História Take On Me - SeBaek - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kai, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baek, Baekhyun, Byun Baekhyun, Chanhun, Chanyeol, Exo, Exok, Exom, Fluffy, Jongin, Junmyeon, Kai, Kim Jongin, Kim Junmyeon, Kim Minseok, Kpop, Lemon, Minseok, Nayeon, Oh Sehun, Park Chanyeol, Sebaek, Sehun, Suho, Tao, Twice, Xiumin, Yaoi, Zitao
Visualizações 315
Palavras 1.435
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 17 - 17. Bbh! - Kms!


Julho de 1992.

7° Dia.

- Decidido.

O barulho dos galhos do caquizeiro da vizinha bruxa de Byun, batendo incessantemente no vidro de sua janela o arrancou de seu sono às duas e meia da manhã, soube disso olhando a hora no pequeno relógio na parede.

BaekHyun se espreguiçou por um momento em seu colchonete no chão pensando... O que ele faria amanhã? A ideia de roubar Oh SeHun pra si durante todo o dia não parecia ser tão ruim... É... Sorriu sapeca sem mostrar os dentes, talvez o levasse no...

Então BaekHyun viu o quarto girar, sua vista enegreceu inesperadamente; uma tontura desgastante pousou sobre si de repente, ah o que diabos havia acontecido? BaekHyun sentou ali e jogou o cobertor azul para longe de si, ele começara a sentir aquele maldito gosto ruim na boca, uma saliva ácida que começaria em breve a querer escorrer para fora de seus lábios.

O ruivo levantou em um pulo, porém ainda fazendo o mínimo de barulho possível por causa de Oh, colocou a mão na boca e abriu a porta saindo correndo em direção ao banheiro, fechou a porta do mesmo tentando não fazer nenhum ruído; ele se ajoelhou frente ao vaso levantando a tampa com agilidade; o estômago começou a dar pequenas pontadas, então ele vomitou, expulsando tudo de ruim que estava em seu estômago.

Baek respirou fundo ao ver a espuma branca e toda aquela mistura nojenta na água, ele fechou a tampa e se sentou no vazo, limpando a boca com a costa da mão pequena. Não era possível, estava acontecendo de novo, aquela maldita mulher não queria o deixar viver em paz... Mas ele já devia suspeitar que estava tudo muito calmo.

Já não bastava? Choramingou Baek lembrando-se de que naquela noite mais cedo, antes dele subir para o quarto para escutar seu rádio e de Oh sumir no andar de baixo ele havia tido uma refeição em trio... Estava somente ele, Hun e BaekHee, que era desgostosamente sua mãe.

Ele não podia bobear, não mais.

O menino levantou voltando para o seu próprio quarto, o que ele não imaginava era que pela brecha da porta a mulher que ele tanto amaldiçoava observava tudo na escuridão de seu próprio quarto, e com um sorriso no rosto comemorava o seu mal estar.

×××

JunMyeon mexia calmamente em suas tralhas da oficina quando a porteira do celeiro bem iluminado foi aberta, ele se assustou por um momento vendo a hora em seu relógio digital prata de pulso, normalmente ninguém o visitava às oito da manhã... Quando viu então os cabelos negros e aquele jeitinho concluiu que era o seu grande amigo Kim MinSeok.

MinSeok - que usava uma camisa branca, colete azul e bermudas - fechou a porta do lugar e seguiu em sua direção dando um sorrisinho que deixava visível suas gengivas vermelhas e o seu invejável ar jovial.

ㅡ Oi cara. ㅡ cumprimentou Min lhe dando um pequeno abraço ㅡ Como você está? Não te vi mais lá na casa de BaekHee e nem da sua madrinha...

ㅡ É que eu ando muito ocupado sabe? Preciso entregar esse barco aqui e eu só tenho a mim como empregado. Questão de sobrevivência. ㅡ sorriu Jun sincero pegando a lixadeira que estava abaixo da mesa principal onde trabalhava ㅡ E você Hyung? Está cedo aqui por quê? ㅡ perguntou enquanto manuseava a folha de lixar sobre a madeira ㅡ Aconteceu alguma coisa? ㅡ JunMyeon naquele momento deu toda a sua atenção para o seu Hyung, limpando uma gota de suor que escorria por sua têmpora.

Min deu de ombros com um sorriso tímido, é, tinha algo acontecendo e JunMyeon queria descobrir o que era, e queria agora. Tirou o avental branco velho que usava e foi em direção ao homem, eles em seguida encostaram-se à mesa, então Jun fez aquela boa cara de “pode falar”.

ㅡ É sobre SeHun... ㅡ JunMyeon franziu o cenho, SeHun, o garoto alto da cidade? Ele não esperava que o assunto que eles debateriam fosse esse...

ㅡ Sim... Garoto legal, não é barulhento, nem pidão, eu o deixaria ficar em minha casa, não seria uma visita petulante. ㅡ falou Myeon pensativo.

ㅡ E sobre Baek também...

