1. Spirit Fanfics >
  2. Tangled Hearts >
  3. Capítulo 30

História Tangled Hearts - Capítulo 30


Escrita por:


Capítulo 30 - Capítulo 30


Fanfic / Fanfiction Tangled Hearts - Capítulo 30 - Capítulo 30

Boomer acordou com o som do despertador,um toque familiar que jamais deixaria de ser irritante.

Deu uma rápida olhada ao redor de seu quarto. Viu que os irmãos estavam lá,acordando aos poucos. Boomer quase caiu da cama ao tentar se levantar.

E memórias da noite passada invadiram sua mente,e ele sorriu. Bubbles estava ali também,deitada ao lado dele,despertando bem devagar. Ela trajava apenas as roupas íntimas,assim como ele.

Boomer já se preparava para ouvir dos irmãos. Era bem provável que eles estivessem prontos para fazerem algumas brincadeiras.

Ao notarem que ele e Bubbles não estavam decentes,Brick e Butch deixaram o quarto,e apesar da expressão sonolenta,ambos sorriam,divertidos.

-Bom dia.-Disse Boomer,sorrindo e beijando a bochecha de Bubbles,e ela deu uma risadinha.

-Seus irmãos me viram. Acho que vou morrer de vergonha.-Disse ela,cobrindo o rosto com as mãos.

-Que besteira. Eles sabem que eu te amo. Não devem ter ficado tão surpresos assim. E você é mais do que bem vinda a passar várias noites aqui,pode ter certeza.-Disse Boomer.

Bubbles assentiu,beijando Boomer em seguida. Era tão bom ouvir isso dele,destruía qualquer pensamento ruim que ele apenas tivesse interesse em ir para a cama com ela.

Mas este obviamente não era o caso. Ele realmente a amava,um amor verdadeiro que jamais poderia ser destruído.

Rapidamente se vestiram,e saíram do quarto. Foram até a pequena cozinha,onde Brick estava fazendo o café da manhã e Butch estava semi-acordado na mesa,com a cabeça apoiada na mão.

Brick sorriu ao vê-los.

-Bem,me parece que alguém teve uma noite agradável.-Disse Brick,fritando ovos com bacon,ele usava roupa de dormir,o que se consistia em uma regata vermelha e cueca preta.

Butch não estava tão diferente,embora usasse apenas cueca,e não pareceu ter dado muita atenção para eles.

Eles piscou,e de repente estava desperto. Puxou uma cadeira para que Bubbles pudesse se sentar,embora não tenha feito a mesma gentileza para o irmão.

Boomer olhou para os dois,com um pouco de irritação no rosto.

-Será que vocês dois não poderiam ter se vestido um pouco mais?-Disse ele.

Mas Bubbles mal se incomodou de fato. Não era como se estivesse feliz em estar cercada de homens seminus,e não se importava com isso. Aquela era a casa deles,e tinham o direito de usar o que quiser ali.

-Está tudo bem,Boomer. Vocês são os donos,não se incomodem por minha causa.-Disse Bubbles.

Brick pareceu ficar impressionado.

-Você é sempre tão educada. Por que as suas irmãs não seguem seu exemplo?-Perguntou Brick,embora algo em seu jeito denunciou que ele estava brincando com aquela pergunta.

Butch deu de ombros.

-Eu gosto de gente esquentadinha. É mais interessante.-Disse Butch,comendo um pouco do cereal.

-Vocês não podem pelo menos colocar uma bermuda?-Perguntou Boomer,falhando em esconder que não estava se importando.

-Chega disso. Até parece que a Bubbles vai ver algo que não viu com você ontem.-Disse Butch.

Boomer estava para protestar contra a brincadeira,mas Bubbles riu. Estava se divertindo bastante com aqueles três irmãos.

Já sabia que seria uma experiência bem única em ter Brick e Butch como seus cunhados.

Mais Tarde

Já na escola,Brick procurava por Berserk antes da aula começar.

Não tinha falado com ela desde o ocorrido na sala de teatro. Queria tirar algumas satisfações.

Butch já tinha contado a ele que Berserk e suas irmãs também tinham poderes. Isso explicava como ela fora capaz de ouvir a conversa dele.

Mas isso não dava a ela o direito de expor ele e Blossom do jeito que havia feito. E fora graças a ela que Blossom tinha sido suspensa,e Brick já estava tomando as dores de Blossom.

