História Tales Of a Friendship - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias ASTRO, Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Eunwoo, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jinjin, Jisoo, Jungkook, Lisa, MJ, Moonbin, Personagens Originais, Rap Monster, Rocky, Rosé, Sanha, Suga, V
Tags Bts, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Suga
Visualizações 20
Palavras 3.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Deculpa os erros, boa leitura e vai ter um recado nas notas finais :3

Capítulo 10 - Capítulo 9- Brigadeiro...


Fanfic / Fanfiction Tales Of a Friendship - Capítulo 10 - Capítulo 9- Brigadeiro...

P.O.V Letícia


Eu acordei já no meu quarto, com uma camisola qualquer e na minha cama. Ao meu lado, estava Tsum Tsum dormindo e Maryu ronronando. Baby estava dormindo no chão, como Brigadeiro, só que ele estava no seu cercadinho.

-Bom dia... Dorminhocos. Bom Maryu, só temos nós acordadas nesse quarto. Vamos nos arrumar?

Levantando lentamente da minha cama, acompanhada da minha gata, eu fui na ponta dos pés até o banheiro, para não acordar Baby, que começaria a latir e acordaria a casa inteira.

Dentro do banheiro, eu comecei á fazer minhas higienes, a escovar os dentes, tomar meu remédio e prendi o meu cabelo.

Ao entrar novamente no quarto, eu pûs um vestidinho cinza de manga comprida mas, para andar na rua assim e por ele ser meio curto, eu botei uma calça preta, um gorro cinza, uns anéisinhos, porque anéis são vida, e um all star de cano fino branco.

-Mamãe tá bonita, filha? 

Eu disse, fazendo carinho nela, que ronronou na minha perna em resposta. Eu fui até Tsum Tsum, aquele furãozinho que ama Kumamon tanto quanto eu, e fiz carinho no mesmo, que se mexeu um pouquinho.

-Sonhe com o nosso Kumam, Tsum.

Ainda em cima da cama, eu comecei a fazer carinho com o pé na Baby, que parecia estar tendo um sonho bem animado, pelo fato de estar se mexendo toda.

-Vai Baby! Vai atrás dele!

Eu disse, rindo um pouco.

-Agora... Para o nosso velhinho Brigadeiro... Um cafézinho da manhã!

Eu fui até o cercadinho dele e botei a sua comida. Ao fazer carinho nele, ele estava meio frio.

-Briga... Tá com frio?

Eu peguei ele no colo e ele estava muito duro.

-Não... BRIGA! ACORDA! BRIGADEIRO! BRIGADEIRO!!!!!!!


~Quebra no Tempo de 2 horas~


Ele tinha morrido enquanto dormia. O coraçãozinho dele parou de bater no meio da noite, enquanto ele dormia.

Eu estava devastada. O Brigadeiro era o meu primeiro bichinho de estimação que eu tive total responsabilidade para cuidar.

Ele era um dos filhotes de uma ninhada da minha prima mais nova. Como saíram muitos, ela saiu destribuindo para todos que ela conhecia, incluindo a prima mais velha dela, eu.

Eu já estava pedindo á séculos para a minha mãe para ter um bichinho que não fosse um peixe (adimitam, peixes não tem graça. Desculpe, amantes de peixes) e, depois de muita insistência minha e da minha prima, ela deixou eu ter ele.

Como eu estava comendo brigadeiro quando ele chegou em casa, o nome ficou esse mesmo.

Ele viveu tanta coisa comigo. Nós passamos vários finais de semana vendo filmes (porque ele também prestava atenção no filme. Existia bichinho mais inteligente?), lendo, brincando com a bolinha dele de correr, entre outras coisas. 

Eu tinha prometido á ele que nós iríamos pra cá, conhecer a Coreia do Sul. E nós viemos. Ele cumpriu a missão dele. Ele podia já descansar. Agora... Eu ia enterra-lo no jardim da casa.

Ao escutar os meus berros, as meninas vieram correndo me ver. Ao me verem de joelhos com o Brigadeiro na mão, elas foram me abraçar em conjunto.

-Já era a hora dele, Leti...

Maria Clara disse, fazendo carinho na minha cabeça.

-Ele estava muito velhinho...

Olívia disse, tirando meus cabelos do rosto.

-Ele não iria querer que você estivesse chorando agora, e sim, feliz. Ele finalmente pôde descansar.

