História Te Amodeio (Kaisoo!ABO - Sendo reescrita) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baek!ômega, Chanbaek, Chanyeol!alfa, Chen!alfa, Hunhan, Kai!alfa, Kaisoo, Kris!alfa, Kyung!ômega, Luhan!omega, Sehun!alfa, Suho!ômega, Sulay, Taoris, Xiuchen, Xiumin!omega, Yinxing!alfa, Zitao!omega
Visualizações 253
Palavras 2.814
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishounen, Comédia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, pessoal! Aqui estou eu novamente. Bom, não sei como está esse capítulo, mas dei o meu melhor.

Aqui teremos um pouco do Luhan e apartir do próximo capítulo os personagens secundários já estarão mais presentes. Pessoal, eu não sei muito sobre ABO, estou me baseando no que leio de outras pessoas, então, se eu estiver errada em algo me digam.

Sehun / Chanyeol / Kris - 25 anos
Jongin / Tao / Minseok - 23 anos
Kyungsoo / Jongdae / Junmyeon / Luhan - 22 anos
Baekhyun / Yinxing - 24 anos

Peço um pouquinho de paciência, pois eu mesma me enrolo com os meus assuntos e acabo me atrasando. Também irei tirar um dia para responder todos os comentários, pois eu nunca tenho tempo. Agradeço pelo carinho de vocês e espero que gostem do capítulo! ^-^
Desculpem os erros.
Boa Leitura ♡

Capítulo 5 - Capítulo 03 - Surpresas e Tensões...


Os passos apressados e a respiração ofegante faziam o pequeno ômega se sentir cansado. As dores em sua barriga o incomodava de uma forma absurda. Kyungsoo suava frio, mas, mesmo assim, não parava. Não tinha como. Não com um alfa extremamente zangado o perseguindo.


O mesmo vinha atrás de si, quase atropelando alguns estudantes que caminhavam por entre os corredores. Jongin estava possesso, estava a ponto de perder a cabeça. O cheiro de Kyungsoo estava forte e, infelizmente, chegava ao seu ofato e o enlouquecia.


O pequeno Do se via sem saída, finalmente entendendo o que estava acontecendo consigo e se desesperando ao sentir sua calça se apertar. Um palavrão saiu de seus lábios e sua única opção fora correr para o seu quarto, chegando rapidamente no mesmo, mas não tendo tempo para trancar a porta, pois Jongin a abriu bruscamente e o olhou de forma indescritível, enquanto se aproximava lentamente.


- J-Jongin... - seu nome saiu junto de um gemido. O moreno respirou fundo, vendo todo o seu autocontrole se esvair aos poucos. Kyungsoo também estava se descontrolando. Seu membro o incomodava e mesmo que seu lobo estivesse implorando para que o mais velho o tocasse, ele se negava. Um gemido sofrêgo saiu e uma de suas mãos foi em direção ao seu pênis dolorido. 


Aquilo fora o fim para Jongin. O alfa rosnou, se aproximando mais e levando ambas as mãos até a bunda de Kyungsoo, que logo entendeu o que ele pretendia e entrelaçou as pernas envolta de sua cintura, tendo seus lábios atacados por um beijo voraz logo depois.


O sorriso safado nos lábios de Jongin foi a última coisa que Kyungsoo se lembrara de ter visto, antes de sua mente ficar em branco.


                             ∞


- Eu já disse, não irei me casar com um desconhecido! - um jovem ômega olhava de forma irritada para os seus pais, praticamente rosnando para os mesmos. Xiao Luhan era o seu nome e o fato de seus pais terem o prometido à alguém sem o seu consentimento, não estava o agradando.


- Filho, nos ouça, é para o seu próprio bem. - sua mãe, uma beta cansada pela idade, disse de forma entediada. Seu filho era muito ignorante e cabeça-dura, havia puxado o gênio do pai e ela sabia que seria difícil convencê-lo.


