História Tão opostos quanto iguais - Capítulo 225


Escrita por:

Postado
Categorias Marco Pigossi, Paolla Oliveira
Personagens Marco Pigossi, Paolla Oliveira
Tags Briga, Família, Gravidez, Jeiza, Jeizeca, Luta, Romance, Zeca
Visualizações 76
Palavras 816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii

Boa leitura❤❤

Capítulo 225 - Cap.225


Fanfic / Fanfiction Tão opostos quanto iguais - Capítulo 225 - Cap.225


                       Zeca:

Jeiza entrou no quarto furiosa e trancou a porta, tentei chama-la mas ela não respondia.

— Jeiza! Jeiza, vamo conversar direito!— Digo enquanto bato na porta.

Foi inútil. Ela não abriu e eu tive que me contentar em dormir na sala com o travesseiro e lençol de Ruyzinho.

                          *   *   *

  Acordo com Lara em cima das minhas costas fazendo carinho em meu rosto enquanto resmunga uma musiquinha que só ela entende.

— sai de cima do papai, neném! — Digo me virando com cuidado para não derruba-la.

Papapa?— Ela diz em tom de questionamento virando a cabecinha para o lado.

— Isso machuca o papai. — Levanto e ela começa a resmungar e balbuciar coisas que eu não entendia, como se estivesse conversando comigo. — É mesmo? To entendo nada.

— É! — Ela diz balançando a cabeça e começa a conversação em sua própria língua.

Encontro Jeiza na cozinha preparando o café da bebê.

— Bom dia, amor. Vai trabalhar a tarde?

— Eu não vou trabalhar.— Ela diz pegando a neném do meu colo e colocando no seu lugar de comer.

!— Lara diz e vira o rosto. Enquanto isso preparo um suco de limão.

— Sim! Tem que comer, mocinha! — Jeiza tentava e tentava mas nada de conseguir dar a fruta para Lara.

— Deixa que eu dou pra ela, amor...— Digo tentando tirar delicadamente o pratinho da mão dela.

— Não! Deixa!— Ela diz rispidamente.

— Tu ainda tá brava por causa de ontem? — Pergunto mas ela me ignora, deixando que a neném coma sozinha. E foi o que ela fez.

— Ah, pilantra! — Ela diz ao ve-la colocar a mão no pedaço de melão e levar a boca.

— Jeiza, eu to falando com você! — Digo um pouco mais alto mas ela continua fingindo que eu não existo.

Levanto da mesa, mesmo sem ter começado a comer e a deixo sozinha com a bebê. Tomo um banho e me arrumo para sair.

— Você vai continuar com isso? — Digo enquanto limpo a bagunça da bebê. Ela não responde e aquilo já estava me irritando. — JEIZA!!

— O que é? Me deixa em paz!!— Ela grita de volta e vai para o quarto de Lara, dar um banho nela.

Ela fica por um tempo, depois volta quando a neném dorme.

— A gente pode conversar?

— A gente tem alguma coisa pra conversar?— Ela responde me olhando fixamente e sem expressão alguma, como se eu fosse um psicopata que ela estivesse interrogando.

— Jeiza...

— Eu achei que a gente já tivesse resolvido esse assunto. Eu achei que você tinha mudado esse seu jeito de pensar, mas pelo visto...

— Amor, eu só disse aquilo porque eu não queria que ela se machucasse, tu sabes que isso é perigoso! Eu tenho medo, eu não gosto de ver as pessoas que eu amo arrebentadas, machucadas, cheia de hematomas... Tu achas que eu fico bem vendo tu levar uma surra? Não fico! Mas eu apoio tu! E... Vai ser difícil mas se ela realmente quiser... Eu apoio também, fazer o que...— Aos poucos vejo vejo sua guarda ir baixando.

— é só isso mesmo? Promete que você não vai implicar com o Allan brincando de luta com ela ou por ela me ver treinar e me imitar?

— Prometo. Agora tira essa tromba da cara.— Digo a puxando mais para perto.

— Tromba tem sua vó, isso sim! — Ela diz virando o rosto para que eu não beijasse nos lábios.

— Oh! Fala assim, não! — Digo e consifo beija-la. — Acalmou agora? Vai falar comigo?

— Se você se comportar dieitinho... Agora vai que você deve estar atrasado, já! — Ela diz saindo do meu abraço.

                          ( . . . )

  O dia foi exaustivo, mas finalmente estava em casa.

— Oi, boa noite!

— Oi, garoto! Tudo bom?

— Tudo e a senhora?

— To ótima. Jeiza te contou que vocês vão sair?

— Égua! Sair pra onde?

— Ah, mãe! — Jeiza reclama entrando na sala, enquanto prendia o cabelo em um coque. — Oi, amor!

— Oi! Sair pra onde?

— Cinema. Lançou um filme muito legal, aquele que a gente combinou de ver.

— Ah! Mas agora, amor?

— É! A gente pega a última sessão. Vai se trocar logo.

Tomo um banho rápido e troco de roupa, já estávamos atrasados.

  A fila estava enorme, tão grande que enquanto eu estava na da pipoca, Jeiza ficava na outra para comprar os ingressos. Eu conseguir comprar bem rápido, então fiquei plantado esperando-a chegar, já estava quase comendo a pipoca antes de entrar na sala quando ela vem com um sorriso furtivo nos lábios.

— Demorou, hein!

— É, pois é... — Ela diz e morde o lábio ainda sorrindo.

— Por que tá com essa cara?

— Que cara?

— Cara de Lara quando apronta.— Digo e ela sorri mais ainda.

— Nada... 


Notas Finais


Obrigada por ler💜💜


Bjs da Maah😚😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...