Era uma sensação peculiar,embora não surpreendente. Quando você gosta de alguém,os problemas dessa pessoa passam a ser seus também,e você quer ajudá-la a superar do jeito que puder.

Claro que ele não estava planejando sair na mão com Berserk como Blossom havia feito. Mas ela não iria escapar de uma conversa,e isso era fato.

Ele a encontrou descendo pelo corredor,indo em direção a segunda quadra da escola,a menor onde ficavam as mesas de ping pong e os jogos de tabuleiro. Talvez ele fizesse uma aposta com Butch no Ludo mais tarde.

Ela trajava as roupas ousadas que pareciam ser essênciais para seu guarda-roupa. Uma blusa de botões vermelha escura com as mangas cortadas,uma saia jeans preta e botas cor de sangue. Seus cabelos ruivos estavam presos pelo laço caótico que ela usava.

-Berserk! Vamos bater um papo.-Disse Brick,ficando na frente dela de propósito.

Não sabia como ela iria reagir,e ficou um pouco espantado quando ela apenas sorriu.

-Suponho que isso não tenha sido um pedido,não é?-Disse ela,entretida.

-Não.-Disse Brick,sendo curto e grosso.

Eles andaram até uma das mesas que havia na pequena quadra,e se sentaram de frente um para o outro.

-Pode falar. Sobre o que isso se trata?-Indagou Berserk. Ela não parecia muito interessada.

-Quero saber quem te deu o direito de sair falando sobre a minha vida e da Blossom para o Noah? E também pode me dizer por que estava ouvindo minha conversa com meus irmãos? Se fosse do seu interesse,eu teria te chamado,não acha?-Indagou Brick.

-Ora Brick,como você bem sabe,eu prezo muito pela boa índole e pelos bons costumes. Não poderia deixar o Noah continuar fazendo o papel de corno de uma forma tão leviana. Ele precisava saber de alguma forma.-Disse Berserk.

Brick não tinha reparado antes,mas quando ele olhava para Berserk agora,só conseguia ver ironia e sarcasmo na expressão dela.

Era óbvio que o único intuito dela desde o início era causar confusão. Queria atrapalhar a vida de Blossom,e com certeza não se importava com Noah a ponto de querer abrir os olhos dele.

-Você vai querer pagar de boazinha para cima de mim? Não é justamente isso que você odeia na Blossom?-Disse Brick.

A expressão de Berserk mudou,indo de divertimento a puro ódio.

-Eu odeio tudo nela. Mas você já deve estar sabendo da situação agora. Sabe que eu sou perigosa. Acha mesmo que é uma boa ideia usar esse tom comigo? Eu não lhe devo satisfação alguma.-Disse Berserk.

-Eu uso o tom que eu quiser. Você acha que pode prejudicar os outros e que vai ficar por isso mesmo? Eu não tenho medo de você. Já derrotei a Blossom uma vez. Acha que não faço o mesmo com você?-Disse Brick.

-Que interessante. Eu até poderia considerar isso um desafio vindo da sua parte,mas eu não tenho vontade de participar de uma briga inútil. Além do mais,não deveria me agradecer? Pelo que fiquei sabendo,o relacionamento da Blossom com o Noah desandou após eu revelar sobre o beijo. Você pode ficar com ela agora. Isso não te deixa feliz?-Perguntou Berserk,com veneno na voz.

Brick teve sucesso em esconder sua surpresa. Não esperava que Berserk soubesse de algo assim,embora ela não estivesse totalmente errada.

Apesar de não ir muito com a cara de Noah,Brick nunca desejou mal ao relacionamento que ele teve com Blossom. Não iria querer ficar com ela se ela não estivesse cem por cento no namoro com ele.

E eles ainda nem estavam namorando,embora pudessem estar bem perto disso. Ainda faltava uma atitude vinda de Brick,algo que ele planejava resolver logo.

-Não me venha com essa de que você me fez um favor. Aposto que você deve estar se sentindo péssima,não é? Achou que iria acabar com o namoro da Blossom,mas só abriu o caminho para alguém que a ama de verdade. Poderia até dizer que você é uma espécie de cupido.-Disse Brick.

Berserk cerrou os punhos,irritada.

-Para ela ficar com você? Isso deveria ser uma vitória? Eu provei você na piscina aquele dia. É claro que eu fingi tudo. O Noah com certeza é muito mais homem do que você.-Disse Berserk.

