1. Spirit Fanfics >
  2. Teach Me >
  3. Oneshot

História Teach Me - Capítulo 1


Escrita por: e healingyu


Notas do Autor


Puts olha a louca do meanie de novo. Na moral, eu queria muito agradecer a tori (bhealingyu) que mesmo estudando igual uma condenada topou escrever junto comigo, sério, você é tudo pra mim cacete!

Capítulo 1 - Oneshot


Wonwoo naquele momento podia jurar que explodiria de raiva se Mingyu abrisse a boca mais uma única vez para tocar naquele assunto pela sexta (o moreno estava contando) vez no dia. O castanho estava lhe encarando fazia uns bons dois minutos e Wonwoo já sabia o que vinha dali. O fato era: Mingyu queria transar. E vocês devem estar se perguntando: e dai? Todo mundo quer transar. E é ai que está o ponto. Mingyu era virgem, hetero e estava querendo transar com o melhor amigo. Por quê? Simplesmente para perder a virgindade e era isso que fazia fumaça sair pelas orelhas do moreno. 

- Não adianta me olhar assim – Wonwoo disse desviando o olhar do amigo para a TV onde passava uma série que os dois já haviam assistido diversas vezes simplesmente por ser a favorita do mais novo. 

- Mas, hyung... – O castanho disse manhoso e logo se arrastou para mais perto do amigo no sofá, apoiando em seguida o queixo no ombro largo exposto pela camisa regata.

- Sem “mas”, Mingyu, eu já te falei isso umas vinte vezes só hoje, pelo amor de deus, vai arranjar um buraco pra enfiar esse pau – Dizia já sem nenhuma paciência.

Não o entendam mal, não é que não quisesse ajudar o amigo a perder a virgindade, é que não fazia sentido nenhum pro moreno só fornecer o seu corpo sendo que o outro poderia arranjar alguém para fazer aquilo com um significado, sei lá. Não conseguia explicar, só não via sentido. 

- Eu já arranjei... – Disse oferecendo um sorriso sapeca pro mais velho que soltou um riso incrédulo quando entendeu ao que o outro se referia.

- Um buraco que não seja o meu, Mingyu. – Deixou um tapa na coxa descoberta do outro vendo quando um bico se formou nos lábios a sua frente. – Cara, você é hetero. Juro que não entendo por que não vai atrás de uma mulher já que ta tão afim assim de transar. – Finalizou direcionando sua atenção para a TV novamente, onde se iniciava um novo episódio da série que eles definitivamente não estavam prestando mais atenção.

- Wonu, você sabe como eu sou, tenho medo de fazer alguma coisa errada – Se afastou do moreno e agora dizia com um tom de voz mais baixo e o mais velho sentiu um tom de vergonha no amigo. 

- E por que caralhos eu tenho que ser a sua cobaia, Kim Mingyu??? – Dizia agora com os olhos arregalados, fazendo questão de se virar para o outro que lhe encarava com um sorriso no rosto.

- Porque você é meu melhor amigo, oras. O que custa me dar esse cu, Wonwoo? Ele não é de ouro não, queridão, e outra, cê dá ele pros cara na balada mas não quer dar pro seu melhor amigo de anos. Beleza, pode deixar, eu vou lembrar disso. Quando eu estiver internado prestes a morrer, você vai lembrar disso e vai chorar, Wonwoo, chorar. – Dizia sem parar enquanto gesticulava com as mãos. 

- Terminou? – O mais velho disse de olhos fechados enquanto apoiava a cabeça no encosto do sofá, logo os abrindo quando não houve resposta - Mingyu, é sério, para de me encarar! - Wonwoo disse irritado, não aguentava mais o amigo com aquela cara de cachorro sem dono pra cima de si.

- Ah, qual é, Wonwoo, você ja deu tanto esse butico que nem vai sentir - Mingyu cutucou o braço do amigo.

- Como é que é?! - Wonwoo apoiou as mãos na cintura - Eu não vou sentir porque sua piroquinha é minúscula, e não porque o meu “butico” ta frouxo! 

- Isso é um sim? - Mingyu disse esperançoso.

- NÃO! - Wonwoo bateu os pés no chão, se levantando e levando toda a louça que tinham sujado pra pia, tratando de começar a lavar, não gostava muito daquela tarefa, mas qualquer coisa era melhor do que seu melhor amigo pervertido querendo comer seu cu.

 

Finalmente a semana tinha acabado e Wonwoo não poderia estar mais feliz. A faculdade estava no fim e o garoto não tinha outra coisa na cabeça se não o maldito TCC. Era conclusão de um lado, pesquisa de outro, bibliografia no cu e ele já estava a ponto de surtar, por isso, havia decidido que, sim, naquele fim de semana teria paz, nem que pra isso tivesse que ficar os dois dias inteiros com a cabeça enfiada no travesseiro. 

Mas aparentemente Mingyu tinha planos completamente diferentes, porque era quase meia noite quando ele decidiu que era uma boa hora para aparecer no apartamento do mais velho e dizer que passaria o fim de semana ali com ele. É isso mesmo que você entendeu, ele não pediu, ele informou. E é claro que Wonwoo já estava acostumado com o melhor amigo dormindo ali, mas ele queria paz e a última coisa que Mingyu estava lhe dando nas ultimas semanas era a bendita da paz.

- Eu tinha planos pra esse final de semana, sabe. – Wonwoo disse enquanto arrumava a mesa da cozinha já que pelo menos o castanho tinha trazido a pizza, que, por coincidência do destino (sintam a ironia), era da pizzaria favorita do mais velho. Mingyu sabia como conquistar o melhor amigo. 

- Hyung, não me diz que você ia dar?!?! – O castanho disse enquanto parava de colocar o refrigerante nos copos e olhava indignado pro amigo.

