1. Spirit Fanfics >
  2. Tangled Hearts >
  3. Capítulo 9

História Tangled Hearts - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Capítulo 9


Fanfic / Fanfiction Tangled Hearts - Capítulo 9 - Capítulo 9

Buttercup olhava para o teto de seu quarto,incapaz de pensar em qualquer outra coisa que não fosse o beijo que deu em Butch.

Estava se sentindo completamente devastada,mal conseguia dormir direito. Depois do ocorrido,ela inventou uma desculpa esfarrapada e deixou o Green Beer. Não seria capaz de se manter sorridente perto das amigas. Buttercup nunca foi muito boa em esconder suas verdadeiras emoções.

Ela ficou grata quando as irmãs não perguntaram nada para ela,percebendo que ela precisava de um tempo para si. Mas ficar sozinha não estava melhorando as coisas.

Ela não podia evitar pensar em Mitch. Como conseguiu ser tão insensível? Ele tinha perdido a mãe há tão pouco tempo,certamente não conseguiria lidar com o que ela fez.

O pretexto era esse,Buttercup não iria contar nada no intuito de poupa-lo,mas só estava poupando a si mesma da atitude vergonhosa que teve.

O maior problema era Butch. Eles eram inimigos,e ele tinha uma poderosa arma nas mãos,que poderia destruir o único relacionamento feliz que BC já teve. Nunca teve paciência para namorar sério,mas com Mitch era diferente.

E mesmo assim,ela ainda se encontrava em dúvida,se o amava ou não. Não tinha certeza. Utonium dizia que jovens não tinham muita noção do que o amor verdadeiramente significa na vida de alguém. Buttercup sempre pensou que aquilo era besteira.

Mas talvez o pai dela soubesse muito bem o que dizia.

O celular vibrou no criado mudo ao lado da cama de Buttercup. Ela pegou,e quando a tela acendeu,percebeu que era uma mensagem de Mitch.

"Já terminou a noite das garotas?" Ele perguntava.

Buttercup não ficou surpresa pela pergunta. Era bem a cara de Mitch fazer aquilo,querer a presença dela tarde da noite.

"Sim,estou em casa. Sai mais cedo." Respondeu Buttercup,com uma certa apreensão.

Suas ações já estavam respingando em seu comportamento com Mitch. Ela havia cometido um erro horrível,e estava tentando evitar seu namorado,que não havia feito nada de errado.

"Não pode dar uma escapulida? A Nelly já está dormindo. Podíamos ficar juntos,para você ter sorte no jogo amanhã." Disse Mitch.

Buttercup encarou a mensagem dele,resistindo a sensação de lágrimas brotando em seus olhos.

Normalmente,ela sairia de casa sem fazer barulho algum e voltaria como se nunca tivesse saído. Ninguém iria perceber. Mas ela não conseguia se imaginar olhando para o rosto de Mitch neste momento,sem cair em prantos.

Era tudo culpa dela,e isso deixava as coisas ainda piores. Mitch jamais havia traído ela,ele nem mesmo olhava para outras garotas quando ela estava por perto. Ele sempre teve a melhor das considerações com ela.

Mas BC não. Tinha beijado Butch,e pior do que isso,tinha adorado o beijo. Não admitiria para si mesma,mas era a mais pura verdade. Ele beijava inacreditavelmente bem.

"Eu bem que gostaria,mas estou muito cansada,e preciso descansar. Amanhã é o primeiro jogo e eu não posso decepcionar." Mentiu Buttercup.

Era uma mentira sincera,mas ainda assim uma mentira. Ela tinha que descansar,mas também possuía superpoderes. Uma noite de sexo não mudaria nada para ela.

Mas não tinha estruturas para encarar Mitch. Já estava difícil encarar seus próprios erros,seria ainda pior ver a vítima deles bem em sua frente.

Porém não iria durar,não podia durar. Eles ainda namoravam,e estudavam na mesma escola,iriam se ver no dia seguinte,isso sem dúvida alguma.

Ela só tinha essa noite para se preparar psicologicamente para ver Mitch e Butch no dia de amanhã.

Não será nada fácil,disso BC tinha certeza.

