1. Spirit Fanfics >
  2. Sword dance >
  3. Demônio sem chifres...

História Sword dance - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem :3

Capítulo 4 - Demônio sem chifres...


Nem sempre o que procuramos é o que precisamos…


Cerca de dez dias se passaram, Charles tinha se recuperado totalmente do confronto com o ogro. Estava na metade do dia, ensolarado por um lindo sol e uma brisa refrescante. Nós estávamos no quarto do hotel de Riverwood, Charles estava na cama deitado sem camisa enquanto eu estava verificando o ferimento, então ele disse:

– O ferimento já se recuperou? 

– Seu peito está macio e sem hematomas, então… sim! Você tá totalmente recuperado - digo com tom um tom gentil

– Sério?! Posso voltar a caçar monstros - pergunta Charles com tom de empolgação

– Sim, mas tenta pegar leve se não vai acabar se machucando de novo - digo com tom sério

– Obrigada Emilly - diz com tom gentil terminado com um sorriso meigo

– Não… f-oi… na-da… - digo meio corada Você ainda tem vergonha dele?! Francamente… Não tenho não!

– Emilly… posso fazer uma pergunta séria? - diz enquanto pega em minha mão

– Po-de… - digo totalmente corada e suando

– Você vai me deixar? - diz com tom preocupado

– Como assim? - pergunto sem entender

– Você disse que iria para Unova… então você realmente embora? - pergunta Charles com tom triste

– Charles… Desculpa mas eu tenho que ir… isso é muito importante - digo com tom sério

– Importante?! Estudar magia é tão importante assim?! - exclama Charles

– Não é isso… é por que… eu não posso te contar… - digo com tom de desânimo 

Presta bem atenção no que você vai dizer, se ele descobrir tudo pode ir para água baixo… Mas eu confio no Charles, ele não iria tentar me matar…. Tudo bem, mas se ele tramar alguma coisa a culpa será sua…

– Pode me contar… não irei te debochar - diz com tom gentil

– E-u… tem um demônio selado dentro de mim… - digo olhando para o lado

– O que?! Isso é sério? Não tem como um demônio estar em você… - exclama Charles

– É sério! Eu não tô mentindo, eu juro! - explico para ele

– Então prova! - grita Charles

– Tá bom… - digo com tom neutro

Demon? Tá legal…

Me levanto e então fecho meus olhos, uma aura começa a emanar em volta de mim, Demon me domina fazendo meu cabelos ficarem brancos e os olhos vermelhos…

Se acredita agora?! - diz Demon com tom distorcido e debochado

Charles se assusta e cai da cama, ele se levanta e diz:

– Você… realmente... é um…. demônio? - diz Charles gaguejando e assustado

O que foi? Achou que eu teria chifres e uma calda? - diz Demon com tom distorcido e debochado

– Não… é que as lendas dizem que são praticamente iguais aos anjos que só sem o seu brilho e asas 

Sim… e também temos os olhos vermelhos, para ser sincero você se parece muito comigo… - diz Demon com tom distorcido e de desconfiança Verdade... nunca tinha parado para pensar

– Mas eu não sou um demônio… eu só sou eu - Charles diz confuso

Ah… Emilly posso ir agora? - Demon pergunta para Emilly Sim…

Demon se senta de novo e volta a normal deixando Emilly dominar o corpo de volta, fazendo as cores e a sua voz voltar a normal. Então digo:

– É por isso que eu quero ir para Unova, para tentar achar uma forma de descobrir como quebrar esse selamento entre mim e Demon… - explico para Charles

– Entendo… Espera, tá chamando ele de "Demon"? - pergunta Charles com tom de deboche

– Algum problema? - digo com tom de brava

– Ele é um demônio! - exclama Charles

– Eu gosto dele! Ele é legal - digo com tom gentil

– Ele não é um bichinho para você cuidar!

– Eu sei, só dei um nome para ele… - reviro os olhos

– Você vai pra aquela escola de magia de Unova? 

– Sim! Lá tem uma biblioteca imensa, tenho certeza que vou achar alguma coisa lá - digo com tom de empolgação

– Você vai quando? - diz com tom de desânimo 

– Ei… se quiser… você pode ir comigo.. - digo meio sem jeito O que? Achei que era só a gente nessa… Baixa a bola aí, ele é legal Se você diz….

