História Tão opostos quanto iguais - Capítulo 229


Escrita por:

Postado
Categorias Marco Pigossi, Paolla Oliveira
Personagens Marco Pigossi, Paolla Oliveira
Tags Briga, Família, Gravidez, Jeiza, Jeizeca, Luta, Romance, Zeca
Visualizações 101
Palavras 963
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii

Boa leitura❤❤

Capítulo 229 - Cap.229


Fanfic / Fanfiction Tão opostos quanto iguais - Capítulo 229 - Cap.229


               Jeiza, de novo:

Acordo com o barulho do despertador. Zeca já estava na sala com as crianças dando o café da manhã.

— Bom dia...— Digo com voz de sono.

— Bom dia.

Bo dia, mamãe. Vuxêbava, ainda? — Ruyzinho pergunta me olhando com uma carinha fofa.

— Não. Eu não estou mais brava, mas nunca mais mexa nas minhas coisas sem pedir. — Digo abaixando para lhe dar um beijo enquanto Lara estava entretida em tentar pegar o mamão.

— Ta. — Ele diz e volta a comer.

— A gente já ta atrasado, amor.— Zeca diz colocando um pouco de café na caneca e me entregando.

— Obrigada. Eu só vou comer um pão e tomar um rápido pra gente ir.

Quando saio do quarto já pronta para sair, vejo minha mãe na sala brincando com o Ruyzinho enquanto Lara estava com as bonecas no tapetinho.

— Oi, mãe. — Digo lhe dando um beijo.

— Oi, filha! Você tá sentindo alguma coisa? Adiantou a consulta... — Ela diz em tom preocupado.

— É, eu to com umas dores pra... Pra... Ah, a senhora sabe.

— Sei... Qualquer coisa me liga.

— Ligo quando sair.

                   ~    ~    ~

Como a consulta era por encaixe, demorou um pouco mais que o normal. Estava quase desistindo e indo trabalhar quando fui chamada.

Explico à obstetra tudo o que aconteceu. Faço exames ginecológicos que só ficariam prontos na próxima semana mas ela me diz que é normal durante a gravidez a falta de lubrificação vaginal e que poderia ser esse o motivo das dores na hora da penetração, enquanto que as dores na pélvis era o bebê abrangendo espaço mas que ainda sim, precisam dos exames.

                       •     •     •

— Tchau. Bom trabalho, assim que eu sair eu te ligo avisando— Digo depois de me despedir de Zeca.

— Tchau, amor. Pra tu também e nada de ficares aprontando! Beijo.— Reviro os olhos e lhe mando um beijo no ar. Ele fecha a porta e eu saio em direção ao batalhão.

                      ( . . . )

Zeca estava demorando muito para chegar. Fui informada por Ruy que ele estava voltando de uma filial em Copacabana e iria demorar, então resolvo deixar o carro no estacionamento e dar um volta por aí.

Passo em algumas lojas de bebê. Theo já tinha bastante roupinhas mas as que eu vi eram tão fofas que não resisti e acabei comprando mais, junto com novos protetores de berço e alguns itens de higiene e brinquedinhos. Certeza que estourei o cartão.

Zeca me liga.

— Oi, amor! Onde você tá? To te esperando faz um tempão!

— Eu que te pergunto! Eu acabei de chegar e ninguém sabe de você. Disseram que estava em uma sala e não está.

— É que eu não aguentava mais ficar sem fazer nada, então vim dar uma volta e acabei em uma loja de produtos infantis— Digo e ele ri.

— Beleza. Tem muita sacola?

— Não, dá pra levar. — Digo confirmando o pagamento no caixa e saindo com as compras. — Eu to na rua debaixo, já to chegando.

— To indo te encontrar.

— Não precisa!

— Me espera!

— Zeca!— Ele desliga.

Me sento em um banco no ponto de ônibus para lhe esperar.

— Oi, amor!— Ele diz me tirando dos pensamentos com um beijo no rosto.

— Oi.— Digo ainda me situando. — Eu poderia ir sozinha, sabia?

— Com isso tudo de sacola? Até parece! — Reviro os olhos.

— Só você. — Digo entrelaçando meu braço ao seu. — Bora.

— As sacolas. — ele diz tentando pega-las da minha mão.

— Chaaatooo!— Digo mostrando a língua. Ele ri.

Durante o caminho percebo Zeca muito calado.

— O que foi? — Pergunto fazendo um carinho em seu braço.

— É que... Sexta eu vou ter que dobrar por causa de um colega que tá com a filha doente e não tem ninguém pra substituir.

— E qual o problema?

— É a apresentação do dia dos pais do Ruyzinho. Começa cinco horas, eu não sei se vou conseguir chegar. — Ele diz e eu percebo toda a sua aflição.

— Ei...— Digo em tom brando. — Vai dar tudo certo.

— Tomara que dê mesmo... To com medo, amor... Não quero decepcionar meu filho.

— Não vai... Te prometo. Nem que a gente traga as crianças até a empresa só pra você ver o Ruyzinho.— Ele ri.

Chegamos em casa e encontramos os três dormindo na sala em cima do colchão.

— Bonito... E agora?— Sussurro rindo.

— Quero ver quem dorme a noite.

— só sei que não seremos nós. — Digo colocando a chave na mesinha e indo para o quarto.

— O que a gente faz? Deixa eles lá?

— Deixa, ué... — Digo e me deito na cama. Ele faz o mesmo e começa um carinho no meu braço, beijos pelo meu rosto que desciam até o pescoço.

— Tá cansada? Quer uma massagem?

— Ah, eu quero. — Digo manhosa e ele começa a me despir lentamente para começar. Suas mãos maravilhosas começam a percorrer meu corpo de forma lenta e precisa.

— Eu te amo...— Ele sussurra em meu ouvido e beija meu pescoço, me deixando arrepiada. Me viro em sua direção e acaricio seu rosto.

— Você tá com vontade, né? — Digo mas era só olhar seu estado que obteria minha resposta.

— To. Não dá pra mentir, mas eu não me importo de esperar os resultados...

— Mas eu quero... — Digo e lhe beijo com desejo. Sinto suas mãos percorrerem todo o meu corpo.

— Eu não quero te machucar...

— Ás vezes foi porque eu estava um pouco estressada... Com a cabeça longe... Vamo de novo?— Digo ficando por cima dele. Suas mãos vão parar nos meus cabelos e ele me beija ferozmente como resposta.

— Tem certeza?

— Tenho.



Notas Finais


Obrigada por ler💙💙


Bjs da Maah😙😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...