1. Spirit Fanfics >
  2. Tatuagens >
  3. Capítulo 1

História Tatuagens - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo 1


Eren Yeager um alfa que morava no centro de Ottawa, filho de um médico um tanto famoso pela capital. Tinha uma vida financeira boa, graças ao seus pais que trabalhavam para dar uma vida boa para seus três filhos. Havia recebido de presente esse ano, um apartamento de luxo, onde morava sozinho nele, com tudo pago. Devido estar se dando bem na faculdade, diferente de seu irmão mais velho Zeke, seus pais quiseram o presentear, além de pagar todo o seu estudo. Seu outro irmão, Jean, também estava com a faculdade paga, mas ainda morava com pais, mas prometeram dar um apartamento para ele quando completasse 19 anos, assim como Eren. Já Zeke havia recebido um apartamento, já tentou fazer três faculdades mas nem uma delas deu certo, foi quando Grisha o alistou no exército para fazer algo da vida e não viver nas custas dos pais.

Eren era um garoto bonito, tinha uma corpo bem definido, pele bronzeada, olhos claros e tatuagens pelo corpo. Estava no padrão de beleza, mas o mesmo não ligava para isso, não se importava em ser o mais bonito do ano ou receber vários elogios, sempre achou uma perda de tempo as pessoas elogiar a beleza dos outros e não se focar nelas mesmas. Mas de uma coisa que Eren tinha certeza era que amava as tatuagens de seu corpo, todas elas, algumas tinham significados e outras era apenas vontade o que era a maioria. Sua mãe quase o matou quando viu a granide tatuagem nas costas que havia feito com 17 anos, disse que ele ia ficar feio, que estava estragando o próprio corpo, mas Eren nunca a escutou, continuou fazendo desenhos em seu corpo até a mesma se acostumar. E hoje em dia até Carla tinha feito uma tatuagem junto ao seus dois filhos. Era uma das tatuagens preferidas do Yeager, gostava muito de sua mãe e daria sua vida a ela, por mais que ela brigava muito, reclamava de tudo que fazia e não havia gostado da namorada que seu filho tinha escolhido, ele a amava mais que tudo.

Agora Eren estava curtindo seu final de semana deitado na sua cama junto de Mikasa. Ele suspirou cansado e a afastou com cuidado de seu peito, se sentou na cama e se focou em um ponto aleatório enquanto pensava em nada, esfregou os olhos e se levantou, seguindo ao banheiro em direção ao chuveiro. Sentiu a água gelada cair em seu corpo e ficou descansando ali. Eren estava triste esses dias, por mais que tinha tudo, ele sentia que faltava algo ou alguém, pensou no que poderia ser mas não veio nada em mente, e isso era o que mais o frustrava, não saber o que te incomodava. Suspirou e desligou o chuveiro, logo saindo dali todo molhado, caminhou até ao espelho enquanto molhava todo o chão e se olhou, estava normal, mas algo faltava. Deu mais uma olhada e reparou que nunca tinha feito uma tatuagem em seu peitoral ou barriga, apenas nas suas costas, braços e pernas. Sorriu e saiu do banheiro na pressa, foi até seu guarda roupa e pegou peças leves e as vestiu. Olhou a namorada que começava a se despertar na cama e foi até ela.

— Bom dia Eren— se sentou na cama e o puxou para um beijo rápido— Que animação toda é essa?

— Vou fazer outra tatuagem— sorriu enquanto via sua namorada o olhar preocupada.

— Outra Eren?

— Sim— seu sorriso sumiu— Por que? você não acha uma boa ideia?

— É claro que é uma boa ideia. Mas o que você vai tatuar? — observou o namorado que agora estava sério enquanto pensava, viu ele negar com a cabeça e ficar triste novamente.

— Eu não sei— disse em quase um sussurro

— Tatua algo especial— disse Mikasa se levantando.

— Como o que?— olhou para a garota alfa que caminhava até ao banheiro.

— Sei lá, o meu nome?— Mikasa se virou e o olhou— Como eu e você somos alfas não tem como você me marcar para ser eternamente sua, então que uma tatuagem resolva esse problema, não é?— sorriu e entrou no banheiro.