– Sério?! Que legal! - diz Charles com tom alegre

– Vamos amanhã tudo bem? - digo enquanto visto minhas botas

– Pode deixar! - diz Charles com tom alegre

Ele se levanta, veste seu sobretudo marrom e suas botas longas e pretas

– Preciso pagar o quarto - digo enquanto visto minha capa mas não colocando minha touca

Descemos até o primeiro andar, o lugar estava cheio e alegre, o barman parecia bem ocupado e nervoso, me aproximei no balcão e disse:

– Oi! Quanto deu a nossa estadia? - digo gentilmente

– Ah.. olá minha jovem, deu duas moedas de prata 

– Tudo bem… - digo enquanto procuro moedas na mochila

Então Charles vai até o balcão e coloca duas moeda de prata sobre o balcão e diz:

– Aqui está, o pagamento de garota - diz com tom gentil

Olha só que cavaleiro… Fica quieto!

Me aproximo de e Charles e digo:

– É… Obrigada, mesmo assim eu poderia ter pago - começo a frase com tom gentil que facilmente se torna debochado

– Sei… - diz Charles com tom de desconfiança

Quando de repente alguém entra na taverna, abrindo fortemente as portas, parecia ser uma cavaleira, tinha o cabelo trançado mas que estava amarrado, deixando apenas uma franja longa e lisa loira, seus olhos eram verdes como de uma esmeralda. Estava trajando uma espécie de vestido revestido com placas de aço no peito e nas laterais de sua coxa. Ficando extremamente atraente e resistente, usava também manoplas e botas de aço para completar a armadura… em seu peito estava estampado o brasão de Unova, e em suas costas havia uma espada dourada guardada em uma bainha de couro então digo para Charles:

– Charles… é uma cavaleira de Unova - digo sussurrando

– Sim… e pelo que parece é de alto escalão - diz sussurrando

A cavaleira se aproxima perto do balcão, olha para o barman e diz o seguinte:

– Sirva me um vinho… - disse a cavalera com tom neutro

O barman pagou um garrafa de vinho e despejou o líquido em uma taça de vinho. A cavalera pegou a taça e veio até a mim, ela se apoiou no balcão ao lado, ficou olhando para o chão e disse:

– Você é a garota que se proclama como a Espadachim Branca? - sussurrou com tom sério

O que? Quem ela e como ela sabe? Será que ela ouviu a nossa conversa? Comecei a suar frio Calma Emilly, provavelmente ela só ouviu aquele boato daqueles bandidos… só tenta disfarçar.

- Não… - digo com tom neutro

- Não? Que estranho… você se parece muito com aquela garota… - diz com de desânimo

- Não se deve acreditar muito em boatos… - digo sem jeito e ainda suando frio

- Verdade… mas todo boato tem um pingo de verdade, não é? Emilly Wren… - disse com tom de deboche 

O que?! Como ela sabe meu nome? 

Charles fica com uma cara de bravo e se aproxima da cavalera dizendo o seguinte:

- Tá legal, quem é você e o que quer?

- Abaixa a bola ladino… meu assunto aqui é com a Emilly - diz com tom sério

- Vocês cavaleiros de Unova se intrometendo em tudo! - grita enquanto olha para a cavaleira

- Charles… deixa ela falar - digo enquanto dou leves tapinhas em suas costas

- Aqui tem muita gente, vamos para um lugar isolado - disse a cavaleira com tom sério

- Vamos para nosso quarto... - diz Charles enquanto vai para o quarto de antes

Nós caminhamos até o quarto e o adentramos, então disse:

- Ok, quem é você? - digo com tom neutro

- Me chamo Lucy Yanderberg, sou uma cavaleira de Unova - diz Lucy com tom neutro

- O que você está fazendo aqui em Kalus? - pergunto para Lucy

- Meu superior estava de olho em um boato daqui, a suposta Espadachim Branca 

- Porque? - diz Charles se intrometendo na conversa

- Suspeitamos que os demônios estão voltando, e que a Emilly é um deles - diz Lucy com tom sério

- O que?! - exclama Charles

Ele avança colocando Lucy contra a parede e diz:

- Nem pense encostar um dedo nela… - diz Charles com tom de raiva

- Meu objetivo não mata-la… - diz Lucy com tom neutro

- Isso parece bem verídico para meu gosto - diz Charles com tom sarcástico

- Se eu quisesse matá-la ela já estaria morta a muito tempo - diz Lucy com tom sério

- Solta ela… - digo com tom neutro

Charles se afasta e senta na cama

- Então o que é? - pergunto para Lucy

- Meu superior quer entender os demônios e descobrir o porquê deles estarem aqui, mas eu preciso saber.. você realmente é um demônio? 

- Não… mas ele está selado dentro de mim… - digo com tom neutro

- Quem fez isso? 

- Eu não sei.. um dia ele simplesmente falou comigo a alguns dias atrás… - explico para Lucy

- Você consegue falar com ele?

- Sim, é como se estivéssemos compartilhando o mesmo corpo… 

- E ele consegue controlar seu corpo?

- Sim, mas só com a minha permissão… 

- Poderia deixar ele te controlar?