Mas Brick não caiu naquele insulto. Não importava se Berserk o achou satisfatório ou não. A única pessoa que Brick desejava amar e satisfazer era Blossom. Aquela menina ruim e amarga na frente dele não tinha importância alguma.

-Acho que você jamais vai saber,não é? Nem comigo e nem com o Noah. Você pode ter todos os homens aos seus pés,mas nunca vai ser amada,como a Blossom ou a Sarah. Isso deve doer.-Disse Brick,se levantando e se afastando dela em seguida.

Nem precisava olhar para saber que Berserk estava furiosa. Mas era o que ela merecia por tentar prejudicar Blossom.

Agora os inimigos de Blossom eram os inimigos dele também. E se eles tentassem algo contra ela,iriam se ver com Brick.

Mais Tarde

Buttercup estava na arquibancada,olhando para o campo vazio. Desde o ocorrido naquela noite fatídica,a maioria dos alunos estava evitando ficar por ali.

Mas isso não acontecia com ela. De certa forma,apenas o campo era capaz de trazer alguma tranquilidade para ela dentro da escola. Afinal de contas,era ali que ela brilhava,que fazia o que mais amava,jogar futebol.

Também fora um dos lugares onde havia beijado Butch. Era como um filme passando diante dos olhos dela. Eles deitados na grama,se beijando com certa voracidade. Ela com a pele quente e ele sem camisa,todo suado.

Havia chegado ao ponto onde era impossível não pensar em Butch. Parecia que ele já havia feito morada na mente dela,e fazia questão de aparecer de vários jeitos diferentes.

As vezes ela visualizava o sorriso dele,quando contava alguma piada,ou quando eles assistiam a um vídeo engraçado juntos. As vezes ela conseguia vê-lo lutando no ringue,o suor escorrendo por seu corpo,e seus olhos completamente focados na luta.

E,com mais frequência do que todas as outras maneiras,ela se lembrava dele a tocando,do jeito que duas pessoas que se amam se tocam. Conseguia visualizar todo o corpo dele,todos os cantos que ela conhecia e que ansiava por tocar novamente.

Estar apaixonada não era uma coisa fácil de se lidar. Pelo menos a maioria das lembranças que tinham de Butch eram boas agora. Uma pena que eles já não pudessem criar novas.

A presença dele na escola também não ajudava muito. Buttercup estava quase certa de que ele iria retomar os serviços como gigolô,embora Jenny tivesse assegurado a ela que ele não o fizera.

Aquele fora outro sinal que Buttercup estava no fundo do poço. Havia procurado Jenny Simmons para saber se Butch tinha voltado a fazer sexo com mulheres que não fossem ela. Se estava tentando mostrar que iria esquecer Butch,estava fazendo um péssimo trabalho.

Havia horas em que ela desejava ser um pouco mais como as irmãs. Blossom tinha uma mente tão afiada,e ela sempre pensava em tudo,sempre analisava todos os pontos de vistas diferentes antes de tomar uma atitude. E Bubbles era bondade pura. Ela tinha o coração mais generoso de todos,e era sempre capaz de perdoar.

Não era isso que Buttercup queria? Ou que deveria fazer? Se perdoasse Butch,tudo não voltaria ao normal? Não seria tudo mais fácil?

E mesmo assim,tinha certas dificuldades em ir adiante com tais pensamentos. Ela era teimosa e orgulhosa,e era difícil passar por cima de hábitos tão antigos como aqueles.

E Butch parecia disposto a falar com ela sempre que ela quisesse,e ele havia respeitado a distância que ela precisava. Se ele não se importasse,e apenas quisesse transar,então não deveria estar agindo daquela maneira,não é?

Talvez só precisasse de uma conversa com ele. Se tudo ficasse claro,ela iria conseguir tomar a melhor decisão.

-Já está com saudades de voltar ao seu palco?-Perguntou aquela voz grossa e masculina que ela tanto amava.

Butch. Ele se sentou ao lado dela,e como não houve protestos,continuou lá.

-Por que isso seria o meu palco?-Perguntou Buttercup.

-Porque é aqui que você brilha. É aqui onde mostra para todos do que você é capaz. Sabe que não é a toa que os outros times tem medo de jogar contra Townsville.-Disse Butch.

Buttercup desviou o olhar,para não ser vista sorrindo. Mesmo separados,ele ainda sabia exatamente o que dizer para fazê-la sorrir.

-Ficar me cantando não ajuda você.-Disse Buttercup.