ㅡ Ah, sim, o que tem? ㅡ sinceramente? Jun não estava entendo aonde Min queria chegar com aquela conversa toda.

ㅡ Pois é... ㅡ MinSeok estava parecendo uma criança discutindo um tema tabu com os pais, mas tinha noção de que apesar de cabeça dura, o outro Kim era responsável e justo e ele sempre o ajudou com tudo, mesmo com aquele jeitão doido e agressivo. ㅡ Você sabe... Eles se tornaram bem próximos...

ㅡ É, eles se tornaram, idaí? ㅡ Jun questionou desconfiado, cruzando os braços. Min ficou em silêncio, ele olhou de canto para Jun e Jun para ele. Não precisavam falar mais nada, o mais duro entre eles já havia captado tudo.

ㅡ AHH não! Pelas barbas do profeta me diz que você não tá pensando em contar pro SeHun sobre tudo? ㅡ inquiriu ainda incrédulo, colocando as mãos na cintura.

Min não respondeu, é ele estava, concluiu.

ㅡ Por quê? Por que você acha que o SeHun, que chegou basicamente ontem, ajudaria o Baek numa coisa que nem nós, que estivemos o tempo todo aqui ajudamos? ㅡ Jun realmente não entendia.

ㅡ Eu sei, me perdoa, mas é que eu sinto que isso é o melhor a se fazer... ㅡ com as mãos gesticulou como se algo estivesse subindo de seu estômago.

ㅡ Você e essa sua maldita intuição... ㅡ resmungou Myeon revirando os olhos e saindo de perto, voltando para a sua lixadeira.

ㅡ Jun... Você e eu sabemos da história mais do que ninguém e também sabemos que Baek nunca esteve realmente bem, eu venho observado ele e... Todos nós precisamos de cuidado, SeHun é a pessoa próxima o bastante que poderá pelo menos debater com Baek sobre isso. Você sabe que ele não se abre facilmente com ninguém, essa é a nossa chance...

JunMyeon suspirou, de qualquer forma a ideia já estava plantada na cabeça de MinSeok e ninguém a tiraria de lá.

ㅡ Todos nós precisamos é crescer. Deixe isso cicatrizar com o tempo MinSeok, todos nós estamos bem, cicatrizamos...

Seok gargalhou triste com a fala do amigo.

ㅡ Todos? Tem certeza? Você não enxerga o que está bem à sua frente?

ㅡ Eu sei que você está tentando. ㅡ rebateu Jun duro ㅡ Ou você fez de novo...? ㅡ JunMyeon tinha um semblante sofrido, engolindo a seco, era demais para ele saber disso de forma tão repentina.

ㅡ Se você acha que cicatrizamos então deve estar de olhos fechados para a realidade, o que Baek anda fazendo, dona BaekHee, até mesmo eu...

ㅡ Chega! Eu já entendi, não precisamos voltar nisso ㅡ suspirou ㅡ Eu só quero ter uma vida normal, MinSeok... Não quero saber desses problemas. Essas coisas aconteceram há tanto tempo, por que voltamos nisso? ㅡ virou o rosto para baixo, parando o contato visual que tinha com o mais velho.

ㅡ Me perdoa. ㅡ murmurou o outro se sentindo culpado por deixar Jun daquela forma, era possível ver que Myeon tinha vontade de chorar, mas ele não faria isso, era durão demais para desabar assim na frente de alguém.

Jun sentiu o coração bater dolorido, como se estivesse bombeando toda a sua mágoa ressentida, mas engoliu tudo aquilo para si.

ㅡ É melhor eu ir, vou me encontrar com a sua madrinha e os dois meninos daqui a pouco, se eu tiver sorte poderei ficar a sós com SeHun e conversar com ele. ㅡ Min disparou, já estava decidido ㅡ Mas mesmo assim, apesar das nossas muitas diferenças é sempre muito bom conversar com você. ㅡ refletiu ele assim que saiu em passos lentos de perto da mesa, Seok se encaminhou para a saída e a última coisa que Jun viu foi a sombra do homem de média estatura, que sumiu rapidamente assim que a grande porta fora fechada por si.

Por que eles não podiam ser como as famílias normais? Perguntava-se lixando com força a madeira, ainda enfurecido com tudo aquilo.

ㅡ Ahhgr! ㅡ gritou jogando as coisas da mesa no chão ㅡInferno!

×××

 

O homem bebia calmamente seu uísque sentando na mesa de sua casa, ainda era madrugada mas ele já estava ansioso para mais tarde, naquela manhã às dez, quando o insolente BaekHyun iria vir o visitar secretamente, eles enfim teriam um momento a sós desde a última vez.

Respirou fundo realizado, em breve ele iria cumprir com a sua promessa e ninguém nem mesmo desconfiava.

Sorriu maléfico.

 


Notas Finais


Oie rs,

o que acham que a BaekHee fez pro Baek passar por esses maus bocados?? E o que o Min quer tanto falar pro SeHun? Manas e quem é essa pessoa misteriosa que espera pelo Byun..... Quanto mistério...

Até o próximo! Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...