História Taylor no basket - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Aomine Daiki, Himuro Tatsuya, Kagami Taiga, Kise Ryouta, Midorima Shintarou, Momoi Satsuki, Personagens Originais
Visualizações 30
Palavras 1.488
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora, eu não sei quando eu vou lançar as outras historias, mas agora eu estou me focando mais nessa.

Capítulo 3 - Memórias sombrias.


Fanfic / Fanfiction Taylor no basket - Capítulo 3 - Memórias sombrias.

Dia 13, sexta-feira, 2016.
Residência Malaskinn. Nova York. Eua.

Taylor levanta de manhã, ela ia para a escola e tinha que se arrumar. Ao se arrumar, ela desce para a sala de jantar, onde a família esta reunida para comer o café da manhã. Taylor senta-se ao lado de seu irmão mais velho, Maylor.

- Bom dia, irmãzinha – fala Maylor.

- bom dia Maylor – responde Taylor.

- Taylor – fala Sccot

- Scoot, Just, Cris, Victor e Jason, bom dia – fala Taylor para seus irmãos mais velhos.

Taylor tem 8 irmãos mais velhos, sendo a única filha, Taylor viveu por 14 anos na presença masculina. Neste momento, os irmãos mais velhos estão tomando café, enquanto 2 estão em suas vidas pessoais. Eric, Nicola, Maylor, Sccot, Just, Cris, Victor e Jason.

Os pais dos 9 não estão em casa, a Sra. E o Sr. Malaskinn trabalham desde amanha, o senhor Willson trabalha como empresário e dono de quatro bancos, a senhora Julia trabalha como advogada e dona de uma floricultura.

Após o café, Taylor arruma a suas coisas, e espera o motorista no lado de fora da casa, depois de um tempo, ele chega e a leva para a escola. O chegar, Taylor vai para o seu armário, onde pega os seus respectivos livros, ao acabar vai para a sala de aula, onde se senta na sua carteira de quatro, a sala de literatura, as mesas onde os alunos sentam, é redonda, assim cabendo quatro cadeiras. Taylor senta-se e espera a aula começar.

Mas, a tranquilidade vai embora, assim como todos os adolescentes, Taylor tem seus problemas de relacionamentos, o time de basquete entra na sala, que infelizmente, Taylor tem algumas aulas juntos. O líder do grupo, Calr, vai até ela, se sentando na sua frente.

- Olá – diz ele.

- o que queres, Calr? – pergunta Taylor.

- ora, transar com a menina mais gostosa da escola- fala Calr.

- olha Calr, me faça um favor, me deixe em paz – diz Taylor

- olá alunos – diz a professora entrando na sala.

Então a aula começa, os alunos entram na sala. Taylor tem que passar isso todo o santo dia. O sinal toca, e Taylor sai para trocar os livros, durante o caminho para a próxima sala, um menino que andava ao lado dela, passa a mão em sua bunda e sai correndo, se Taylor pudesse, ela arrancaria aquela mão fora. Mas como sempre a escola não esta presente e não faz nada a respeito, o que deixava Ty muito brava.

No intervalo, Taylor se senta ao lado de sua melhor amiga, Letícia. As duas são amigas a muito tempo, Letícia é uma menina bonita como Taylor, mas ao contrario de Taylor, não é bom irritar ela, pois se não, bem.... já viram uma mulher de TPM? Então prazer, essa é ela.

Quando Taylor acaba de comer, ela se levanta e vai ao lado de Letícia, para a quadra de basquete da escola, onde lá, pega uma bola, e elas duas ficam brincando. Mas o placar acaba com Le sendo a ganhadora, ela ganha de 20x0. Umas das dificuldades de Ty é arremessar, ela é muito ruim para enterrar ou para arremessar, o que deixa muita gente confusa, já que ela é boa para ficar “invisível” mas é ruim para marcar ponto. Depois ela vão para os armários e pegam os seus livros, onde seguem para a sala de ciência, que, felizmente, as duas iam ter aula juntas.

No final das aulas, com muito estudo e assedio dos meninos, Taylor vai para casa, mas prefere mudar de caminho, ela manda o motorista seguir para a quadra de basquete da cidade e assim faz. Faz muito tempo que ela não joga basquete de rua, que para a sua opinião, é bem melhor.

Ao chegar, ela desce e vai para a quadra, ela olha pela grade e vê vários meninos jogando, ela então vai para um banheiro publico, entra e o tranca, abre a sua mochila e tira de lá a sua roupa de treino, um short curto, uma blusa que, junto com o short, parece mais um macacão, e também as suas meia altas junto com seu tênis.

