História Talking to the Moon - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Emma Swan
Tags Captain Swan, Ouat
Visualizações 14
Palavras 2.302
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Amei os comentários ahah
O capitulo de hoje é bem maior!
Lembrando que o que está em negrito são lembranças!

Capítulo 3 - Capitulo 2


***

-Killian, Belle vem jantar aqui hoje, não se esqueça.

Foi a primeira coisa que ouvi quando acabei de descer as escadas. Tinha acabado de colocar Hope para dormir depois de uma gritaria de 2 horas. Hope estava doente, com dor de dentes e febre e eu tinha cuidado dela todo o dia enquanto Emma tratava de algumas confusões pela cidade. Tinha sido um dia agitado e eu estava extremamente cansado.

-Merda…-Suspirei e passei as mãos pelo rosto, tentando tirar o sono.

-Hook! – E aí vinha. Estava um pouco mais chateada? Era pelo meu apelido que me chamava. – Eu já falei para não dizer essas coisas pela casa agora e, para além do mais, Belle é nossa amiga, ela tem nos ajudado muito com…- ela falava enquanto olhava o forno.

- Pelo amor de Poseidon, Swan. Eu estou morto de cansado.

- Certo…- Ela fechou a porta do forno e se virou para mim, jogando a luva vermelha no balcão. – Vá tomar um banho e se deitar um pouco, eu te chamo quando Belle chegar.

Eu me limitei a fazer um som de afirmação com a garganta, já subindo a escada. Tomei um banho rápido e me atirei para a cama e algum tempo depois, eu tinha pegado no sono, faz menos de 5 minutos, Emma estava me acordando.

Descemos em silencio e assim comemos.  Depois de comemos levámos tudo para a pia.

- Pode deixar, eu lavo. – ela pegou minha mão quando eu estava quase pegando na esponja.

- Não, pode deixar, amor. Vai ser rápido.

Ela concordou com a cabeça e nós formamos uma equipa. Eu lavei e ela secou.

- Agora, - ela colocou o seu braço à volta da minha cintura e encostou o seu queixo no meu ombro – vá dormir um pouco. – Deu um beijo no meu rosto e roçou o seu rosto no meu como um gatinho pedindo carinho. – Obrigada por ter estado de olho na Hope, sei que não é fácil…-Eu permaneci em silencio, parado e ela acabou se afastando.

- Okay.

Sequei as mãos no pano mais próximo e deixei a cozinha para trás. Pelo canto do olho vi que Emma estava com as mãos sobre a bancada olhando para baixo, mas não conseguia ver o seu rosto, pois os seus cabelos loiros o cobriam. Ela parecia respirar fundo e eu apenas segui para o quarto.

Eu fui burro. Não sei porque agi assim. Eu amava Emma. Mas acho que o dia a dia, o stress estava acabando comigo e com o meu casamento…

***

Bati com a minha cabeça na porta e deixei uma lagrima cair quando fechei os olhos. Foram varias e varias semanas assim e eu tenho plena noção disso.

Eu sei que a fiz sofrer. O homem que lutou por Emma, que trocou o seu navio por ela, que morreu por ela, acabou morrendo em alguma parte do caminho.

Eu me entreguei tanto ao stress, tanto à monotonia…que me esqueci daquilo pelo qual lutei durante tantos, mas tantos anos.

Ela tentou conversar comigo, mas só acabou por piorar as coisas.

***

-Mas porquê?! – Eu gritei e me virei repentinamente para ela passando as mãos no cabelo. – É a nossa vida. Porque tem que chamar quem quer que seja para colocar no meio? Archie? Eu preciso de ver Archie? Não me faça rir!

-Killian, a gente está brigando demais, isto não vai acabar bem. Você está sempre stressado, no trabalho nós não conversamos, chegamos em casa, você se tranca no quarto com Hope. Você esta agressivo e frio, eu não sei mais o que fazer. Talvez você precise de conversar com alguém. – Emma não era mulher de chorar, mas ela estava chegando no seu ponto de rutura e eu estava sentindo isso. Mesmo assim, eu não conseguia parar.

-Emma, isso não é motivo para marcar uma consulta para mim! – Dei um soco na mesa da cozinha que fez um jarro de vidro com uma flor virar e molhar toda a mesa. – Eu estou…!

-Killian…-A sua voz firme.

-O que foi?! – Me virei de costas para ela e suspirei mais uma vez. – Quer saber? – Olhei para ela por cima do ombro. – Vou sair. – Comecei a andar na direção do sofá onde estava a minha jaqueta, enquanto secava a minha mão molhada, por causa da agua que saiu do jarro, na calça, quando Emma agarrou o meu braço de repente.