- E se eu fosse? Você não tem nada a ver com isso, Kim. – Sorriu sapeca vendo o queixo do outro cair

- Wonwoo, o que eu te fiz? – O mais novo perguntou enquanto apoiava as duas mãos na mesa e se inclinava na direção do moreno. 

- Como assim? – Wonwoo sorria logo terminando o seu trabalho na mesa e se sentando, indicando que Mingyu se sentasse ao seu lado, o que logo o mais novo fez.

- Eu não entendo porque você não quer transar comigo. Tipo, eu sou bonito – Levantou um dos dedos começando uma contagem e logo Wonwoo sustentava a cabeça com as mãos, apoiando os cotovelos na mesa enquanto oferecia a Mingyu um olhar entediado. – Sou gostoso, – Levantou mais um dedo – beijo muito bem...

- Como você sabe? – Wonwoo interrompeu, vendo quando Mingyu lhe repreendeu com o olhar, lhe ignorando em seguida.

- Eu me masturbo muito bem também, então provavelmente eu devo fuder maravilhosamente bem - Sorriu convencido.

- Tocar nesse pau mixuruca ai é diferente de meter ele em um cu, Mingyu. – Disse baixinho, estava definitivamente cansado daquela conversa.

- E é ai que está minha próxima qualidade: eu aprendo rápido. Você pode me ensinar a transformar uma boa punheta numa boa foda. – Sorriu apontando pro amigo enquanto lhe oferecia uma piscada, vendo quando o moreno suspirou.

- Mingyu, ouve bem o que você ta dizendo, não faz sentido nenhum. – Disse enquanto abria a caixa de pizza e colocava um pedaço para si e um pro amigo, rindo baixinho quando viu o bico formado nos lábios do castanho.

- E se eu te der algo em troca? – Disse alto, assustando Wonwoo que fechou os olhos enquanto apertava o peito. – Eu posso te dar aquela coleção rara e cara que você queria lá dos livros – Sorriu em expectativa se inclinando na mesa.

- Eu já disse que não quero seu dinheiro, Mingyu, mesmo que ele esteja sobrando. – Sorriu terno pro amigo.

- E se eu fizer massagem nos seus pés pra sempre? – Disse depois de um tempo em silêncio, sorrindo quando viu o amigo lhe olhar hesitante.

- Tentador, mas não. – Sorriu vendo o amigo jogar a cabeça pra trás enquanto suspirava. – Mingyu, por que isso? Por que agora? – Perguntou depois de comer um pedaço da pizza, afinal, tava esfriando e pizza de cinco queijos fria era horrível.

- Hyung, eu já tenho quase 20 anos e nunca nem fiquei pelado com alguém. – Disse baixinho enquanto enfiava um pedaço enorme de pizza na boca e mastigava sem vontade.

- Vai se fuder, Kim, sério. Isso não tem nada a ver, cara. Você tem que transar quando estiver pronto pra transar. – Sorriu pro amigo, bebendo um gole do refrigerante em seguida.

- Que papo de menininha, Wonwoo. – Sorriu recebendo um dedo do meio em seguida. O mais velho realmente queria que o outro entendesse que ele não tinha a obrigação de transar só porque faria 20 anos em breve, mas conhecendo bem o melhor amigo, sabia que não adiantaria de nada falar, Mingyu era mais teimoso que uma mula.

- Papo de menininha? Mingyu, me explica uma santa coisa... - Wonwoo juntou as mãos como se implorasse.

- Manda ver - Mingyu estufou o peito, pronto para dar todos os seus argumentos, sabia que era muito bom em convencer as pessoas, principalmente seu hyung favorito. 

- Você é gay? - Disse sério, o que deixou o mais novo apreensivo.

- Não, claro que não! - Estava nervoso, não queria que o melhor amigo pensasse que estava fazendo aquilo porque estava perdidamente apaixonado por ele ou algo do tipo.

- Então vamos à próxima pergunta, você sabe como o pipiu precisa estar pra você poder transar? - O Jeon perguntava como se falasse com uma criança, o que fez o mais novo inflar as bochechas.

- Duro?! - Respondeu como se fosse óbvio, e, bom, era óbvio.

- E pro seu pipizinho ficar duro, você tem que estar como?!

- Como assim? - Mingyu piscou os olhos, não entendendo aonde o amigo queria chegar.

- Você precisa estar com tesão, Mingyu, tesão, e como você vai ficar assim se você nem gosta de homens? - Wonwoo perguntava desacreditado da burrice do amigo.

- Eu... Posso ver um pornô?! E ai tu já fica ali do lado e eu plau no seu cu. - Disse um pouco enrolado. Realmente não tinha pensado naquilo.

- Plau no meu... Oh Mingyu! Vai se foder! - Wonwoo estava desacreditado do que ouviu - Sexo não é só... Plau... No cu alheio, são as sensações, os toques, os beijos...

- Então podemos nos beijar! 

- O que??? Você ta louco? 

- Ué... Seria beijo de amigos, o que que tem? Não é como se tivesse sentimentos a mais ou algo do tipo - Tentou explicar, mas logo levou um tapa do mais velho. 

- Você nem gosta de homem, Mingyu, você ta ouvindo o que ta falando? 

- Nunca beijei, como vou saber se eu não gosto? - Disse fazendo um biquinho convencido, Wonwoo apenas revirou os olhos e suspirou. Estava cansado daquele assunto. De verdade.

- Você não vai desistir, não é? - suspirou derrotado.

- Não, senhor. - Deu seu melhor sorriso, abraçando o amigo pela cintura e o apertando forte, logo depositando beijinhos seguidos na bochecha do mesmo, que limpava todos logo em seguida. 

Estavam vendo alguma série lado a lado, gostavam de passar o tempo conversando, mas tinham um compromisso com aquela série, e o melhor, em ver junto ao amigo, só viam quando estavam juntos e era isso que estavam fazendo, Wonwoo estava jogado no sofá, os pés em cima do colo de Mingyu, esse que estava sentado normalmente, fazendo, vez ou outra, uma massagem no pé do mais velho. 

