História Take It All - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Drama, Evil Queen, Mayorqueen, Regina Mills, Romance, Swanqueen
Visualizações 136
Palavras 1.915
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, LGBT, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - All


 

Se tirássemos um lado de uma moeda, ela ainda seria uma moeda? Talvez, mas com certeza ela jamais seria a mesma.

Emma Swan havia amado Regina Mills desde o primeiro momento, algo que a havia confundido e surpreendido, como se podia amar alguém sem se conhecer nada sobre? Assim que ela havia negado e lutado para afastar esse sentimento, mas quanto mais ela conhecia a morena mais o sentimento crescia e crescia, ela até mesmo havia tentado fazer a morena odiá-la, mas nada havia funcionado. Ela ainda podia lembrar do dia em que a morena havia se confessado para ela, havia sido alguns dias depois de toda a coisa com o soro e a rainha má, algo que havia surpreendido a loira, não que ela pensasse que Regina não fosse capaz daquilo, ela há muito sabia do que sua amada era capaz, ela era capaz de coisas impressionantes, maravilhosas e terríveis. Ainda assim assistir alguém destruir uma parte de si era algo que causava uma impressão.

A ex-salvadora ainda lembrava das palavras trementes da morena, ela havia se tornado mais frágil e suave depois daquilo, ela corava e chorava o tempo todo, parecendo sempre que estava prestes a quebrar. Ela se confessou tendo certo que a loira iria rejeitá-la, para alguém tão inteligente quanto a ex-prefeita, ela era uma estúpida. Emma ainda podia sentir aquele momento vividamente, como as mãos dela estavam frias quando ela as tomou nas suas, e como ambas suspiraram com o toque, e  se surpreenderam ao sentir a magia fluir entre elas. Ela lembrava do sorriso entre lágrimas, e olhar brilhante e incrédulo de Regina, ela ainda a olhava assim as vezes, como se não pudesse acreditar que Emma estava com ela. Ela havia tremido quando a loira a segurou pela cintura, e havia espelhado o gemido dela quando seus lábios deslizaram um no outro. Emma havia desejado por tanto tempo provar aqueles lábios macios, que ela havia gravado aquela sensação em sua mente, o sabor salgado das lágrimas, o doce do batom vermelho, e o leve sabor de menta da língua hábil, Regina Mills era obcecada com aparência, algo que Emma havia levado tempo para entender, ela era uma pessoa desesperada por ser aceita e amada, sua compulsão estava em tudo, até mesmo nas pequenas coisas, como escovar os dentes ou sentar-se em uma cadeira por horas com uma postura perfeita, parecendo estar perfeitamente confortável.  Por mais incrível que aquele momento e beijo tenham sido, assim como toda a relação e casamento, elas haviam casado no civil assim que a lei havia mudado, Emma sabia que algo estava fora do lugar. Havia algo errado com Regina, ela não argumentava, ela não discutia, apenas aceitava, ela não se lembrava em nada a pessoa que ela havia conhecido, ainda assim ela a amava.

Ela havia tentado ajudá-la, elas conversavam muito, e a morena sempre dizia que tudo estava bem, que ela só precisava de tempo para se acostumar, mas Emma só queria que ela fosse feliz e estivesse bem, seu coração se partia sempre que ela via nos olhos de sua amada o vazio e a dor. Recentemente ela havia estado mais preocupada, havia uma distância entre elas. Ainda assim encontrar Regina trepando com outra em sua cama não era algo que ela esperava.

