História Tarde Violeta - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Arte, Conceito, Drama, Escola Revelações, Gay, Musica, Romance, Separação
Visualizações 14
Palavras 1.279
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 19 - O outro garoto


 

       René ficou com Erick na parada de ônibus. Erick precisava pegar o ônibus para a cidade vizinha. Um silêncio estranhou tomou conta do momento, talvez fosse um pouco estranho para Erick perceber que René estava seguindo a sua vida. O vento frio da noite fazia  o seu black se movimentar de uma forma que deixava René hipnotizado com tanta beleza.

            De repente, luzes vinham no horizonte. Era o ônibus.

 

— Bem, eu tenho que ir.— Erick abraçou René com a maior força que poderia aplicar.

— Bem, essa é a sua hora. Volte mais vezes.

— Eu voltarei.

— Você sempre volta.

 

            A porta do ônibus se abriu como um portal mágico que levaria Erick para outra dimensão. Os dois trocaram olhares através do vidro e agora a realidade se tornaria a mesma. A realidade de seguir a vida. René  penteou seus cabelos para trás com as mãos e caminhou sozinho pelas ruas.

            Era difícil acreditar que tanto tempo já havia se passado. "Você sabe que eu sempre espero por você"... Essa frase ecoava em sua mente, como se fosse uma prece.

 

— Esse tempo todo, fui eu quem sempre esperou. — O olhar de René tomou um aspecto sombrio e determinado, mas esse olhar era ele mesmo tentando forjar uma superação que não existia dentro de si.

 

            Ele não estava nem um pouco afim de ir pra casa, queria distância de qualquer coisa que fosse diferente do que já estivesse acostumado. Acabou indo mesmo pra casa. Deitou em sua cama que possuía uma coberta estampada de notas musicais. Pegou uma parte do lençol com a mão e analisou a imagem.

 

— A escala de Lá maior, acho que essa é uma das minhas favoritas. Três sustenidos, eu gosto do número três. — Fechou os olhos e sua mente decidiu viajar por acontecimentos passados.

 

            Era outra cidade, era outra época. René estava no primeiro ano do ensino médio. A escola de música era a sua obrigação favorita,  fazia dois anos que havia começado as aulas de piano. Erick era o seu melhor amigo, o companheiro de classe que sempre o ajudava quando era preciso. Os dois estavam na sala de prática, estudando para a prova. Os cabelos de René ainda eram curtos e ostentavam uma franja reta. Erick tinha o cabelo quase raspado, era comum que ele aparecesse quase careca toda vez que os cachos começavam a se destacar em sua cabeça.

 

— Que droga, eu consigo tocar a música desse exercício. Mas eu não tô lembrando qual o tom dessa música. — René revirou os olhos em frente ao piano.

 

— Presta atenção na armadura, você não lembra mais? Um sustenido no fá, dó e sol.

 

— A professora sempre pergunta. Espera, to lembrando do ciclo das quintas...

 

            Erick colocou a mão nos ombros de René, que sentiu um pequeno arrepio. Ele estava se sentindo muito estranho em relação a esse amigo ultimamente, mas aquilo seria certo? Ele tinha muito medo de estragar a amizade com besteiras da sua cabeça.

 

— E aí, Renézinho... Já lembrou? — Erick começou a fazer uma massagem em seu amigo, sem nenhuma intenção maliciosa.

 

— Lá maior!

 

— Muito bem, é 10 com certeza nessa prova.

 

            Erick começou a correr e a pular pela sala, comemorando o acerto de René. Geralmente era René que sabia demais das coisas, mas sempre ficava muito nervoso quando estava as vésperas dos exames. René sempre muito contido, ficou sorrindo e olhando o seu amigo saltar pela sala.

 

— Para com isso, imagina só se alguém da coordenação entra.

 

            Erick ignorou e continuou a pular. René levantou, era preciso tomar alguma atitude para parar o garoto. A equipe do colégio era muito dura em questão de disciplina. René encostou Erick na parede e tapou sua boca. Os dois trocaram um pequeno e profundo olhar. Erick colocou as mãos na cintura de René e o puxou. Assim foi o primeiro beijo para ambos.

