História Projeto Emily- " À Beira da Extinção" - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 4
Palavras 944
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Científica, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Capítulo Dois


Copacabana- 25 dias e 7 horas antes


O seu mau humor está tão terrível quanto ao clima esta manhã. Havia uma tempestade lá fora e aqui dentro também. A garota loira estava intrigada e frustrada ao mesmo tempo. "Por que Emily não estava indo no colégio aquela semana? Será que está me evitando pelo que aconteceu?" Sabia que havia algo errado, mas morena nunca se abriria.

Todos no colégio sabem de quem ela era filha e por esse motivo se aproximavam dela.

Ela é totalmente fechada e somente voltada para sua roda de amigos. Os mais populares e mais inteligente.

Desde o momento em que ela pisou naquele colégio não teria mais volta. A loira se perdeu naquela imensidão de olhos verdes e tão frios.

Demorou muito para conseguir sua atenção, mas quando teve não passou de uma simples amizade.

Então por que à beijou e, simplesmente no outro apareceu acompanhada de outra garota? Estaria ela tanto afasta-la?

Perdida em seus desvaneios apaixonados, se esqueceu totalmente da hora. Levantou apressada da cama e vestiu uma calça, uma camiseta e colocou um vans e rapidamente pegou o primeiro moletom que viu. Desceu as escadas praticamente pulando e se lembrando que esqueceu sua bolsa no quarto ou melhor não faz ideia de onde esteja.

- Sua doida! Vai cair da escada desse jeito.- repreendia a amiga e ri debochadamente do seu jeito infantil.

- Quer me matar do coração, Melissa?!- suspirou pesadamente pelo susto que acabara de tomar.

- Isso nunca, Emily me mataria se infartasse sua mulher- sorriu largamente.

- Não seja idiota. Ela não gosta de mim, afinal já deixou bem claro semana passada.- se virou de costa para a amiga e caminhou em direção cozinha procurando sua bolsa e pegou uma maçã em seguida.

- Se você diz, Alexandra.-bufou e revirou os olhos. A garota não dava o braço a torcer.- Eu toquei a campainha e não veio me atender, então seu motorista me viu e abriu a porta.- andou até a sala e pegou a bolsa da amiga que estava no sofá.

- É Alex! Não gosto desse nome.- pegou a bolsa e correu em direção à porta, sendo acompanhada pela mulata logo atrás.- Meus pais viajaram ontem, estão numa convenção ou sei lá o que de negócio.- a garota apenas concordou e entrou no carro junto com a loira.

Estava muito quieto esta manhã, ouvia somente barulho da chuva. Como em plena Copacabana está tudo tão calmo? A loira estava com um pressentimento ruim. Não tem ninguém nas ruas e nem trânsito, até a chuva parou. O céu escureceu. É como se fosse um se o tempo estivesse parado.


Logo chagaram no colégio. O motorista desceu do carro e parou. Estava em choque. Observou tudo aquilo sem reação. As pessoas estavam atacando umas as outras.

Alex notando a demora para abrir à porta saiu do carro e, no exato instante em que olhou á sua volta,

gritou. Seu motorista estava sendo devorado.

Ela congelou. Não nada mais absurdo do que essas coisas, ou melhor zumbis. "Zumbi!?" Na mente inocente e infantil, parecia que está vivendo um filme de terror, um The Walking Dead versão Brasil.

Melissa ao escutar o grito da amiga, acordou

do transe, em outras palavras de stalkear com o "crush".

- O que houve?- olhou em volta e viu toda a entrada do colégio, tinha sangue por todo lado, alunos e professores gritando. Era o fim do mundo.- Eu achei que o mundo fosse acabar em 2012.- mesma nessas horas não deixar seu humor se abalar.

- T- temos que sair daqui.- se recompôs e correu em direção a amiga, a puxando para alguma lugar indeterminado.

Não tinha ideia dá onde iria e, tão pouco o que fazer.

- Sigam por aqui, agora.- o garoto surgiu detrás do muro do colégio.

- Lucca!?- Alex não entendia. Por que ele esta ali te ajudando?

- Só cala a boca e me segue.- falou sem demonstrar importância para elas.

- Por que?- Estava confusa, por que ele estaria ajudando-a? Ele simplesmente a odiava e só se preocupa com a Emily.

- Mily!- seu rosto aos poucos foi suavizando e pouco a pouco saia a seriedade dele, dando lugar à tristeza.

A garota não disse nada. Apenas o seguiu em direção ao ônibus junto com a amiga.

Estava feliz. Emily se preocupava com ela e pedia aos amigos que a protegesse. Poderia vomitar arco-iris agora, literalmente.

Após uns cinco minutos de corrida, entraram no ônibus.

Olhou e olhou nos bancos não a encontrou.

- Onde ela está?- lágrimas desciam rapidamente.

- Ela foi verificar se sua família está em segura.- mais fundo, seus olhos se colidiram com a ruiva em sua frente.

- Sophia? Pensei que estaria com Emily- Melissa se pronunciou, não se tocando nos efeitos que palavras teriam sob Alex.

- Ela está bem. Eu garanto, vamos busca-la nesse momento.- falou o nerd no banco da frente, arrumando timidamente os óculos.

- Esperou sim, Felipe. Eu preciso dela.- suspirou e foi se acalmando aos poucos, mas não deixou de lado sua sensação ruim.

Lucca logo começou a dirigir o ônibus. Precisava se distrair. Pensar em Emily o deixava aflito. Sabia que nunca teria chance com ela, portanto, Alex também não.

- Ela está com Jéssica. Com certeza está bem.- disse calmamente para loira entender o duplo sentido da frase.

-Cala a boca, Lucca.- uma morena se pronuciou, mais ao fundo ao lado da irmã.

- Vai se fuder, Elena. Sophia manda a sua irmã cuidar da vida dela.- sorriu impaciente, eles sempre brigavam.

- Me poupe. Não tenho nada com isso. E Alex, Emily é uma idiota, fica nesse cu doce ao invés de pegar logo você- brincou sarcástica.

Alex apenas sorriu. Estava mais preocupada com segurança da sua " crush" do que uma idiota qualquer. Não que não ciúmes. Está corroendo por dentro.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...