Estavam focados demais para notar que estava prestes a começar uma cena... Mais dezoito, se é possível me entender, e, por Deus, Mingyu sabia que aquilo não podia ser por acaso. Sorriu para si mesmo e então passou a massagear a panturrilha do amigo, vendo o mesmo não desgrudar os olhos da tela, e então Mingyu ousou, se inclinando um pouco e levando as mãos para o joelho do amigo, e assim que começou a deslizar em direção as coxas, sentiu Wonwoo dar um pulo e logo se sentar corretamente.

- O que foi, Nonu? - Mingyu perguntou inocente.

- Você tava me alisando, seu tarado! 

- Alisando? Eu tava... Como você disse... Tentando ficar com... Tesão.

- Pois trate de ficar com tesão em outro lugar, seu mané - se aproximou, deixando um peteleco na testa do amigo, que, sem pensar duas vezes, agarrou o punho do mais velho e o puxou contra si. Estavam com os rostos tão colados, que nem mesmo em diversas brincadeiras que já fizeram haviam ficado daquela forma.

Mingyu culparia os hormônios. Wonwoo culparia Mingyu. 

- Ah, qual é, hyung - Mingyu sussurou, ainda segurando Wonwoo contra si. O mais velho estava sentado sobre os joelhos, o corpo quase que grudado contra o tronco do Kim, as respirações se misturando de uma forma descontrolada. Wonwoo estava descontrolado e aquilo era vergonhoso. - Vai dizer que nunca pensou nisso? - Mingyu mordeu o lábio inferior e juntou ambas as testas.

- N-nisso o que? - WONWOO!! SEJA MENOS BABACA. GAGUEJAR É O CÚMULO. 

- Eu e você. Juntos. Nossos corpos se chocando e você gemendo o meu nome. Ah, Hyung, vai dizer que nunca me imaginou passando a mão por seu corpo - Mingyu deslizou a mão que antes segurava o pulso do mais velho por seu braço direito - Que nunca imaginou eu te fodendo gostoso... Meu pau entrando e saindo do seu...

- MINGYU! - E então, exatamente como Mingyu nunca pensou que aconteceria durante uma dirty talk, Wonwoo desatou a gargalhar, ao ponto de ficar completamente vermelho e se encolher todo no sofá- ESSE FOI O PIOR DIRTY TALK DA MINHA VIDA - O mais velho gargalhava, gargalhava gostoso, e Mingyu quase desceu o cacete no amigo. 

- Ah, qual é, você tava ficando excitado que eu sei! - Mingyu empurrou o amigo e cruzou os braços, totalmente na defensiva.

- Excitado? Mingyu, você já fez dirty talk alguma vez na sua vida? - Wonwoo estava descrente. 

- Ã... Talvez. 

- Por isso não transou! Péssimo! - Wonwoo respondeu, e logo teve o amigo o batendo, xingando e por fim o derrubando do sofá pelos pés. 

Acabou com ambos rindo jogados no chão da sala. E então, num ato não muito bem pensado, Wonwoo se pos sobre o amigo, sentou em cima de seu abdômen e colocou ambas as mãos no ombro do mesmo. 

- É verdade - Wonwoo disse - Eu penso em você... Eu penso em como seria... - Wonwoo se inclinou um pouco, ficando com o rosto próximo do amigo - Em como seria a imagem do seu rosto entre minhas pernas... Ah Mingyu, eu queria tanto você dentro de mim, me esmurrando, acertando o meu ponto, me apertando e... - Wonwoo ousou rebolar, vendo o amigo engolir em seco - Oh, por Deus, você me deixa molhado só de pensar, Gyu-ah, eu quero tanto seu corpo no meu, suas mãos em mim... - E antes de Wonwoo continuar ele sentiu as mãos do amigo o agarrando a cintura. Mingyu estava vidrado nos lábios de Jeon, engolia em seco a cada palavra que o amigo dizia, e agora, era o mais novo que ditava as reboladas do amigo - Você ta gostando? - Wonwoo se aproximou mais, rebolando um pouco mais forte do que deveria, e definitivamente sentindo algo que não queria sentir ali embaixo - Você ta se imaginando me fodendo? Hm? Está se imaginando metendo em mim, Gyu? - Sussurou na orelha do amigo, que suspirou - AH MINGYU! QUAL É... - Wonwoo saiu do colo do amigo - VOCÊ TA COM O PIRU DURO SÓ COM ISSO?!

- Você... Você tava mE ZOANDO? - Mingyu disse bravo, pegando uma almofada do sofá e atacando na cara do amigo.

- Claro que não! Só estava... Testando.

- Vai testar a sua mãe, seu filho da puta - Mingyu levantou bravo. Estava bravo de verdade, mas no fundo sabia que não era com Wonwoo. 

Estava bravo consigo, porque ele teve o amigo ali, se esfregando, e ele ficou totalmente submisso, sem saber o que fazer, apenas aceitando as palavras do outro e sentindo o mesmo rebolar em si. 

E se Mingyu tivesse sido rápido para beijar Wonwoo? Será que continuaria sendo apenas uma... Brincadeira? Ou será que eles realmente transariam?! As palavras de Wonwoo eram boas demais para estar sendo ditas ao vento. E se ele tivesse tudo aquilo guardado com ele? E se... POR DEUS! Sua cabeça ia explodir se continuasse pensando tanto em Wonwoo e naquele maldito rabo que estava rebolando sobre si.

 

Wonwoo havia pensado muito, e com muito quer dizer que ele havia perdido toda a aula do último tempo porque estava pensando, e finalmente tinha decidido que cederia a ideia do melhor amigo, afinal, nem era uma ideia tão ruim assim, já que os dois seriam privilegiados, porque vamos combinar, Mingyu era um baita de um gostoso. 

