1. Spirit Fanfics >
  2. Taking new steps (RM - BTS) >
  3. Capitulo XI

História Taking new steps (RM - BTS) - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Oie. Mais um capítulo pra vcs, sera bom?

Capítulo 12 - Capitulo XI


Fanfic / Fanfiction Taking new steps (RM - BTS) - Capítulo 12 - Capitulo XI

A claridade da lua batia sobre o meu boné preto escondendo a minha face de qualquer um. O vento frio fazia eu me arrepender por não ter levado um moletom.

— Frio coreano maldito.

Suspiro mais uma vez tentando conter a minha raiva. Mas o local para aonde eu estava indo parecia ser mais frio do que a Coréia. A minha ex casa.

A ultima vez que eu fui pra lá não saiu muito bem. A briga de Sooji e Banryu, nem sei como terminou. Por que esta reunião tem que ser na minha ex casa? Não podia ser num escritório?

— Senhor daí me paciência pra essas pessoas! — Exclamo antes de abrir a porta.

A minha ex casa estava do jeito que eu deixei. Claro que a Sooji não iria mudar nada, já que foi ela quem mandou meu abeoji pagar por tudo.

O advogado da nossa família ligou para mim dizendo que tinha um assunto importante para tratar comigo. Ele disse que tinha haver com a empresa do meu abeoji e a falta de inteligência da minha madrasta.

Esses dias eu vi que a empresa do meu abeoji esta perdendo o cargo de melhor do país por causa da falta de inteligência da Sooji. Ela não quer de jeito nenhum largar a diretoria.

— Boa noite senhorita Ryuna. — Me comprimentou assim que entrei na casa.

— Boa noite doutor Lee. Por que a reunião precisava ser aqui? 

— Sua madrasta e seu irmão também iram participar. 

Quando vou até a sala, acompanhada do doutor Lee, vejo Sooji e Banryu sentados no sofá da sala principal, e novamente suspiro em desanimo.

— Já que a senhorita Ryuna chegou, vamos começar a reunião. — Ele começou a abrir a mala e a tirar uns papéis. — Ryuna, estamos aqui para discutir sobre a forma que sua madrasta dirige a empresa de seu pai, Engenharias Baek.

— Sim eu sei. Mas o que tenho haver com isso?

— Banryu, o seu irmão, não esta apto para liderar a empresa por sua falta de independência. Infelizmente, teremos que mudar a clausula de seu pai imediatamente.

— Como assim? — Sooji interrompeu ele já com medo do que o homem iria fazer.

— Senhora Cho Sooji, infelizmente a senhora terá que abdicar o poder que tem sobre a empresa e passa-lo para a senhorita Baek Ryuna. 

— O que?? — Eu e minha madrasta gritamos ao mesmo tempo espantadas.

— Como assim abdicar? — Sooji parecia tão assustada quanto eu.

— Eu vou ter que assumir a empresa? — Pergunto exagerada.

— Sim. A senhora Sooji não esta tendo bons resultados em sua liderança, e pelo bem dos negócios de sua familia, precisamos que você, senhorita Ryuna, assuma a empresa. — Ele pegou uma caneta de dentro da mala, e virou os papeis sobre a mesa para mim.

— Mas... — Questiono olhando atentamente o papel. — Eu não sei nada sobre engenharia civil.

— Isso não sera um problema. Temos uma equipe pronta para ajuda-la e enquanto isto a senhorita pode se especializar em engenharia.

— E... Por que ninguém pode assumir a empresa no meu lugar? Ninguém lá quer ser o diretor geral? — Pergunto mais incrédula ainda.

— Senhorita Ryuna. A questão não é essa. Quando seu pai criou aquela empresa, ele deixou escrito em um papel que ela passaria somente na mão de sua geração. Sem sangues desconhecidos, apenas a familia Baek pode assumi-la.

— Mas... O Banryu. — Me viro para o Banryu e ele me olha intensamente como se não quisesse assumi-la mesmo que tivesse 18 anos.

— Noona. Eu quero me especializar em Design Gráfico. Quero criar o meu próprio caminho, já que ele foi traçado por outra pessoa a minha vida inteira. — Nesta ultima parte ele olhou seriamente para Sooji e a mesma demostrou mais desentendimento.

Acho que aquela briga deles naquele dia não terminou tão certa assim.

— Olha aqui Banryu me respeite na frente dos outros. — Ela mandou e Banryu revirou o rosto em descontentamento.

O caso ta feio.

— Como já vimos, nem mesmo o próprio Banryu quer assumir a empresa. A única opção e salvação que temos agora é você senhorita Ryuna. — Ele me estendeu a caneta preta.

— Mas... — Examino novamente o papel. — Eu terei que deixar de ser, uma agente? 

Não sei porque essa pergunta me deixa inquieta. O que é que tem eu deixar de ser a agente do RM? Não estava louca para largar este emprego chato e.... Engraçado?