            Depois disso, os dois continuaram muito unidos, porém apenas o coração de René queria algo a mais. Ele era o único apaixonado, ele seria o único que pelos anos consecutivos iria sofrer a dor de amar alguém que só o queria como amigo. Mas era melhor assim, ter pelo menos por perto como um amigo do que não ter nada.

            E em vários momentos, os dois acabavam esquentando as coisas. Mas não passava de muita química envolvida. Sempre que René demonstrava a sua paixão exalar, Erick o parava com sua sinceridade.

 

— Eu preciso ser sincero com você. Eu te amo, mas não é do jeito que você quer. Me desculpa, não é algo que eu possa controlar... Eu realmente sinto muito.  — Erick segurando a carta que ganhou em seu aniversário, no terceiro ano após ver um filme no cinema com René.

 

— Eu sei como você se sente. Realmente dói muito quando sempre tocamos nesse assunto... Eu só... Eu só queria que você soubesse que eu amo você. Eu consigo ver as suas cores verdadeiras e elas são lindas. Você é simplesmente incrível.

 

            Os olhos de René se encheram de lágrimas e ele abraçou Erick como quem quisesse congelar aquela momento para toda a eternidade.

 

— Eu realmente espero que você encontre alguém que te corresponda dessa maneira. Eu sinto muito que isso não aconteça comigo... Eu sinto muito de verdade.

 

            Tantos episódios aconteceram, tantas coisas rolaram entre os dois. Erick era realmente uma pessoa que tinha uma importância astronômica em sua vida. A importância era tanta, que ele jamais pensou em se apaixonar por outra pessoa em sua vida. Rafael era uma esperança de seguir em frente, ele realmente sentia algo por esse garoto. Mas certas dúvidas surgiram em sua cabeça ao rever o seu amigo. É realmente complicado ter um coração e ter sentimentos, naquele momento só queria ser uma batata.

            Pegou o celular e se deparou com mensagens de Rafael.

 

Rafa [00:15]

Hey, me perdoa pela cena... Eu não giro muito bem da cabeça, tá?

 

René [00:42]

Ah, heeey. Eu fiquei preocupado! Claro que perdoo.

 

Rafa  [00:42]

Você está aqui, demorou.

 

René  [00:44]

Sim, estou aqui. Estava pensando sobre a minha vida. A vida é uma droga...

 

Rafa [00:46]

Eu também acho. Quem era aquele garoto que estava com você?

            René temia essa pergunta. Não gostaria de contar a história desde o começo, seria sofrer tudo outra vez. Mas também não gostaria de mentir para Rafael.

 

René [00:50]

Rafa... Eu tenho que ser sincero com você. Eu vi como você reagiu quando me viu com o Erick. Ele é meu melhor amigo, mas fui apaixonado por ele por bastante tempo. Na verdade, ainda acho que parte desse sentimento ainda não foi embora.

 

Rafa [00:52]

Uau, vocês realmente estavam muito bonito juntos. Eu não vou mentir que senti um pouco de ciúmes de vocês dois. KKKK

 

René [00:54]

Bem, eu acho que não precisa sentir... Acredito que a essa altura, não vai mais dar em nada. E talvez eu goste de você agora.

 

            René não acreditava no que havia acabado de fazer. Estaria se declarando para um garoto que havia conhecido tão recentemente? Parecia um pouco de loucura, mas enviou a mensagem.

 

Rafa  [01:00]

René, eu também gosto de você... mas eu não tenho certeza.

 

René [01:01]

Eu entendo, a gente mal se conhece. Faz muito pouco tempo.

 

Rafa [01:03]

É mais complicado do que você pensa. Mas vamos apenas esquecer um pouco isso tudo. Não quero surtar.

 

René [01:04]

Não queremos. Vou tentar dormir agora, neném. Boa noite pra você.

 

Rafa [01:06]

Boa noite, também. Sonhe comigo e não com o Erick, ou então eu saio correndo. *emoji de carinha dando a língua*

 

            René sorriu, bloqueou o celular e entrou no mundo dos sonhos. Dormir era forma maravilhosa de escapar da realidade. Na verdade, era tudo o que ele mais precisava.

 

           

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...