O corpo moreno que ela conhecia bem, se curvava levemente, enquanto a morena sentada sobre alguém, rebolava, movendo uma das mãos, penetrando alguém que a loira não podia ver daquele ângulo. __ Regina… a palavra deslizou de seus lábios, como um espírito deixando um corpo. E a morena virou, seus olhos se enchendo de surpresa, ela girou sobre a pessoa, e a encarando, começou. __ Emma, não… não é o que parece. Eu posso explicar. A loira queria rir histericamente, e antes que ela pudesse dizer que aquela era a desculpa mais estúpida de todas, seus olhos caíram sobre a figura ao lado de sua esposa. Realmente não era o que parecia, mas com certeza aquilo era o tipo de situação que ficaria perfeita em páginas de livro, sujeito chega em casa e encontra sua mulher fudendo a si mesma, literalmente, provavelmente literatura sobrenatural ou de terror, ela pensou. Ao lado de Regina na cama, estava uma exata cópia dela, exata não seria a melhor palavra, a rainha má tinha os cabelos mais longos, e seu olhar era cortante. Ela encarava Emma com interesse e malícia, seus cabelos grudados sobre seus seios desnudos e suados. __ Olá, querida. Ela disse. Então Emma olhou de uma para a outra confusa, então um pensamento se formou em sua cabeça, aquilo levava a masturbação a outro nível, sem poder se conter ela riu de si mesma, e ambas as Reginas a olharam confusas. __ Desculpe, mas toda essa situação é ridícula. Disse, e Regina acenou, enquanto a Rainha Má dava de ombros.

__ Me desculpe, Emma. Regina começou, se ajeitando na cama, sentando reta e rígida, mas então a morena ao lado dela, sentou também, enquanto deslizava uma mão nas costas dela, a acariciando em movimentos circulares, e ela relaxou, fato que não passou despercebido por Emma. __Eu não pude esquecê-la, eu tentei, eu juro que tentei. Ela continuou, e com uma das mãos buscou a outra da rainha a seu lado, e elas entrelaçaram os dedos. Elas pareciam um casal. __ Não é justo, eu sei, eu deveria ter dito a você. Mas eu não queria, não podia te perder… eu vou entender se você me odiar, vou entender se for embora. Ela parecia mais firme, e forte. Lembrava mais a Regina que ela conhecera. __ O que? Espera, Regina, você está falando como se tivesse me traído. A loira começou, mudando o peso de uma perna para outra. Os olhos de Regina se encheram de lágrimas, mas sua expressão era firme. __ Eu traí, eu menti. Eu matei uma parte de mim, para que você pudesse me amar. E Emma balançou a cabeça incrédula. __ Por que você pensaria algo assim? __ Bem, da ultima vez que nos vimos, você me acorrentou. A rainha má se pronunciou, havia diversão na voz dela. E a loira a encarou. __ Eu não queria que Regina se machucasse. Respondeu, e Regina riu. __ É o que você não entende, eu sou a única machucando alguém aqui, você, a mim mesma. Emma deu alguns passos em direção a cama. __ Ao que parece a única pessoa que você traiu foi a si mesma. Começou, e Regina e a rainha trocaram um olhar, e apertaram suas mãos que seguiam unidas. __ Se ela pode te perdoar, se você pode se perdoar, então podemos com certeza acertar o que está indo errado conosco. Elas moveram o olhar para ela. __ Emma… Regina suspirou. __ Você não precisa mentir para mim, você já devia saber a essa altura, droga, Regina, você pode me falar sobre tudo. Ela sentou na beirada da cama, o olhar da morena mudou, e quando ela falou, sua voz tinha a força e entonação que no passado havia feito Emma desejar empurrá-la contra uma parede…

 

“Eu posso te mostrar tudo?

Tentarei o meu melhor

Darei tudo que eu tenho

Não deixarei nada de fora

Isso é mesmo o certo?

Você não vai se decepcionar?

Talvez você lamente profundamente

Ao ver de perto

Mas você não irá fugir

De todas as minhas falhas?

