História Talvez... Na hora certa - Capítulo 8


Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino
Tags Adrienette, Adrinette, Miraculous
Visualizações 76
Palavras 893
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Volteiiiiiiiiiiiii.
Sentiram saudades??
Desculpem a demora, mas começaram as minhas aulas e fica um pouco difícil postar.
Esse capítulo tem um salto de três dias, desde o último.
Espero que gostem.
Boa leitura.

Capítulo 8 - "VOCÊ NÃO ENTENDE!"


Fanfic / Fanfiction Talvez... Na hora certa - Capítulo 8 - "VOCÊ NÃO ENTENDE!"

POV'S Narradora

Três dias se passaram, as coisas ficaram meio estranhas entre Marinette e Adrien.
Desde aquele estranho acontecimento, o loiro apenas ignorava a azulada, ele não queria se apaixonar, e, por mais que sua mente dizia que fingir que a mestiça não existia não era um bom plano, ele não escutava.
De fato, seu subconsciente estava certo, a saudade de sua voz e deu seu sorriso o sufocava, ele precisava dela, precisava muito, mas ele não iria atrás dela tão cedo.
Ele não conversava com ela no Colégio, e quando os amigos resolviam sair para algum lugar, ele inventava uma desculpa para não ficar aos seu lado. Não era a sua melhor escolha, já que ele apenas ficava trancado naquela fria casa.
Com a mestiça as coisas não estava nada bem, principalmente hoje.
Cinco de Agosto.
Seria um dia perfeito, afinal era aniversário de sua amada mãe. Como de costume, eles sairiam para jantar, após isso, voltariam para a casa e comeriam o bolo feito foi seu pai. Como uma família perfeita.
Mas dessa vez, seus pais não estavam aqui para comemorar, e as lembranças assombravam sua cabeça, ela só queria sumir, apenas isto.
Deitada em sua cama, olhou para seus pulsos que possuiam marcas quase invisíveis de cortes. Foi ai que ela se lembrara que já tinha tentado se matar uma vez, e se lembrara que ainda tinha algumas lâminas.
Inúmeros pensamentos suicidas passaram em sua mente, e sem pensar duas vezes foi até sua escrivaninha, abriu uma das gavetas, e achou uma lâmina, o objeto que julgava ser seu amigo, o único que sabia tudo o que ela tinha sentido. Talvez aquela lâmina aliviasse a dor que ela sentia.
Porém, antes que ela fizesse o primeiro corte, se lembrou de seus amigos, talvez eles a amassem, mas o loiro nem falava com a mesma.
Ela seria egoista, pelo menos teria que mandar uma mensagem de despedida. Assim eles não ficariam tão preocupados, ou talvez nem ligaram.
Pegou seu celular a digitou:
"Obrigada por tudo, sei que estou sendo egoista, mas eu já não aguento mais. Obrigada por me dar a oportunidade de me sentir amada uma última vez".
Ela estava sendo sincera, sentia-se grata por tudo o que eles fizeram por ela, mas ela já suportara demais, teria que dar um fim a todo aquele sofrimento. E assim o fez. Sentou no chão de seu quarto e começou a fazer cortes superficiais, sem colocar muita força, ela se sentia mais leve, sentia uma falsa felicidade, aquilo não levaria ela a lugar nenhum.


                             ***

O loiro, assim como todos os outros amigos da mestiça, receberam a mensagem e se desesperaram, eles não entenderam o que ela quiser dizer, mas várias possibilidades passaram por suas mentes.
Tentaram ligar para a azulada diversas vezes, porém a mesma nunca atendia.
Então, cansado de todo aquele alvoroço, o Agreste resolveu correr até a casa da Cheng.
Em cinco minutos ele estava entrando desesperado na casa de sua amiga.
E quando chegou ao quarto dela, ficou estático.
Ela se mataria mesmo? 
Quando voltou para a realidade, correu até Marinete e puxou a lâmina de sua mão, em seguida abraçou a mesma.
- Marinette - disse respirando pesadamente - O-o que você iria fazer?  - ouviu a menina fungar e logo derramar lágrimas silenciosas - Marinette, olhe para mim - seu tom ficou mais sério, fazendo com que a mestiça lhe olhasse - me explica o por que - ela desviou o olhar do seu rosto e soluço mais uma vez.
- Você não entenderia Adrien - murmurou.
- Me explica Marinette, deixa eu entender - suplicou, porém a mestiça balançou a cabeça.
- VOCÊ NÃO ENTENDE ADRIEN! HOJE É ANIVERSÁRIO DA MINHA MÃE, E ELA NÃO ESTA AQUI COMIGO.  VOCÊ ME IGNOROU DURANTE TRÊS DIAS, EU SOU UMA INÚTIL, SÓ SIRVO PARA ATRAPALHAR. CONSEGUE ME ENTENDER AGORA? VAI, ME CHAMA DE LOUCA, PSICOPATA, PODE JOGAR NA MINHA CARA.   - o loiro ficou um pouco assustado pelo grito da menina, porém não se afastou.
- Eu te entendo Marinette - ergueu o rosto dela - Sei o que você está sentindo, eu já senti isso, eu me vejo em você Mari, você é meu reflexo no espelho - ele disse olhando-a nos olhos - e é por isso que eu não quero te perder, por isso não me deixe princesa, eu preciso de você. 

Sou tão dependente de você, como um alcoólatra é de sua bebida. Fique comigo Marinette, me dê uma chance de te mostrar que eu posso te fazer feliz. Mas eu só posso fazer isso se você deixar - segurou o rosto dela com as duas mãos.
- Você veio aqui por qu... - a mestiça foi interrompida pelo maior.
- Eu vim aqui porque eu amo você Marinette, estou completamente apaixonado por você. Eu não sei o que faria se te perdesse, você é a única pessoa capaz de me fazer ficar nervoso, de querer estar a todo o momento do seu lado. E eu estava com medo, tentei te esquecer, mas eu não consigo, estou sempre pensando em você. E se você fosse embora, eu... Eu... Eu acho que ficaria perdido. Você é capaz de me fazer ficar perdido e de me achar ao mesmo tempo. Eu... Eu te amo Cheng - colou suas testas e a encarou... Foram se aproximando e..


Notas Finais


Ficou pequeno? Sim.
Mas eu tinha que postar, I'm sorry.
Não me matem.
Por favor comentem o que acharam...
Desculpa os erros ortográficos e...
Até, Bye bye...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...