História Take me Somewhere (KaiSoo) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai
Tags Kaisoo
Visualizações 133
Palavras 1.782
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


5 MESES FOI MEU RECORDE NOSSA SEMNHROA
GENTE JURO QUE EU TO ACHANDO A FIC MUITO RUIM E MT DE REPENTE MAS É QUE EU N SEI DSCLP MSM

Capítulo 4 - Capítulo 4


Estava sendo a primeira vez que eu andava com alguém pelos corredores da escola, conversando assuntos inúteis e gastando o tempo com pensamentos desconexos. Passava um pouco das quatro da tarde, quando decidimos ir para a biblioteca e começar a estudar. Jin Woo sempre caminhava de forma divertida e energizante, arranjando assunto e nunca deixando um clima esquisito no ar. A biblioteca ficava um pouco longe de onde estávamos, para ser mais exato, precisávamos atravessar dois prédios da escola – era um lugar bem grande. De qualquer forma, a companhia dele era muito boa, então a distância não me incomodava.

-Ei, Kyung – meu amigo começou outro assunto, de novo. Apenas respondi com um "hm?" e aguardei sua continuação – qual sua relação com Jongin? Andei pensando sobre isso desde ontem.

Essa também era uma pergunta que eu não sabia ao certo responder. Eu sinto que Jin Woo é uma pessoa confiável e boa, mas não tenho a menor coragem de contar sobre Jongin, pelo menos não agora.

-Ah... não é nada demais. Ele só é meu colega de quarto – achei a saída perfeita.

-Hm... é que, nós estudamos juntos por muitos anos, e ele nunca foi de falar com ninguém. Vocês se tornaram colegas de quarto e agora Jongin parece estar grudado em você – ele me encarou. Não respondi nada, apenas continuamos andando, mas por um momento Jin parou para falar algo novamente – Kyung deve ser uma pessoa muito boa, né?

Nós dois rimos. Achei que ele estivesse desconfiando de mim, mas pelo jeito foi só uma observação do mesmo. O que Jin Woo falou fez minhas teorias perderem um pouco a força, Jongin queria a companhia de alguém, mas ao mesmo tempo queria distância de todos? Isso não faz muito sentido, é melhor eu esquecer um pouco disso hoje e me concentrar nos estudos e em meu amigo. Continuamos andando por certo tempo até que Jin parou subitamente, me fazendo colidir com o mesmo.

-AH! - ele gritou, parecendo se lembrar de algo importante.

-O quê foi?

-Eu sinto que me esqueci de algo... - pôs sua mão na cabeça, coçando-a.

Permaneci quieto, deixando ele navegar em suas memórias. No breve período em que ficamos parados ali, comecei a pensar em Jongin. O quê ele poderia estar fazendo agora? Meu quarto não é um lugar interessante, apenas com materiais para estudo. Nunca tive tempo para hobbys, então não tenho nenhum.

-Acho melhor entrarmos logo na biblioteca, o tempo está muito esquisito – Jin Woo estava certo, nuvens cada vez mais escuras cobriam o céu e trovões distantes se aproximavam. Para nossa sorte, a biblioteca estava perto de nós.

-Ok...

Corremos o restante do caminho, parando em frente a grande porta rústica do prédio. Era um lugar digno para estudos e qualquer coisa que quisesse fazer em silêncio. Para ser sincero, haviam poucas pessoas ali, talvez umas cinco que eu enxergava. Aquele ambiente tão quieto me acalmava tanto, eu poderia passar muito tempo ali.

Sem demorar, nos sentamos em uma mesa encostada na parede, onde uma janela imensa estava localizada. Colocamos nossas mochilas ao lado da cadeira e peguei meu material de história e de matemática.

-Obrigado por me ajudar, Kyung! – falou abrindo um sorriso. Fico feliz de ser uma grande ajuda para alguém.

-De nada, mas eu já falei que não precisa ficar me agradecendo...

