História Te Amodeio (Kaisoo!ABO) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baek!ômega, Chanbaek, Chanyeol!alfa, Chen!alfa, Hunhan, Kaisoo, Kris!alfa, Kyung!ômega, Luhan!alfa, Sehun!ômega, Suho!ômega, Sulay, Taoris, Xiuchen, Xiumin!omega, Yinxing!alfa, Zitao!omega
Visualizações 197
Palavras 2.298
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishounen, Comédia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi! Esse capítulo está chato, mas aceitável. Tem Hunhan, Chanbaek e Kaisoo. Espero que gostem. ^-^
Desculpem os erros.
Boa Leitura ❤

Capítulo 5 - Interesses de Interesseiros...


Era dia de participar dos "negócios" da família e Xiao Luhan, sempre detestou as quintas-feiras por isso. O ômega era delicado como uma peça de porcelana, qual parecia ser a mais preciosa do mundo, o que para seus pais, era a mais pura verdade.


O garoto bufava de minuto em minuto e mesmo que aparentace ser apenas um frágil bebê por entre os demás presentes, no fundo, Luhan não passava de um ômega mimado e ignorante.


- Mãe, me diga de uma vez. O que estamos fazendo aqui? E por que eu não posso ir embora? - sua voz saiu manhosa e arrastada, era assim que ele conseguia tudo o que queria e quase sempre funcionava, mas não dessa vez.


- Meu amor, tenho que conversar algo sério com você. - sua mãe era uma beta. A mesma, tinha seus cabelos na altura dos ombros. Seu tom de voz era cauteloso e Luhan ao perceber isso, revirou os olhos e acentiu, pedindo para que ela continuasse. - Você sabe que tudo o que nós fazemos é para o seu próprio bem, não é? 


- Ora, pare de enrolar! Seja direta! - foi rude e nem o olhar repreendedor que recebeu da mais velha, o fez pedir desculpas.


- Já que insiste. O real motivo de nós ainda estarmos aqui, é porque você está comprometido e agora iremos conhecer o seu noivo. - disse apressadamente e Luhan arregalou os olhos. Se sentia traído por seus pais e mesmo que já esperasse algo assim vindo dos mesmos, pensou que pelo menos seria ele quem escolheria seu companheiro. Não tivera nem tempo de dizer algo a respeito, pois um aroma de hortelã com canela invadiu suas narinas, o desconcentrando por míseros segundos. Ao direcionar seu olhar para origem do cheiro, avistou um alfa e o mesmo o olhava descaradamente, sem desviar o olhar um segundo se quer.


Oh Sehun era seu nome e o mesmo, no momento, não sabia como reagir. Não que Luhan fosse feio ou algo assim, mas pelo tanto que ele ouvira falar sobre o quanto o filho dos Xiao's era lindo, pensou que se surpreenderia ao vê-lo. Não se impressionou nenhum pouco com sua aparência física.


Ignorando seus pensamentos, Sehun caminhou em direção ao seu "prometido" e tentou sorrir quando se aproximou mais, sentando na poltrona que ficava em frente a eles e acenando para sua "sogra", assim que a mesma se levantou, deixando os dois à sós. Luhan engoliu em seco e mesmo que tentasse, sua voz não saia, o fazendo ficar terrívelmente constrangido. Sehun sorriu, de verdade, ao perceber aquilo. Talvez o pequeno ômega à sua frente, não fosse grande coisa, mas com toda certeza ele era adorável.


- Olá! Não sei se seus pais já te falaram sobre mim, então irei me apresentar. Eu me chamo Oh Sehun e sou seu noivo! - Luhan deixou um mínimo sorriso contornar seus lábios, por ver o quanto o outro estava sendo gentil cosigo. Mas, de repente, o clima mudou completamente, assim que o alfa fechou a cara e se aproximou, ficando centímetros de distância de seu rosto. - Eu não gosto de você. Colabore comigo e nós dois sairemos ganhando.


Luhan não queria ter se sentido tão desanimado ao escutar aquelas palavras.


                             ∞


O dia passava e Baekhyun não conseguia esconder sua preocupação em relação ao seu novo amigo. Kyungsoo sumira desde a última aula e até agora, não dera notícias. Isso o deixava agoniado, totalmente desesperado para ir atrás dele.


Suspirou mais uma vez e se jogou em sua cama. Ele estava em seu quarto e o tédio o consumia. Seu colega de quarto, também não havia voltado e mesmo que tentasse não demonstrar tanto interesse, o alfa gentil e atencioso que dormia, literalmente, ao seu lado, não saia de seus pensamentos. Essa era a primeira vez que se sentia tão mexido com alguém e o fato de ter se apegado tanto a ele em tão pouco tempo, não o surpreendia, não mais.


- Baekhyun, pare de ser bobo... - falou cosigo mesmo e gargalhou, ao se dar conta do que fazia. Só que o som dá porta se abrindo, o fez parar na hora, olhando em seguida para a entrada de seu quarto e dando de cara com um Chanyeol, todo molhado e sorridente. Sem que percebesse, um sorriso tomou conta de seus lábios, apenas por ver a felicidade estampada no rosto do alfa.