Por esse motivo estava sentado em uma das mesas do canto do refeitório esperando que a última aula do mais novo terminasse para que pudessem conversar já que havia mandado uma mensagem avisando que estaria lhe esperando ali. Não demorou muito e logo o castanho apareceu com um enorme sorriso nos lábios enquanto carregava alguns livros nos braços. 

- Hey, Jeon Wonwoo – Sorriu para o amigo enquanto se sentava ao seu lado e apoiava os livros na mesa, se jogando para trás na cadeira, em seguida, relaxando. – O que manda? 

- Credo, que papo de macho hetero top – fez careta enquanto cruzava os braços, também se encostando na cadeira em seguida.

- Wonwoo, querido, eu sou macho hetero – piscou sorrindo.

- Mas não é top, então menos. – Fez um sinal com os dedos que fez o mais novo sorrir ainda mais, logo agarrando a mão magra no ar e a segurando entre as suas próprias, iniciando um carinho ali, que sempre fazia quando segurava as mãos macias do mais velho. – Prosseguindo, eu aceito o seu acordo. – Disse na lata, sem emoção nenhuma. Não queria que o mais novo pensasse errado com o que estava por vir. 

- Pera – Se aproximou do mais novo apoiando os cotovelos nos joelhos enquanto ainda agarrava a mão magra e exibia um enorme sorriso que quase fez Wonwoo sorri também. – Você ta dizendo que vai transar comigo???? – Perguntou afoito e o mais velho jurou que haviam estrelas nos olhos do castanho naquele momento.

- É isso ai, você venceu – Não conseguiu mais segurar o sorriso quando Mingyu lhe deixou um beijo estalado na bochecha e lhe abraçou logo em seguida. – Mas eu vou cobrar aquela massagem no pé que eu lembro muito bem de ter ouvido ser pra sempre.

- Ah, hyung, não pode ser só alguns meses? – Questionou com um pequeno bico nos lábios 

- Pra sempre ou nada de sexo pra você – Disse começando a organizar seus pertences que estavam espalhados pela mesa redonda.

- Tudo bem, pra sempre então – Disse com uma careta, que logo foi desfeita dando lugar ao enorme sorriso novamente

- Hoje de noite. Na minha casa. Leva leite condensado. – Disse enquanto guardava os materiais na mochila.

- Você vai jogar leite condensado em mim? – Perguntou com a voz baixinha e enojada

- Que? Claro que não, Mingyu, eu vou jogar na panela e fazer um brigadeiro, se toca. – Se levantou, bagunçando os fios castanhos do garoto sentado, lhe oferecendo um sorriso em seguida. – Não se atrasa, Kim, senão eu corto teu pau fora. – Disse, saindo logo em seguida sem esperar uma resposta. 

 

Estava se sentindo idiota? Talvez. Estava com vergonha da reação do amigo? Com toda certeza. O fato era: Jeon Wonwoo era um boiola, e quando se diz boiola é boiola mesmo. Ele não era só gay, ele adorava fazer boiolice e entre essas estava incluso fazer a primeira vez do melhor amigo ser incrível. Antes mesmo de dizer para o castanho que havia aceitado a sua proposta, fez questão de ir a uma loja próxima a sua casa e comprar velas aromatizadas e alguns mimos para oferecer ao mais novo depois da transa. Não, não envolvia nada no sentido romântico, só queria o melhor amigo sendo tratado como merecia.

Por isso que quando a campainha tocou, seu coração foi parar na boca. Não havia terminado de arrumar o quarto já que tinha ficado boa parte da tarde estudando para alguns seminários, e agora pensava como iria fazer isso com o maior ali. Porém deixou os pensamentos de lado quando abriu a porta e encontrou o melhor amigo vestindo a porra da roupa que ele sempre dizia ser a que melhor se encaixava no corpo malhado. 

Mingyu usava uma calça jeans preta que parecia estar colada na pele morena com superbonder, uma camiseta simples também preta e o bendito sobretudo bege, e pra completar a desgraça, os fios castanhos e úmidos estavam apontados para todos os lados enquanto um sorriso brilhante enfeitava o rosto bonito. 

- Você ta tentando me conquistar? – Pergunto franzindo os olhos em tom de brincadeira, o que fez o maior sorrir e se escorar no batente da porta.

- Ta funcionando? – Sorriu pequeno vendo quando o amigo fez uma careta, logo lhe puxando pela mão para dentro do apartamento pequeno. 

- Certo, fica aqui, eu já volto – Sorriu sem graça, empurrando o amigo no sofá, fazendo com que ele caísse sentado no mesmo. 

- Ei, onde você vai? – Perguntou agarrando a mão magra antes que o garoto conseguisse se afastar.

- Eu vou... Fazer a chuca. Isso, fazer a chuca, é isso que eu vou fazer. Agora me dá licença, Mingyu. – Disse rápido, não dando tempo do mais novo raciocinar e muito menos responder, e logo estava novamente no quarto, quase batendo a cabeça na parede quando percebeu a bosta que tinha dito. 

Depois de alguns minutos finalmente havia terminado de acender todas as velas e ajustar as luzes do quarto, quando ouviu batidas na porta, lhe fazendo sorrir pela impaciência do mais novo. 

- O que, Mingyu? – Perguntou se encostando na porta, esperando pela resposta do mais novo. 

- Hyung, o que é uma chuca? – Perguntou em tom de muita dúvida, o que fez com que o moreno desatasse a rir, logo abrindo a porta e encontrando o garoto com uma cara de paisagem, agora sem o sobretudo. 

- Eu vou te mostrar. – Disse baixinho no ouvido do castanho, direcionando suas mãos até a nuca do mesmo em seguida. – Eu posso te beijar? – Perguntou baixinho, sem desviar os olhos dos lábios vermelhos na sua frente, viu quando o mais novo balançou a cabeça concordando levemente.