Ficamos por mais ou menos trinta minutos ali, eu ajudava ele com suas dificuldades e ao mesmo tempo lia um livro de história. Mais tempo se passou e cada vez ele se cansava mais. A chuva do lado de fora não parecia estar diminuindo, então não o apressei.

-Soo, o quê você faz para se divertir? - acho que essa foi a segunda vez que me fizeram essa pergunta, e novamente eu não sabia responder.

-Ah... acho que nunca pensei muito nisso – respondi sem tirar os olhos do livro.

-Hmm, nossa. Algum dia vamos em algum lugar, então. Tipo um fliperama ou um parque de diversões – a ideia parecia ser boa, mas eu só conseguia me preocupar com os estudos.

-É... talvez nas férias do ano que vem... - falei com a voz baixa, com um pouco de vergonha.

-ANO QUE VEM? - ele gritou, levantando-se rapidamente da cadeira e recebendo uma pequena bronca da bibliotecária.

-Calma! - se sentou novamente.

-Eu estava pensando em te levar hoje ou amanhã!

-Ah... desculpa, mas acho que prefiro outro dia.

Ele não respondeu, parecendo um pouco triste e cansado. Continuamos estudando por mais uma hora, uma chuva forte caía e eu imaginava como faria para voltar pro apartamento. Tentei alertar Jin Woo sobre a quase tempestade, mas ele parecia estar mais concentrado agora. Sem demorar muito mais tempo, fechou seus cadernos e se espreguiçou, levantando os braços e esticando a coluna.

-Hmmmm! Acho que hoje estudei o suficiente.

-Bom trabalho – falei, organizando meus papéis que estavam sobre a mesa e guardando-os na minha mochila.

-Mas como vamos sair daqui? - perguntou, cutucando a janela para mostrar as gotas que escorriam nela.

-Eu não sei.

-Finalmente algo que você não sabe, né? - ri com sua afirmação, mas com certeza haviam muitas coisas que eu não sabia.

Recolhemos todas nossas coisas e nos dirigimos à saída da biblioteca. Ficamos um bom tempo na frente do local, assistindo a chuva.

-AAAH – novamente me assustei com o grito de Jin Woo – Eu lembrei do que eu tinha esquecido! - Tirou seu casaco e o segurou com os braços sobre a cabeça – Desculpa, Soo! Até amanhã! - saiu correndo pela chuva, até desaparecer da minha visão.

Será que eu devia fazer igual ele e correr também? Acho melhor não, não tenho resistência nenhuma e com certeza vou escorregar com o chão todo molhado. Já estava praticamente a noite, se eu não saísse dali rápido seria mais perigoso ainda. Mais um tempo se passou e me decidi, vou me cobrir com minha mochila e correr. Me arrumei e respirei fundo, fechei os olhos por um breve momento e sem pensar mais, comecei a correr. Senti as gotas começando a pingar em meus cabelos, a mochila não estava ajudando em nada. Merda! Por que eu resolvi correr? Ainda faltava muito para chegar em meu apartamento. Tenho que esquecer disso, pelo menos agora. Tentei aumentar a velocidade, meu suór se misturava com toda a água que escorria pelo meu corpo. Me tornei ofegante e meus passos rápidos se transformaram em lentos.

-Não dá... não aguento mais... - caí de bruços no chão, meus olhos encaravam o chão, enquanto eu tinha a impressão de toda a tempestade estar caindo em cima de minhas costas.

Fechei os olhos e tentei me levantar, mas meu pé doía horrores. Justo agora me machuquei, o clima estava gelado e eu sentia cada vez mais frio. Mas a chuva parou, parecia um milagre. Sem demorar muito, toda aquela tempestade tinha acabado. Fiz força com meus braços e me sentei, checando o que tinha acontecido com meu pé. Estava doendo muito, quase me fazia chorar, mas eu precisava me manter forte. Por que em situações assim eu sou apenas um inútil? Não consigo fazer nada sem a ajuda de alguém, nem focando toda minha vida nos estudos, eu não consigo ser o primeiro da sala. Será que eu deveria apenas desistir ali, em meio a uma situação diária? Se eu pensar em tudo que fiz até hoje, não vou encontrar uma resposta.