- Oi, Baekiie. Estou de volta! - disse manhoso e se jogou encima do mesmo, deixando-o totalmente envergonhado e sem reação.


- V-Você e-está... Você está molhado, Chanyeol! - tentou parecer firme com aquela aproximação e suspirou aliviado, ao vê-lo se afastar.


- Desculpe. Estava jogando basquete com alguns amigos e recebi um balde cheinho de algo gelada, no corpo. - Chanyeol sorriu ao se lembrar. - Falando nisso, você contou para o Kyungsoo, a respeito do que eu te falei sobre o Jongin?


- Sim. Mas não consegui encontrá-lo na hora do almoço e queria encontrar você também, para contarmos juntos e direitinho. - se sentou e abaixou a cabeça, enquanto brincava com a barra de seu suéter. O alfa sorriu admirado com aquela cena e nunca viu um ômega mais fofo, do que aquele quem se encontrava na cama.


- Ele deve estar bem ocupado. Você sabe, primeiras aulas, muitos trabalhos. Não se preocupe. - sorriu reconfortante e se aproximou de Baekhyun novamente. Não entendia, mas estar perto do mais novo o fazia se sentir muito mais do que bem. O trazia um sentimento de proteção e carinho. Completamente inexplicável.


Baekhyun, ao notar sua aproximação repentina, se encolheu um pouco, mas não por medo e sim por timidez. O mais alto se agachou em sua frente e ficou observando-o, fazendo com o menor se sentisse ainda mais acanhado.


- O que está fazendo? - agradeceu internamente por não ter gaguejado e se sentiu corajoso, ao levantar a cabeça e encará-lo de volta. Chanyeol ainda sorria e soube que suas bochechas tomaram um tom rosado, assim, que por puro reflexo, as sentiu quentes. Essa fora a sua vez de abaixar a cabeça.


- Nada. Você... - estava prestes a elogiá-lo, mas achou que aquele não era o momento certo. - Você quer dar uma volta comigo? - o mais novo arregalou os olhos novamente, não acreditando que acabara de ser chamado para sair.


- T-Tipo um... Encontro? - perguntou relutante e se sentiu ridículo ao escutar uma risada fraca. - Desculpe, eu... - foi interrompido por duas mãos grandes, apertando suas bochechas.


- Ei, está tudo bem. Pode ser um encontro se você quiser, mas acho que não será grande coisa, já que eu o levarei apenas para caminhar. Sabe, eu não tenho dinheiro agora, mas quando eu tiver, prometo te levar em um lugar especial e fofo... Assim como você. - sussurrou a última frase e se sentiu aliviado por Baekhyun não ter escutado.


- Para mim, está ótimo! Vou procurar uma roupa melhor, então... - olhou para Chanyeol, tentando completar a frase através de seu olhar. O mesmo, entendeu o recado e levantou rapidamente, tropeçando em seu próprio pé e quase indo ao chão. Mesmo com a vergonha que sentia no momento, não conseguiu deixar de sorrir ao escutar uma risada baixa por parte do ômega.


- Tá, eu irei tomar banho. Já volto. - praticamente correu em direção ao banheiro, fechando a porta e apoiando o corpo na mesma. "Será que isso é amor?" Era o que pensava, enquanto escondia o sorriso que contornava seus lábios, com as mãos.


Baekhyun, sentado na cama, tinha o mesmo sorriso e por mais que estivesse com um sentimento diferente preenchendo seu peito, não sabia se o denominava como amor ou medo.


                            ∞


O silêncio reinava naquele quarto de hospital e os mesmos olhos ainda se encaravam, arduamente, como se tudo a sua volta fosse resumido um no outro.


Jongin, olhava para o ômega sentado na cama, enquanto o mesmo tinha uma expressão surpresa no rosto. Ele não queria, mas estava difícil não achá-lo fofo naquelas condições.


Mais cedo, o alfa havia tido uma boa e esclarecedora conversa com seu melhor amigo. O mesmo, havia o aconselhado a tratar bem Kyungsoo e não entendia o porque de ter aceitado suas palavras. Algo dentro de si, o confundia, já que depois daquele maldito cio, o pequeno ômega não saia de seus pensamentos. De repente, as palavras de seu amigo, sobre ele estar apaixonado, vieram em sua mente e isso o fez rosnar, acabando por assustar Kyungsoo.


- Ei, se contrôle. O fato de eu ser um ômega lúpus, não faz meus tímpanos serem imunes aos seus rosnados desnecessários. - sua voz saiu irritantemente manhosa, fazendo Jongin ter certeza de que nunca se apaixonaria por alguém tão chato como ele.


- Você me irrita! Sério mesmo. Não entendo o porque de você ser tão insuportável assim. Espero que não seja mal de família. Não quero ter que rosnar para sua mãe, no dia em que eu for contar que sou o pai do seu filho. - disse normalmente e diferente do que pensou que receberia, se surpreendeu ao olhar para Kyungsoo e ver um sorriso radiante contornando seus lábios. O sorriso mais bonito que já vira, infelizmente.