Luíza disse, pondo ele em uma caixa de sapato. Nós a decoramos com adesivos, glitter, fotos de poilaroid dele e escrevemos o nome dele bem grande no topo.

-E-Eu dis-sse para e-ele q-que ele... El-le iria c-conhe-ecer os me-eninos... NYAAAAAAAHHH!!

Eu disse, voltando á chorar. Eu prometi para ele também que nós iríamos conhecer os meninos. Acabou que só eu cumpri essa promessa.

-B-Bri-igad-dei-iro...

Eu disse, ainda chorando. Elas se entreolharam e falaram.

-E se a gente chamasse eles? Ele iria conhecer eles de certa forma, não?

Luísa disse, fazendo carinho na minha bochecha. Eu fiz de sim com a cabeça de leve e ela e Olívia saíram do quarto, para chama-los.

-Agora vamos tomar um banho e botar uma maquiagem para cobrir essa sua cara de choro, ok?

Maria Clara disse, prendendo novamente o meu cabelo e me levando ao banheiro.


~Quebra no Tempo 1 hora~


Os meninos já tinham chego para o enterro do Brigadeiro. Mas, pelo que a Olívia disse, só conseguiram falar com o Jin, já que ele era o único acordado.

Sendo assim, só Jin veio de preto. Com excessão de Yoongi, mas ele anda sempre de preto. Garoto emo gótico pra caralho, aquele Min Yoongi...

Ao verem todas nós de preto e com cara triste, Taehyung disse.

-Quem morreu?

Pronto. Foi aí que eu voltei a chorar forte de novo. Eles me olhavam surpresos e Jin o repreendeu.

-O bichinho dela morreu! Respeito!

-Bem que você poderia ter avisado a gente, Jin! 

Hoseok disse, apontando para as suas roupas extremamente colorida que ele usava. Eu soltei um riso fraco com a situação dele e voltei a chorar.

-Ele era o quê? Um cachorrinho? Um gato?

Chum Chim perguntou, me abraçando do lado direito, enquanto Jungkook me abraçava do lado esquerdo. Pronto. Eu estava no meio do meu OTP.

-Um hamster.

Olívia respondeu por mim. E adivinhem? Yoongi começou a rir.

-Porra! Um hamster?! E você está nesse estado?! 

Eu ia dar um tapa nele, mas alguém foi mais rápido que eu. E esse alguém era...

Luísa.

A pessoa que eu menos esperava que fosse bater em alguém, bateu. Luísa era tão... Foda-se? Ela nunca pensou em bater em alguém. Quem dirá em um membro do BTS?

-PELO MENOS EM ALGUM MOMENTO NA SUA VIDA, RESPEITE ELA! O BICHINHO DE ESTIMAÇÃO DELA ACABOU DE MORRER E VOCÊ ESTÁ FAZENDO PAPEL DE OTÁRIO! PAPEL DE CUZÃO! SAI DAQUI! NEM SEI POR QUE PEDI PARA O JIN TE CHAMAR! VOCÊ É UM INSENSÍVEL COM ELA! NEM DUVIDO QUE NO FUNDO GOSTE DELA!

Todos olhávamos assustados para ela. Ela estava vermelha de raiva, vergonha e falta de ar. Já ele a encarava assustado e sem saber o que fazer.

Então ele pensou no que responder e disse.

-Tá bom. Eu vou embora. Nem sei por que me vim para cá. Sabia que ia falar demais como sempre e ser julgado como o errado como sempre.

-Yoongi...

Eu sussurrei, ainda chorando. Antes de sair para ir, ele disse.

-Meus pêsames pelo hamster.

Ele se virou e foi embora. Eu tentei ir atrás dele, mas o Chim Chim e o Kookie me seguraram.

-Deixa ele pensar um pouco. Ele fala sem antes pensar e ele tem que perceber que isso machuca.

Chim disse, fazendo carinho na minha mão.

-É melhor a gente fazer esse velório logo. Quanto mais rápido terminar, mais rápido você poderá falar com ele.

Eu fiz de sim com a cabeça e nós começamos o mini enterro do Brigadeiro. Não foi nada demais. Eu disse umas palavras, chorando, obviamente, a Clarinha, a Lu e a Oli também e o Taehyung disse.