-Não pensei nisso como uma cantada. Só estou dizendo a verdade. Não precisa duvidar de mim quanto a isso,pelo menos.-Disse Butch.

Isso foi demais para Buttercup. Aquilo mal podia ser considerado uma indireta,já que havia ficado bem claro sobre o que ele estava falando.

Mas por que tocar no assunto? Não era isso que eles estavam evitando? Ou ao menos ela estava?

-Então eu tenho que acreditar em cada palavra que sai da sua boca? Fica difícil te dar credibilidade quando você diz uma coisa e age de outra maneira.-Disse Buttercup.

-Buttercup,eu nunca tive orgulho de ter trabalhado como gigolô. Eu precisava ajudar meus irmãos,e se as coisas ficassem piores,eu queria garantir que teríamos como nos virar por um tempo.-Disse Butch.

Buttercup cruzou os braços.

-Não é tão fácil assim acreditar nisso. Butch,você é homem. Eu já ouvi milhares de vezes as pessoas dizendo que homens tem necessidade,que nunca passam vontade. E olha só para você. Claro que você tinha um monte de clientes. Como eu posso acreditar que você não escolheu isso por prazer próprio? Sexo não é ruim,e você ainda foi pago para fazer.-Disse Buttercup.

-Você tem razão. Sexo não é ruim,mas não tem essa importância toda que você está pensando. A intimidade física nunca é mais importante que a intimidade do coração. Eu transei com essas mulheres,mas não sei nada sobre elas,e nem elas sobre mim. Elas nem se davam ao trabalho de trocar palavras comigo. Não foi assim com você.-Disse Butch.

-Eu jamais seria uma cliente sua. Prefiro mil vezes ser amada do que passar por esse tipo de situação.-Disse Buttercup.

-E não foi isso que fizemos? Você nunca pagou um centavo pela minha companhia. Eu sempre estive com você por querer ficar perto de você. Nunca passou pela minha cabeça querer fazer de você minha cliente. E aquela noite que passamos juntos...Eu poderia transar com todas as mulheres de Townsville,nada iria se comparar com aquela noite.-Disse Butch.

A voz de Buttercup ficou trêmula. Não conseguia detectar nada além de sinceridade nas palavras de Butch. E ainda assim,não se permitia ficar com ele.

-Não é tão diferente assim,é? Você não saiu no prejuízo? Eu não te paguei nada.-Disse Buttercup.

-Prejuízo? A alegria daquela noite valeu mais que todo o dinheiro que eu ganhei. Pela primeira vez eu não estava fazendo sexo,e sim amor. Eu amei você naquela noite,e continuou te amando. E provavelmente vou te amar ainda mais amanhã.-Disse Butch.

Buttercup já não conseguia mais olhar para nada além de Butch. O rosto dele estava perto,e ela conseguia ver os lábios dele,a chamando para um beijo. A sombra da barba ao redor do rosto,os olhos verdes expressivos e intensos que a faziam suspirar.

Ela o amava,sabia disso. Nunca deixou de ama-lo por um segundo que fosse.

-Foi depois daquela noite que eu cortei os meus serviços. Soube que jamais conseguiria me deitar com alguém que não fosse você.-Disse Butch.

O coração de Buttercup começou a se aquecer aos poucos. Ela sentia suas pernas ficarem levemente fracas,ao mesmo tempo que uma alegria franca ia surgindo dentro de si.

-Você não está mentindo. Eu sinto isso. Mas não entendo por que você me escondeu tudo isso. Fiquei sabendo por terceiros,e não foi fácil processar essa informação.-Disse Buttercup.

-Eu entendo,e sinto muito. Nunca tive a intenção de te fazer sofrer. E eu nunca soube como lidar com isso. Não significou nada,e eu temia que você não fosse entender,que fosse ter nojo de mim,por estar disposto a vender o próprio corpo por dinheiro.-Disse Butch,com profundo arrependimento em seu tom de voz.

-Eu jamais poderia ter nojo de você. Sabe,eu tentei lutar contra isso. Tentei me fazer de durona,que é a minha especialidade. Achei que iria conseguir superar. Mas não consigo. Quer dizer,eu superei toda essa coisa de gigolô,contanto que você não repita isso. O que eu nunca superei foi você,e nem quero. Dizem que sabemos quando encontramos a pessoa com quem queremos passar o resto da vida. Eu acho que soube disso no momento em que nos reencontramos.-Disse Buttercup.