- Isso foi meio fofo, de sua parte. Acho que vou pensar que estamos evoluindo. - soltou uma risadinha baixa, ao ver o mais velho revirar os olhos. - Mas, o que te fez mudar de ideia?


- Pode apostar, não foi por pena ou porque eu quis, realmente. Eu só tenho um amigo que fala demais. - aquele clima estava agradável para Kyungsoo e mesmo que soubesse, que sua bipolaridade era por conta dos hormônios da gravidez, naquele momento, ele estava gostando de ter Jongin o fazendo companhia. - Mas, não confunda as coisas. O fato de eu estar assumindo essa criança, não quer dizer que eu tenha algum sentimento por você ou queira um relacionamento mais para frente. - o sorriso do menor murchou, ao escutar aquelas duras palavras e agora lutava contra seu emocional para não chorar. Com certeza, seu coração havia se enganado. Ele não podería gostar de alguém tão insensível como o alfa a sua frente. - Não é nada pessoal, Kyungsoo. Eu só... Deixa para lá. Quem sabe um dia eu te conte. - o ofereceu um sorriso e o mesmo retribuiu. Apesar da magoa que sentia, não queria estragar aquela pouco paz que havia se instalado. Mas, vozes altas se foram ouvidas do lado de fora e ao ter um alfa adentrando o local, Jongin arregalou os olhos e se levantou rapidamente. Sem que percebesse, se colocou em frente a Kyungsoo. Sabia que aquele ato era por causa de seu instinto protetor em relação a sua cria, mas mesmo assim, decidiu que faria do ômega, sua maior prioridade. Tudo por causa do filhote, claro.


- KIM JONGIN! O QUE SIGNIFICA ISSO? QUE HISTÓRIA É ESSA DE ÔMEGA GRÁVIDO QUE ME CONTARAM AGORA A POUCO? - o homem mais velho, usou sua voz de alfa, causando um grito involuntário em Kyungsoo e, pela primeira vez em anos, o fazendo se encolher assustado. Jongin rosnou e não gostou nada do tom de seu pai.


- NÃO USE ESSA MALDITA VOZ, PERTO DELE! - gritou com o mesmo tom, rude, mas sem usar seu lado alfa para isso. - Se sabe que ele está grávido, não faça barulho. Se quer conversar, vamos lá para fora. Deixo-o em paz. - disse dando um ponto final na discussão, mas seu pai não moveu um músculo. O mesmo respirou fundo, tentando se recompor e começou a caminhar de um lado para o outro, enquanto murmurava várias frases desconexas.


Kyungsoo se sentiu mal por Jongin, assim que escutou uma mínima frase vinda do pai do mesmo,  dizendo algo como, "Esse infeliz só me decepciona" e ao olhar para o moreno, viu o mesmo lutando para não perder o controle. Isso o deixou admirado, pois sabia que estava sendo difícil para ele, mas mesmo assim, ele tentava. Tentava pelo filho que crescia em sua barriga, o filho deles. Sorriu bobo e levou sua mão, tocando gentilmente na de Jongin, que se assustou ao sentir seu toque carinhoso. Isso o deixou sem reação.


- Eu estou aqui, ok? - a voz do ômega saiu calma e serena. O mesmo se arriscou ao entrelaçar as pontas de seus dedos nos de Jongin e ficou surpreso, ao ter seu toque correspondido.


- Tá. - disse em um fio de voz e nunca se sentiu tão bem ao estar sendo tocado por alguém, quanto agora. "Voce está se apaixonando, Jongin, me escute por favor. Não perceba isso, quando for tarde demais. Você pode perdê-lo para sempre." as palavras de Chanyeol, ecoaram em sua mente novamente e para ele era muito difícil aceitar aquela hipótese. Seu passado não permitia que ele aceitasse. - Kyungsoo, eu... - foi interrompido pela voz desdenhada de seu pai.


- Pois, bem, seu filho ingrato. Já que colocou o nome de nossa família em uma situação tão ridícula como essa, você terá que enfrentar as consequências. - o mais velho disse vitorioso, pois apesar do escândalo que isso podería gerar, também viria a ser vantajoso para seus negócios. Jongin o olhou e não entendeu o que ele quis dizer com aquilo.


- Eu irei assumir a paternidade e cuidarei para que nada falte a eles. - Kyungsoo não gostou de ouvir aquelas palavras e torcia para que o sentimento de perda, qual o preenchia, fosse embora depressa. O Sr.Kim sorriu e o filho soube que ainda teria muito mais para ouvir.


- Não estou falando disso, Jongin. Estou falando de interesses em comum. Você ridicularizou nossa família e eu quero que pague por isso. - o moreno soltou um baixo rosnado. Seu pai estava fazendo de tudo para que Kyungsoo se sentisse mal e isso o estava irritando muito.


- Do que você está falando?


- Casamento. Você vai se casar com esse ômega, querendo ou não.


Notas Finais


Até mais ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...