-Olha amiguinho, eu não te conheci, mas quero te dizer uma coisa. O seu nome vem do melhor doce de toda a minha vida! Então acho que você curtiu a sua vida.

Nós todos rimos da besteira do Tae e Nam foi até o buraco onde iríamos enterrar o Briga e disse.

-Em nome do BTS, eu lhe desejo uma boa ida ao céu, amiguinho. 

Ele disse, se afastando. Até que Maria Clara perguntou para ele.

-Você não é ateu? Por que disse aquilo?

-É que, mesmo sendo ateu, eu acredito no céu. Entendeu?

Ela fez de sim com a cabeça para a explicação dele.

Eu subi as escadas até o meu quarto e vi os meus bichinhos. Todos eles olhavam para o cercadinho do Brigadeiro preocupados. Eles sentiam falta dele...

-Ele não vai voltar... Ele foi para um lugar melhor agora.

Eu disse, afanando a cabeça de Baby e Maryu, enquanto Tsum Tsum ficava no meu colo.

-Eu também sinto falta dele, meninos... Ele era o irmão mais velho de vocês e o meu filhinho mais velho. Não vai ter um dia que eu não sinta falta.

Sentindo as lágrimas surgirem nos meus olhos, eu resolvi pegar a almofada do Kumamon, o meu telefone e uns fones meio carinhos, os meus favoritos, e fui até a varanda.

-Briga... Essa é para você.

Eu comecei a cantar Young Forever, mas estava super desafinado, por eu ainda estar com voz de choro.

Quando eu terminei, tinham algumas lágrimas nos meus olhos e eu comecei a rir fraco. 

-Eu sou muito idiota, né?

Eu disse, rindo de novo. Então eu levantei o olhar e vi que que dava para subir para o telhado.

-Olha só... Dá para eu subir alí e ver tudo... Um bom meio de me concentrar para escrever. 

Me encostando na separatória do meu quarto com o de hóspedes, que é ao lado direito do meu, eu me segurei no telhado e passei uma perna.

-MAS QUE MERDA?!

Eu ouvi um berro vindo da varanda do quarto de hóspedes, o que me fez soltar um berro e quase largar o telhado.

-ALGUÊM ME AJUDA! EU VOU CAIR!

Eu disse, balançando as pernas que nem uma desesperada, berrando e, não sei por que, rindo. Eu ria muito. 

Eu olhei para o lado e vi o Yoongi olhando para mim surpreso e confuso.

-O QUE EU FAÇO?!

Ele berrou, esboçando um sorriso de lado, mas ainda continuava nervoso.

-SEI LÁ! ME PEGA! ME EMPURRA PRA CIMA! ME TACA PARA FORA DA JANELA! FAZ O QUE TU QUISER! MAS ME TIRA DAQUI!

Eu disse, rindo ainda mais. Eu estou confusa para um senhor caralho. Meu hamster morreu, o Yoongi falou que não era para eu estar naquele estado porque ele era só um hamster, a Luísa deu um tapa nele, teve o enterro do Brigadeiro, eu vim para o meu quarto para escrever, comecei a cantar Young Forever, tentei subir no telhado, mas tomei um susto com o Yoongi e agora estou me balançando no telhado.

-CALMA AÍ, ENTÃO, CARALHO!

Ele disse, saindo correndo da varanda do quarto ao lado, rindo e ainda desesperado. Eu continuei alí, me balançando e rindo até ele entrar correndo no meu quarto, tomando um susto com os meus bichinhos.

-EITA CUZÃO! VOCÊ JÁ TEM TRÊS FILHOS?!

Ele disse, abrindo a porta da varanda, apontando para os meus bebês.

-CALA A BOCA E ME TIRA DAQUI!

Eu disse, chutando o peitoral dele, que agora estava na minha frente, com aquele sorriso bobo que ele tem em algumas gravações.

-Se solta.

Ele disse, ainda com aquele sorriso.

-TÁ LOUCO?! E SE EU CAIR?!

Eu berrei, mesmo sem necessidade, acabando com o riso. É quase o meu tamanho de queda, pouca coisa, no caso, mas se eu cair, eu vou ralar todo o meu joelho.

-Primeiro, para de berrar, caralho. Isso irrita os meus ouvidos. Segundo, larga essa merda de telhado que eu vou te segurar.