Eren ficou pensativo, a ideia de Mikasa não havia preenchido o vazio que sentia, mas ela estava certa, ele a amava e tinha que demonstrar isso. Pegou o celular e procurou um estúdio de tatuagem. Se tem uma coisa que Eren nunca fazia era repetir os estúdios que já tinha feitos tatuagem, assim podia experimentar um pouco de tudo. Achou um interessante, tinha uma avaliação boa e as tatuagens eram ótimas de acordo com as outras pessoas, quase não tinha comentários negativos, até viu um que dizia que o tatuador era um gato. Decidiu marcar um horário, e por sua sorte, já tinha horário daqui alguns minutos, confirmou com a pessoa que conversava e desligou o celular e guardou no bolso. Se levantou da cama e foi perto da porta do banheiro.

— Mikasa eu vou sair, quando você for não esquece de trancar a casa e deixar a chave na planta Ok?— disse gritantando e escutou uma confirmação do outro lado da porta.

Po'v Eren

Sai de meu apartamento e fui até meu carro, coloqui a localização do estudio no GPS e sai nas ruas iluminadas da capital do Canadá. Havia poucas pessoas e carros nas ruas por ser sábado a tarde o que facilitou para mim chegar mais rápido no local, agradeci por não ser tão longe, sai do carro e deu uma olhada no lado fora, era bonita as ruas e a decoração do ambiente, não era chamativo, era simples mas bonito. Adentrei no estabelecimento e fui até a recepcionista que mexia no celular bem concentrada. Fiquei um tempo a encarando esperando que ela me olhasse, mas nada.

— Ah licença?— Tentei chamar a mulher que estava na minha frente, ela usava óculos e um rabo de cavalo, ela continuou mexendo em seu celular como se não estivesse escutado nada. Odeio gente que ignora as outras se1ndo que o trabalho dela tem que prestar atenção. Tentei chama–lá mais alto, mas fui interrompido por um homem alfa alto que ficou parado em meu lado, e logo atrás dele veio um homem ômega, baixinho, pele pálida e cabelos pretos, e nossa, eu acho que esse foi o ômega mais lindo que eu já vi. O homem alto tirou a carteira do bolso e de lá tirou uma nota de 100 e entregou para o ômega que agradeceu, o homem o olhou malicioso e piscou para o mesmo que apenas revirou os olhos e o observou sair. Ele me deu um olhada e em seguida foi até a mulher e tirou o celular dela, e colocou a nota no balcão

— Hange? Será que você pode prestar atenção no seu trabalho? Tem um cliente aqui— disse o ômega a fazendo a beta levar um susto com a bronca que recebeu.

— Tá bom desculpa baixinho— Hange olhou para o mais baixo e em seguida para mim que tinha um sorriso confuso o rosto.— Ah você é o Eren Yeager do horário das 15:30?— Concordei em silêncio. — Assim, você quer fazer uma tatuagem então é só seguir o Levi— a mulher apontou para o ômega que me encarou. Levi, então era esse o tatuador, aquele comentário estava certo quando disse que ele era lindo, e cheira a lavanda, gosto de lavanda.

— Pode vir aqui— Ele me guiou até uma sala grande onde tinha vários equipamentos de tatuagem e tudo era muito limpo, ele foi até uma mesa e se sentou nela— Pode se sentar— disse apontando para a cadeira a sua frente onde me sentei em silêncio— E então o que você quer fazer?— falou pegando um caderno e um lápis.

— Bom eu queria tatuar um nome...— O olhei e o mesmo concordou.

— Nome de quem?— Ele me encarou como se já soubesse a resposta

— Da minha namorada.— Ele suspirou e largou o lápis na mesa e me encarou.

— Eu não posso fazer isso.

— Por que?— o perguntei sem entender.

— Sabe Yeager— eu o interrompi

— Pode me chamar de Eren— Ele concorda.

— Eren, acontece que relacionamentos não duram para sempre e uma tatuagem sim. Não quero que se arrependa e jogue dinheiro fora, tatue algo com bastante significado para você.

— Essa é a questão, não sei o que tatuar, mas eu quero algo. Por isso perguntei para ela, e ela disse para eu tatuar o nome dela.— Ele riu soprado por um instante.

— Já começou errado. Nunca pergunte para alguém o que tatuar. É uma decisão sua.— Me encolhi na cadeira por ter recebido uma bronca de uma pessoa que acabei de conhecer, se ele calmo já é assim imagina quando realmente estiver bravo. Ele só não chega perto da minha mãe quando está com raiva.— Já que você está com dúvida por que não da uma olhada nos desenhos que eu tenho? Mas se você quiser tatuar o nome da sua namorada eu recomendo que vá a outro estúdio porque eu não vou fazer isso.

