1. Spirit Fanfics >
  2. TaeNy - Entre dois mundos >
  3. 19 Capitulo

História TaeNy - Entre dois mundos - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Como estão caros leitores?
Cá estou com mais um capitulo fresquinho! Espero que gostem.

Capítulo 19 - 19 Capitulo


Fanfic / Fanfiction TaeNy - Entre dois mundos - Capítulo 19 - 19 Capitulo

Após Taeyeon acordar e revelar tudo o que mais temia, sai da cela e corri para meu quarto. Deitei-me e fitei o teto. Porque sempre acabamos assim? É como se nossa história tivesse um final pré-determinado e não importa para onde corremos ou se mudamos a direção, sempre estamos caindo no mesmo fim.

Estou cansada de ser a ferida... estou exausta. Fecho meus olhos lembrando-me da sensação de seus beijos, toques e de toda as declarações feitas..., mas foi tudo uma mentira, apenas magia... fui tão tola.

Posso não possuir uma singularidade, porém não é difícil prever o que irá acontecer de agora em diante: Voltaremos a sermos melhores amigas, amigas na qual a relação nunca avançara por causa do medo, insegurança e incertezas.

Ouço duas batidas na porta. Não me surpreendo ao ver Jessica adentrando com um sorriso triste.

- Fany... – Ela fecha a porta.

- Jess... – As lágrimas escapam de meus olhos. Ela caminha até minha cama sentando-se ao meu lado.

- Por favor. – Olho em seus olhos. – Assim como Taeyeon, quero que todas esqueçam o que aconteceu...

- Fany.

- Caso contrário eu não vou aguentar. – Supliquei.

- Certo... Não se preocupe...

 

 

 

 

(Taeyeon)

 

 

A lua dominava o céu esta noite, tornando a paisagem linda e viva. Mas ainda há um frio que sou incapaz explicar. Não consigo dormir. Sinto meu coração triste e pesado. Infelizmente não compreendo o que está acontecendo. Desde o dia que acordei presa na maca, tudo se tornou desconfortável.

Meus sonhos são apenas borrões. Eu chamo por alguém, mas não obtenho qualquer resposta. A cada passo adiante meus suspiros ficam mais profundos como se eu deixasse algo para trás. O problema é que não me lembro o que.

- Taeyeon? – Yuri apareceu na porta de meu quarto. – Está acordada?

- Na verdade nem dormi.

- De novo? – Ela suspirou. – Vem, precisa comer alguma coisa. – Estendendo sua mão, Yuri me olha preocupada.

- Que tal caminharmos um pouco? – Sugeri. Com uma sobrancelha erguida ela concordou.

 

 

- Então? – Andávamos lado a lado pelo jardim da mansão.  Como era 6h da manhã, estava somente eu e Yuri acordadas. Suspiro pesadamente e começo a falar.

- Quando acordei, me disseram que fiquei quase 3 dias inteiros inconsciente, mas... – Eu tentava encontrar as palavras certas para expressar meus pensamentos confusos. – Por que não acredito nisso? Nesse meio tempo algo mudou dentro de mim e em Tiffany também. – Deu uma pequena pausa. – Ela está se distanciando cada vez mais e eu não entendo o porquê.

Olho para Yuri procurando qualquer reação, contudo a morena continua fitando o chão. Não consegui decifrar seu olhar, por isso continuei.

- Todas as noites eu sonho com alguém. Não consigo ver quem é, seu rosto fica todo embaçado, sua voz é silenciosa e quando tento toca-la tudo some, deixando-me no completo vazio. – Chutei algumas pedrinhas no meio do caminho aborrecida por ser incapaz de dizer o que realmente sinto.

- Sabe. – Falou Yuri. Levantei meu olhar. – Enquanto estava inconsciente passamos por muita coisa, talvez essas coisas deixou Tiffany confusa e insegura. – Franzi o cenho. – Todos sabem o que sentem uma pela outra, só não entendemos o motivo de nunca conversarem de fato. – Fitei meus pés ouvindo atentamente. – Você sabe como nossa vida é agitada e perigosa, nunca sabemos se iremos voltar das missões. Se encontrasse agora seu pai e tivesse que cumprir o que prometeu anos atras... iria se arrepender de algo? – Meus olhos marejaram. Meu pai... depois do que fez com Jonghyun... eu o mataria e se precisasse, ariscaria minha vida por isso...