Eu respirei fundo e soltei o telhado. Quando eu senti que ia cair, eu senti algo me segurando.

-Ai... Você é pesada, sabia?

Ele disse, fazendo cara de dor, o que me fez soltar um risinho fraco. Ele me largou e eu fiquei de pé no chão.

-Obrigada... Pera... Você me ouviu cantar?!

Eu disse, me afastando dele. Não sei por que eu não reparei antes, mas ele é meio vesguinho. Que fofinho!

-Você chama aquilo de cantar?

-Faça melhor no dia do enterro do seu primeiro bichinho de estimação, onde você chorou para caralho.

Ele me olhou sério de novo, mas, quando ele ia falar algo, eu o interrompi.

-Não precisa pedir desculpa. Eu sei que não queria falar aquilo. Você é que nem eu, fala sem antes pensar... No caso, a antiga eu...

Eu disse, me encostando na mureta da varanda.

-Ok. Não quer falar sobre isso? Tudo bem. Mas não me deixe curioso também. Isso é sacanagem comigo.

Ele disse, também encostando na mureta, fazendo bico, me fazendo rir um pouco.

-Eu não quero lembrar de morte no dia da morte do meu hamster. Tenho esse direito, senhor no qual eu conheci ontem e quer saber uma coisa de que só a minha melhor amiga de infância sabe?

Eu disse, batucando a mureta e o encarando meio séria.

-Tá! Então não peço mais, grossa!

-Olha quem fala, o senhor da grosseria!

-Você é tão grossa que você só tem elas de amiga, porque ninguém te aguenta!

-Tá. Já deu.

Eu disse, dando um tapa fraco no seu ombro.

-Como assim "já deu"?

Ele disse, me dando também um tapinha no ombro.

-Para que o que aconteceu hoje não se repita, eu vou te acalmar toda vez que você for atacar alguém com essas palavras.

Eu disse, me soltando da mureta.

-E o que você ganharia?

Ele perguntou, se aproximando de mim.

-Hmm... O prazer da sua companhia que não seria. A do Chim Chim é muito melhor. 

Ele me deu um tapinha no ombro e eu comecei a rir. Novamente, ele se aproximou mais de mim.

-Qual é o seu preço?

Ele disse, chegando bem perto de mim. O que ele está fazendo?

-Acho que quero créditos.

-Como assim, créditos? Créditos de que?

Ele perguntou, ainda mais perto de mim. Ele está me dando medo...

-Créditos para você ser me escravo e fazer tudo o que eu quiser. Desde pegar alguma coisa para mim até fazer alguma besteira ao vivo.

Ele se afastou rápido de mim e tinha uma cara assustada, enquanto eu ria.

-Não. Tudo, menos me envergonhar ao vivo.

-Filho, você que aceitou.

-Quando foi que eu falei "eu aceito"?

-Agora! Se fudeu, trouxa!

Eu disse, pulando de felicidade e entrando correndo no meu quarto.

-LETÍCIA!

Ele berrou, lá fora, me olhando com muita raiva.  Eu peguei minha almofada do Kumamon e saí correndo do quarto.

-SOCORRO! ELE QUER ME MATAR!

Eu disse, correndo e rindo para a sala, onde todos estavam meio sérios vendo a TV. Ao me verem correndo e rindo, todos eles mudaram o olhar para mim e sorrisos apareceram em seus rostos.

-Quem fez esse milagre?

Hoseok perguntou, enquanto eu me escondia atrás de Jin e Namjoon, por estarem um ao lado do outro e serem os maiores.

-SHHHH! Ele não pode saber que eu estou aqui!

Eu disse, me encolhendo atrás dos dois.

-Quem não pode saber?

Maria Clara perguntou e, na hora, apareceu um açúcar trevoso na sala. Eu não consegui ver sua expressão, só os seus sapatos, por estar escondida atrás do Namjoon e do Jin.

-CADÊ AQUELA MENINA?!

Eu ouvi algumas risadas, provavelmente de algum dos membros e o Chim abriu a boca.

-Não sei não... Ela estava com uma almofada?

Merda... A almofada do Kumamon estava no colo do Jin! Chim Chim, se o senhor falar para ele que eu estou aqui, seu dedinho será menor que o meu, já que não vai ter mais!

-Sim. Uma do tamanho dessa que você está segurando, Jin. Por que você e o Namjoon não estão encostados no sofá?