— Sim Ryuna. Sendo engenheira civil você faturara muito mais do que sendo uma agente de famoso. Eu posso lhe garantir isso. — E a caneta continuou em minha frente esperando a minha resposta.

É só eu triscar naquela caneta e riscar aquele papel, e pronto. O meu trabalho como agente tera seu fim antes do esperado.

Mas... Eu não posso fazer isto agora. Faltam mais 1 semana para o Seokjin voltar. Só tenho que esperar mais um pouco.

— Doutor Lee. — Pego a caneta em sua mão e coloco-a sobre a mesa de centro. — Eu não posso assinar este contrato agora.

— Por que senhorita Ryuna?

— É que... Falta 1 semana e alguns dias para eu deixar de ser uma agente substituta. Eu prometo que ate lá eu assino esses papeis. — Empurro os papeis para ele novamente.

— Tem certeza senhorita Ryuna? — Perguntou insistindo.

— Tenho. 

Ele assentiu e guardou os papeis. Sei que deve estar preocupado com a empresa do meu abeoji, mas ele tem que entender que também preciso ter uma decisão.

Assumir uma empresa é um trabalho de grande porte. Eu não tenho a certeza que me sairei bem. Porem... Sinto que algo me diz que esta decisão minha não é só por causa disso.

Por que eu estou aceitando apressar o término do meu trabalho como agente substituta? À algumas semanas eu teria aceitado a diretoria da empresa sem nem me importar se eu sabia ou não sobre engenharia.

Por que agora eu me sinto tão estranha em largar este emprego?

— Ryuna! — Quando já estava pronta para entrar no carro, a minha madrasta me para me chamando pelo nome. — Espere.

— O que quer? — Me viro para ela, segurando a porta do carro.

— A sua decisão me deixou curiosa. Por que não aceitou logo a empresa do seu pai já que você adora dinheiro?

— Sooji. Você não me conheci mesmo. — Explico e entro no carro com um sorriso debochado.

— Não me diga que... Não. — Ela parecia espantada com o que estava preste a dizer, e eu abri a janela do carro achando estranho.

— O que você esta pensando?

— Não me diga que se apaixonou pelo RM? — Ela sorriu como se fosse algo real.

De jeito nenhum!

— Você ta louca? — Pergunto. — Ah é, eu esqueci, você é louca. Larga de dizer baboseiras. — Ligo meu carro e piso no acelerador.

— QUANDO MAIS VOCE NEGAR PIOR FICA! — Ela continuou falando enquanto já estava sainda de lá.

Aquela mulher louca e doente. Ela continua falando coisas sem sentido desde que a conheço.

Eu gostar do RM? Isso é.........

[19:54] RM: oi Ryuna.

[19:54] RM: voce está bem? 

[19:54] RM: me desculpa te fazer chegar meio tarde em casa hoje. É que o dorama começou ontem e você sabe que demora pra gravar os capítulos.

[19:55] RM: mas não se preocupe. O dia do Jin hyung voltar esta próximo. Acho que esta anciosa por isto né?

Maluquice.

— Ah RM... — Suspiro voltando a prestar atenção no trânsito. — Por que manda essas mensagens assim? Você não pode ser o mesmo grosso de antes?

Paro o carro por conta do sinal e começo a observar aquela mensagem.

— O que você significa pra mim RM que me faz sentir tão intrigada? Por que sinto... Que te conheço mais do que deveria?

Aquela sensação que tive, de conhecer o RM, me deixa mais assustada. De onde e de quando? O pior de tudo isso é que eu não sei nada sobre ele. RM não me conta nada e parece que não quer que ninguém saiba.

Mas a sensação de que devo saber o que ele esconde, me deixa muito inquieta. O que o seu passado tem de tão ruim ou estranho que ele não quer que ninguém saiba?

Minha mente diz que não é da minha conta, mas o meu coração me manda descobri isto a todo custo. Não sei qual escutar.

— Cara, quando foi que eu comecei a me envolver com este garoto?

Quando mais você negar pior fica!

A minha madrasta só esta me fazendo ficar igual a ela. 

Esta fora de cogitação gostar daquele muleque alto, charmoso, fofo e gos... Ahh!!!!! Olha o que eu estou falando!! Estou enlouquecendo.

— Não Deus não Deus, por favor faça isso não ser verdade. Eu não posso estar interessada naquele menino. Não posso!

Desço do meu carro ainda desnorteada por conta dos meus pensamentos secundários e um pouco pervertidos em relação a RM. 

Agora parando para pensar. Ele também é um homem. Como será seu- ah não cara! Olha o que eu estou falando??

— Acho que o frio esta me deixando mais louca do que antes. — Coloco as mãos atravessando o meu corpo na esperança de esquentar os meu braços até eu entrar no apartamento.