Não hesitou nem mais um segundo ao avançar no melhor amigo, selando os lábios carnudos e não dando muito tempo ao outro quando pediu passagem com a língua, essa que logo foi cedida e então os garotos iniciaram um ósculo lento e profundo. 

Wonwoo já sabia, mas ali conseguia sentir o quão virgem Mingyu era, pois nem na sua cintura o garoto havia tocado ainda. 

- Aperta a minha cintura. – Disse baixinho assim que interrompeu o ósculo, distribuindo selares no maxilar marcado em seguida, descendo pelo pescoço imaculado e sorrindo quando sentiu as mãos apertarem seu quadril timidamente. – Mais forte, Mingyu. – Sussurrou no ouvido do castanho sentindo a pele morena arrepiar, gemendo baixinho em seguida quando o seu pedido foi atendido.

Wonwoo estava um pouco nervoso. Sabia que aquele momento estava em suas mãos, ele quem faria aquilo ser bom ou não pro amigo, o que estava o deixando um pouco mais pensativo do que deveria durante o beijo. 

- O que foi? – Mingyu se afastou, e pela primeira vez Wonwoo viu o amigo corar de vergonha – Eu to fazendo algo errado? 

- Não, você não ta fazendo nada errado – Wonwoo sorriu sem graça – Só é um pouco estranho beijar meu amigo de anos – disse sem graça, coçando de leve o topo da cabeça. 

Mingyu suspirou, estava sendo egoísta e sabia, por Deus, fez a vida do amigo um inferno, e nem ao menos tinha pensando em como o mais baixo se sentiria em relação àquilo. Mingyu nunca foi o tipo que se apega só por trocar beijos, mas sabia que Wonwoo, mesmo que nos últimos tempos insista em dizer o contrário, é bem apegado no lado emocional das coisas. 

- Bom – Wonwoo limpou a garganta – Antes de começarmos, gostaria de dizer algo? Tipo... Sei lá, não quer que eu toque em algum lugar. 

- Você pode fazer o que quiser – Mingyu disse um pouco nervoso – Só... Vamos logo com isso, pode ser? 

- Você que manda, capitão – Wonwoo deu seu sorriso mais sincero ao amigo e se deitou na cama, apoiando ambos os cotovelos e vendo o amigo ainda envergonhado. – Não conhecia esse Mingyu todo envergonhado... To achando fofo. 

- Cala a sua boca – Mingyu murmurou – Eu achei bem legal o que você fez... As velas... O quarto – murmurou, apontando para os detalhes em si. 

- E eu comprei camisinha e lubrificante, porque aposto que nem se lembrou disso – Wonwoo disse se levantando rapidamente e tirando de dentro do armário o que disse – Comprei a P porque imagino que você não deve ser la essas coisas – Não disse na maldade, até porque nem olhando para a cara do amigo estava, mas perdeu a maior cara de desacreditado que o amigo já havia feito em sua vida. 

- Minha rola tem um tamanho muito bom, com licença – Mingyu disse ofendido, se aproximando da cama ao ponto de sentir os joelhos contra a madeira. 

- Ah é? – Wonwoo mordeu os lábios e por segundos Mingyu ficou perdido ali. Ah... Devia saber que Jeon Wonwoo era muito bom em provocações. – Vem aqui então pra eu descobrir – sorriu nenhum pouco casto e chamou o amigo com o indicador, e sem pensar muito Mingyu se colocou sobre o amigo voltando a beijá-lo com o tanto de desejo, ou mais, que haviam se beijado na porta. Aproveitou do momento pra infiltrar suas duas mãos por deixa do pano preto da camisa, sorrindo quando o castanho interrompeu o ósculo para gemer baixinho. 

Mingyu era realmente muito virgem. E Wonwoo estava adorando aquilo.

- Você é bem sensível, hm?! – Sorriu ainda mais quando o amigo parou de deixar selos pelo seu pescoço para lhe encarar com o olhar mais indignado que já viu no rosto do maior. – Acho que a gente pode te testar. – Disse, girando os corpos em seguida, fazendo com que agora se encontrasse sentado sobre a cintura do castanho que lhe encarava de olhos arregalados.

- Hyung, o que você vai fazer? – Perguntou quando viu que o mais velho levantava a barra da sua camisa lentamente, parando instantaneamente e lhe encarando quando ouviu a pergunta.

- Você pretende transar de roupa, Mingyu? – Perguntou sério, vendo quando o outro engoliu em seco e negou com a cabeça. – Então fica quietinho. 

Puxou lentamente a peça pra cima até que estivesse fora do corpo grande, sorrindo quando teve a visão do torso totalmente imaculado e moreno, com indícios de músculos, mas nada muito marcado. Não demorou a se abaixar e começar a distribuir selos pelo peito desnudo, deixando uma mordida fraca abaixo do mamilo esquerdo, ouvindo em seguida um suspirar do mais novo. Pensou em estimulá-lo ali, mas sabia que Mingyu lhe repreenderia, pelo menos achava isso, e, por isso, continuou descendo até chegar ao cós da calça jeans, onde fez questão de deixar uma lambida antes de se levantar novamente e se aproximar do rosto bonito. E foi naquele momento que Wonwoo percebeu o que estava fazendo. Caralho, estava transando com o melhor amigo e vê-lo de olhos fechados enquanto respirava pesado não estava lhe dando nenhuma outra sensação além de tesão pra caralho, e aquilo o preocupava.

Realmente Wonwoo não poderia negar que o amigo beijava bem, bom, sabia que Mingyu não era nenhum BV da vida, mas não imaginou que o amigo se soltaria tão rápido, bom, não só por ser um homem ali, mas por serem amigos. Digo, muito amigos. Mas naquele momento Wonwoo não queria pensar naquilo. Não queria saber o que aconteceria com eles depois daquilo. 

