História Te amarei para sempre - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Kentin, Leigh, Lynn, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nette, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Drama, Originais, Romance
Visualizações 17
Palavras 1.199
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mas um capítulo para vocês. No próximo, irei contar oq aconteceu no passado de Julia.
Boa leitura!

Capítulo 4 - V-você...?


Fanfic / Fanfiction Te amarei para sempre - Capítulo 4 - V-você...?

        O resto do dia passou bem tranquilo, conversamos colocamos as fofocas da cidade em dia, incrível como aqueles dois em uma tarde só conseguiu me deixar por dentro das novidades que perdi em dois anos. Depois de uma tarde bem divertida e animada não queria de modo algum voltar para a casa de Nath, mas eu não tinha outra escolha. Já tínhamos jantado, a mãe de Nath aparentemente não estava muito afim de cuidar da minha vida hoje, na verdade nem quis conversar muito com ninguém, Nathaniel me contou que as vezes ela sente falta de seu marido, e fica preoucupada em não conseguir cuidar da empresa sozinha.

Eu já havia tomado banho, colocado uma roupa simples e confortável, e Nath tinha feito mesmo. Nós dois estávamos deitados na sala assistindo um filme de romance qualquer, Nath estava deitado com a cabeça em minha barriga, ele tinha pegado no sono bem rápido, eu fazia carinho naqueles cabelos dourados. Ri sozinha, pensando em tudo que eu já tinha vivido nessa cidade, era uma vida totalmente diferente da que estou levando agora ao lado desse homem, era estranho como as coisas aconteceram tudo tão depressa e do nada, quando pisquei estava noiva de Nathaniel e morando em Londres, coisas que nunca imaginei na minha vida, para mim.

Fui tirada de meus pensamentos, ao escutar a porta abrir e ouvir as risadas exageradas de Ambre, olhei para o meu relógio de pulso, e já estava bem tarde na verdade, já era 02:00 hrs da madrugada, pensei em como tinha perdido a noção do tempo aqui na sala.

Ambre – Ainda acordada cunhadinha? ( ela falou com dificuldade e embolando as palavras, estava aparentemente bêbada), você não vai entrar? (disse ela para alguém que estava a acompanhando)

??? – Com licença, Ambre me obri... (escutei aquela voz rouca e forte, que me fez gelar e olhar pra ele instantaneamente) J-Julia?

Olhei ainda perplexa para aquele ruivo parado ali junto de Ambre, ainda não conseguia cair em si, que estava ali na minha frente o homem que um dia tanto amei, aquele a quem havia me entregado de corpo e alma. Ele estava tão mudado sua personalidade parecia estar bem mas maduro. Nossa parecia como se o mundo estivesse parado ali. Eu estava tão perdida e sem reação que não consegui dizer nem uma palavra, nada se formava em mim cabeça nesse momento para eu dizer a ele. O meu peito estava apertado não conseguia acreditar que ele estava junto de Ambre. Por que tinha que ser ela? Logo ela?

Ambre – Já se olharam bastante, agora vem Cast, temos muito o que se divertir ainda (ela saiu o puxando pela mão)

Castiel – Foi bom te ver Julia ( ele disse fechando o semblante, olhando Nath que ainda dormia em mim, e indo para o andar de cima sendo guiado de Ambre)

Senti meus olhos arderem e lágrimas quererem descer sem minha permissão, não entendia o porque estava naquele estado, ele não podia mas fazer esses efeitos em mim, não depois de tanto tempo, agora eu era noiva de outro homem que me tratava muito bem, e me fazia sentir como uma mulher verdadeiramente amada

Nath – Meu amor? (nath chamou minha atenção, fazendo eu dar um sorriso fechado para ele) Você esta tudo bem? Está chorando ( ele limpou meu rosto com o polegar, uma lágrima que eu nem tinha me dado conta que tinha rolado pelo meu rosto)

 

Juh – e-está sim (sorri para ele para tirar aquela preocupação dele) é que eu sou muito mole para este tipo de filmes (tentei dar uma desculpa, o fazendo olhar para a tv, que pelo jeito o filme já tinha acabado)

Nath – Óh... Verdade? Espero que não tenha sido um filme de cachorro se não eu choraria junto com você ( ri com a piada dele, tentando me alegrar)

Juh – Não se preocupe não era ( ri para ele)

Nath ficou me olhando com um sorriso no rosto, ele tinha essa mania as vezes de ficar me analisando. Ele se ajeitou, passou uma de suas mãos em meu rosto descendo até meu queixo puxando-o levemente para si, me dando um selinho demorado.

Nath – Me desculpe por estar tão distante de você ultimamente, prometo que vou te dar mais atenção, é só questão de tudo isso passar, vai ser só eu e você ( ele disse baixo, e me olhando nos olhos)

Fiquei encarando aqueles olhos amarelos, o fiz pensar que estava chorando por sua causa. Me senti mal por isso. Mas ele não podia nem imaginar o que me causou esse estado, já que ele odeia imensamente o Castiel por tudo, tenho dó por ele não saber nem um pouco do que realmente aconteceu entre eu é o ruivo.Ele desviou o olhos dos meus e quebrou aquela pouca distância que havia sobre nós, selando nossos lábios, ele pediu passagem com a língua e eu cedi, sentindo sua língua calmamente explorar cada canto de minha boca e eu o acompanhando em seu ritmo, ficamos ali naquele beijo calmo e doce, típico dele, até que nos faltou o ar

Nath – Vamos ir nos deitar, amanhã quero que você me acompanhe na reunião da empresa da minha família. Irei te apresentar para os sócios ( ele me deu um selinho demorado) como minha mulher ( dei um sorriso largo para ele)

Espantei qualquer pensamento sobre meu passado, ele é o homem que eu amo, e o cara que irei me casar. É com ele que irei construir meu futuro, eu não o amo mas Castiel, não depois de ter arruinado minha vida.

Acordei na manhã seguinte com a claridade que estava entrando no quarto, me espreguicei na cama, percebi que Nath ainda dormia, o que me fez suspirar de alívio, significando que não estava atrasada para nada. Levantei da cama devagar para não queria o acordar. Fui em direção do banheiro, parei em frente ao espelho na parede, fazendo um coque bagunçado em meu cabelo. Fiquei olhando para meu reflexo no espelho, enquanto minha cabeça foi invadida por alguns pensamentos. Não, de novo não, eu não quero pensar, naquele ruivo que me fez chorar várias e várias vezes. Balancei negativamente a cabeça espantando qualquer pensamento. Tomei um banho, me sequei e vesti uma lingerie qualquer que tinha pegado para vestir no banheiro, me enrolei na toalha e voltei para o quarto. Vi o Nath esfregando os olhos sinal que acabou de acordar. Me inclinei sobre ele e dei um selinho

Juh – Bom dia, bela adormecida ( sorri para ele que o mesmo retribuiu)

Nath foi para o banheiro, eu fui me trocar, como já tinha algo em mente não demorei muito para decidir. Coloquei um vestido colado até na altura dos joelhos, branco perola com detalhes em peto, e um salto não muito alto preto simples. (LINK NAS NOTAS FINAIS) fiz uma maquiagem simples e pentei os cabelos. Nath se arrumou e me avisou que tomaríamos o café da manhã na rua, já que ainda tínhamos tempo. Nath pegou o carro que estava na garagem, ja que a família dele tinha dois, um que antigamente era de nath quando ainda morava aqui. E saimos rumo a um café no centro da cidade.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...