1. Spirit Fanfics >
  2. Te Esperando- Jenlisa (G!P) >
  3. Hospital

História Te Esperando- Jenlisa (G!P) - Capítulo 63


Escrita por:


Capítulo 63 - Hospital




No capítulo anterior



Eu não acredito, não acredito que esses filhos da puta fizeram isso com o meu bebê!



~☆~☆~



Tá, eu lembro, eu lembro do que minha mãe me disse. Para reanimar uma pessoa eu tenho que tampar o nariz da pessoa e assoprar com força em sua boca duas vezes. E depois começar um série de 15 massagens cardíacas se a pessoa não voltar com a respiração boca a boca.

Tampo o pequeno nariz de Harry com um mão, com a outra seguro seu rosto, e levo minha boca na sua e assopro com força duas vezes para ver se ele volta. Ele não voltou, o que me fez começar a chorar, ele não pode me abandonar, ele não pode morrer.

Começo a série de massagem cardíaca.

Um

Dois

Três

Quatro

Cinco

Seis

Sete

Oito

Nove

Dez

Onze

Doze

Treze

Quatorze

Quinze

Ele não volta, minhas mãos começam a tremer, eu começo a perder o controle e a visão. Eu preciso tentar mais uma vez.

E então eu repeti, duas respirações e quinze massagens cardíacas.

Harry começou a tossir e a cuspir a água que havia engolido. Eu desmoronei, comecei a chorar desesperadamente, minha visão escureceu, realmente parecia que eu ia desmaiar.

Sinto a mão de alguém no meu ombro, coloco a mão sobre a mão em meu ombro e a reconheço, é Jennie, sua mão delicada e pequena, não tem como não reconhecer.

Jennie: vem Harry!- ela o chama e ele me abraça forte.- calma!- ela me abraça.

Diretora: vocês quatro, para a minha sala agora!- ela manda e eu vou voltando aos poucos, eu não acredito no que aconteceu, não acredito que quase perdi o Harry.

Lalisa: V-V-Você está bem?- pergunto o vendo tremer, hoje está frio e ele está todo molhado. Ele nega com a cabeça encostada no meu peito e eu me levanto do chão. Já que os meninos nao estao mais no banheiro eu tiro a roupa molhada do harry, abro a minha blusa de frio, o encaixo junto ao meu corpo, passo minha blusa de frio em sua volta e a fecho, ele fica ali dentro e aos poucos vai parando de tremer.

Jennie: agora vai ficar tudo bem, não precisam mais chorar, tá bom?- ela pergunta dando um beijo na minha bochecha e um na testa do Harry que se encolheu um pouco mas acabou cedendo ao beijinho da titia Nini.

Diretora: me desculpem o ocorrido!- que pena que eu não posso mandar prender os pais dos desgraçados que fizeram isso com Harry, que pena que eu não tenho a guarda dele.

Lalisa: eu perdoou você, eles não, você não tem culpa deles serem como são, mas de qualquer jeito vamos tirar Harry dessa escola!- digo e ela assente, pego na mão da Jennie e está tremendo, sei que ela está nervosa e que só não está chorando porque está tentando ser forte, mas é só questão de tempo e ela vai chorar e vai ficar mal.

Diretora: vamos a diretoria e eu cancelo a matrícula dele!- ela diz e eu assinto indo atrás dela para a diretoria.

Ela nos pediu para sentar em um banco e aqui estamos nós.

Lalisa: calma, nós já vamos ao hospital, tá bom?- ele não responde, só gruda mais a mim.- você está com frio?- ele nega.

Jennie: você está com dor?- começou o interrogatório. Ele assente, mas se afasta um pouco de Jennie.- você está com medo de mim?- ele assente de olhos fechados. Jennie me olha meio triste e então eu seguro sua mão.

Diretora: pronto, aqui estão os papéis!

Lalisa: obrigada!- digo me levantando e entregando o papel a Jennie. Caminhamos rapidamente até o carro, por mais que Harry pareça bem ele ainda corre risco de vida. Quando vou colocar Harry na cadeirinha ele gruda mais em mim.- você precisa ficar aqui, eu preciso dirigir!- ele nega com a cabeça.- você pode ficar com a titia Nini então?- ele nega.- tudo bem, você pode ficar comigo, mas v9ce tem que ficar quietinho, para eu não me atrapalhar, certo?- ele assente com a cabeça bem próxima da onde fica meu coração, o que me fez lembrar Jennie, ela disse que as batidas do meu coração acalmam ela.

Me sentei no banco do motorista passei o cinto em nossa volta e dei partida no carro.

Comecei a dirigir, Jennie estava quase dormindo e Harry estava quietinho, até ele começar a tossir e a chorar.

Eu dirigi mais rápido e logo já estávamos no hospital.

Deixei o carro mal estacionado, ligado, mas mesmo assim eu saí correndo com o Harry e Jennie para dentro do hospital.