Sabia que como um bom canceriano estava sim se deixando iludir com aqueles beijos e mãos que agora passeavam livremente em seu corpo, mas logo se cobrou a voltar a prestar mais atenção no momento. Estava ali para tirar a virgindade do amigo e faria da melhor forma possível. 

Mingyu estava aos poucos passando cada vez mais as mãos em seu corpo e assim que chegou em sua bunda pensou seriamente que o mais novo tiraria a mão dali o mais rápido possível, mas o que recebeu na verdade foi um apertão gostoso. 

- Bundinha dura, hyung – Mingyu disse contra os lábios, se afastando um pouco apenas para ver o mais velho ficar vermelho igual um pimentão. 

- Pois eu vou pegar na sua bunda também. – Wonwoo respondeu descendo a palma direita pelas costas do mais novo. 

- Parece que você está com mais receio que eu – Mingyu sussurrou, aproveitando para roçar os lábios enquanto falava – Pode ficar tranquilo, eu aviso caso não queira algo, pode ser? 

- Tá, tá, tá – Wonwoo disse rápido, voltando a beijar o mais novo de uma forma um pouquinho mais... Sedenta? 

Eles iam transar. Ponto. Não tinha mais o que argumentar. Wonwoo estava colocando mil e uma barreiras em sua mente, mas não tinha nada que o impedisse. Ambos queriam aquilo, certo? Mingyu sabia que um sexo homossexual não era como um heterossexual, certo? Digo... Teriam duas rolas ali, será que o mais novo não daria para trás ou...?

- Ta tudo bem, Wonwoo? – Mingyu se afastou novamente do mais velho. – Da pra você me falar logo o que está acontecendo?

- Eu tenho uma rola! 

-TU JURA? – Mingyu fora cínico, vendo o mais velho lhe bater e em seguida o empurrar. Mingyu se sentou ao lado do moreno da cama, enquanto Wonwoo se sentou na mesma.

- Eu to querendo dizer que não é igual – Wonwoo disse emburrado – Quando eu ficar duro... Provavelmente vai acontecer de você encostar, ou ver, e isso... Bom... Você ta me entendendo? 

- Você ta com vergonha de eu te ver pelado? 

- Não! Meu pai do céu, você é muito burro. – Bateu em sua própria testa, quando diabos começou a falar com Mingyu e POR QUÊ? – Mingyu, minha rola vai encostar em você, ta tudo beleza ter uma guerra de espadas aqui? Entendeu? Rola com rola? Bilola com bilola? 

- Eu to ciente disso – Mingyu disse irritado – Eu sei que você é homem, eu não sou idiota, homens e mulheres beijam diferente e quando eu propus isso eu pensei em tudo, eu não tenho mais 15 anos sendo movido pelos hormônios, ok? Agora você pode parar de bancar meu melhor amigo mais velho e deixar logo eu comer o seu cu?! 

E assim que Mingyu terminou a -breve- bronca que deu no amigo, Wonwoo suspirou e rapidamente se colocou sobre os joelhos, levando os braços até o pescoço do mais novo e voltando a beijá-lo. Agora estava certo daquilo. Tirou um peso dos ombros e, por Deus, sentia o coração bater nos ouvidos. 

As mãos de Mingyu logo foram de encontro a sua cintura, apertando da forma que mais cedo Wonwoo orientou, e como retribuição Wonwoo mordeu e sugou o lóbulo da orelha do garoto e arranhou o abdômen malhado, ouvindo o som mais sinfônico que já tivera o prazer de ouvir. Mingyu gemeu, gemeu alto, e aquilo com toda certeza despertou Wonwoo, que no mesmo momento retirou a própria camisa, vendo quando o outro abriu os olhos surpresos, mas não os desgrudou um segundo sequer da pele branca.

- Quer tocar? – perguntou baixinho enquanto encarava o maior.

- Seria muito gay?! – Disse num tom baixo e Wonwoo tinha certeza de que o intuito era a frase ser uma afirmação, mas sorriu quando sentiu a pitada de dúvida na voz do castanho.

- Mingyu, você ta transando com um cara, lembra? – Sorriu. Se debruçou novamente sobre o amigo e sussurrou – Me toca. 

E no mesmo segundo sentiu as mãos fortes encontrando sua cintura desnuda enquanto deixava um aperto que lhe fez soltar um gemido manhoso, começou a passar os dedos pelo corpo magrela, e sorriu entre os beijos, podia ouvir os suspiros de Wonwoo e até o mesmo tremer um pouco diante das digitais frias. É, Mingyu tinha as mãos suando frio por conta do nervoso, quase como uma pedra de gelo, mesmo o quarto estando aconchegante, um pouco quente pelas velas, mas definitivamente aconchegante. 

 Mingyu atacou os lábios enquanto subia com as mãos desgovernadas pelas costas imaculadas, deixando arranhões de cima a baixo, puxando o mais velho cada vez mais pra cima de si pelas nádegas. Wonwoo estava prestes a se afastar quando sentiu um volume na sua bunda e aquilo só fez com que aumentasse a intensidade do beijo, sorrindo quando rebolou lentamente e Mingyu gemeu entre o beijo. Então era por isso que o mais novo não estava deixando com que se aproximasse tanto de seu pau, e foi notando isso que acabou sorrindo e quebrando o beijo.

- Acho que alguém ficou com tesão e nem precisou assistir um pornô – Iniciou uma série de selos no pescoço do mais novo, descendo novamente, mais rápido dessa vez, até chegar ao cós da calça onde podia ver nitidamente o volume marcado. 

- Cala boca, Wonwoo. – Ditou num suspiro, gemendo descaradamente quando o maior apertou a ereção ainda por cima da calça.

- Você é muito sensível, Gyu-ah – Sorria enquanto desafivelava o cinto do garoto.

- E você está adorando... – Mingyu disse transbordando tédio na voz. Esse garoto deveria ser ator!

- E eu estou adorando. – Wonwoo mordeu o lábio inferior. 

