História Tão brilhante quanto seu nome - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Drama, Echi, Hentai, Romance Adolescente, Suspense
Visualizações 13
Palavras 2.686
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Shoujo (Romântico), Suspense

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Primeiramente, obrigada a todos que estão lendo minha Fic, ainda são poucos mas pretendo melhorar.
O que será que está por vim?

Capítulo 5 - É Química


Fanfic / Fanfiction Tão brilhante quanto seu nome - Capítulo 5 - É Química

 Nos sentamos onde Rose estava 

-ta Ryan, o que foi aquilo?- Crystal, pergunta com os olhos arregalados.

-Nossa! Eu esperava por um "obrigado por ter me salvado" - digo fazendo o gesto de aspas.

- eu poderia lidar com isso sozinha.- a mesma diz irritada.- você disse que eu era sua namorada, meu Deus o que deu na sua cabeça?

-alguém pode me explicar o que aconteceu???- Rose diz gritando, calando nossas bocas.

-Jhene e o grupinho dela aprontaram com ela, elas estavam tentando intimidar a Crystal.- falei meio baixo .

- não acredito! Ranço dessa garota, ela além de ser uma vaca é totalmente sem noção.- Rose diz irritada.

- elas só me empurraram e eu fiquei caída no chão e os insultos dela não me atingiram. -Crystal diz olhando pra baixo 

- Mas me atingiram! E eu não gostei de ouvir elas falando assim com você.- falei olhando nos olhos da Crystal que no mesmo momento levanta o rosto para olhar nos meus olhos.

A campa então toca e essa foi uma ótima desculpa para Crystal sair de lá correndo.

Quebra de tempo 

Eu estava indo em direção ao meu carro quando me deparo com a Rose escorada nele.

- você não vai com a Crystal Hoje?.- falei enquanto ambos entravam no carro.

- não ela foi pra casa mais cedo.- ela disse colocando os cintos.

- por causa do que aconteceu?.- pergunto.

- ela disse que estava com um mau estar, ela foi até a enfermaria e depois a mãe dela veio buscar ela.

- ah tá, entendo.- respondi arrancando com o carro.

- desde quando você se importa com meus amigos? - Rose pergunta.

- eu me preocupo com você, e eu acabei me metendo nessa história.

- hunrum sei.

- Só por curiosidade, a Crystal tem irmãos?

- ela me disse que era filha única, mas por que essa pergunta?

- por que se ela tivesse irmãos eles não seriam da nossa escola né por que ela sempre vem sozinha e vai com você.

- nossa parece até que você tem um cérebro de verdade.- Rose diz sarcástica.

- Você tá ficando igual sua amiguinha. -Falei debochado.

Algum tempo passa e nós Chegamos em casa e fui logo tomar um banho, não saía da minha cabeça aquela cena com a Crystal. Que merda! ela é só mais uma amiguinha da minha irmã ,por que eu me importo tanto e em pouco tempo?.

Tomei meu banho e vesti um moletom vermelho e uma bermuda preta coloquei meu tênis todo Branco e fui da uma volta de carro pelo bairro pra ver se eu conseguia relaxar um pouco. Saí de casa, peguei meus fones e coloquei na minha playlist e a primeira música era "Blackbear- 4u" versão acústica que é minha preferência musical.

Enquanto aquela melodia com aquele significado soavam pelos meus ouvidos, eu continuava a pensar na Crystal, por que essa garota me envolve tanto? Eu sempre fui muito fechado para o amor, eu posso dizer que amar de verdade alguém eu só amei uma vez e ela me abandonou, desde então não consigo sentir nada por ninguém, mas por que a Crystal me causa Borboletas no estômago?.

Passo por algumas ruas e as outras músicas tocavam, quando eu percebi eu estava na rua da Crystal, fui andando pela rua até a sua casa, e paro o carro bem na frente da mesma é me deparo com a Crystal sentada na varanda, aparentemente com fones no ouvido o que me fez pensar que a mesma estava ouvindo música. Me aproximo dela e a comprimento.

- Crystal?.- chamo a atenção dela.

- o que você faz aqui Ryan?.- ela diz surpresa.

- eu estava andando sem rumo e quando percebi eu estava na sua rua e te vi aqui é decide falar com você.-falei me sentando ao seu lado

- Ah entendi.

- você melhorou do mau estar?