— Não tudo bem, eu nem estava muito seguro de ter o nome dela no meu corpo mesmo— Eu dei uma risada pequena o vendo sorrir divertido. E deus que sorriso, agora entendi porque não se deve tatuar o nome da namorada no corpo.— Posso dar uma olhada?— apontei para os desenhos e o mesmo concordou.

— Você já fez tatuagens?— perguntou enquanto eu folheava os desenhos

— Já sim, tenho um monte— disse sem tirar os olhos da pasta.

— E a onde foi sua primeira?

— Nas costas, uma bem grande— escutei ele rir.

— Eu nunca deixaria uma pessoa tatuar algo bem grande quando é a primeira vez, nunca é recomendado.

— Eu sei— olhei para ele e sorri— Percebi isso depois que tatuei. Se todos os tatuadores que eu já fui fosse igual a você, eu teria poucas tatuagens no corpo— Ele ficou sério, merda, agora percebi o que falei— N-não foi o que eu quis dizer, d-desculpa.

— Você sabe que eu faço tudo isso para o cliente ter certeza do que quer não é? E se não gosta pode ir embora.

— E-eu sei que sim. Eu quis dizer é que— pensei antes de falar qualquer merda— Que das minhas 18 vezes em vários tatuadores a que eu estou mais gostando é a sua. — Ele me olha assustado— N-não porque você é um ômega, é porque de todos, você é o único que está se preocupando com que eu vou tatuar.

— Todo tatuador tem que ser assim— ele desvia o olhar de mim, e espera, ele está corado? Eu acho que essa foi a cena mais fofa que já vi— Já escolheu?

— Eu...— olho para o desenho que eu havia parado, era um desenho de cavera— São lindos mas eu gostaria de algo que realmente valesse apena, bem diferente das outras.— ele me encara curioso— Por que você nao usa sua criatividade e desenha o que quiser no meu corpo? Me use como se fosse um caderno e coloca suas inspirações em mim.

— Você tem certeza disso? — ele pega a pasta e guarda.

— Eu achei todos os seus desenhos lindos e criativos, tenho certeza que não vou me arrepender.

— Você é o primeiro cliente a chegar e me deixar fazer esse tipo de coisa— ele chega mais perto de mim e me encara seriamente me fazendo ficar corado com a aproximação do mesmo— E um dos únicos alfas que chegou aqui sem segundas intenções e que deu valor ao meu trabalho. Você quer pelo menos escolher o lugar? — Eu concordo— Me diga a onde.

— No meu peitoral, o único lugar que não tenho nem uma tatuagem.

— Tire a camisa e se deite— mandou e eu fiz, sentindo um gelado nas minhas costas quando me deitei na maca.

O observei lavar as mãos e colocar uma máscara junto de um par de luvas. Dei uma olhada pelo o seu corpo, era um corpo de um adolescente de 17 anos, senti medo já que ele parecia ser novo naquilo por mais que tudo aqui dentro era bem profissional. Reparei que ele também tinha várias tatuagens pelo corpo e todas eram bem bonitas, tudo nele era bonito, isso ninguém podia negar. Ele se aproximou de mim tirando uma agulha nova do pacote e a colocando na maquininha, a mergulhou na tinta e pegou um papel toalha.

— Está pronto?— Ele perguntou me olhando, agora que ele estava mais de perto, consegui reparar nos olhos dele que era cinza ou azul? Pouco importa, são lindos e trás calmaria. Ele tocou no meu peito e senti um rubor nas minhas bochechas, um ômega nunca tinha chegado tão perto de mim assim. Era difícil de se controlar com todos os feromonios dele pelo local, fiquei até com medo de ter que lidar com probleminha lá em baixo, mas me controlei ao máximo.

— Você não fez nem um rascunho?— o perguntei preocupado, lembrando que ele não havia feito primeiro em um papel do que em mim.

— Confia em mim— ele disse como se fosse fácil — Já fez todas essas tatuagens e está com medo?

— Talvez....— ele deu uma pequena risada e colocou o objeto na minha pele— Nem perguntei quantos anos você tem, tem cara de ser bem novo.

— Eu novo?— ele concordou e eu fiquei indignado— Eu tenho 19 não sou tão novo.