-O quê você tá fazendo aí? - senti um casaco quentinho cobrindo minhas costas, olhei para cima e vi Jongin me encarando, com cara de dúvida.

-Ah... acho que me machuquei... - mesmo sem saber o motivo dele estar aqui, fiquei com uma sensação gigante de alívio.

-Não consegue levantar?

-Não.

Agaixou-se e segurou meu pé, me fazendo dar um gemido rápido. Logo se virou para mim, ainda agaixado. Eu entendi o que ele queria dizer. Com um pouco mais de força, me joguei em suas costas, abraçando seu pescoço, ele se levantou e puxou minhas pernas para frente.

Isso com certeza parecia um clichê de filme, onde o cara carrega a pessoa que gosta. Mas a situação era completamente diferente.

Começou a andar, nós dois estávamos em silêncio, meu corpo estava exausto e eu ainda ofegava.

-Como você foi parar no chão, todo sujo? - ele perguntou, ainda olhando para o caminho.

-Eu resolvi tentar correr até o apartamento. Mas aí eu caí e...

Fui interrompido por uma risada baixa que ele deu.

-Mesmo sendo tão inteligente, é tão inocente – aquela risada me deixou com uma sensação tão estranha. Foi um sorriso sem malícia, ou sem más intenções.

Sem ganhar uma resposta, continuou me carregando. Eu estava tão cansado, não consegui resistir e deitei minha cabeça em seu corpo. Então é assim que me sinto sendo salvo por ele. Há minutos atrás eu pensava em desistir, agora parece que Jongin foi a resposta para tudo naquele momento. Nunca tive esse sentimento, parecia estar rasgando meu coração e ao mesmo tempo me querendo fazer sorrir. Com meu rosto tão perto de sua nuca, eu sentia seu cheiro me invadindo. O cheiro me deixava calmo e seguro, e também era tão forte... tão bom...

-J-jongin... - minha voz saiu falhada, e por algum motivo uma lágrima escorria pela minha bochecha.

-Hm?

-Obrigado... - ele apenas sorriu mais uma vez.

Como um sorriso daqueles, pode me deixar esquisito duas vezes seguidas? Tenho certeza que não é só porque ele é bonito, mas não consigo explicar isso nem para mim mesmo. Quando percebi, mais lágrimas escorriam.

-Kyungsoo, tá chorando por quê?

-Eu não sei...

-Tá tudo bem, calma.

Minhas bochechas esquentaram, ele parecia estar preocupado comigo. Eu realmente não entendo ele! Será que alguém como ele também tem sentimentos? Não consegui pensar mais, escutei um trovão que me deixou surdo por um momento, e logo mais chuva começou.

-Aguenta aí, Soo – me puxou um pouco mais para cima e começou a correr. Eu estava assustado, ele corria muito mais rápido que eu.

Me apertei mais em seu pescoço, sua respiração estava pesada, contudo ele ainda tinha muita energia. Mais rápido que imaginei, chegamos no apartamento. Nós estávamos cansados, isso era tudo que podia ser notado. Logo após abrir a porta, Jongin me colocou na cama – com muita delicadeza – e saiu do quarto sem dizer nada.

Joguei meu corpo para o lado, eu não ligava para meu uniforme todo molhado, eu só precisava de um intervalo da adrenalina. Respirei profundamente algumas vezes e fechei os olhos. Ah... eu realmente estava no meu limite. Hoje foi um dia tão curto, e tão longo.

Jongin... o quê ele quer de mim? Na maioria do tempo, eu esqueço a forma que conheci ele e o vejo como alguém tão gentil...


Notas Finais


:/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...