-São 3 da manhã, onde raios você pensa que vai? – Os olhos dela não mostravam raiva, mas sim dor. Ela estava machucada, eu tinha passado dos limites, mas não conseguia ver isso naquele momento.

-Qualquer lugar para mim é melhor que este neste momento. – Encostei o meu gancho na mão dela, para que ela me soltasse e peguei a minha jaqueta, saindo logo de seguida.

Andando sem rumo pelas ruas vazias e frias do inverno de StoryBrooke.

***

Não sei o que Emma pensou que eu fui fazer, mas eu não fiz nada para além de andar por toda e qualquer rua da nossa cidade até gastar todas as energias que tinha. Nunca a trairia, nunca seria capaz de faze-lo.

Nesse dia voltei por volta das 6 da manhã. O jarro já não estava em cima da mesa, nem a flor e a água que tinha vertido também já estava limpa. Swan não estava em lado nenhum do segundo andar.

Coloquei a minha jaqueta novamente no sofá e subi as escadas tentando fazer o menos de barulho possível, estava tudo silencioso.

Abri a porta do nosso quarto vagarosamente e lá estava ela, deitada do meu lado na cama ainda com as roupas de ontem vestidas. Ela estava de costas viradas para a porta então me aproximei mais um pouco. Hope estava dormindo nos braços dela com uma das minhas camisas azuis por baixo de si. Emma tinha a cara inchada, mas respirava calmamente.

Fechei os olhos e ainda pensei em acorda-la, mas rapidamente desisti, com medo de começar uma nova briga. Dei um beijo na bochecha de cada uma delas e as cobri, pois naquele momento só Hope estava coberta com o lençol.

Fiquei algum tempo olhando para elas e fechei a cortina da janela para proibir a claridade de entrar. Então voltei a sair e desci para a sala, onde me deitei no sofá, me cobrindo com a minha jaqueta, olhando para o teto.

Emma havia me deixado por conselho de Snow. Soube isso através de Regina à algum tempo atrás.

Eu acabei por ir falar com Snow um dia destes, esperando que Emma lá estivesse, mas não tive essa sorte e então ela me explicou porque ela deu esse conselho para Swan.

Se a gente continua-se assim, iriamos chegar a um ponto sem retorno. Seria melhor parar já, dar um tempo, nos encontrarmos, ver onde errei.

De alguma maneira, saber que foi ideia da Snow, aliviou um pouco o meu coração, pois Emma tinha partido de um dia para o outro com Hope sem dizer nada, mas isso não diminuiu o meu desespero. Estávamos passando por uma crise, mas ela ainda era o amor da minha vida. E ela…simplesmente foi embora.

E eu não sei onde ela está. Ninguém sabe e, se sabem, não querem me dizer.

Já tentei ligar, mas o celular está sempre desligado…

O pior…O pior foi aquela maldita esperança dos primeiros tempos. A esperança de que ela fosse entrar por aquela porta com a nossa filha, rindo e gritar “Está louco? Achava mesmo que eu iria embora?” e pular nos meus braços, mas…de facto, ela foi. Elas foram.

***

-Hook…? – Eu ouvi-a, pela milésima vez, a voz de Belle do outro lado da porta do quarto me chamando. Maldita a hora quando eu lhe dei uma chave da nossa…minha casa.

Fazia o quê? Um mês? Dois meses? Que Emma tinha ido embora com Hope? Eu estava horrível, não me mexia. Não comia, já tinha esgotado todo o stock de rum da casa e agora estava esgotando o stock de whiskey, apenas saia para ir na delegacia e só quando estava minimamente sóbrio, porque eu passava 99% do meu dia em quase estado de coma, deitado no chão do quarto, olhando para mim próprio no espelho como se eu vi-se o meu próprio cadáver.

Os meus amigos estavam preocupados comigo. Eu? Nem tanto.

Belle deu mais umas pancadinhas suaves na porta e eu dei um soco no chão me levantando com alguma dificuldade. Cambaleando um pouco, ainda segurando uma garrafa de Jack Daniel’s na mão, tentei abrir a porta com o gancho, sendo que eu nem se quer estava vendo bem. Frustrado, atirei a garrafa para o chão e, finalmente, abri a porta.

- O que foi?! – Belle estava me olhando com dó.

- Bom dia para você também.

- Sim, Sim. – Me encostei na porta, bloqueando a passagem de Belle que tentava passar. – Obrigadinha pela visita, mas pode ir se retirando.

- Retirando? Killian, todo o mundo está preocupado com você?

Eu ri, ironicamente, abrindo de seguida um dos meus sorrisos igualmente irónicos e ergui uma das minhas sobrancelhas.