"Tudo bem. A gente se vê amanhã então. Melhor você arranjar um lugar para mim na primeira fila,como seu namorado,tenho obrigação de torcer." Respondeu Mitch.

Buttercup quase sorriu,mas sua culpa não a permitiu.

"Posso cuidar disso. Até amanhã." Disse Buttercup.

Segundos depois,Mitch respondeu novamente,e uma lágrima desceu pelo rosto de Buttercup.

"Eu te amo." Disse ele.

Buttercup digitou sua resposta,duas palavras que deveriam estar cheias de amor,de carinho e ternura. Palavras que deveriam aquecer o coração dela.

Mas foi justamente o oposto que aconteceu. Enquanto ela digitava,sentiu como se adagas de gelo estivessem perfurando seu peito,deixando o vazio frio da culpa.

"Eu também." Respondeu Buttercup.

No Dia Seguinte

Boomer caminhava pelo corredor da escola,indo em direção ao armário de Bubbles. Estava querendo conversar com ela desde ontem.

Não sabia se deveria falar sobre Brat para ela,considerando que foi Bubbles quem o aconselhou a ficar longe dela. Era estranho estar em uma situação daquelas. Embora parte dele duvidasse que Bubbles fosse dar importância a algo tão trivial.

Ao se aproximar dela,ele se apoiou no armário,colocando um braço acima da cabeça dela. Quando ela se virou para olhar para ele,seus rostos ficaram bem próximos.

E em questão de segundos,eles se afastaram,e estavam corando,mas Bubbles disfarçou rapidamente. Boomer não teve a mesma sorte.

-E aí? Vai ver o jogo da sua irmã hoje?-Perguntou Boomer,meio perdido.

Bubbles assentiu.

-Claro. Eu vou a todos os jogos dela,sou irmã dela e preciso ir dar meu apoio. Você não faria o mesmo com os seus irmãos?-Perguntou Bubbles.

Boomer deu de ombros,coçando sua nuca.

-Eu não sei. Eles tem um jeito esquisito de dar apoio. Não sei se estaria disposto a isso.-Disse Boomer.

Antes que Bubbles pudesse dizer qualquer coisa,Brat passou por eles. Ela tirou o óculos escuro que usava e piscou para Boomer,e então se afastou.

Boomer sentiu o mais leve dos sorrisos se formar em seu rosto. Uma lembrança compartilhada entre aqueles dois,o fogo da noite passada,isso já foi o suficiente para ele se entregar perante Bubbles.

-Pelo visto você não seguiu o meu conselho.-Disse Bubbles,cruzando os braços.

-Eu só não entendi muito bem o porquê de você ter me dado esse conselho. Eu saí com ela,e foi ótimo. Por que você não gosta dela? O que ela poderia ter te feito?-Indagou Boomer.

Bubbles balançou a cabeça.

-Isso não é algo que cabe a você saber. Eu não estava esperando que você fosse me dar ouvidos,Boomer. Mas é bom você ficar de olhos abertos,porque você está entrando em uma furada.-Disse Bubbles.

Boomer ficou intrigado.

-Uma furada? Não acha que você pode estar exagerando um pouco? Eu tive um encontro com ela ontem,e foi excelente! Não entendo essa sua repulsa por ela.-Disse Boomer.

Bubbles tirou alguns livros do armário aberto,fez um carinho em Octi e o fechou. Seus olhos caíram em Boomer.

-Não faz diferença. Mas vou te pedir um favor. Já que você está amigo dela,seja sensato e não a traga para perto de mim. Eu não quero ter proximidade com ela.-Disse Bubbles.

-Será que você não está com ciúmes?-Indagou Boomer.

E se arrependeu no mesmo instante. Ciúmes? Por que Bubbles teria ciúmes dele? A mera ideia disso era patética em todos os possíveis sentidos.

E além do mais,ele já tinha sugerido isso no dia em que ele havia conhecido Brat. Mas daquela vez,ele falou como uma brincadeira.

E agora,Bubbles tinha percebido que ele perguntou seriamente.

-Não tenho motivos para ter ciúmes,Boomer. Não fique criando esse tipo de pensamento a meu respeito,por favor. Estou te dizendo uma coisa simples. Se quer ficar perto dela,é uma escolha sua. Mas eu não fico perto de você quando estiver com ela,disso você pode ter certeza.-Disse Bubbles.