- Para o meu próprio bem ou para o de vocês? Acham mesmo que eu não os conheço? - Luhan foi grosseiro, se sobressaltando e se encolhendo ao ouvir o tom repreendedor de seu pai.


- Já chega, Luhan! Respeite a sua mãe. Você irá se casar  e eu não quero mais ouvir falar sobre esse assunto. - o mais velho presente, deu-se um fim na discussão.


O jovem bufou e como o ômega mimado que era, os deu as costas e correu em direção ao seu quarto. Luhan estava estressado, estava frustrado e zangado, aquela fora a primeira vez que seus pais não fizeram o que ele queria e sentia vontade de bater o pé no chão e começar a pirraçar.


Bateu a porta de seu quarto, causando um estrondo assustador. Correu até a sua cama, se jogando dramaticamente sobre a mesma e abafando um grito raivaso com o travesseiro.


Luhan fora acostumado mau. Desde pequeno, seus pais sempre o deram tudo o que ele queria. Sempre fizeram suas vontades e caprichos, algo que estava os afetando agora. O jovem ômega, com seus vinte e dois anos, ainda se comparava à mesma criança birrenta de sua infância. Apenas as suas pernas cresceram, mas a sua mentalidade se manteu aos seus sete anos de idade.


Luhan não tinha interesse nenhum em conhecer seu noivo. Na verdade, nunca passou pela sua cabeça se casar. Já tivera seus cios e nunca os passou sozinho, mas nenhum dos belos alfas que conhecera vieram a ser do seu interesse. Ele tinha certeza de que com o filho dos Oh's não seria diferente e faria de tudo para que o seu futuro marido desistisse do casamento.


                            ∞


Baekhyun caminhava a passos rápidos e um largo sorriso contornava seus lábios. Estava indo em direção ao quarto do seu novo amigo, ansioso para contá-lo sobre o seu colega de quarto.


Mas um cheiro familiar fez com que parasse de imediato, tendo a constatação de que Kyungsoo estava no cio. Um sentimento de desespero tomou conta de si, pois ele havia prometido que cuidaria dele. Baekhyun não pensou duas vezes antes de se aproximar da porta e levar as mãos até a fechadura, mas parando novamente ao reconhecer o cheiro de Jongin junto ao dele.


Seus olhos se arregalaram e a preocupação o consumiu. O que ele faria? Ele deveria entrar? Perguntas rondavam sua mente e nenhuma delas tinha a resposta que precisava. Foi então que se lembrou de Chanyeol, ele era amigo de Jongin e com certeza não importaria de ajudá-lo.


Baekhyun girou os calcanhares e começou a correr, a procura de seu colega de quarto. Ele estava com medo de Jongin estar fazendo algo sem o consentimento de Kyungsoo e acabar causando ainda mais ódio entre eles. Com muita rapidez, chegou ao seu destino, agradecendo internamente por encontrar Chanyeol, ainda, no quarto.


- Chanyeol! Me ajude, por favor. - seu tom era exasperado, algo que preocupou o mais velho assim que o viu parado na porta.


- O que aconteceu? Ei, se acalme. - se aproximou do menor, contendo a vontade que sentia de tocá-lo, para não assustá-lo.


- O J-Jongin está passando o cio com o meu amigo. - disse tudo de uma vez, deixando Chanyeol confuso com suas palavras, afinal, qual era o problema?


- Certo. E isso é algo ruim?


- Sim! Q-Quer dizer, não sei! Eles não se deram bem e eu estou preocupado. - Baekhyun murmurou, tendo um mísero segundo de reflexão e acabando por se acalmar um pouco.


- Olhe, não se preocupe, o Jongin não é tão ruim assim. Ele não fará nada ao seu amigo e, depois, se eu for até lá, posso piorar as coisas. Sabe, dois alfas não dariam certo. - as bochechas do mais novo se avermelharam ao entender o que ele quis dizer. Chanyeol soltou uma risada baixa, achando adorável a sua expressão envergonhada.