Se eu o fizesse, do que mais me arrependeria? A resposta é tão óbvia... só não queria admitir.

- Eu não sei... – Yuri suspirou com minha resposta.

- Não sabe? Ou não quer admitir por medo de perde-la também?

Fecho meus punhos com força.

- Se eu me aproximar ele irá usa-la contra mim...

- Mas se você a afastar, a deixara vulnerável! Realmente acredita que fingir que nada está acontecendo é a melhor opção? Não consegue entender o que está acontecendo porque só olha para as coisas, não as enxergam de fato!

- Você não sabe de nada...

- Me conforta saber que não sou a única! Vamos lá. Quando foi atacada pelo Bahktak, o que passou pela sua cabeça dura?

Tiffany...

- Ninguém. Só planejava meu próximo passo.

- Quando acordou na maca, porque estava inquieta?

Porque precisava vê-la.

- Só estava tentando entender tudo.

- Nesse exato momento. – Yuri parou bruscamente segurando meus braços. – Com quem realmente queria estar conversando? – Meu olhar vacilou. – Sabe o que não entendo? Por que resiste tanto?

Ela me soltou e continuou a caminhada. Não consegui me mexer. Fiquei fitando o vazio tentando absorver tudo que me foi dito. Precisava tomar uma decisão e quanto mais resisto, mais distante ela ficará...

 

 

 

 

 

(Tiffany)

 

 

 

Ouço o despertador tocar. Sonolenta pego meu celular desativo e volto a dormir. Não queria levantar. Na verdade, depois que Taeyeon despertou, não conseguia mais encara-la. Evitava todos os lugares que frequentava, o que era uma tarefa extremamente difícil visto que estávamos na mesma casa... todos os dias eram uma tortura. Ver seu rosto e não ter mais coragem de toca-lo, ouvir sua risada, mas não conseguir rir junto ou olhar em seus olhos e não enxergar o brilho neles... então já sabia o que precisava fazer...

Pego novamente meu celular.

- Alo? Eunwoo! Sim, estou bem... Um pouco cedo né... Uhum... Sem problemas... Consegue vir?... Vou me arrumar então... Obrigada... – Desligo o celular. Hora de organizar a mala.

 

(...)

 

 

Uma hora após ligar para Eunwoo, ele me envia uma mensagem dizendo que está esperando no portão. Coloco minha última peça de roupa na mala e estou pronta para ir.

Desço as escadas. As meninas estão reunidas na sala. Heechul, Hyoyeon, Yuri e Taeyeon estão jogando vídeo game, Jessica e Sunny estão deitadas no sofá mexendo no celular enquanto Yoona e Sooyoung conversam animadamente sentadas nas poltronas. Iu, Bo Gum e Seohyun aparecem poucos segundos depois com batatas doces.

- Tiffany? Onde vai? – Fala Lia, junto com Yeji e Ryujin. As três estavam nas escadas atras de mim.

Todos pararam suas atividades intercalando o olhar entre mim e minha bagagem. Meus olhos encontraram-se com os de Taeyeon. Recuei e concentrei meu olhar em Lia.

- Eu resolvi voltar para meu apartamento... – Disse sem graça.

- Vai embora...? – Ryujin estava triste com a notícia.

- É bem... – Olhei novamente para todas. Taeyeon fitava o controle em suas mãos. – Sei que é um pouco repentino, mas surgiu algo e preciso resolver... – Essa foi a melhor desculpa que pude inventar. Patético, eu sei.

- Fany, tem certeza? Podemos ajuda-la de alguma forma? – Yoona se aproximou.

- Desculpa, é uma coisa que preciso resolver sozinha. – Tento esquivar das perguntas. Mas as meninas persistem. – Eu preciso ir... desculpa...

Despeço-me de todas com um tchau geral e caminho até a porta.

- Não se preocupe, só vou mudar de casa, não de país. – Comento tentando amenizar o clima. – Virei visita-las e espero todas por lá também. – Mostro meu melhor sorriso.

- Tudo bem... – Mesmo decepcionadas elas finalmente deixam-me.

- Me liga mais tarde. – Sussurrou Jessica. – Toda conta dela Eunwoo. – Ele acena.

Adentro no carro dando uma última olhada pela janela. As meninas estavam na porta acenando. Na janela do segundo andar pude ver a silhueta de Hyori. Taeyeon não estava a vista...