— Ok ok eu só perguntei não achei que fosse ficar ofendido. Tão jovem e já com um monte de tatuagem, começou com quantos anos?

— Comecei com 17. Meus pais no começo não gostavam de jeito nem um, mas eu não liguei e continuei fazendo o que mais gosto. Até que eles se acostumaram, convenci até a minha mãe de fazer uma.

— Serio? Que legal.— ele sorri com os olhos

— E você?— Senti um pouco de dor

— Eu o que?— Ele parou por um instante e passou o guardanapo na minha pele, tirando o excesso de tinta e o sangue.

— Tem quantos anos?

— 24 anos — eu o olhei e arregalei os olhos— O que?

— Achei que tinha menos— me tranquilizei por saber que ele era mais velho do que eu imaginava.

— Agora eu que fiquei ofendido.

— Devo pedir desculpas?— o olhei e nao obtive nem uma resposta do mesmo

— Está ficando bom?— perguntei e o mesmo continuava a desenhar sem tirar os olhos do meu corpo.

— Você vai ver depois que ficar pronto, tenha paciência. Agora fique quieto assim eu termino mais rápido.

Eren po'v off

Se passou alguns minutos, e Levi tinha um sorriso atrás da máscara com a própria arte que tinha feito. Tirou sua máscara e suas luvas e as guardaram, encarou Eren que estava impaciente ali. O Arckman se virou de costas e pegou um espelho, logo entregou para o esverdeado que pegou o objeto com rapidez. Um sorriso se formou na face do Yeager, parecia uma criança olhando seu doce preferido da vitrrine de uma pradaria. Ele encarou Levi que achava engraçado as expressões do mais novo, saiu da maca e foi para o espelho que tinha na parede que dava para ver com mais facilidade.

— Está perfeito— olhou para Levi boquiaberto— Eu amei, sério é a tatuagem mais lindas que eu já fiz.

— Não exagere— cruzou os braços.

— Não estou exagerando— voltou a olhar para o espelho.— Mas porque duas asas?— escutou Levi suspirar.

— Eu te achei uma pessoa muito livre, e que não importa com a opinião dos outros. Como me disse, seus pais não gostaram que você tinha se tatuado, mas que continuou fazendo sem se importar. Isso mostra que você é livre para fazer uma escolha muito ousada, mas que te deixa feliz.— concluiu e Eren voltou a olhar

— O significado é mais lindo que a tatuagem—sorriu.

— Mas é claro que você pode escolher outro que seja mais importante para você, afinal eu apenas te descrevi em um só desenho.

— Mesmo assim eu gostei muito.— chegou perto de Levi— Quanto eu te devo?

— Primeiro vista uma camisa e se afaste, está muito perto. Vamos lá para fora e decidimos isso.— O Arckman saiu da sala e foi até a Hange que estava com um sorriso malicioso no rosto.

— Demorou hein, foi mais demorado que os outros— Levi a encarou com um olhar debochado— O que aconteceu lá dentro?

— Ele só estava indeciso no que escolher, não pense besteira.

Eren apareceu na sala já vestido e encarou os dois que o encaravam de volta.

— Quanto deu Levi?— perguntou Eren chamando o tatuador pelo nome pela primeira vez.

— Deu 150— Eren tirou o dinheiro e fez questão de entregar para o homem do que para a mulher. Fez um carinho rápido na mão de Levi e sorriu— Me chame de Rivaille, nós não somos próximos para você me chamar de Levi.— disse se afastando do outro e entregando as vistas para a Hange.

— Ah sim claro— disse desanimado, mesmo depois do pouco tempo que ficou ali, ele achava que já tinha criado uma amizade com o ômega mas estava enganado.

— Você pode ir agora, nos temos que fechar— disse Levi seco

— Eu já vou boa noite— Eren saiu dali meio atrapalhado, foi ate ao carro e encarou o volante por um tempo, pensando no que tinha feito de errado para ele o tratar assim do nada. Chegou a conclusão de que não era nada e seguiu embora pelas ruas que já estavam anoitecendo.

— Você pegou pesado com ele— disse Hange fechando as portas.

— Não tenho o porque tratar ele bem, ele só é mais um alfa.

Hange encarou o amigo e suspirou, negando com a cabeça a atitude do menor.


Notas Finais


Ficou mais grande do que eu pensei


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...