1. Spirit Fanfics >
  2. Tales Of Amon - A jornada de uma alma imortal >
  3. Sombras do passado (Parte 2)

História Tales Of Amon - A jornada de uma alma imortal - Capítulo 40


Escrita por:


Capítulo 40 - Sombras do passado (Parte 2)


    ****Perspectiva de Scarlet:

  

   - Hum... -Eu soltei alguns grunhidos enquanto acordava. – Onde eu...?

  Podia sentir minhas costas apoiadas na grama enquanto o sol batia no meu rosto, logo pude ouvir algumas vozes se aproximando.

   - Aí está você! -Uma voz masculina disse enquanto bloqueava o sol. – Chega de descansar e nos ajude com isso!

   - ... -Permaneci em silêncio e me levantei em um pulo.

  “Isso é impossível”

  Eu pensei.

   - V-Você... -Eu disse com hesitação em minha voz. – Quem é você?

  O estranho me olhou com confusão em seus olhos. Era impossível que ele estivesse bem aqui, parado na minha frente, até porque...

   - Do que é que estão falando sua boba. -O garoto me respondeu. – Eu sou seu irmão!

   ...até poque ele está morto!

   - Não, não há como ser você! -Eu respondi com a mente confusa. – Quer dizer...

   - Chega de brincadeiras, nossa mãe está nos esperando. -Ele disse enquanto me arrastava cuidadosamente pelo braço. – Vamos antes que ela fique brava conosco!

   - Minha mãe? -Eu disse.

   - Você está realmente se empenhando em sua brincadeira, não é? -Ele disse enquanto me agarrava pelo braço e me puxava pela trilha à nossa frente.

   Estava de volta ao meu corpo de criança. Eu usava meu vestido favorito feito de tecidos bordados que minha mãe havia feito para o meu aniversário e o garoto correndo à minha frente é meu irmão mais velho.

  Nós corremos por alguns minutos até que chegamos a nossa pequena vila, onde as pessoas que eu não via a muito tempo estavam preocupados com seus afazeres diários assim como de costume, mas meu maior choque foi quando olhei na direção da minha casa.

   - M-Mãe...? -Meu irmão soltou meu braço e correu para o lado de nossa mãe.

  Eu estava imóvel. Confusão e alegria se misturaram dentro de mim e me deixaram sem saber como reagir àquela cena.

   - O que está esperando? -A mulher disse enquanto estendia sua mão para mim. – Vamos entrar, o jantar está quase pronto.

   - Mas... -Eu disse enquanto meus pés se moviam na direção da minha mãe.

   “O que é isso? Esse sentimento caloroso...”

  Eu finalmente aumentei a distância entre meus passos e corri a toda velocidade na direção deles.

   “Talvez tudo aquilo tenha sido uma mentira, ou então ... um pesadelo.”

  Isso não importava mais, minha mãe e meu irmão estavam ali, parados à minha frente e eu não deixaria passar a chance de novamente poder abraça-los de maneira que não fosse em meus sonhos, ou pelo menos foi isso o que eu pensei.

  Poucos passos antes de alcançar a mão da minha mãe, o tempo se tornou lento, mas apenas para mim. Pude ver nitidamente a luz do sol que cobria a vila se transformar em sombras que cobriram as casas e a luz tomar um tom vermelho incandescente. A cor viva das peles da minha mãe e irmão foi substituída por um tom cinza, assim como o dos vários cadáveres pelos quais eu havia passado no passado.

  Em um piscar de olhos tudo estava tomado pelas chamas, mas meus olhos apenas focavam uma coisa, a imagem das duas pessoas à minha frente se transformando em cinzas enquanto os incêndios se intensificavam por todos os lados.

   - Não! -Foi o que consegui dizer.

  Quando o tempo voltou ao normal, nada mais restava deles além de meras cinzas sendo levadas pelo ar. Eu caí de joelhos enquanto pensava que mais uma vez eu os perdi.
 
    “Como isso pode acontecer? Quem fez isso? Por que?”

   - Foram eles! -Eu disse para mim mesma. – Eles são os culpados disso tudo!

   - Não... -Uma voz feminina disse.

  Ergui rapidamente meu rosto para ver a dona de tal voz e me surpreendi ao encontrar a imagem de minha mãe com sua pele danificada devido às várias queimaduras que sofreu.

   - A culpa disso... -Ela diz

   - ...é sua! – Meu irmão apareceu ao meu lado direito.

   - M-Minha... culpa...? -Eu perguntei com o choque.

  Eles gargalharam quando ouviram minhas palavras, se juntando aos montes ao meu redor.

   - Se você possuísse um pouco mais de auto controle talvez tudo isso teria sido evitado. -Uma das senhoras da vila disse.

  O tom avermelhado ao meu redor perdeu a cor e como as pessoas ele se tornou cinza.

   - A culpa é sua! A culpa é sua! -Eles diziam enquanto se aproximavam de mim, mas eu não ligava mais.

  Meus olhos estavam distantes enquanto eu remoía tudo de errado que conseguisse lembrar, abaixando a cabeça para as sombras do passado que estavam prestes a me consumir.