- Por que essa mudança Sra.Hwang? – Perguntou Eunwoo fitando-me pelo retrovisor. Em outros momentos eu o censuraria por ser tão formal, contudo, hoje não tenho vontade de prolongar uma conversa.

- Sinceramente, não tenho tanta certeza do motivo.

Talvez eu tenha cansado de correr atrás...

 

 

(...)

 

 

Depois de mais ou menos 40 minutos de viajem, finalmente chego no meu apartamento. Faziam dois meses que não aparecia por aqui. Assim que entrei deixei minha mala no canto e fui tomar um banho, depois ligarei para Jessica e responder as milhares de perguntas que com certeza irá fazer...

 

(...)

 

 

- Continua... Isso... – Meu corpo se contorcia de prazer. – Hmmm... – Agarrei com força o lençol.

- Você gosta assim? – Sussurrou em meu ouvido aumentando a intensidade de seus movimentos.

- T-tae... A-aaah... To qua-quase lá. – Meu corpo estava em total êxtase.

- Então diga para mim Fany. – Agarrei seu pescoço entrelaçando meus dedos em seus cabelos morenos. -  Diga! – Ela chupou meu pescoço penetrando mais um dedo em minh intimidade.

- E-eu... – Taeyeon me dava tanto prazer que era impossível organizar uma única palavra.

- Você o que? – Insistiu dando um sorriso malicioso.

- E-eu te-te amo! – Cheguei em meu limite. – Taeyeon! – Abri meus olhos ofegante.

Era um sonho...

Passei minhas mãos em meus cabelos, olhei para o relógio, 8:43 da manhã. Levante-me frustrada por ter tido o mesmo sonho das últimas noites.

Havia somente 9 dias que voltei para meu apartamento e não importava que fazia, Taeyeon continuava presente em meus sonhos. Diariamente as meninas me enviavam mensagens questionando quando visitaria a mansão, tento desviar o assunto contando algo eu fiz ou inventando alguma história, mas uma hora ou outra terei que voltar. Talvez eu vá amanhã... Mesmo tendo que encara-la de novo, estou com saudades do barulho e das constantes brigas.

Peguei uma troca de roupa na mala aberta no canto para tomar um banho. Meu corpo estava suado e meu coração a mil. Precisava relaxar por alguns minutos antes de ir ao mercado.

 

 

- Bom dia Tiffany! – Falou Sr.Choi quando me viu saindo do elevador.

- Bom dia! Vou no mercadinho ali e já volto. – Sorri.

- Boas compras! – Ele retribuiu o sorriso.

Em menos 20 minutos comprei tudo o que precisava e uma barrinha de chocolate para o Sr. Choi, uma forma de agradece-lo por sempre cuidar de tudo por aqui.

- Ficou R$75,90 – Falou o moço do caixa. Entreguei meu cartão a ela. – Prontinho.

- Obrigada. – Recolhi as sacolas.

Quando saio do local, ouço uma voz muito familiar ao meu lado.

- Sabe, eu sempre gostei desse bairro, tem tudo que precisamos e a segurança é excelente.

- Frequenta muito aqui? – Perguntei seca.

- Gosto do karaoke daqui.

- Bom saber.

- Sério? – Perguntou surpresa.

- Claro. Agora sei quais lugares preciso evitar.  – Dei de ombros.

- Qual é Tiffany!

- Não enche Taeyeon. – Andei apressadamente até o prédio.

- Precisamos conversar! – Parei bruscamente encarando-a com raiva.

- Não tenho nada para dizer. Sinto que todas as coisas que já disse foram insignificantes para você. – Vou até o balcão e entrego o chocolate ao Sr.Choi.

- Obrigado mocinha! – No começo ficou surpreso, mas logo sorriu. – Não precisava.

- Não foi nada. – Retribui o sorriso. – Tenha um bom dia.

- Pra você também.

Fui até o elevador.

- Pare de me seguir. – Sussurrei nervosa para Taeyeon. A menor adentrou comigo encostando-se na parede ao meu lado.

Outras pessoas começaram a entrar.

- Nunca negligenciei suas palavras! – Ela também sussurrava.

- É um pouco difícil de acreditar.

- Estou falando a verdade!

O elevador parou, adentrando um grupo de estudantes. O elevador estava cheio e fui obrigada a me aproximar cada vez mais de Taeyeon. Os estudantes brincavam entre si e em uma dessas brincadeira Taeteon foi empurrada. Por reflexo segurei seu corpo próximo ao meu.