- Claro…

Me levanto e deixo Demon me controlar fazendo meus cabelos e olhos mudarem de cor…

- Então a lenda da Espadachim Branca é real, como devo te chamar?

- A Emilly normalmente me chama de Demon… - diz Demon com tom distorcido e neutro

- Você não tem um nome? - diz Lucy confusa

- Quando eu fui selado na Emilly de alguma forma perdi parte de minha memória… - diz Demon tom distorcido e neutro

- Eu gostaria de te escoltar até Unova, para ver meu superior, ele pode achar uma forma de te separar do Demon.. - explica Lucy

- E como posso ter certeza que não vai me matar? - diz Demon tom distorcido e desconfiado 

- Vai ter que acreditar em mim… - diz Lucy com tom de serenidade…

- E se eu por acaso dizer não? - pergunta Demon tom distorcido e desconfiada

- Vou tentar te convencer de alguma forma...

Entendo… Emilly, o que você acha? Você decide Demon, é você que está dentro de mim. Por mim eu não ligo se ficar selado dentro de mim, mas tenho certeza que você quer ser livre… 

- Tudo bem, eu vou com você…

- O que? A Emilly concordou com isso? - exclama Charles

- Ela disse para eu decidir isso.. - diz Demon com tom distorcido e sereno

Demon cancela a transformação e me deixa voltar a normal e digo:

- Tá tudo bem Charles, eu confio nela - digo enquanto faço um sorriso meigo para Lucy 

- Como você pode confiar numa pessoa que acabou de conhecer e não sabe suas intenções verdadeiras?! - exclama Charles

- Eu confio em você não confio? - digo com tom de serenidade      

Charles fica de cara fechada e revira seus olhos para o lado demonstrando que não sabe o que falar

Obrigado por calar a boca dele, eu gosto do Charles mas as vezes ele se intromete muito...

– Mas enfim, quando vamos para Unova? - pergunto para Lucy

– Já que os boatos são verdadeiros iremos imediatamente para Unova - diz com tom sério enquanto se levanta

– O que? Mas eu nem me arrumei - digo com tom confuso

– Unova fica muito longe, se irmos agora provavelmente vamos chegar em quatro dias… - diz Lucy com tom sério

– Quatro dias? Mesmo que fôssemos correndo iríamos demorar pelo menos duas semanas - diz Charles se intrometendo na conversa

– Siga me… - diz Lucy enquanto saí do quarto

Ela se retira do estabelecimento, vai até o meio da rua e com um simples estalar de dedos uma espécie de portão com cores vermelhas é sumonado ao lado e então ela diz:

– Assim… eu não tenho mana suficiente para criar um portal para Unova, mas consigo para ir até Kanto, então prontos? - diz com tom sério

– Espera! - digo alto enquanto volto para a taverna

Vou com Charles até nossa quarto para minhas coisas, então coloquei minha espada na cintura e peguei minha mochila, então Charles olha para mim e diz:

– Você tem certeza Emilly? - diz Charles com tom de preocupação

– Eu sei que você não confia na Lucy mas tenta pelo menos confiar em mim… - digo com tom de serenidade

– Tudo bem.. - diz Charles com tom de serenidade enquanto me abraça

Nós afastamos, pegamos nossas coisa e fomos até Lucy e disse o seguinte:

– Então… é só a gente entrar a iremos parar em Kanto? - pergunto confusa

– Exatamente, eu vou entrar e depois vocês entram em seguida - diz Lucy enquanto entra no portal

No momento que ela entrou no portal seu corpo parecia que foi sugado me fazendo recuar…

– Vamos? - Pergunta Charles

– E-u.. não sei, e der errado? - pergunta meio receosa

– Tá tudo bem, eu vou com você... - diz Charles com sorriso meigo no rosto

– Ta.. bom.. - digo com medo 

Então no momento que eu e Charles entramos no portal fomos para em uma espécie de túnel com cores vermelhas e de repente fomos parar em uma floresta linda, estava ensolarado como se fosse primavera… Lucy estava parada com os braços cruzados e disse:

– Porque demoraram tanto?! - diz com tom de raiva

– É.. por que… eu tava com medo de entrar no portal… - digo meio envergonhada

Ela olha fixamente para mim, solta um suspiro  longo e diz:

– Entendo, temos que continuar… - diz com tom sério e começa a andar em linha reta

Fiquei olhando em volta observando a beleza do país de Kanto… Aqui parece que já primavera Nunca saiu de Kalos Emilly? Não, eu queria tentar trazer minha irmã de volta antes de qualquer coisa... Mas parar para pensar você só aqui por causa dela. Verdade.. e eu a agradeço por sempre me apoiar...


Notas Finais


Diga sua opinião nos comentários ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...