Médica: o que ele tem?- ela pergunta enquanto eu abro a minha blusa rapidamente.

Lalisa: ele se afogou, eu consegui o reanimar, mas agora ele está assim!- digo rápido e a médica fica espantada e pega Harry do meu colo com o meu consentimento.

Médica: aguardem na sala de espera, quando estiver tudo bem eu venho avisar!- ela diz e Harry começa a se debater no colo dela querendo descer, ele esticou os bracinhos para que eu o pegasse, mas não pude fazer nada.

Harry: T-T-TITIA, T-T-TITIAAA!- ele gritava e tossia desesperadamente enquanto a médica corria com ele para dentro do hospital.

Segurança: com licença, eu posso colocar seu carro em uma vaga?- ele pergunta e eu assinto começando a chorar.- eu já venho te entregar a chave do seu carro!- eu assinto e Jennie me abraça. O segurança sai.

Jennie: calma, vai ficar tudo bem!- ela diz acariciando minhas costas.

Lalisa: é minha culpa!

Jennie: não é sua culpa! A culpa é daqueles meninos sem noção!- ela me solta do abraço e pega em minha mão.

Lalisa: eu disse que ia proteger ele, mas eu não fiz!

Jennie: não tinha como saber que eles iam pegar Harry!- ela se senta e me senta ao seu lado.- você o salvou, você o protegeu Lali, a culpa não foi sua, não foi minha e nem do Harry, a culpa foi daqueles meninos desgraçados!

Lalisa: eu não deveria ter deixado ele sair de dentro da sala!- ela puxa minha cabeça e eu a deixo em seu colo, ficando deitada em dois bancos.

Jennie: nem eu, nós duas erramos Lali, mas agora não tem como voltar atrás. Ele vai ficar bem e não vamos mais cometer o mesmo erro!- eu assinto e ela começa a fazer um cafuné.


[...]


Eu estava quase dormindo quando a médica apareceu.

Médica: ele já está bem! Se quiserem podem vê-lo!- ela diz e eu me levanto imediatamente.- vamos?- eu assinto e Jennie se levanta com uma certa dificuldade, sua barriga já está ficando grande e pesada, e ainda nem chegou no oitavo mês. Fomos até o quarto onde Harry está.- ele vai poder sair só amanhã, qualquer coisa que acontecer me chamem, tá bom?- nós assentimos e entramos no quarto.

Harry nos olha assustado, mas quando nos vê relaxa um pouco, me aproximo dela e me sento na poltrona que tem ao lado da sua maca.

Lalisa: você está bem?- pergunto segurando sua mãozinha que está gelada. Harry assente e olha para a coberta que tem no final da maca.- está com frio, né?- ele assente e então eu pego a coberta e o cubro.- o que você quer fazer?- pergunto sentando Jennie no meu colo e Harry não responde.- você não vai falar comigo?- solto sua pequena mão e ele me olha meio triste.

Harry: deculpa!- ele diz com a voz fraca e baixa e com a cabeça abaixada.

Lalisa: não precisa se desculpar!- seguro sua mão de novo.- o que você quer fazer para o tempo passar mais rápido?- ele dá de ombros, Harry é sempre muito falante, mas agora, depois do que aconteceu, parece que ele não quer mais falar.


[...]


Eu, Harry e Jennie ficamos desenhando até dar a hora de eu ir trabalhar. Harry não queria que eu fosse trabalhar, ele não queria ficar com a Jennie, mas eu o convenci e ele vai ficar quietinho e quando ele sair eu e ele vamos sair para tomar sorvete só nós dois.


[...]


Meu expediente estava quase no fim é eu recebi uma ligação, de um número desconhecido.


Ligação on


L: alô?


?: Boa tarde, você é parente da paciente Butera?


L: que? O que aconteceu? Aconteceu algo com o Harry?


?: desculpe, Harry?


L: sim, Harry Butera?


?: não conheço Harry Butera!


L: então é a mãe dele?


?: Ariana Butera?


L: é ela mesmo, me desculpe, me desesperei atoa!


?: tudo bem, você é parente dela?

L: não, ela não tem parentes próximos, então como encontramos o filho dela no parque estamos meio que responsáveis por eles!


?: tudo bem, mas então é você que tem vindo aqui e também tem pago o hospital, certo?


L: certo!


?: você pode vir ao hospital para conversarmos?


L: aconteceu algo com ela?


?: aconteceu, mas você tem que vir ao hospital para podermos conversar!


L: ela acordou?


?: senhorita, você pode apenas vir ao hospital?


L: claro!


?: muito obrigado, quando chegar aqui me procure, meu nome é Silvio!


L: tá bom, tchau!


Ligação off


Ahhh Não, ela não pode ter acordado!


Notas Finais


Será que ela acordou?
O que estão achando?
Me desculpem os erros
Até mais!

🦄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...