- Desculpa ai moça... – Falou entre risos.

Seus lábios estavam próximos aos meus. Por causa da diferencia de altura, sua respiração batia suavemente em meu pescoço. Fleches no sonho invadiram minha mente. Engoli a seco soltando-a bruscamente.

Segundo depois, chegamos ao meu andar. Sai do elevador sendo seguida por Taeyeon.

- Se continuar assim irei chamar a polícia!

- Não importo! Pelo menos teremos um tempinho para conversamos enquanto eles não chegam.

Coloquei as compras no balcão e fitei-a com os braços cruzados.

- Tem 5 minutos! Depois disso quero que saia daqui!

- Tudo bem... – Fiz um sinal para ela começar a falar. – Tiffany, antes de tudo eu quero que saiba o quanto me importo com você. – Ela aproximou um passo, fazendo-me recuar um. – Certo... olha, tem tantas coisas que pensei como desculpa para meu comportamento... mas percebi que não existia nenhuma. – Ela deu uma pequena pausa. – Tem muitas coisas no meu passado me assombrando e quando estou com você tenho medo que sofra por causa disso. Quando acordei naquele dia estava confusa. Ao invés de me contarem o que aconteceu vocês inventaram uma história sobre eu ter ficado em coma...

- Então você sabe?

- No começo era somente alguns fleches... mas no final... sim, eu me lembro... de cada palavra... cada gesto...

- E mesmo assim me faz de boba!

- Não! Eu... – Taeyeon recuou, ela parecia se concentrar para encontrar as palavras certas. – Eu fiquei frustrada!

Sua revelação de pegou desprevenida.

- Frustrada? – Franzi o cenho. - Por que? Por fazer o que não queria? Por fazer promessas vazias? Ou por não sentir o mesmo?!

- POR NÃO SER CAPAZ DE FAZER TUDO QUE FIZ SEM AJUDA DE UM MALDITO FEITIÇO! – Sua respiração estava acelerada. – Tiffany eu te amo! – Com os olhos marejados ela se aproximou, mas dessa vez não recuei. - Meu amor sempre foi seu e brilhava por sua causa. Sou culpada de tudo, porém quero que acredite quando digo que nunca quis te magoar. – Suas lágrimas escorriam pelo rosto assim como as minhas. - Quando você se foi, deixou meu mundo frio... na completa escuridão. Todo tempo me questionava como pude deixar escapar o único motivo da minha vida!

Eu tentava ao máximo não desmoronar. Ela me amava...

- Prometo de contar tudo, mas por favor, eu preciso de uma nova chance... – Suplicou. – Quando acordei hoje de manhã, senti falta do seu calor... talvez você não saiba disso, mas os cupidos não são capazes de criar sentimentos.

- Como assim?

- A habilidade de Eros é apenas exteriorizar os mais profundos e sinceros sentimentos de uma pessoa em relação a outra... ele age como o álcool em nosso organismo.

- Quer dizer que você realmente me amou naquele dia?

- Sim Fany. Tudo que fiz e disse eram sinceros. O que mais me atormentou foi não ter coragem de faze-los antes. – Ela deu riso soprado. – Sou muito ridícula né?

- Não... - Segurei seu rosto. – Você é incrível. Só precisa se deixar levar as vezes.

Seu olhar me segurava ficando cada mais profundo e silencioso.

- Preciso de você... por favor, não me deixe sozinha... – Sussurrou. – Eu te amo Tiffany Hwang. Você me guiaria para um novo caminho? Se concordar, então fique aqui comigo. – Sorri com sua declaração. – E dessa vez, com plena consciência, confiança e sinceridade do mundo. – Taeyeon segurou minhas mãos. – Quer ser minha namorada? – Meu coração parou por milésimos de segundos. Eu a encarava surpresa, mas emocionada por finalmente ser alguém na qual confie verdadeiramente.

- Eu aceito. – Ela sorriu aliviada.

- Nesse exato momento, entregarei meu coração e olharei somente para você, meu primeiro e último amor – Prometeu. Sua fala deu cor para meu mundo... – E dizendo essas palavras... – Suas mãos escorregaram lentamente de meu braço até minha cintura. – Seguirei seu conselho e me deixarei levar... – Taeyeon apertou o local provocando excitação por todo meu corpo.

Sorrimos maliciosamente. 


Notas Finais


Eu ouvi um Finalmente?!
Segunda a noite estarei atualizando!!
Segurem a emoção!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...