Boomer apenas olhou para ela. Seu rosto era ilegível. Se ela estava sentindo qualquer coisa,ele certamente não saberia dizer.

Ela começou a caminhar em direção a sala de aula,sem dizer mais nada. Boomer apenas assistia ela se afastando,se sentindo esquisito.

Uma escolha foi imposta a ele. Se lhe perguntassem se ele gostava mais de ficar na presença de Bubbles ou Brat,ele com certeza diria Bubbles. Porque era verdade,eles eram amigos. Ele não sabia muito bem o que tinha com Brat,e ela parecia ser um pouco misândrica.

Mas existia a questão da intimidade com ela. Ele jamais iria ter algo como aquilo com Bubbles,e nem precisava pensar muito sobre o assunto para chegar a aquela conclusão. Bubbles nunca iria querer ter intimidade com ele. Só amizade mesmo.

E Boomer se conhecia bem o suficiente para saber que iria ser muito difícil para ele negar,ainda mais depois de ter experimentado ficar com Brat na noite anterior.

Restava a ele pensar bem no que fazer em seguida. Talvez ele conseguisse manter o melhor dos dois mundos. A linda amizade com Bubbles e o sexo irresistível com Brat.

Não custava nada tentar.

Mais Tarde

O ensaio para o musical continuava,mas agora Blossom estava tendo uma folga,já que essa cena não envolvia sua personagem.

Era a cena de apresentação de Antônio,o personagem de Noah. Isso significava que Blossom iria ver o primeiro solo de Noah no musical,e era algo que ela já estava querendo ver há um tempo.

O próximo ensaio seria somente na segunda feira,pelo menos com música. Seria a introdução de Mark,ou seja,Brick iria cantar.

Ela já havia escutado ele cantar antes,no teste. Era inegável que ele cantava bem,mas Blossom faria questão de mostrar como preferia Noah mil vezes mais.

Como se seus pensamentos servissem de ímã,Brick surgiu,se sentando ao lado dela.

-Olha só,se não temos aqui uma Powerpuff Girl,desesperada para ver o namorado certinho soltar a voz.-Disse Brick,sarcasmo destilando de sua voz.

Blossom revirou os olhos.

-Não me lembro de tê-lo convidado a se sentar do meu lado.-Disse Blossom.

Brick deu de ombros.

-Estamos na escola,Blossom. Você não pode decidir onde eu posso me sentar ou não.-Disse Brick.

-Uma pena. Se eu pudesse,você teria que ficar de pé o dia todo.-Disse Blossom.

Brick sorriu.

-Eu faria o mesmo com você. Bem quase,o meu colo estaria disponível.-Disse Brick.

Blossom olhou para ele,deixando seu descontentamento bem claro.

-Não faça esse tipo de insinuações comigo. Eu não aceito.-Disse Blossom.

-É claro,desculpe. Esqueci que você já tem um colo para se sentar. Ele já deu um trato em você? Ouvi dizer que mulheres ficam mal humoradas quando os homens não as satisfazem.-Disse Brick.

Blossom cerrou os punhos com força. Estava tentando se conter o máximo que podia. Não queria começar a berrar com Brick,não antes de ver Noah.

-Como se você soubesse algo sobre mulheres. Aposto que você e o seus irmãos são a definição de galinhas.-Disse Blossom.

Brick deu de ombros.

-Quem eu peguei não reclamou. Pelo contrário,mal conseguiram andar por um tempo. Será que o seu namoradinho vai dar conta de você?-Disse Brick,encarando o palco.

Antes que Blossom pudesse responder,a música começou a tocar,e Noah estava no palco,caracterizando como Antônio Villalobos. Ele usava uma camisa de flanela azul e preta,jeans escuros com rasgos no joelho e botas pretas. Um chapéu cinzento na cabeça.

Sua voz,suave e doce invadiu os ouvidos de Blossom,e ela se esqueceu da voz ácida de Brick,tentando tirar o sossego dela.

Brick era a tempestade,e Noah era o sol. Não era difícil saber para quem ela iria olhar.