- Você tem certeza? - recebeu um concordar, qual o fez suspirar, se sentindo minimamente aliviado. - Certo. E-Eu vou confiar em suas palavras. - o mais velho abaixou a cabeça, contendo seu sorriso, enquanto se achava um bobo.


Era incrível como em tão pouco tempo o ômega ao seu lado havia se tornado um alguém tão especial. Chanyeol acreditava em almas gêmeas e gostaria de se deixar levar pelas novas sensações, mas estava apreensivo e tinha medo de assustar o mais novo, afinal, ele ainda não conhecia o seu outro lado.


- Pode confiar, Baekhyun. Eu nunca mentiria para você. - seu tom saiu carinhoso e uma de suas mãos foi em direção ao cabelo do menor, fazendo um breve carinho e o deixando sem jeito. - Você quer dar uma volta? Quer dizer, está tendo uma peça de teatro lá no ginásio e tem apenas algumas pessoas. Você quer ir? - Baekhyun tinha os olhos arregalados e seu coração estava acelerado. Era a primeira vez que alguém o chamava para sair e mal conseguia acreditar. Deixou com que um largo sorriso contornace seus lábios, antes de respondê-lo:


- Sim. Eu adoraria! 


Sentado na cama, Baekhyun ainda tinha o mesmo sorriso e por mais que estivesse com um sentimento diferente crescendo em seu peito, não sabia se o denominava como amor ou medo.


||1 semana depois||


A manhã estava ensolarada. O vento frio e calmo entrava pela janela do quarto, passando pelos dois corpos repousados sobre à cama.


Kyungsoo se moveu e sentiu uma pequena dor na coluna, juntamente de uma ardência em sua bunda. Ao se virar, pôde sentir um corpo ao seu lado e isso o fez abrir os olhos de imediato e se levantar, quase urrando de dor. Mas isso não chegou nem perto do que sentiu ao ver quem habitava a mesma cama que si.


Aos poucos, tudo foi se esclarecendo em sua mente e as lembranças foram voltando. Ele havia entrado no cio e sua primeira vez fora com o seu maior inimigo. A raiva que sentiu foi tanta, que o mais novo nem pediu desculpas ao deixar um soco nas costas de Jongin, qual o fez acordar rapidamente.


- Caralho! Que merda é essa? - o alfa ainda estava desnorteado e sua visão estava um pouco embaçada.


- Seu alfa estúpido! Você não podia, você não podia... - Kyungsoo começou a depositar uma série de tapas em Jongin, enquanto o mesmo tentava segurar suas mãos e, ao conseguir, se surpreendeu ao ver seus olhos marejados. - Você não podia ter feito isso comigo! Você não tinha esse direito.


- Você está louco? Se esqueceu de que você também quis? Não culpe apenas à mim. - Jongin o soltou e se levantou da cama. Kyungsoo, vendo-o se preparar para vestir suas roupas, também se colocou de pé e mesmo sentindo dores, pulou encima dele, derrubando-o no chão. - Saia de cima! Pare de fazer drama.


- Você vai me pagar, seu alfa imbecíl. - o mais novo deixava socos por seu rosto e mesmo que o ômega fosse pequeno, sua força era grande. Isso fez com que Jongin se descontrolasse e acabasse por revidar os golpes, fazendo com que um acertasse o nariz de Kyungsoo e começasse a sangrar.


Jongin se assustou com sua própria atitude, vendo os olhos dele marejarem, mas não conseguindo nem ao menos pedir desculpas. Ao invés disso, apenas o tirou de cima de si e se levantou novamente, vestindo suas roupas rapidamente e saindo, praticamente, correndo daquele quarto.


Kyungsoo se encolheu e deixou com que seus joelhos escondessem seu rosto e suas lágrimas. Ele estava acostumado a enfrentar alfas e muitos deles já haviam o batido, mas por que apanhar dele doeu tanto? Kim Jongin iria pagar caro por tê-lo tratado assim.


Isso não seria esquecido, mesmo que no momento seus pensamentos fossem todos direcionados às lembranças de seu cio. 


