser capaz de entrar no mundo dos human- espera… se você é um demônio como você está aqui? Verdade… isso não faz sentido… o selo tinha alguma falha? Acho que não, porque se não teriam invadido a muito tempo Aqui neste reino tem biblioteca que fale sobre o selo? Sim, no reino de Unova deve ter, depois da caverna vamos verificar… 

 

Depois de 2 minutos caminhando chego a caverna, tinha uma enorme entrada com caveiras enfiadas em lanças, problemas? Talvez... mas parece ser velho, nem deve ter gente aqui. Adentro na caverna, enquanto caminhamos nela encontro alguns corpos que parecem ser recentes, com cortes pelo corpo todo é vamos ter problemas. 

 


Notas Finais


Me digam a sua opinião nos comentários :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...