"Welcome to your life

There's no turning back

Even while we sleep

We will find you

Acting on your best behavior

Turn your back on mother nature

Everybody wants to rule the world"

A melodia da música e a voz de Noah fizeram Blossom sorrir. Ela não sabia se estava apaixonada por ela,mas certamente se encantava por ele com facilidade.

Com o canto do olho,ela conseguia ver Brick. Ele parecia entediado,ou algo a mais. Blossom não sabia dizer.

"It's my own design

It's my own remorse

Help me to decide

Help me make the most of

Freedom and of pleasure

Nothing ever lasts forever

Everybody wants to rule the world"

"Todos querem governar o mundo" Não era um pensamento sem base,Blossom pensou. Se ela pudesse fazer isso,não permitiria que nenhuma daquelas emoções tão diferentes entre si ficassem dominando ela. Ela seria mais forte.

Ela sentia que Noah olhava para ela,e não era surpresa. Ela se sentia bem por isso,afinal,que mulher não gostava de saber que era amada?

Mas também se sentia um pouco mal,por não retribuir totalmente os sentimentos dele. Torcia para que fosse só uma questão de tempo. Ela iria aprender a ama-lo,eventualmente.

"There's a room where the light won't find you

Holding hands while the walls come tumbling down

When they do I'll be right behind you

So glad we've almost made it

So sad they had to fade it

Everybody wants to rule the world"

Brick encarou Blossom,mas ela nem percebeu. Estava com o olhar paralisado em Noah,enquanto ele cantava. Ele se sentia incomodado,mas não sabia porque.

Ele saiu,sem olhar para trás,não precisava daquilo,não precisava ver ninguém feliz quando ele mesmo não se sentia tão realizado assim.

Logo seria a vez dele. Ele iria ser feliz também,e faria questão de esfregar isso na cara de Blossom,assim como ela fazia com ele.

Ela que esperasse,sua hora chegaria.

"I can't stand this indecision

Married with a lack of vision

Everybody wants to rule the world"

Os holofotes todos focaram em Noah,enquanto ele pegava o violão preto sobre a mesinha de madeira e tocava o resto da música. Os olhos de Blossom não saíram dele por um segundo sequer.

"Say that you'll never, never, never, never need it

One headline, why believe it?

Everybody wants to rule the world"

Ele deixou o violão de lado,ao passo em que a música chegava perto do fim,seus olhos se perdendo ao redor do pequeno palco. Ele era o Antônio perfeito.

"All for freedom and for pleasure

Nothing ever lasts forever

Everybody wants to rule the world"

Os holofotes iam se apagando,e Noah fez um coração com as mãos para Blossom,mas ela não percebeu,pelo menos não a tempo.

Desviou seu olhar para perceber que Brick não estava mais sentado ao lado dela. Ela nem mesmo notou ele saindo.

Quando seus olhos voltaram para o palco,percebeu o que Noah estava fazendo,e tentou retribuir o gesto.

Mas não foi rápida o bastante,os holofotes se apagaram,e o palco ficou completamente escuro.

Mais Tarde

Butch saiu do chuveiro,o vapor deixava o banheiro pela janela aberta. Uma toalha branca estava presa em sua cintura,e seu corpo todo pingava,seus cabelos pretos estavam molhados,e seus pés descalços deixavam marcas molhadas no chão.

Mas ele não se preocupou muito com isso,não era o banheiro dele,de qualquer forma.

Estava na mansão da família de Jenny Simmons,o pai dela aparentemente tinha várias confeitarias espalhadas por Townsville,e Butch nem tinha percebido isso.

Ela estava deitada na cama,trajando um pijama rosa com desenhos da gata Marie. Parecia uma peça infantil,mas combinava com Jenny.

Ela havia o requisitado hoje,e Butch atendeu,sem maiores problemas. Jenny era provavelmente a cliente mais amistosa de Butch. Eles não eram exatamente amigos,mas conseguiam ter conversas decentes.

Quando Butch se aproximou o bastante,ela jogou outra toalha para ele.

-Melhor você se secar logo,use essas toalhas de um dos quartos de hóspedes. Ninguém vai reparar.-Disse Jenny,sorrindo.

Butch pegou a toalha e começou a enxugar seu corpo. A outra toalha despencou de sua cintura,mas ele nem se preocupou em se cobrir. Não havia nada ali que Jenny já não conhecesse.