Sinto algo macio e quente ser jogado em minhas costas me fazendo ficar mais quentinha. 

O casaco que estava sobre mim tinha um cheiro familiar, e estava pedindo para que não fosse quem eu estava pensando.

— Você continua esquecendo o seu casaco né? 

Olho desesperadamente e me deparo com o meu ex namorado. Min Yoongi, o destruidor do meu mundo e da minha perspectiva sobre o amor.

— Como sabe que eu moro aqui? — Estava tão assustada que nem liguei para sua pergunta.

— Como te disse, eu sempre estou te vigiando Ryuna. 

Não estava sentindo falta de sua voz e nem da cor intensamente viciante de seus olhos escuros. Por que estes detalhes dele ainda sei de có? 

Por que sei que seus cabelos escuros ficam mais bonitos a noite a luz da lua? Por que me lembro de sua mão passando claramente pelo meu corpo? Aish!!

— Eu vou chamar a policia. — Tiro o casaco dele de cima de mim e começo a procurar o meu celular.

— Não precisa deste alvoroço Ryuna. — Ele interrompe o caminho da minha mão até o meu bolso e a pega.

— Solta!

— Saudades deste seus dedos gelados. Me lembro que quando estava sobre minha cama, não era tão gélida assim. — Ele entrelaçou mais os seus dedos no meu me fazendo ficar mais espantada.

— Para com isso Yoongi! Eu já falei que não quero nada com você. — Enfim solto a minha mão da sua.

— Ryuna, me perdoa por favor. Não acredita no que aquela idiota disse no passado. Era tudo mentira!

— Ela não era idiota enquanto estava em sua cama toda noite. — Me viro pronta para entrar no apartamento sendo seguida por ele.

— Ryuna. Me da uma chance! — Continua insistindo parando na minha frente impedindo a minha passagem.

— Chance? — Eu estou tão pasma do quão cínico é o Yoongi. — O que aconteceu Yoongi pra você querer voltar agora, depois de tanto tempo. 

— Eu ainda continuo te amando Ryuna. Os seus lábios me fazem falta, sempre me fizeram falta.

— Eu não vou acreditar nesse seu papo. — Entro para o apartamento fazendo o Yoongi ficar do lado de fora.

Cínico! 

Se ele quer tanto voltar, por que só agora depois de tanto tempo?

[...]

Quando estacionei o carro no estacionamento da TDE segui direto para sala do RM.

Fazia alguns dias que o dorama daquele diretor japonês começou, e RM estava tendo muito trabalho.

— Parece que sera uma viagem de 3 dias para o local de filmagem. — Digo já lendo a agenda.

— Viajar me deixa cansado. — O RM estava jogado no sofá comendo um biscoito.

— Menos RM. Não venha me implicar com suas conversinhas cotidianas. — Respondo.

— Ryuna, você esta muito brava. O que foi? 

O RM mudou sua voz para algo mais sério.

Eu realmente comecei a ser mais grossa com ele. Desde que aquela ideia da minha madrasta sobre gostar dele vem rondando a minha cabeça, faço de tudo para não ser sutil com o RM.

— Não é nada, vamos nos preocupar com a sua viagem. Já organizou as suas malas? 

— Ainda não. Quando chegar em casa eu organizo.

— Certo. As passagens estão OK. As malas ainda não, mas logo estará. A equipe esta OK. O vôo já esta planejado. Agora é só esperar a hora de partir. — Dito tudo na agenda conferindo-a.

— Ryuna. — Alguém me chamou na porta e vi ser o presidente da TDE, o senhor (lindo) Byun Baekhyun.

— Baekhyun. — Comprimento ele.

— Posso falar com você um minutinho?

— Claro. RM, já volto OK? — Aviso a ele que estava focado no celular sem dá a minima importancia.

— Hum... OK. 

Quando saí acompanhei o Baekhyun até o elevador. 

Ele é um homem muito bonito e me sinto privilegiada em adimira-lo todo santo dia. Altura excepcional. Corpo mais que perfeito. Voz sutilmente agradável. E rosto maravilhosamente bem feito.

Ó Deus como o Senhor é bom!

— Ryuna. — Começou. — Queria te mostrar uma coisa que anda rolando na mídia e nas redes sociais.

— Sim. — Me sentei na cadeira de seu escritório já esperando.

— Você saiu com o Kai, por acaso?

Como ele sabe disso?

— Sim eu sai sim. Foi essa semana. Por que? 

— Por causa disso. — Ele estendeu o seu celular e me choquei com o que vi.

O Kai namora a agente do RM??

Kai e namoro surpreendente.

Agente de RM namora o Kai??

Intimidades entre artistas e agentes. Veja a namorada do Kai, agente de RM.

— O que é isso???




Notas Finais


Continua?


😮😮😮😮😮😮😮


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...