Ela então sai do banheiro, e segue para a quadra, os meninos que jogavam a conheciam, eles então param o jogo e a cumprimentam, batendo as mãos. Logo eles montam o time, Taylor fica com o time negro, não que os times eram por cor, mas o capitão escolheu assim e assim vai ser. “Ainda bem que ele é negro.” Pensa Taylor.

Então assoa o apito, sinalizando o inicio do jogo, a bola é tacada para cima, onde dois jogadores, pulam para pega-la,  a bola começa com o time negro, ou se preferir, o time de Ty, dois jogadores ficam passando a bola um pro outro, criando um desconforto e confusão ao time adversário, criando um tempo perfeito para Taylor passar pelos jogadores e chegar no outro lado, o lado adversário, quando Max, um dos jogadores que passava a bola, vê Taylor do outro lado, ele pega a bola e lança para ela, que pega, mas rapidamente, mas rápido que os olhos podem vê, manda para o companheiro que estava ao seu lado, que o mesmo faz a cesta, dando o time um ponto de vantagem. Ty olha para as suas mãos, e não consegue entender o que aconteceu, como ela passou a bola tão rápido para o Nicolas, sem ninguém a perceber? Isso é estranho.

O jogo acaba, e o placar fica como: 25x24. O time de Taylor ganha, ela então vê a hora, e com pressa corre para o banheiro, onde troca a sua roupa para a que estava usando, uma calça preta colada, uma blusa azul, um tênis e um laço em seus cabelos azuis claro. Ela então corre para o motorista, mas não antes de se despedir dos meninos, e vai para casa, quando chega, já era 20:00. Seus pais já haviam chegado em casa, Ty então vai para o quarto, onde deixa as suas coisas, pega uma roupa, e vai para o banheiro, onde toma um banho. Para relaxar os músculos, ela deita-se na banheira que ela encheu de água quente e com algumas pétalas de rosas.

Ao acabar, ela coloca a sua roupa, um vestido rosa com bolinhas azuis, e desce para a sala de jantar descalça, o que irritava a sua mãe.

- Olá mamãe, papai - diz Taylor quando entra e senta.

- olá filha – diz o pai dela.

- olá- diz a mãe fria como sempre.

Dona Julia sempre foi uma mãe fria, algumas vezes, Taylor pensa se ela a ama, ao contrario de seu pai, que ama os seus filhos, principalmente Taylor, por ser uma menina, em meio de 8 homens, ou melhor, 9 homens se contar com ele.

- olá papai – diz os 8 entrando na sala – olá mamãe.

- bom, agora que todos estão reunidos, podemos começar a comer, Alfred – diz o senhor Willson.

O governante da casa, o senhor Alfred, trás a comida para os seus senhores, os servido e recebendo os seus obrigados.

- então, como foi a escola hoje Taylor? – pergunta o senhor Willson.

- bem, hoje a gente fez um trabalho sobre as economias domesticas na aula de ciências. – responde a mesma.

- e a Letícia, como vai ela? – pergunta ele.

- vai bem, ela manda abraços – responde ela.

- o que bom, sempre gostei dela, Jason por que não fica com ela? Letícia é uma menina espetacular. – diz o Sr.

- Pai... a Letícia não faz o meu gosto- responde constrangido Jason.

 

- ah, gosto... na minha época não tínhamos esse negocio de gosto, era se casar ou apanhar- diz ele.

- Willson, esta começando a ser irritante- diz Julia.

- ora Julia, deixa eu, eu tenho que aproveitar a vida- diz Willson- eu já estou velho.

- não diz uma coisa dessas papai, o senhor não esta velho – fala Taylor.

- e você Taylor, o que estava fazendo? – pergunta Julia.

- eu estava jogando basquete – responde Ty.

- ora, por favor Taylor, eu já disse a você, esportes não é coisa para mulheres, isso é coisa de mongoloides – diz Julia.

- não mamãe esta enganada, esportes é coisa de mulher sim- fala Ty.

- como ousa em dizer que estou enganada, você não é ninguém para falar isso.

- eu sou sua filha- diz Taylor se levantando.

- e eu sou sua mãe, e como castigo, eu a proíbo de sair do seu quarto até eu mandar, agora vai- grita Julia.

Taylor vai para o seu quarto com raiva, abre a porta do quarto e a fecha a trancando, com raiva, se joga na cama, e começa a chorar, ela chora por liberdade, se perguntando por que nasceu em uma família como essa, ela daria qualquer coisa para viver como uma menina pobre do que viver em uma família rica e preconceituosa.

Ty, dorme assim, chorando. 


Notas Finais


oq você acharam da atitude da mãe da Taylor? Esse capitulo é uma lembrança de Taylor, para você vêem o que ela passava.
Vocês acham que eu devo dar um tempo na historia e focar nas outras? ou eu devo continuar todas?
Deixem nos comentários o que acham.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...