História Symbrock - Eat Me - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Venom (2018)
Personagens Edward "Eddie" Allen Brock (Venom), Personagens Originais
Tags Eddiexvenom, Romance, Symbrock, Venom, Venomxeddie, Yaoi
Visualizações 268
Palavras 1.611
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OI gente, consegui escrever um cap pelo menos aqui <3 espero que gostem <3

Capítulo 19 - Old Friends


Fanfic / Fanfiction Symbrock - Eat Me - Capítulo 19 - Old Friends

Pov’s Eddie

 

            - Eddie, pode ficar com a gente por um tempo se quiser ajuda para cuidar do Simon. – Nós já estávamos dentro do carro, dessa vez Dan que dirigiu, eu segurava Simon enrolado enquanto V brincava com ele.

            - Isso seria muito bom, mas eu quero testar se vou dar conta de cuidar dele, então só por dois dias. Depois eu vou ficar um tempo com você enquanto ajeito a mudança.

            - Ok! Pode relaxar, entendemos o que ta passando.

Eu sorrio mas de repente sinto uma mãozinha toca em meu peito, olho para baixo e vejo ele deitado, suas perninhas balançando dentro do cobertorzinho. Seguro o pé dele, Simon me olha surpreso, mas logo começa a rir de novo.

            - peguei seu pé! – ele ria mais ainda. – Nhaaaa!

            - “Ver o Eddie bobo assim é fofo.”

O venom já estava conectado com o Simon, eu podia as vezes ouvir uns barulhos estranhos em minha mente, eu precisava me acostumar.

            - V, quando chegarmos você vai me ajudar a dar banho nele.

            - “Ok.” – Venom me abraça, o calor daquele momento era tudo para me acalmar. Eu sinto muito sono, o barulho o carro me dava uma sensação calmante, olho para Simon que não parava de brincar com o V, eu sorrio enquanto alisava o cabelo pretinho dele.

            - Nunca pensei que iria ver o Eddie em uma imagem paterna.

            - Me senti levemente ofendido.

Anne rir de mim, mas continua falando.

            - Não quis de ofender. Mas talvez seja isso o que te faltava. Uma vida completa com o Venom e o Simon.

            - Deve ser.

Depois de alguns minutos senti o carro parando, olho para fora e vejo minha casa, eu abro a porta e pegou as coisas do Simon, agradeço a Dan e Anne que me avisam para ligar caso qualquer coisa aconteça. Eu concordo e saio, eles buzinam e então saem do bairro. Caminho pela escada e abro a porta com a chave, algumas coisas já foram colocadas nos lugares, como camas, mesas, TV, sofá, armários. Só faltava desempacotar algumas coisas pequenas.

Coloco Simon sentado dentro do berço enquanto preparava o banho, eu fervia a água, mas de repente Venom começa a me xingar.

            - “Ta-a louco!?”

            - O que foi? – ele pega a vasilha de água quente e jogo na pia. – E-EI!

            - “Ele não pode água quente, principalmente nessa idade!”

            - Não sabemos V! Ele é metade humano também.

            - “Vai dar banho frio.”

            - Eu vou ligar para a Doutora. – pegou o celular enquanto discava o número dela, eu batia o pé impaciente. Escuto a voz dela. – Boa noite Doutora! Desculpa ligar logo depois de sair da sua clínica.

Ela ri e então diz que estava tudo bem.

            - Doutora, eu estou com dúvida, o banho do Simon é quente ou frio? Venom está brigando comigo dizendo que vou mata-lo se der banho quente.

            - Eddie, o banho pode ser morno, não tão quente e não tão frio. Ambos podem ser prejudiciais para a idade.

Me viro para Venom que parecia perplexo, eu mexo minha boca soletrando um “chupa otario”, mostrando minha vitória, ele me dá o dedo do meio e se vira emburrado.

            - Obrigado Doutora, boa noite. 

Eu esquento um pouco de água e jogo na banheira, pegou Simon e tiro sua roupa, e para meu susto... ele não tinha nada embaixo. Eu abro a boca meio chocado.

            - “Por que está surpreso?” – Venom aparece ao meu lado, eu abaixo meu olho e vejo em sua virilha que não tinha nada também. – “Ele pode manifestar o seu órgão quando chegar a idade de reprodução. Relaxa.”

            - Então ele pode ter um pau ou uma…?

            - “É, mas é bem provável ele ter um pau.”

Coloco Simon dentro da banheira morna, ele parece gostar, com as mãos pequenas ele joga água pela sala, eu riu enquanto dava banho naquela coisinha. Venom me ajudava passando as coisas que estavam em cima da mesa, como sabonete e escova para o cabelo. Termino de dar o banho no Simon e o enrolo com a toalha, seus olhos brancos me encaram, ele parece estar muito feliz.

            - “Aquela mulher disse que precisávamos cuidar dele como?”

            - Se você ta falando de comida, é com meu sangue. – coloco Simon deitado enquanto passava creme de pele e perfume nele, escolho a roupa e o deixo encima da cama brincando com V. – Vou tirar um pouco, cuida dele ok?

            - “ok!”

Me viro e procuro o acesso a vácuo que a doutora me deu, coloco em meu braço e encaixo a mamadeira, não demorou muito. Eu guardo tudo e vou até Venom e Simon.