- a-ah e-eu ... que importância tem isso!- diz a mesma fazendo pose de durona.

- você é tão fofa quando faz essa cara.- dou um sorriso soprado e coloco a mão na minha bochecha, fazendo uma cara fofa.

- você é tão Ridículo. - ela Diz dando um sorriso soprado e balança a cabeça em negação enquanto continua sorrindo.

- olha só, nossa essa é a primeira vez que eu te faço sorrir, srta coração de gelo.- dou um sorriso de lado.

Crystal rapidamente tira o sorriso do rosto e faz uma cara de séria. E  eu achei isso tão.... aaaaah por que ela é tão fofa!.

- Até coisas ridículas podem ser engraçadas, uma pena que você continue sendo um babaca.

- ash a srta coração de gelo pode me perdoar por aquele dia? Eu estou completamente arrependido.- digo fazendo um gesto de reverência.

- o senhor está perdoado, mas ainda vai continuar sendo um babaca.- ela diz entrando na minha brincadeira.

-agora a srta coração de gelo vai ter que fingir ser minha namorada, pelo menos na escola.- digo levantando o olhar para a cima.

- Você me meteu nessa história, então você vai desmentir tudo isso.- ela diz cruzando os braços. 

- vai dizer que você não ia gostar?.- digo também cruzando os braços.

- eu iria odiar ter que ficar perto de você, de ter que falar com você, você é insuportável! 

- Mas se você fingir isso, a Jhene vai te deixar em paz, vai deixar seus amigos em paz, vai me deixar em paz.- digo tentando passar confiança.

- e por que eu concordaria com isso?

- porque eu posso ser o Namorado que você nunca teve, Bonito,popular,joga no time, e que além de tudo é divertido.- digo me gabando mas de forma engraçada.

- você é um babaca chato isso sim.

- eu posso ser um babaca legal.- colocando a mão do bolso.

- Prova então! - ela Diz me lançando um olhar desafiador.

- vem comigo então!

- eu não vou a lugar nenhum assim.- ela fala olhando as roupas que estava usando.

- então se troca e vamos logo.

- eu não disse que iria!

- eu te pago tudo que você quiser .

- eu não sou interesseira, só vou por que não tenho nada pra fazer mesmo.

- yes! - comemoro.

- eu vou me trocar, você pode esperar aqui dentro.

Eu entro na casa da Crystal e a mesma sobe as escadas e eu fico na sala, aparentemente não tem ninguém em casa então me sento no sofá e ao observar o que tem em volta, vejo um porta retrato com quatro pessoas, dois adultos provavelmente sua mãe e seu pai, ela no qual parecia estar uns 2 anos mas nova, e um garoto que parecia ser mais velho que ela, seria o irmão dela mais Velho? O que é estranho, Rose me disse ela era filha única. Ao perceber que a Crystal estava descendo as escadas disfarçei mexendo no celular.

-Vo só deixar um recado pros meus pais. Rose diz indo até a cozinha.

Quando olhei para Crystal ela estava com um vestido azul (foto de cima) e um tênis branco, ela realmente me encantava, tão singela aaah eu quero e vou conquistar essa garota.

- pronto podemos ir.- Crystal diz 

- n-nossa v-você ta bonita.- digo passando a mão na nuca eu estava meio envergonhado, pude sentir meu rosto queimar e minhas bochechas corarem na mesma hora.

- tanto faz, vamos sair ou não?- diz ela abrindo a porta.

Saí pela porta e caminhei até o carro abri a porta pra ela entrar, a mesma entra é logo em seguida eu entro e dou a partida no carro.

- onde nós vamos?.- ela pergunta

- vamos nos divertir- digo malicioso.

- ta mas eu não sei o seu tipo de diversão.- ela diz cruzando os braços 

- você vai ver quando chegarmos.- falo seguindo o caminho.

- só espero voltar viva pra casa. - Crystal descruza os braços e fica mais a vontade.

Passamos alguns minutos conversando, até ela me perguntar algo que eu particularmente não comento muito.

- você tá se formando esse ano então, já sabe qual faculdade vai fazer ?

- eu ainda não me decidi.

- já tá tão em cima e você não ainda não decidiu? 

- meu pai queria que eu fizesse Direito pra mim tornar um advogado.

- e você não quer?