Fudeu.

Em nome da minha vida, que acabará hoje de qualquer jeito, eu deixarei que eles me amassem. Eu puxei de leve a blusa dos dois e fiz de sim com ela. Eles chegaram para trás e começaram a me esmagar. Eu mordi com muita força o meu lábio.

-Voltando, Suga-hyung. Não, eu não vi. Desculpa.

Chim disse, assim salvando o seu dedinho mindinho.

Eu ouvi os passos do Yoongi chegando perto e eu até parei de respirar. Os dois encostaram a cabeça no sofá, querendo me tapar. Ele pegou a almofada do Kumamon e disse.

-Essa menina tem muito haver comigo...

Ele disse, suspirando fundo.

-Então se casa com ela e enalteça o meu shipp.

Taehyung disse, pelo tom de sua voz, sendo infantil e com aquele sorriso. Eu fiquei completamene vermelha e comecei a morder o meu lábio ainda mais forte. Ele deve ter ficado com muita raiva, pois ele tacou a almofada no colo de Jin e saiu pisando forte.

Eu levantei a cabeça lentamente, completamente vermelha e comecei a berrar sussurros.

-PORRA TAEHYUNG! QUE MERDA FOI ESSA?!

Também berrando sussurros, Hoseok disse.

-ERA PARA VOCÊ ME AJUDAR COM O MEU SHIPP DE LETIMIN! 

Eu fiquei ainda mais vermelha e Chim também ficou.

-VOCÊ INVENTOU NOME DE SHIPP?!

Jimin sussuberrou. Taehyung devolveu os sussuberros.

-EU NÃO! EU SHIPPO YOONTÍCIA!

Eu, super envergonhada, me deitei no colo do Jin e do Nam, peguei a minha almofada do Kuman e comecei a esconder o meu rosto e á berrar por debaixo dele.

Vendo o meu estado, Luísa me tirou dalí e foi me puxando para a rua, onde eu poderia berrar o quanto quisesse e não teria um Yoongi com raiva me procurando ou uns loucos me shippando com Deus e o mundo!

-Ok. Agora, me fala tudo o que aconteceu. Eu vou tomar a sua posição de "escutadora do grupo".

Eu suspirei fundo e falei, desde eu começar á cantar no telhado, até eu descer correndo para a sala.

-E estamos aqui agora, fugindo de 9 jovens-adultos que devem estar nos procurando. 

-Eu só não entendi por que você tentou subir no telhado...

Eu não falei para ela que era para escrever. Prefiro parecer uma louca do que falar o meu hobby secreto.

-Tava afim. Mas vocês também são surdos! Como não conseguiram ouvir os nossos berros?

-A TV estava ligada e, pelo que parece, as paredes tem alguma coisa que não faz o barulho de fora entrar e o dos outros quartos também não...

-Acho que essa casa era usada também pelos meninos e, para eles se concentrarem enquanto tinha outros trabalhando também, eles não escutassem o barulho.

Eu disse, batucando com os dedos o queixo, curiosa.

-Deve ser por isso que só conseguimos escutar os seus berros quando a Baby abriu a porta.

-Eu ainda não acredito que ela ficou sobre as duas patas e abriu a porta...

Eu disse, olhando para o céu ainda sentida com a morte do Brigadeiro.

-Ele está melhor do que aqui, Leti. Ele deveria estar sofrendo aqui. 

Ela disse, passando as mãos no meu ombro, para me acalmar. Eu a abracei por completo e fechei meus olhos, para aproveitar aquele abraço. Ela fazia carinho na minha cabeça enquanto eu ficava alí, abraçada nela.

Mas, como tudo que é bom dura pouco, eu senti alguém me pegando no colo e me carregando no modo das cavernas.

-ME SOLTA!

Eu berrava para a pessoa. Não parecia ser ninguém conhecido, por ser uma mulher e ser mais alta que a Maria Clara, que é a maior de todas.

-Você cometeu sérios erros, Letícia.

A mulher disse, me levando em direção á uma van preta.


Notas Finais


Oi! Então... Meio pesadinho esse capítulo, né?
Bom, eu me senti bem mal com a minha amiga ontem então isso realmente mexeu comigo e me fez escrever esse capítulo bem depressivo
Desculpa por não ter postado capítulo ontem e desculpa por fazer um capítulo bem triste


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...