Paro em frente a porta. Era uma cena tão simples, mas me deixou extremamente feliz. Venom rolava na cama enquanto brincava com seus tentáculos com o Simon, que tentava o imitar. Eu me apoio na porta enquanto apreciava aquilo.

Venom me encara.

            - ‘Que foi bundão?” – ele me puxa usando sua gosma, me abraçando pela cintura. Eu o encaro. – “Que foi Eddie? Tá triste?”

            - Não idiota... – dou um selinho nele, Simon faz um barulho enquanto ria, parecia feliz. – Vamos, me ajuda a dar mamadeira para ele.

Me sento na cama enquanto Venom segurava Simon, ele coloca em meu colo e então coloco a mamadeira na boquinha dele. Simon parecia estar gostando.

            - Será que ele vai viver muito? – aquelas coisas que a doutora falou me assombram. – Não quero perder ele...

            - “Ele não vai morrer cedo seu idiota. Relaxa Eddie...”

Venom me abraça com força, suas mãos massageavam minha barriga enquanto eu me apoiava nele segurando Simon.

            - “Eddie está com sono.”

            - S-Sim... – estava difícil manter os olhos abertos. – Estranho...

            - “deve ser por que Simon chupou toda sua energia. Vai dormir.”

Venom se conecta com Simon, e de repente escuto os grunhidos fofos dele em minha mente. Deito na cama.

            - “Vou cuidar dele, fica tranquilo.”

            - Certo, “querido”! Ahahahahaha!

            - “Seu bostinha.”

Venom me dá um beijo e então eu me cobro com o cobertor. Fecho meus olhos lentamente.

*** 

Acordo e estava tudo escuro, olho pro lado e vejo Venom deitado do meu lado.

            - “Relaxa, Simon já dormiu.”

Escuto ele falar em minha mente, parecia não querer acordar Simon.

            - que bom... – sussurro. – faz um tempo que não ficamos assim hein?

Venom rir para mim com uma cara safada, eu riu baixinho.

            - “Eddie tava com saudades desses momentos?”

            - se eu falar que sim... o que você vai fazer? – Venom me abraça, ele me envolvia completamente, por baixo de minha calça sentia ele apertar minhas pernas e costas me fazendo arrepiar. – para.. pode acordar Simon...

            - “É sério isso?” – Venom suspira com raiva. – “Vou ter que me aguentar até quando?”

            - não sei... quando o Simon conseguir se separar de nós. Ele pode sentir alguma coisa, e isso vai ser nojento...

            - “Eddie se preocupa demais”.

            - Com quem eu amo... sim.

Venom me beija de novo, eu me viro e ele me abraça de concha. Sorrindo eu respiro fundo. Aquele momento de paz me deixou tranquilizado sobre minhas ansiedades e preocupações.

De repente a janela se quebra, levanto minha cabeça rapidamente, a única coisa que vejo antes do Venom me envolver é a visão de uma mulher... alta e negra. Ela tinha olhos azuis enormes.

            - “Merdaaaa!”

Ela tenta nos atacar, Venom segura Simon com os braços e o envolve com a gosma, correndo em direção a sala, a mulher corta a parede e nos bate, caindo contra o chão ela coloca um tipo de foice em nosso pescoço.

            - “Quem é você?”

            - Fui enviada para ver o progresso da Terra...

            - “Merdaa...”

            - V?

            - Coloca o humano para fora. Agora.

            - “Vai ter que arrancar ele de mim.” – Venom levanta um tipo de parede negra, e então pula pela janela da sala, correndo em direção as arvores.

            - Venom? Quem era a vadia?!

            - “Eu não lembro...”

Olhamos para trás, ela pulava pelas arvores nos seguindo. Eu grito desesperado.

            - Venom!!!

Sinto a foice nos cortar, meu braço é atingido. Penso em Simon quando vejo meu braço sangrar.

            - V! O simon tá bem?

            - “Tá....”

Ele parecia cansado.

            - Nós deixa em paaaaz! – grito, minha voz ecoa na floresta escura. A mulher para em frente a nos. A foice vem em direção ao pescoço de V.

            - Acha que tem direito de gritar? Não sei como vocês conseguiram acabar com o Riot.

            - “Desistimos da missão de dominar esse planeta. Riot tentou sair daqui, mas a nave explodiu antes disso.”

            -... – ela parecia ainda duvidar de nos. E pra nossa surpresa abaixa a foice.  - ... Por isso não recebemos nenhuma notícia. E por que você não fez contato com a base? Venoooom?!

V parece atordoado com o grito dela. Ela empurra seu braço par dentro de nos, e com um puxão arranca o Simon dos nossos braços.

            - Não! Simon!

Ela analisa, e então ele começa a chorar.

            - Isso... – ela nos olha com nojo. – Você cruzou com um humano... nojento Venom.

Eu não aguento, era pressão demais, e acabo chorando. Não sei se foi minhas lagrimas ou o desespero, mas eu e Venom nos separamos, ele se recuou para dentro de mim, e eu só conseguia chorar e me rastejar na lama fria.

            - Por favor. – os soluços saiam sem pausas. – Devolva meu filho.

Ela me olha com os olhos arregalados.

            - “Eddie?”

Uma voz feminina humana sai da mulher simbionte. Eu levanto o olhar.

            - “Sou eu cara!”

            - Quietaa!  - A simbionte grita nervosa. 


Notas Finais


Obrigada por lerem <3 Se quiserem deixar suas opiniões eu ficaria muito feliz em ler o q estão achando da fic <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...