Seria totalmente mentira se dissesse que não estava surpreso com o tamanho do membro do amigo, realmente havia comprado uma camisinha P, e bom, o amigo estava definitivamente fora dos padrões, mas era óbvio que não deixaria transparecer a surpresa, já que Mingyu não era nenhum pouco modesto por natureza, se soubesse que o amigo estava sedento pelo seu pau, ficaria um nojo.

Não se fez de acanhado ao tirar o pau do castanho da cueca e, sem aviso algum, lamber de cima a baixo, ouvindo aquele som que tanto havia lhe agradado anteriormente. Se colocassem aquele maldito gemido no Itunes, Wonwoo seria o primeiro a comprar, e nem estou brincando quando digo isso. Wonwoo estava indo ao delírio com tão pouco, que estava se sentindo envergonhado.

Quando Mingyu falou que nunca tinha ficado nem pelado com alguém ele estava falando completamente sério, já que estava gemendo quase que descontroladamente enquanto Wonwoo chupava o membro inteiro, revezando entre apertar as bolas e deixar beijos na virilha. Por isso se surpreendeu quando sentiu uma mão puxar o seu cabelo, lhe fazendo gemer baixinho e logo estava com os lábios colados ao do maior novamente. 

Sorriu orgulhoso quando o maior lhe virou na cama, decidido, e em seguida retirou facilmente a sua calça de moletom, arregalando os olhos quando percebeu que o mais velho não usava cueca, porém não focou naquilo por tempo demais, já que logo estava retirando a própria cueca e iniciava uma série de beijos pelo abdômen magro. 

Mas a felicidade de Wonwoo durou pouco já que logo o maior lhe olhava de cima com uma cara de cachorro que caiu da mudança. Ah não.

- O que foi? – Perguntou ainda ofegante dos beijos na barriga – Não vai me chupar? – Perguntou enquanto jogava os cabelos totalmente bagunçados para trás, tentando ter uma melhor vista do garoto quase com o rosto entre suas pernas.

- Wonwoo, eu não sou gay. – Disse como se fosse obvio, fazendo o menor bufar enquanto fechava os olhos.

- Tá, tá, então... – Wonwoo balançou as mãos, tentando livrar a mente daquele maldito tesão que estava sentindo junto à frustração, lembrando que estava ali para instruir o amigo - Primeiramente você tira a porra dessa meia porque você não vai me fuder de meia, Mingyu. Você pode ser gostoso, mas não é dois. – Disse impaciente. Sabia que muito provavelmente o amigo não lhe chuparia, mas bem lá no fundo ainda tinha uma esperança, essa que foi alimentada como gasolina para o fogo assim que viu o amigo descendo por conta própria até seu bendito pau. Mas claro que nem tudo são flores.

- Mas, hyung... – Foi interrompido por um arregalar de olhos do mais velho e dois dedos apertando suas bochechas, fazendo com que um biquinho (adorável na opinião do mais velho) se formasse ali.

- Sem “mas”, Kim. Tira essa porra ou não tem cu pra você hoje. – Disse cerrando os dentes e Mingyu negou para si mesmo, mas sentiu um frio na barriga ao ver o amigo tão autoritário. Por isso não hesitou mais ao tirar as meias e logo estava por cima do garoto novamente, lhe olhando com aquela carinha que o deixava irritavelmente lindo. – Eu já me preparei no banho então é só você enfiar uns três dedos lá e alargar um pouco, depois coloca esse pau mixuruca e “plau” – Disse olhando nos olhos do mais novo, tendo certeza que o mesmo estava entendendo tudo, achando adorável como ele prestava atenção em cada instrução e concordava com a cabeça.

- Certo... Hyung, se eu te machucar você me avisa. – Pediu, só levando os dedos até a entrada do menor quando Wonwoo concordou com a cabeça. 

- Pera pera – Wonwoo pediu segurando a mão do maior que estava prestes a entrar em si, a puxando até a sua boca e enfiando os três dedos grossos na boca.

Mingyu estava estático. Por Deus, que tipo de pornô era aquele e porque diabos nunca tinha visto antes? Aquela cena, Jeon Wonwoo com os dedos nos lábios, não queria admitir, mas ver o melhor amigo chupando seus dedos como se estivesse chupando um pau -algo que ele presenciou a poucos minutos-  era, no mínimo, satisfatório pra caralho, por isso só saiu do transe quando o outro sorriu sapeca para si e fez um sinal com a cabeça para que prosseguisse, fazendo o mais novo piscar um pouco atônito.

E, sem pensar duas vezes, ele logo voltou a direcionar os dedos até a entrada do garoto, o inserindo um dos dedos de cada vez, já que aparentemente aquilo doía. Ouviu um gemido de dor do menor quando inseriu o terceiro dedo e por isso parou na hora o movimento, sentindo em seguida um tapa no braço e um pedido para que continuasse. Wonwoo mordia os lábios de uma forma que, Mingyu, mesmo sendo ateu, pediu a Deus que deixasse aquela memória para sempre em sua mente. E foi quando Wonwoo começou a se mover e rebolar mais do que seus dedos conseguiam acompanhar que, sim, o castanho chegou a grande conclusão:

E era agora. 

O grande momento.

O momento que finalmente enfiaria aquele pau num bendito buraco. O momento em que perderia a tão odiada virgindade. E o momento em que simplesmente travou quando olhou para o melhor amigo, que se encontrava de olhos fechados e mãos apertando seus ombros, pronto para o que estava por vir. 

- Mingyu? – Disse baixinho chamando a atenção do maior, vendo o mesmo de olhos arregalados – Dá pra enfiar logo? – Perguntou um pouco impaciente, entenda, o único estímulo que estava tendo era os dedos, e agora nem mais eles estavam presentes em si. Frustrante.  

- E se eu fizer errado e você não gostar, hyung? – Perguntou vendo o mais velho revirar os olhos.

