1. Spirit Fanfics >
  2. Te amo >
  3. One-shot - Te Amo

História Te amo - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente. Não consigo ficar longe de vocês 🖤🖤🖤

Minha primeira songfic baseada na musica da rainha Rihanna - Te amo
Uma tradução literal da música, levando em consideração que eles estão na Escócia e falam inglês 🙆🏻‍♀️🙆🏻‍♀️
Sugiro que ouçam enquanto leem

Capítulo 1 - One-shot - Te Amo


Dentro de algum tempo eu precisaria matar ao meu melhor amigo. Albus já se consumia pela maldição do anel se Sevolo Gaunt e embora eu tentasse diversas poções e encantamos, a maldição não diminuía. Do outro lado estava o Lorde das Trevas me pedindo uma prova da minha fidelidade. Me deixando cada vez com menos escolha, um mero peão no jogo de xadrez.

Para completar ainda mais a minha desgraça naquele dia, a irritante sabe-tudo amiga do Potter me deixou uma nota no canto do pergaminho pedindo para encontrá-la na praia do lago negro, que ela havia algo importante para me dizer antes que a guerra findasse. 

Ao chegar na praia no ponto marcado, me atentei a um candelabro voando para iluminar ao local enquanto ela caminhava de um lado para outro sussurrando algumas coisas indecifráveis por mim.

Pigarreei para demonstrar que estava no local, fazendo com que ela parasse aos pés no lugar e vira-se para mim com um sorriso nos lábios embora tentasse esconder ao seu nervosismo agarrando a barra da capa

Te amo – Ela disse. Soube por autos que Caridade Bourbage havia ensinado uma nova língua para eles essa semana, não me recordei qual. – Te amo – Repetiu demonstrando medo em sua voz.

Fiquei a analisar aquilo que ela estava dizendo. Procurando em minha mente o que aquelas palavras queriam dizer, e quando vi por mim, já estávamos dançando uma música lenta sob o candelabro, no ritmo dela.

Baixei a vista ao ponto de ver em seus olhos que a minha indiferença ao que ela disse a estava destruindo, acabando com qualquer coisa que aquelas palavras diziam.

Então ela disse novamente

Te amo

E agarrou-me pela cintura escondendo o rosto no meu sobretudo, me fazendo parar.

– Não – Foi tudo o que saiu da minha boca fazendo-a tremer com o choro. Aquelas palavras martelavam em minha cabeça numa velocidade enorme me fazendo procurar por todas as línguas que eu conhecia a origem ou significado delas

Te amo – Gritou ela ainda com a face no meu peito apertando ainda mais o abraço no provável medo de que eu fosse embora – Te amo

– Granger, eu não vou fugir, no entanto peço que faça a conveniência de soltar-me.

Numa força quase sobrenatural, seus braços caíram enquanto ela se afastava ainda com a face abaixada. Ao levantar minimamente os olhos, percebi o quanto fui rude, enquanto os frangalhos do que diz ser minha alma sentiu remorso. 

Te amo – Repeti as palavras dela mesmo sem saber o significado, ela esperava que eu dissesse aquilo, não esperava?

Mas a resposta veio quando, em meio a um ataque de pânico ou ansiedade, ela puxou o ar com toda força como se não conseguisse respirar. 

Em todos os anos de comensal, com todos os machucados do meu corpo e alma, eu jamais fiquei tão inerte quanto ao momento que eu estava.

Sem saber o que fazer, segurei as suas mãos, isso pareceu surtir efeito pois no segundo seguinte ela já me arrastava para a beirada do lago, tocando aos  pés na água. Levantando aos braços, começou a dançar.

Fiquei a observando dançar. Minha mente ainda trabalhava em milhões de hipóteses para aquelas palavras que saíram de minha boca e antes que eu chegasse a uma conclusão óbvia possível já me vejo caminhando praia acima em direção ao castelo.

Ouço passos apressados na água enquanto Granger me chama, decido a ignorar seu chamado, ela resolve perguntar o porquê daquilo já estar acabando. Tudo o que ela queria era uma dança para me dizer aquelas palavras.

Eu estou prestes a cometer o maior assassinato do mundo bruxo. De certo depois que o farei, ela vai se arrepender de cada palavra que me disse ali naquela praia com apenas o candelabro e o lago de testemunhas.

– Tudo bem. Eu danço com você – Ao primeiro passo dela para um abraço a interrompi – Mas cuidando onde põe essas mãos. Apenas observe-me

E dançamos uma valsa silenciosa enquanto seus olhos me diziam que estavam acabado e em seus lábios silenciosamente repetiam aquelas palavras. 

E como se fosse uma maldição jogada em mim aquelas palavras resolveram fazer algum sentido, embora eu sentisse o mesmo, não era recíproco, pelo menos não por ela.

Eu sentia amor, mas não da maneira que ela disse sentir. Sentia amor por Lilian Evans

Então a música acabou. Virei-me para ir embora e mais uma vez ela gritou na esperança de surtir algum efeito

Te amo – estanquei para ouvir mais uma vez aquelas palavras, mas tudo o que ouvi foram prantos.


Naquela mesma noite eu encontrei ao Potter na torre de astronomia. Matei Albus para que Draco pudesse desfrutar de um vida normal, sem carregar o peso da morte nas costas.

Enquanto me preparei para fugir, ela veio ao meu encontro, juntamente com o grupo patético que criaram entitulado de Armada Dumbledore e os acéfalos da ordem. Duelamos enquanto via nos seus olhos que estava acabado, que ela se arrependera de dizer aquelas palavras para mim. E como se fossem uma faca para cortar a minha alma, desviei, sumindo em meios aos campos próximo a cabana do guarda-caças e aparatando.

Nos jardins da mansão Malfoy, a adrenalina ao corpo de Belatrix ainda era alta, fazendo com que ela risse feito insana 

– Bela, a família Black é conhecedora de algumas línguas, não é verdade?

– É sim meu querido – Respondeu passando aos dedos e unhas levemente na minha face – O que quer saber?

– O que significa as palavras “Te amo”?

Por um segundo ela pôs a mão no queixo olhando para cima, depois voltou

– Não significam: eu amo você?

– Eu acredito que sim. Significa?

– Sim, em espanhol. – E ela começou a rir insanamente antes que entrássemos na mansão. Me deixando para trás 



*******


Me peguei a relembrar deste dia aqui no chão casa dos barcos enquanto todo o meu sangue se esvai. Posso até sentir o seu perfume, os seus passos. As suas lágrimas caindo silenciosamente. 

Me forçando a abrir os olhos, me deparo com ela acompanhada do Potter e nos braços do cabeça de fósforo. Seus lábios já eram prantos e não mais aquelas palavras que me atormentaram tanto desde o dia no lago. Selecionei memórias que explicariam ao Potter o que fazer e pedi para que ele as levassem para a sala de Dumbledore. Agarrei seu antebraço e pedi para que ele olhasse nos meus olhos para ver os de Lilian mais uma vez. 

– Você tem aos olhos de sua mãe – Senti uma fraqueza invadir meu corpo em reposta ao sangue que já estava perdendo, me forçando a fechar os olhos.

Senti o perfume dela se aproximar, de certo ela veio se despedir.

– Te amo – sussurrei com o máximo de firmeza que consegui para fixar na mente dela pelo menos um vez que eu havia dito com sinceridade, o que a fez chorar mais – Te amo. Não significa eu amo você?



Notas Finais


Então é isto!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...