-Você vai ao jogo hoje,Butch?-Perguntou ela.

-Vou. Acho jogadoras de futebol uma coisa sexy.-Disse Butch.

Estranhamente,Jenny pareceu se encolher com o comentário dele.

-Não é isso que todos os meninos acham? Será que eu vou ter que virar jogadora para prestarem atenção em mim? Ou será que eu vou ter que continuar te pagando para você saciar a minha carência?-Disse Jenny,melancólica.

Butch se sentia mal por ela. Faziam bullying com essa menina,e nem por isso ela descontava sua frustração ou raiva nas pessoas. Era algo admirável,e Butch desejou não ter demorado tanto para ter ficado mais paciente.

Mais bondoso,mais como ela.

Ele se sentou ao lado dela na cama,após se secar e vestir sua cueca.

-Você precisa parar com isso. Tem que dar um jeito nessa sua autoestima. Não tem porque você ficar se colocando para baixo.-Disse Butch.

Mas Jenny parecia receosa. Ele não podia culpá-la.

-Pode até parecer que estou te dizendo isso porque você está me pagando,mas não é o caso. Eu digo de coração. Você não é nada feia,Jenny. Já vi garotas muito piores do que você,além do mais,e a beleza interior que importa,e você é linda por dentro.-Disse Butch.

Os olhos de Jenny marejaram.

-Você realmente acha isso?-Perguntou ela,com um pequeno sorriso no rosto.

Butch assentiu,retribuindo o sorriso.

-É claro que acho! Por isso,não quero mais que você use o meu número de gigolô. Você vai arranjar um namorado,vai parar de se esconder aqui na sua mansão e vai viver a sua vida! Você deve isso a si mesma.-Disse Butch.

Jenny pegou seu celular,e mostrou para Butch quando deletou o contato "profissional" dele.

-Tudo bem. Vou seguir seu conselho.-Disse Jenny.

Butch colocou suas mãos sobre o rosto de Jenny,e a puxou para um último beijo. Um beijo de despedida.

-Não,você vai ser feliz. É isso que você vai fazer.-Disse Butch.

Eles riram,e Jenny assentiu,se sentindo corajosa. Butch terminou de se vestir e foi embora.

Ele realmente havia renascido. Se alguém tivesse dito a ele que,um dia,ele iria ajudar uma menina a tentar vencer seus medos,ele teria rido.

Mas agora,se sentia realizado. Todos podiam mudar,e para melhor. Butch era a prova viva disso.

Ela só queria que todos pudessem enxergar isso nele.

Mais Tarde

-Temos um problema.-Disse a treinadora Lissandra Bale,responsável pelo time feminino da escola.

Buttercup,que estava colocando suas chuteiras,olhou para a treinadora. Ela parecia bem séria.

-Houve um problema com o ônibus da Evelynn. Ela não vai conseguir chegar a tempo para o jogo.-Disse Lissandra.

Vozes das outras jogadoras soaram pelo vestiário feminino,apenas Buttercup,Sarah e Vicky ficaram em silêncio.

-Eu sei! Eu sei! É ruim,porque vocês estão todas acostumadas com a Evelynn,mas eu arranjei uma substituição de última hora. Vocês vão ter que jogar com ela no time hoje.-Disse Lissandra.

A porta do vestiário se abriu bem devagar,e Buttercup sentiu seus olhos se arregalarem.

Seus punhos se cerraram. Não podia ser verdade,Lissandra não poderia estar falando sério.

Com um sorriso cheio de desdenho,a menina se pronunciou.

-E aí menininhas? Acham que conseguem acompanhar o meu ritmo brutal?-Indagou ela.

Buttercup sentiu vontade de gritar. Só poderia ser um pesadelo. Logo no primeiro jogo,ela teria que estar na mesma equipe de uma das suas piores inimigas.

Pois a menina que substituiria Evelynn,era ninguém menos que Brute.


Notas Finais


Espero que tenham curtido! Não deixem de comentar,é um ótimo incentivo para eu continuar a fic! 💙💚❤️
A música deste capítulo é Everybody Wants to Rule the World,da banda Tears for Fears 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...