- eu queria ser músico, mas meu pai não apoia tanto essa idéia, minha mãe já acha que eu devo seguir minha vocação seja lá qual for.

- isso é ótimo Ryan, você deve fazer algo que goste, algo que seja bom.

- mas eu também queria fazer medicina, mas precisa de muita dedicação .

- bom isso é uma decisão só sua mas, acho que você deve saguir seu coração e mergulhe profundamente nisso.

- Olha só, a srta coração de gelo é  otimista e ainda está me dando apoio.- digo maliciosamente.

- eu só me coloquei  no seu lugar, e sei que a pressão é grande .

- a propósito nós Chegamos.- dou um sorriso de lado e estaciono o carro. Crystal abre a porta do carro e ao olhar em volta coloca as mãos na boca surpresa.

- e-eu não acredito que você me trouxe aqui.- Crystal diz com a voz abafada devido suas mãos cobrirem sua boca.

- eu falei que íamos nos divertir.- digo dando um sorriso de lado.

- você me trouxe em um Parque de diversões.- Crystal diz animada.

- vem, vamos entrar. -Falei acenando com a cabeça em direção ao parque.

Comprei os ingressos e entramos no parque, quando olhei para Crystal ela olhava em volta admirada  e entusiasmada com o que via.

- eu nunca fui em um Parque de diversões tão grande assim antes.- ela diz ainda admirada.

- em qual brinquedo você quer ir primeiro?

- carrinho bate-bate! - ela disse saltitando.

-Então vamos lá. 

Eu estava decidido a fazer todas as vontades da Crystal hoje, ela estava tão animada de uma forma que eu nunca havia visto, acho que ela por um momento esqueceu que eu sou Um "babaca para se divertir, só de ver o sorriso dela, já valeu apena ter saído de casa. Entramos na fila e chegou nossa vez, Crystal rapidamente entrou em um carrinho e eu em outro.

- prepare-se Crystal eu sou profissional nisso.- digo afim de uma disputa 

- Há Há é o que vamos ver.

Começamos então começamos uma disputa entre nós e pra completar ainda tinha as pessoas em volta. Crystal fazias algumas manobras radicais o que me surpreendeu pra alguém que disse nunca ter ido em um Parque de diversões assim antes. Acaba então o nosso tempo e saímos para ir em outro brinquedo.

- onde você quer ir agora?.-pergunto

- Não sei.- ela diz olhando em volta.

- vamos na Montanha russa?

- p-pode ser.-ela disse com um pouco de receio.

-você tá com medo? - pergunto dando um sorriso soprado

- Não. Eu só nunca fui em uma montanha russa antes.- ela diz olhando para baixo.

- vamos lá você vai adorar.- digo passando confiança.

Partimos em direção a fila e enquanto se aproximava nossa vez, percebi que Crystal estava nervosa.

- Não precisa ter medo! Você não vai morrer, mas se você morrer ...- paro de falar quando percebo que Crystal me lança um olhar de morte é aquilo por algum motivo me deu medo. -... você vai ficar bem a adrenalina vai ultrapassar seu medo.

- eu não tô com medo! - Crystal diz seguindo a fila pois chegou a nossa vez.

Nos sentamos na terceira fileira e começamos a nos movimentar pelos trilhos. Até chegar a hora da decida é bah desceu com tudo.

- isso é incrível.- disse Crystal em meio aos gritos.

- eu falei que você iria adorar 

- Meu Deus da um frio na barriga.

- isso É normal Crystal.

Damos então a volta completa e quando estávamos saíndo, Crystal não parava de falar como foi a sensação é o quanto ela gostou e isso me deixou feliz.

Pov Crystal

Eu realmente amei ir na Montanha russa mesmo que tenha sido com o Ryan e foi até mais divertido do que eu pensei que seria, realmente o Ryan era legal quando ele queria.

- nossa aquele brinquedo ali como é o nome dele? - perguntei curiosa.

-Chapéu mexicano.- Ryan responde

- podemos ir nele?.

- vamos lá. 

Fomos pra fila e logo entramos no brinquedo, nos sentamos e logo o brinquedo começou a subir. Era muito alto muito mesmo e então ele começa a rodar é aquela adrenalina foi incrível é realmente Ryan estava certo a adrenalina ultrapassou meu medo.