Vai ser uma estrada dolorida

Conosco por aqui

Mas eu não voltarei atrás

Pegue tudo para você

Sem volta atrás

Para o fantasma que eu fui

Veja tudo, meu amor

Tome tudo que eu sou com seu amor”

Quando ela terminou Emma segurava as mãos quentes de ambas nas suas. __ Eu odeio o seu trabalho. Regina disse, e a rainha má deu um olhar divertido a Emma. __ Isso vai ser bom. __ Odeio que seja perigoso, me deixa ansiosa, e eu odeio passar as noites sozinhas, mas eu não posso dizer a você, posso? Você ama o seu trabalho.  E Emma sorriu. __ Eu amo você, eu... gosto do meu trabalho, paga bem e eu posso socar pessoas. Mas estou certa que posso encontrar uma saída. Disse, ela podia procurar um emprego que não envolvesse caçar bandidos. Regina não parecia convencida. __ Odeio que você faça uma bagunça com tudo, você não vai morrer se botar suas roupas para lavar, suas mãos não vão cair se lavar a louça, eu não sou sua empregada! Ela disse, e a isso Emma riu. __ Não tem graça! A morena bufou. E soltando as mãos delas, cruzou os braços sobres os seios. __ Eu sou mandona, controladora e… Ela deu ênfase nas próximas palavras. __ Não gosto de ser deixada de lado… nesse momento o telefone de Emma tocou e vibrou, com o som de mensagem, e ela o retirou do bolso, era uma mensagem de seu filho, era estranho que ele mandasse algo aquela hora, mas ela veria qualquer coisa dele fosse que hora fosse, preocupada, ela abriu a mensagem. “Hey, Mãe, eu estarei em casa esse fim de semana, diga a mamãe que eu sinto falta dela também, mas que precisamos conversar sobre horários para mirror-time. NUNCA quando eu estiver no banho, okay? AMO VOCÊS!”. Ela leu e gargalhou. __ Você chamou o Henry? Perguntou, e a morena bufou. __ Ele não me liga há 15 dias, e não apareceu no último feriado. Se ele quer se livrar de mim, terá que dizer na minha cara. Ela disse séria. E a rainha má riu ao lado dela, o que a rendeu uma encarada mortal de Regina, mas não a impediu de começar a contar o que havia acontecido. __ Você tinha que ter visto, ela tinha aquele olhar que ela faz quando alguém a chateia.  Você sabe o olhar? Emma acenou. __ E ela colocou as mãos na cintura. A rainha continuou, imitando a pose. E Emma riu.

__ Mentira!

__ E ela disse bem séria, Henry Daniel Mills.

__ Oh, meu deus, você deve ter assustado ele até a morte.

__ Assustou, e ele quase caiu no chuveiro. Mas isso não a impediu de continuar com o “é melhor você arrastar sua bunda encantada para casa no próximo tempo livre que tiver, ou eu vou me teleportar para seu dormitório e arrastá-lo, eu mesma”.

__ Wow.

__ Sim! Eu fiquei muito orgulhosa.

Regina girou os olhos para ambas.

__ Vocês são ridículas.  

Então Emma as encarou, seu olhar escurecendo, ela começou a tirar a blusa, e desabotoar as calças, sua jaqueta e sapatos haviam sido descartados na sala, enquanto ela caminhava para o quarto. As morenas seguiram o movimento dela. __ Voltando aquela conversa sobre tudo… A loira começou, ficando apenas de sutiã e calcinha. __ Vocês falavam sério sobre mostrar tudo? E ambas as morenas sorriram maliciosamente para ela. __ Eu não sei, será que eu irei encontrar suas roupas e sapatos pela sala pela manhã? Regina começou divertida, e Emma girou os olhos para ela. __ Eu cuidarei disso! A loira prometeu. A rainha má apenas levantou, então moveu as mãos fazendo correntes aparecerem. E Emma levantou uma sobrancelha para ela.  __ Eu pensei que você tivesse dito que não gostava de correntes? E o sorriso malicioso cresceu. __ Não sou eu quem vai ser presa dessa vez. À resposta dela, Emma tremeu, e suspirou. Pouco depois, ela estava perdida, entre os beijos de menta de Regina, enquanto a rainha algemava suas mãos.

Não importa de que lado uma moeda caia, quando se apostou em ambos.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...