Butch sorriu para ela,e toda a tristeza e cansaço que haviam no semblante dele foram embora.

-Então você me perdoa?-Indagou Butch.

Buttercup assentiu,finalmente permitindo que a felicidade tomasse conta de sua alma.

-Claro que sim. Eu te amo,Butch. Não sei viver sem você.-Disse ela.

E se beijaram,destruído a saudade que sentiam um do outro. Buttercup flutuou pela sensação familiar e incrível de estar sentindo os lábios de Butch nos dela.

E ficava ainda mais satisfeita em saber que aqueles lábios eram só dela e somente para ela. As outras já puderam ter o corpo dele,mas o coração,este sim,pertencia somente a ela.

Mais Tarde

Para evitar passar uma tarde monótona em casa,Blossom havia aceitado o convite de Brick para ir até Los Angeles novamente.

Já haviam passado boa parte do dia juntos,explorando mais coisas além da praia e do pier. As ruas eram movimentadas pela noite,e os outdoors eram muito coloridos,poderia até dar dor de cabeça nos desacostumados.

Claro que isso não estava sendo um problema para eles. Brick apontava para coisas diferentes que ele reconhecia,e Blossom normalmente fazia perguntas difíceis de se responder.

Caminharam por boa parte da cidade. Tinham começado visitando o letreiro de Hollywood,e Brick tirou uma foto de Blossom fazendo uma pose bem sensual na abertura do Y.

Depois decidiram experimentar comidas de restaurantes diferentes. Começaram pela Delicatessen Canter,onde havia uma variedade enorme em sabores de waffles,além de panquecas com manteiga e muito chocolate.

Em seguida visitaram um mais afastado,o Neptune's Net,que serviam pizzas de anchova,e era localizado próximo ao litoral. Demorou um pouco para convencer Brick a comer na areia,mas ele aceitou. Por sorte,nenhum deles derrubou a pizza.

Agora já era noite,e a lua crescente brilhava junto as estrelas no céu. Estavam passando por construções recentes que haviam sido abandonadas. Havia uma certa grandeza ali,como se um mundo secreto existisse em meio aos segredos.

-Você precisa conhecer esse lugar. É um esconderijo que eu criei aqui em Los Angeles quando fiz minha primeira visita.-Disse Brick,com animação.

Blossom estava um tanto curiosa. Não imaginava que Brick já conhecesse aqueles cantos da cidade. Certamente deveria ser um lugar interessante.

-E por que essa rua? Ela é tão vazia e quieta. Achei que você gostasse da cidade por causa do movimento.-Perguntou Blossom.

-Eu gosto,mas até eu preciso de um pouco de sossego. É por aqui,vem comigo.-Disse Brick,segurando a mão de Blossom e a trazendo consigo.

Chegaram em frente a um velho teatro afastado. A placa apagada dizia "Midnight Theater",e a porta da frente estava completamente selada.

-É aqui? Como você faz para entrar?-Indagou ela.

Brick sinalizou para que ela o seguisse. Eles andaram para os fundos do teatro,e voaram até uma entrada localizada no sótão. Era alto demais para qualquer humano comum conseguir entrar.

Após entrarem,tudo estava completamente escuro. Ela ouviu os passos de Brick,e de repente a luz começou a funcionar. A sala onde estavam estava praticamente fazia,com exceção de um gerador pequeno localizado no canto do lugar.

Brick deveria usar seus poderes para gerar energia ali dentro. Com certeza não pagava conta alguma.

-Vem,a sala principal é lá embaixo.-Disse Brick.

Eles desceram as escadas juntos,e acabaram no que realmente era uma sala de cinema,com poltronas que um dia foram vermelhas,bem desgastadas. Havia pôsteres de filmes antigos ao redor do lugar. Reconheceu alguns de Charles Chaplin.

-Nossa. Eu realmente não esperava isso. Que belo lugar você achou.-Disse Blossom.

-Tem mais,espere aqui,porque eu vou fazer a magia acontecer.-Disse Brick.

Ele se ausentou por poucos minutos. Uma luz branca forte invadiu o lugar,projetando um filme perante eles.

Blossom reconheceu o filme. Era "Tempos Modernos",um clássico de 1936,um filme em preto e branco e mudo também.

Brick voltou,e estava sorrindo.

-Vamos assistir?-Sugeriu ele.

Blossom assentiu,retribuindo o sorriso. Se sentaram bem próximos,e as mãos se tocaram,em um gesto quase inconsciente.