   “Eu quero lutar contra isso, mas eu ainda sou fraca demais, assim como quando eu era uma criança.”

    Voz: Está feito! Hahahaha...

  Pude ouvir a voz aterradora de alguém que estava me observando enquanto as sombras se aglomeravam ao meu redor. Suas mãos geladas absorviam a força do meu corpo enquanto retiravam aos poucos o restante de vontade que eu tinha de resistir, mas quando eu estava prestes a sucumbir...

   - Não esqueça seu passado... -Pude ouvir a voz de Amon ecoando em minha cabeça. – Enfrente-o e o domine!

    “Hum... como eu pude esquecer.”

   Voz: O que...

  A criatura sentiu o aumento avassalador na vontade de Scarlet.

   “Ele me disse isso uma vez.”

  Eu estava confusa quanto a tudo o que aconteceu, me sentindo sozinha, abandonada, mas ele me aceitou como eu sou. Mesmo depois de tudo o que fiz, ele ainda... me chamou de família!

   - Transforme sua fraqueza... -Ela escuta mais uma vez. - ... em sua maior fonte de poder!

   “Obrigada Amon, já sei o que fazer daqui pra frente.”

   - Eu não tenho apenas que enfrentar meu passado, tenho que aceita-lo. -Eu disse para mim mesma. – Só assim eu poderei seguir em frente!

   Voz: Matem-na!

  Finalmente ouvi a voz dizer, mas era tarde.

  Eu abri meus olhos enquanto as sombras amentavam a pressão sobre meu corpo, mas como se não fosse nada eu me levantei, trazendo comigo uma onda de espinhos vermelhos que perfuraram cada um daqueles seres que tentavam me derrubar. Todos se transformaram em pequenas partículas negras que se espalharam pelo chão, mas ao lançar um último olhar para a sombra de minha mãe, notei que ela estava sorrindo enquanto seu corpo se desfazia. Apesar de não ter dito nada, pude ouvir suas palavras através do silêncio:

   “Obrigada por tudo... Mesmo que um dia se sinta sozinha, lembre-se que eu se seu irmão estaremos sempre ao seu lado. Minha eterna e querida filha... Scarlet!”

  Logo ela desapareceu, assim como o restante das sombras do meu passado.

   - Agora... -Eu explodi com a liberação de mana do meu corpo, causando sérios danos no solo à minha volta.

   Voz: Como você...

  - Isso não é a minha mente e sim um mundo criado dentro de você! -Eu disse à criatura.

   Voz: Não...!

  Ele disse enquanto eu cortava meus pulsos nos espinhos afiados que saíram do chão, derramando meu sangue pelo solo.

   - Por tudo que você me fez ver, que sua alma seja corrompia pelo vermelho do meu sangue! -Eu disse enquanto me ajoelhava.

  A energia que meu corpo emanava foi absorvida pelo meu campo, aumentando sua extensão o suficiente para que ele cobrisse todo o lugar.

   - Liberar!

  Uma onde gigantesca de espinhos se espalhou pela área, ficando cada vez maiores à medida que percorriam seu caminho. A criatura gritou excruciantemente com a dor de ter sua própria alma sendo dilacerada pelos espinhos cristalizados que rasgavam e perfuravam cada canto do seu ser até que tudo estivesse tomado pelo vermelho.

  Quando os gritos pararam o lugar foi mergulhado no silêncio. Os cristais que cobriam a “parede” à minha frente emitiram um estalo e se quebraram, revelando uma luz branca e calorosa que levava para fora daquele lugar. Eu caminhei até a luz e parei, olhando para trás logo em seguida.

  Pela última vez eu conseguir ver a luz do sol brilhar sobre o lugar onde nasci, e junto dela, o sorriso do meu irmão enquanto ele segurava a mão de nossa mãe. Todos os aldeões se juntaram a eles para olhar minha partida, vindo aos montes para se despedir. Eu olhei para cada um deles e me lembrei dos momentos felizes que compartilhamos juntos quando era criança e antes que eu me desse conta pude notar um sorriso em meu rosto.

  Eu finalmente me virei e caminhei em direção à luz, deixando para trás não só os fragmentos do meu passado obscuro, mas também meu adeus para todos as pessoas que eu amava.

   A luz ficou cada vez mais quente enquanto me abraçava deixando meu corpo tão leve que eu já não conseguia mais diferenciar se estava ou não de pé. Pela primeira vez desde aquele dia eu desabei em lágrimas naquele lugar onde ninguém podia me ouvir, jurando a mim mesma que aquilo nunca mais ia me incomodar. Apenas dessa maneira eu poderei deixar com que minha mãe e meu irmão, as duas pessoas que eu mais amei nesse mundo pudessem finalmente descansar em paz.

   Graças a Amon eu realizei meu único desejo. O de um dia reencontrar minha família e poder dizer para eles algo que eu seguro dentro de mim desde quando eles partiram, dizer o meu mais sincero:

                - Adeus e... obrigada!

                                                                               Continua....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...