Depois de sairmos de lá vi o horário no meu celular que marcava 17:20. No recado que deixei pra minha mãe falei que voltaria pra casa antes do jantar ou seja eu tinha que estar em casa às 18:59. Então eu tinha bastante tempo para aproveitar. 

- você prefere ir em algum brinquedo agora? - falei

- a-ah eu não sei, que tal tiro ao alvo?- ele aponta para bancada.

- É pode ser eu, eu sou boa com tiros.- digo fazendo cara metida. No mesmo momento Ryan me olha olha assustado.

- c-como é?.

- eu tenho Boa mira só isso.- digo e saio andando em direção a bancada é Ryan vem atrás, ainda sem entender. 

O tempo foi passando e nós dois fomos em mais alguns brinquedos, quando estávamos saíndo da Roda gigante olhei novamente a hora e já eram 18:00 e eu estava com fome. Parecia que Ryan estava lendo meus pensamentos.

- Você tá com fome? Eu pelo menos estou com fome, que tal irmos no lanche aqui do lado?

- vamos sim eu realmente estou com fome, já que não almocei hoje.

Caminhamos então até lá, entramos e nos sentamos um do lado do outro na parte com menos pessoas perto da Janela. E pedimos uma pizza de 5 fatias no sabor calabresa napolitana. Começamos então a conversar coisas aleatórias e ao mesmo tempo sem sentido e não me aguentando eu pergunto do Ryan.

- por que você tá fazendo isso Ryan?

- isso o que?

- sendo legal comigo.

- só estou ajudando os necessitados.

- Há Há há como se eu precisasse de você. 

- não exatamente de mim, talvez você precisasse se distrair ou se divertir.

- É realmente eu precisava disso, uma pena que tenha sido com você.- digo debochada fazendo com que o Ryan desse um sorriso soprado .

- fala a verdade, até que foi legal não foi? - ele pergunta sorrindo. Mas somos interrompidos pela Garçonete 

???- o seu pedido!

- ah obrigada a respondo com um sorriso.

???- vocês formam um belo casal.

- n-nós somos só a-amigos.- Ryan diz gaguejando.

- ele é só o irmão babaca da minha melhor amiga.- digo ainda sorrindo, como se o que eu acabei de falar fosse algo normal de se dizer.

???- ah entendi, bom apetite.- ela então volta a atender mesas.

- você precisa ser sempre tão fria?- Ryan diz fazendo uma carinha de triste. 

- eu fico assim quando estou com fome. -falei 

-Então quando você tá comigo, você ta sempre com fome.- Ryan diz pegando uma fatia de pizza.

Cada um então come duas fatias de pizza e sobra então a última fatia.

- vamos dividir ok?- falei

- nossa você é a primeira garota que conheci que consegue comer o lanche todo.

- eu disse que estava com fome.- digo já terminando a minha última fatia.

- eu vou pagar a conta ok.

Pov Ryan

Fui até o caixa pagar a conta o que não demorou nada e voltei até a mesa pra Crystal para irmos embora. 

- pronto podemos voltar pra casa agora.

- vou ver que horas tem... são 18:37 eu preciso está em casa 19:00.-C rystal diz olhando o Horário em seu celular.

- vamos vou te deixar em casa.

Saímos da lanchonete e quando estavos ao lado do meu carro percebo que o canto da boca de Crystal estava sujo.

- Crystal tem alguma coisa no canto da sua boca. Digo olhando seus lábios.

- aqui ? -Ela tenta limpa-lo.

- deixa que eu tiro! - coloquei então minhas mãos por debaixo de seu maxilar enquanto que com meu polegar direito eu retirava a sujeira. Olhei nos olhos de Crystal meio assustados e voltei a olhar para sua boca enquanto novamente passei o polegar por seu lábio inferior e senti o quanto eles eram macios e eu tive uma grande vontade de beija-la naquele momento, eu estava já no meu limite, quando Crystal exitou virando seu rosto para o lado, o que até me deixou aliviado pois eu estava prestes a fazer a besteira mais bem feita da minha vida.

- já limpou né? Podemos ir agora? - Crystal diz abrindo a porta do quarto entrando no mesmo e eu também entrei logo em seguida.











Notas Finais


Você esperavam por algo? Haha pegadinha da Naoh. Mas quem sabe no próximo capítulo????. Desculpem qualquer erro, bjs e até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...