Mais Tarde

Quando o filme terminou,Blossom sentiu uma alegria forte dentro de si.

Não pelo fim do filme,mas pelos momentos que havia passado com Brick. Foram mágicos e inesquecíveis.

-Essa noite foi ótima,Brick. Muito obrigada.-Disse Blossom.

Brick assentiu,parecendo meio tímido.

-Queria fazer uma coisa legal para nós dois. Me disseram que é isso que namorados normalmente fazem,embora eu não tenha muita experiência.-Disse Brick.

Blossom soltou o ar que não percebeu que estava prendendo.

-Namorado?-Perguntou ela.

Percebendo a gafe que havia cometido,Brick corou.

-Bem,eu pensei que pudesse ser. Você já deve ter percebido que eu estou apaixonado por você. Tentei te dizer isso várias vezes mais cedo,mas não consegui. Se eu não dissesse agora,acho que não iria conseguir mais.-Disse Brick.

Blossom estava tão embasbacada que ficou sem reação. Ela tinha ouvido direito?

Brick estava apaixonado por ela? Então seus sentimentos eram recíprocos!

-Que sorte a sua. Posso dizer que sinto o mesmo,e adoraria ser sua namorada.-Disse Blossom.

Brick a puxou para mais perto.

-Essa foi a melhor coisa que você disse hoje.-Disse Brick.

-Acho que podemos encerrar a noite de um jeito melhor. Estamos namorando agora,não é?-Indagou Blossom,sorrindo.

Brick riu,entendo exatamente onde ela queria chegar.

-Eu concordo totalmente.-Disse Brick.

E colidiu seus lábios com os dela. Eles estavam em chamas,juntando o fogo para que pudessem queimar em união.

As mãos de Brick soltaram os cabelos de Blossom,e ela havia feito o mesmo com os dele. Trouxe o rosto dele ainda mais perto ao apoiar os braços na nuca dele.

Cederam o beijo rapidamente para que pudessem se livrar das vestimentas. Blossom tirou a camisa de Brick,explorando o peito dele com as mãos. Ela tirou a própria blusa em seguida,e deixou que Brick tocasse em seu busto.

O mero toque dele era como um incêndio no corpo dela. Mas ela não queria apagar as chamas,e sim deixá-las mais intensas.

Tirou seu sutiã para isso,e abraçou Brick em meio ao beijo. Tinha total consciência da presença dele ali,sentindo o corpo dele com o próprio.

Se deitaram juntos no chão daquela sala,Blossom tirou seus saltos,mas ainda ficando com a meia calça que usava. Brick ficou descalço rapidamente.

Ele tirou o jeans de Blossom enquanto beijava os seios dela,a fazendo vibrar. A calcinha saiu logo depois.

Percebeu o que ele queria fazer,mas não tinha tempo para isso. Ela tinha uma verdadeira necessidade de senti-lo completamente.

E apenas o olhar foi o bastante para comunicar isso. Brick tirou as calças que usava e a cueca também. Nem sequer pensarem em proteção. Simplesmente precisavam um do outro,e isso era urgente demais.

Brick se inseriu em Blossom,e eles giraram,para que Blossom ficasse por cima dele. Ela queria o controle,e isso apenas deixou Brick ainda mais seduzido por ela.

Eles estavam de mãos dadas enquanto Blossom se movia sobre ele,tendo noção dos gemidos que escapavam dos lábios de Brick e dos próprios.

Era uma sensação inebriante e viciante. Blossom sabia que jamais se cansaria de ficar com ele. Ver as gotas de suor escorrendo pelo rosto de Brick a fez agilizar ainda mais.

Chegaram ao ápice juntos,o grito de prazer se mesclando entre as vozes deles. Ficaram deitados juntos por um tempo,apenas ouvindo a respiração em sincronia e as batidas do coração.

-Eu te amo.-Disseram juntos,e riram em seguida. Claro que se amavam,isso era fácil de perceber.

E aquela fora apenas a primeira de muitas outras noites de amor que estavam por vir,e todas seriam especiais,sem exceções.

Afinal,o amor tinha essa capacidade de transformar uma noite comum em um deleite amoroso.

E Brick e Blossom sabiam muito bem disso.


Notas Finais


Espero que tenham curtido! Não deixem de comentar e favoritar pois é um ótimo incentivo para eu continuar a fic!! 💙❤️💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...