1. Spirit Fanfics >
  2. SYSTEM012: O dia que eu boiolei por uma Hyunjin >
  3. Boiolagem com diretrizes e contos eróticos em mãos erradas

História SYSTEM012: O dia que eu boiolei por uma Hyunjin - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


✧MIRI: Olá meus nenéns! Essa é a primeira one do pequeno projeto System 012 do LOOΠ∆, com o tema na tentativa de comédia romântica. Este pequeno bebê feito por mim, Jinsoular, conta como eu fiquei extremamente boiola por Kim Hyunjin e como quase minha cabeça explodiu de tamanho constrangimento. Espero que gostem, e que seja a pequena estrelinha no meio do seu coração.

Boiola: Este termo é usado para se referir que ficou apaixonado de um modo onde não é levado muito à sério. Que na maioria das vezes este termo é usado para quando se gosta muito de algo ou alguém.

Capítulo 1 - Boiolagem com diretrizes e contos eróticos em mãos erradas


Fanfic / Fanfiction SYSTEM012: O dia que eu boiolei por uma Hyunjin - Capítulo 1 - Boiolagem com diretrizes e contos eróticos em mãos erradas

Boiolagem com diretrizes e contos eróticos em mãos erradas


Nesses momentos eu somente não queria ser eu. Este ser humano avoado, que deixa tudo para último tempo, e acaba por se lascando.

Estava eu correndo, atrasada para pegar o ônibus para minha aula de teatro. Com minha mochila da Hello Kitty, nas costas, vestida de um modo simples e bem apresentável para a ocasião, e com livro inseparável e bastante comprometedor. Não que nenhum ser humano nunca tenha lido coisas para adultos, é que, é vergonhoso, sabe?

“Nossa, você lê Georges Bataille!”

Foi o que minha amiga disse, fazendo a expressão mais incrédula possível. Oras, não é minha culpa de gostar tanto desse tipo de literatura, só é minha culpa comprar os livros deste para alimentar a vontade de ler este gênero literário, que muitas vezes é mal visto pela sociedade.

Céus, onde eu parei? Ahh! Foi no correndo para a aula de teatro com minha mochila da [ ... ], então, após eu repetir tudo o que eu fiz na segunda estrofe, nas três primeiras linhas, estava prestes a alcançar a única salvação de eu chegar dois minutos antes de me atrasar, porém, a ceguice não me permitiu ver a bela garota em minha frente, assim chocando nossos corpos, ela até percebeu, e pos as mãos na frente, mas sei lá, acho que sou pesada demais para aquele floquinho de neve.

A menina me olhou com uma expressão séria e meu cú trancou, acreditei que ela iria me bater ou me dar um belo sermão, mas eu somente levantei igualmente a esta, me recompôs e perguntei a linda coreana a minha frente se ela estava bem e lógico, me desculpei, também se eu não me desculpasse minha mãe caíria de paraquedas naquele momento e me daria dois tapas no braço mandando eu me desculpar, e ainda se desculparia me xingando da primeira coisa que visse pela frente, tipo… Um cachorro.

E agora?

Pensei depois de ter me tocado que havia perdido o ônibus. Pobre automovel branquinho de grande porte, por que me deixastes?

Chorei internamente, chorei muito mesmo, tipo chorando lágrimas, chorando chorando, literalmente chorando internamente. Chorei.

Esperei calmamente o próximo ônibus que haveria de vim cinco minutos depois, peguei o mesmo e cheguei atrasada. A professora não falou nada, somente disse que era pra eu parar de voar e andar pelo chão. HA-HA-HA-HA-HA TÔ ME ACABANDO DE RIR, SENHORITA JUNG.

Depois de muito tempo…

Cadê o meu livro?!

Disse em voz alta, internamente, perdi o meu bebê, o precioso, aquilo me custou duzentos e sessenta lamens, fiquei triste demais, 'cê louco.

E todos os santos dias da aula de teatro, eu ficava no ponto esperando essa garota. Uma regra da 'boiolagem:

*É melhor longe do que perto.

Eu estava sofrendo sem meu bebê, as cores agora eram cinzas. E isso é drama? É, porque eu enxergava as cores perfeitamente em seu estado.

Sentado no banco de ferro, balançando os pés que não alcançam o chão sem impulso, observando estes, senti um olhar sob mim. Uma outra regra de 'boiolagem:

*Se você está boiola, a voz de quem causa este efeito de perto, intimida seu psicológico. E você tem que enfrentar.

Não era medo, era só medo. (?)

Eu olhei para ela e ela olhou para o livro.

Outra regrinha:

*Não há escapatória para o constrangimento. Você deve passar por ele.

E me perguntou se aquele livro de capa cinza bastante duvidosa, em suas mãos, era meu pois estava no chão quando nos esbarramos.

*Se você não agir que nem idiota apaixonado, você não está sendo boiola.

Peguei o livro da mãozinha dela, ainda vermelha de tamanha vergonha, olhando em seus olhos. Agradeci e afirmei que era meu, mas que eu havia roubado de minha mãe pois ela estava com muitos hormônios à flor da pele.

Pronto, pronto! Porra! Agora ela vai pensar merda da família toda!

Pensei. Ela riu também constrangida, mas a risada dela… A risada dela.

OQPUEHENSB82629,,828279# #)7kahwOWJQLAULQ9.262)%=OWJWLVkahwiavai1111111111111

Foi meu pensamento com a cara no teclado.

Dias se passaram e eu ainda estava relembrando daquele rostinho delicado, da mãozinha fofa e pequena, do olhar sério, da risadinha e da voz. QUE MENINA LINDA, AHHHHHHH!

Durante este tempo, eu não parava de pensar nela, tudo que falava com meus amigos era que eu estava boiola por uma menina que nem sei o nome, cheguei a imaginar uma coisinha ou outra do livro com ela, contudo, ela é linda e fofa demais para ser pensada deste modo erótico.

Ela nunca mais apareceu, minha 'boiolice permaneceu, firme e forte, inabalável por esta garota de pele e osso.

Sabe o mais me deixaria 'boiola?

Imagina ela com um sinalzinho na boca.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...