                              ∞


Jongin caminhava apressadamente entre aqueles silenciosos corredores e a angústia qual sentia o fazia querer morrer. Ele não era aquele monstro que machucava as pessoas e quando pensou melhor, viu que poderia ter sido mais gentil com o ômega.


Seus passos o levaram direto para o quarto de Chanyeol, agradecendo internamente ao vê-lo sozinho e distraído. Jongin adentrou o quarto do amigo e pulou em seu colo. O mesmo entendeu que algo de errado havia acontecido.


- O que foi, Jongin? - o mais velho perguntou preocupado. Fazia alguns dias que não o via e tinha medo dele ter feito algo ao amigo de Baekhyun. - Tem a ver com o cio do Kyungsoo?


- Kyungsoo... - o moreno repetiu, se tocando de que não sabia o nome do ômega, até agora. Aquilo só o fez se sentir pior ainda. - Como você sabe?


- Alguém comentou comigo. Mas, qual o problema?


- Eu odeio ele. - Chanyeol suspendeu uma de suas sombrancelhas, não acreditando em suas palavras. - Eu falo sério. Eu o odeio com todas as minhas forças, mas...


- Mas...


- Eu fui muito rude com ele hoje e agora me sinto mau. Isso é normal? Digo, não é como se eu me importasse de verdade, mas, não sei. Eu só... Estou pensando muito nele agora. - seu tom era calmo, não se aparentando a nada com o alfa grosseiro de minutos atrás. O mais velho suspirou, tirando o amigo bruscamente de seu colo.


- Você me decepciona. Vamos lá. Vamos pedir desculpas para ele. - Chanyeol se levantou, recebendo um olhar indignado.


- Tá doido? Qual a parte do "eu odeio ele" você não entendeu? Eu não me importo com isso, Chanyeol. Só estou querendo me livrar dessa culpa desnecessária. - Jongin disse emburrado, se aconchegando na cama e não fazendo menção alguma de se levantar.


O mais velho suspirou, pois sabia que não conseguiria convencê-lo. Mas, ao se lambrar de algo, olhou confuso para o amigo, enquanto procurava pelas palavras certas.


- Jongin, vocês usaram preservativos? - ao escutar as palavras de Chanyeol, o mais novo sentiu seu sangue gelar, já temeroso pelo que pudesse vir à acontecer.


- Meu Deus! Não. Eu não usei.


                             ∞


Baekhyun saltitava e um sorriso radiante contornava seus lábios. Estava feliz por estar se dando bem com Chanyeol e estava muito ansioso para ver seu amigo e contá-lo tudo o que acontecera na semana passada.


O pequeno parou em frente ao quarto de Kyungsoo, batendo na porta calmamente e sendo atendido rapidamente. Kyungsoo tinha um mínimo sorriso nos lábios e decidiu que não iria dizer nada ao amigo, afinal, não queria preocupa-lo ou chatea-lo.


- Bom dia, Kyungsoo! Eu vim te buscar para a sua primeira aula. - o rapaz se aproximou um pouco sem jeito e se surpreendeu ao receber um abraço.


- Bom dia, Baek! Sabe, você deveria arrumar um apelido para mim também. Toda vez que você me chama de Kyungsoo, eu penso que é a minha mãe quem está chamando e está pronta para brigar comigo. - o ofereceu um sorriso gentil, arregalando os olhos ao se lembrar da mesma. - Meu Deus! Minha mãe! Ela vai me matar. - choramingou, fazendo com que Baekhyun sorrisse com a sua fofura.


- Você tem cinco minutos... Soo! - se arriscou com o novo apelido e suspirou aliviado ao vê-lo sorrir.


- Gostei. Apartir de hoje me chame assim! - exclamou alegre e deixou um breve carinho em seus cabelos, antes de se afastar e discar o número de sua casa. O telefone chamou duas vezes, antes de uma voz doce e abafada atender.


- Filho? Você demorou para ligar! Aconteceu algo? Fizeram alguma maldade com você? 