-Belle, nunca, ninguém, na porra desta cidade, se preocupou comigo, tirando Emma. Para todo o mundo, eu sou um lixo. Advinha que foi embora. Hum? Emma, exatamente, porque? – Eu me inclinei para a frente. – Porque eu sou um lixo! – Eu me desencostei da porta e comecei a rir, colocando uma mão na minha testa. – E agora, porque não me deixa apodrecer aqui? Volte para os seus livros e deixe esse pirata em paz. É o que eu mereço.

- Não fale assim, Hook.. –Ela agarrou meus braços e me puxou, o que fez com que eu me ajoelhasse. Ela se ajoelhou na minha frente, sem largar os meu braços, o que me fez perder o equilíbrio e eu cai para a frente, com o meu rosto na curva do seu pescoço. Belle, com as suas mãos me fez a encarar. – Eu sei que a sua vida está uma merda agora, mas você tem amigos. Você causou esta merda agora tem que encarar. - Ela tinha razão, eu sabia disso, todo o mundo sabia disso. – Venha. – Ela se levantou e me ajudou, o máximo que podia, a levantar e manter o equilíbrio. – Nossa, faz quanto tempo que não toma banho? Tá fedendo mesmo.

- Você sabe mesmo como puxar a auto estima de um homem para cima. – Eu deixei um pequeno sorriso escapar e me deixei ser arrastado para o banheiro que estava colado no quarto, enquanto avisava Belle dos cacos de vidro espalhados pelo chão do quarto e algumas poças de choro por aqui e por ali.

Belle colocou algumas roupas no banheiro e lá me deixou para tomar um banho.

- Se precisar de ajuda, me chama.

- Belle, eu acho que…

- Não é isso! Me veja como…Uma enfermeira…Ou, se você quiser, eu posso chamar o David, eu só estou tentando ajudar e…

- Eu sei…- Eu suspirei enquanto me ajoelhava no chão e via a água encher a banheira. – Obrigado.

Ela permaneceu em silencio.

Tomei o meu banho de água fria e quando sai, já vestido, o quarto estava quase como novo, sem caco de vidro ou baba ou cheiro a quarto trancado e sem ver a luz do sol. Terminei de colocar o meu gancho e desci as escadas, enquanto chamava por Belle.

Quando cheguei no ultimo degrau, olhei para a cozinha e vi Belle de costas viradas para mim, olhando para o fogão preparando algo e isso trouxe montes de lembranças, como pequenos vídeos, de Emma logo pela manhã. Isso trouxe uma enorme dor ao coração, que eu me esforcei para não refletir.

-Eu tinha avisado. – Belle disse, do nada, me arrancando dos meus pensamentos. Aparentemente ela tinha reparado na minha presença. – Eu tinha avisado para a Snow que dar um tempo não seria uma boa ideia. – Ela se virou para mim. – Emma é uma mulher forte, todo o mundo sabe disso, mas ela também não está bem.

Aquelas palavras me fizeram correr até à mesa, que era a única coisa que me se parava de Belle, onde me apoiei.

-Emma? Você sabe onde ela está? Tem falado com ela?

- Não. Não sei onde ela está. Mas ela tem falado comigo, com Regina e com Snow. – Ela colocou um prato com uma espécie de pão torrado na minha frente. – Ela consegue fingir muito melhor que você, mas ela também está quase tão mal como você.

- Belle, pelo amor de tudo, diga-lhe que eu lhe imploro para voltar. Por favor. – Eu agarrei as mãos de Belle e as trouxe para próximo do meu rosto. – Eu te peço, é tudo o que quero, por favor.

- Me desculpe…Snow nos proibiu…Eu nem deveria estar te contando isto, mas eu apenas não conigo estar vendo você sofrer deste jeito. Hook, Emma ainda te ama. Hope também te ama, mas você precisa organizar a sua cabeça.

- Eu não consigo ficar nessa cidade sem ela…- Sussurrei, escondendo meu rosto atrás das nossas mãos juntas. A minha voz saia falha e fraca. – Eu preciso dela…

-Então porque não pensou nisso antes de ela ir embora?

- Eu…não sei…- Sem eu conseguir controlar, senti as lagrimas começarem a escapar dos meus olhos e as minhas mãos segurarem as de Belle com mais força.

- Você precisa deste tempo para descobrir então. – Ela soltou as suas mãos das minhas e colocou um copo de água na minha frente. – Aqui. E da próxima vez que eu te encontrar trancado aqui dentro podre de bêbado e você não abrir logo aquela porta, eu mesmo arranco aquela porta.

Eu sorri, dei a volta na mesa e coloquei os meus braços à volta da cabeça da Belle, que é relativamente mais pequena que eu, a puxando para um abraço.

- Obrigado. – A soltei e peguei no copo de água. – Me acompanha nessa bebida?


Notas Finais


Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...