- Se você fuder tão bem quanto você me irrita, pode apostar que eu vou gostar muito. – Wonwoo disse sério, arrancando um sorriso daquele rosto em pânico - E essa nem deveria ser a sua preocupação, já que você só quer fuder logo, então só enfia esse pau no meu cu, Mingyu, pelo amor de deus. – Disse suspirando, tentando incentivar o amigo.

- Mas você é meu melhor amigo de qualquer forma e se você se machu... – Não teve tempo de completar a frase já que logo o menor virou os dois na cama, ficando por cima e não dando tempo do maior protestar para encaixar o membro na entrada que já pulsava e sentar de uma vez, gemendo alto quando sentiu tudo arder. – Wonwoo... – O castanho gemeu o nome do amigo agarrando as coxas, que foram a primeira coisa que encontrou – Caralho... – Fechou os olhos, podendo sentir todas aquelas sensações que por tanto tempo quis saber como eram. E, porra, sentir seu pau sendo esmurrado pelo orifício do amigo, aquilo era, definitivamente a oitava maravilha do mundo, e quem discordasse que discordasse ai na sua casa. 

- Você enrola demais – Sorriu fraco depois de um tempo enquanto começava a rebolar no pau do amigo, soltando um gemido alto quando o mesmo apertou ainda mais suas coxas e arremeteu o quadril pra cima. – Isso, Mingyu, mais. – Incentivou, fazendo o mais novo sorrir e logo trocar a posição novamente.

Era isso que Mingyu queria, meter, ele queria simplesmente meter, e ter as pernas de Wonwoo o agarrando pela cintura enquanto enterrava seu pau naquele lugar quentinho e aconchegante do corpo do amigo que desconhecia até hoje, estava o deixando ensandecido. Como não tinha experimentado isso até hoje? E foi querendo aproveitar as sensações que começou a meter lenta e profundamente no moreno que já gemia alto, agora aumentando o tom quando Mingyu tirou todo o membro e socou de uma vez, fazendo com que o mais velho visse estrelas. E logo estavam num ritmo frenético. Não estavam mais conhecendo território. Estavam fodendo. Fodendo gostoso, ao ponto de ouvir a maldita cabeceira bater contra a parede, as pernas da cama rangerem, o lençol de elástico começar a soltar das bordas do colchão, e sinceramente, estavam um pouco se fodendo, porque os sons de tudo aquilo junto aos gemidos e aos corpos se chocando estava levando ambos à um novo nível de prazer. Não estavam se importando se era algo carnal ou sentimental. Estavam em sincronia, e uma sincronia que estava levando ambos a loucura. O suor escorria dos corpos cansados, os cabelos colando na testa, o quarto quente igual o inferno, colaborando para cada vez os corpos escorregassem mais, e, no intuito de prolongar aquilo o castanho começou a diminuir o ritmo, tendo Wonwoo fazendo questão de gemer lento e arrastado no ouvido do outro enquanto arranhava as costas morenas e recebia selares e chupões no pescoço. 

Não demorou muito e logo Wonwoo percebeu que o mais novo estava quase no seu limite devido aos gemidos que cada vez saiam mais altos, não pensando duas vezes antes de o empurrar levemente pelo ombro para o lado, recebendo uma careta indignada, o que fez com que um sorriso safado crescesse no próprio rosto.

- Goza na minha boca – Sussurrou no ouvido do maior, deixando uma mordida no lóbulo e descendo, logo encaixando o membro duro na boca novamente e iniciando o boquete, que não durou muito tempo, visto que o maior logo estava gemendo alto e puxando os fios morenos enquanto empurrava o próprio quadril pra cima no intuito de chegar, no mínimo, até o pulmão de Wonwoo, que recebeu com a rola na garganta sem reclamar, e então pode sentir finalmente o pau de Mingyu jorrando o gozo quente em sua garganta, e rapidamente se afastou para prolongar aquilo numa punheta, e mesmo com um pouco de porra no rosto fez questão de engolir tudo que tinha na boca e por fim lamber a cabecinha apenas para deixar o pau do amigo limpinho. 

Quem ligava para limpeza numa hora daquelas? É, ele só queria continuar chupando aquele maldito pau. Vergonhoso, Jeon Wonwoo, vergonhoso.

E só então Wonwoo percebeu que ainda estava duro, e assim que Mingyu notou para onde o mais velho olhava logo o empurrou na cama e lhe surpreendeu iniciando uma masturbação rápida enquanto avançava sobre os seus lábios novamente, e junto a surpresa de Mingyu estar lhe tocando e ao puta tesão que estava sentindo, acabou que não demorou ao gozar nas mãos do mais novo, que levou o indicador à boca e provou o amigo. 

- O que achou? – Wonwoo disse num fio de voz. 

- Um pouco... Er... Você deveria comer mais laranja, morango... Sabe, ajuda a deixar mais docinho. – Disse sério, e assim que olhou pro mais velho notou que o mesmo definitivamente não estava perguntando sobre o sabor de seu gozo. – Oh... 

- Pois quem provou nunca reclamou – Wonwoo cruzou os braços, vendo o mais novo rolar os olhos e deixar um selo em seus lábios. 

- Sempre tem um primeiro, e sinceramente, eu não to disposto a aprender um boquete sabendo que vou receber essa coisa ruim na boca. 

- Só aprender com outra pessoa então, seu pau no cu. – Wonwoo tinha um bico nos lábios, o que fez o mais novo gargalhar. 

- Ah, hyung, agora a missão de me ensinar essas coisas ficou a você... – Mingyu disse sorrindo, vendo o mais velho o encarar nos olhos – Somente você, hyung.

E num impulso, Wonwoo beijou o mais novo, e não sabiam se a amizade continuaria a mesma, mas tinham certeza de que algo havia florescido ali. 

 

Maldito Kim Mingyu e sua sede por cu. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse meanie desbocado, e mais uma vez, tori muito muito obrigada ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...