Kyungsoo sorriu ao escutar o tom desesperado da mais velha e teve certeza de que não seria uma boa ideia falar sobre o seu cio para ela. 


- Mãe, está tudo bem. Eu apenas não tive tempo para ligar.


- Hum, sei. 


- Mãe! Não tenha uma mente tão perversa. Eu sei muito bem o que a senhora está pensando. - sorriu, escutando uma pequena gargalhada vinda da mesma.


- Tá, me desculpe. Mas, me conte, meu filho, como estão as coisas por aí? Já fez algum amiguinho?  


- As aulas começarão daqui a pouco, inclusive não tenho muito tempo para conversar. - Kyungsoo pegou sua mochila e chamou Baekhyun para irem. - Eu fiz um amigo, mãe. Ele também é ômega e está aqui do meu lado.


- Que maravilha! Estou tão feliz, meu amor. Vamos, deixe-me falar com ele.


Kyungsoo passou para Baekhyun e o mesmo entendeu sobre do que se tratava, pegando o celular de sua mão e se afastando um pouco ao vê-lo dizer que iria parar para ir ao banheiro.


- Oi, tia!


O mais novo sorriu ao ver o quão fofo o outro ficara ao dizer aquelas palavras. Kyungsoo estava feliz e apesar das dores que sentia, não iria deixar de sorrir naquela manhã agradável e cheia de vida.


Suspirou, dando dois passos para trás e, ao girar os calcanhares, acabou por se esbarrar em alguém que o segurou com firmeza para que ele não caisse.


- Me desculpa. - Kyungsoo disse afobado, erguendo o olhar e se deparando com um alguém desconhecido. Era um alfa e aquilo o fez se afastar de imediato.


- Tudo bem. Não se preocupe. Eu sou muito distraído e não vi você. - sua voz era calma e seu tom foi gentil. O alfa o ofereceu um sorriso e parecia acanhado. - Desculpe, mas eu acabei de chegar e não faço ideia de onde é o meu dormitório. Você poderia me informar algumas coisas? - perguntou, tendo os olhos de Kyungsoo em si de forma que o deixava incomodado, afinal, era a primeira vez que um ômega mantinha contato visual consigo, sem fazer ao menos menção de abaixar a cabeça e demonstrar submissão.


- Bom, não vejo problemas, mas já iremos ter aula agora. Podemos fazer isso na hora do almoço? - Kyungsoo perguntou, olhando envolta, a procura de Baekhyun com o seu celular. - Que aula você terá agora.


- É... Artes cênicas. Onde fica o teatro? - olhou o papel em suas mãos, se sentindo confuso ao não ter noção alguma do que fazer.


- Oh! Eu também irei fazer essa agora. Se você prometer se comportar, eu lhe deixarei me fazer companhia. - apesar de suas palavras gentis, a expressão de Kyungsoo era séria e tudo só piorou quando atrás do alfa, pôde ver os olhos de Jongin o observando. Engoliu em seco, desviando a atenção do moreno e focando apenas naquele em sua frente.


- Sim. Eu prometo não lhe fazer nada.


- Certo. Então vamos. A propósito, eu me chamo Do Kyungsoo. - o ofereceu um aperto de mão, que foi retribuído gentilmente.


- É um prazer conhecê-lo. Meu nome é Kim Junmyeon e espero que possamos nos tornar amigos. - sorriu, estranhando ao não ouvir a voz do outro, só então percebendo que atenção dele estava em outro lugar, melhor dizendo, em outro alguém.


Encostado na pilastra, Jongin observava aquela cena e nem ele e nem seu lobo estavam gostando do que viam. 


Notas Finais


Não consegui pensar em um alguém melhor para ser o nosso alfa salvador da pátria, do que o Suho bebê kkk. O Jongin tem muito ciúmes dele com o Kyungsoo rs.
Ele vai ser bem tranquilo, não há perigo kkk.
Espero que tenham gostado!
Até mais ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...