1. Spirit Fanfics >
  2. Teach me( Ensine-me) - Jung Hoseok, J-hope, Hobi do BTS >
  3. 05.01 ( encontro )

História Teach me( Ensine-me) - Jung Hoseok, J-hope, Hobi do BTS - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


O encontro terá 2 capítulos, 05.01 e 05.02, espero que gostem!
Boa leitura*-*

Capítulo 5 - 05.01 ( encontro )


       Hoje — sábado — será o dia do meu encontro com o Hoseok. Eu evolui muito, não sou mais aquela adolescente boba que deixou o amor correr pelas suas mãos por medo do que ele conheceu alguns anos atrás, ele nem imagina o quão cresci e amadureci, será que se perceber ainda vai sentir esse interesse por mim? Espreguiço-me, estou cansada, passei a tarde toda fazendo revisões sentada, olho a hora na tela do notebook de cor azul-pastel, já são 7:21 da noite, lembro que o Hoseok passara aqui as 8:30 p.m, levanto seguindo ao banheiro. Faço minha higiene pessoal e vou até o closet, pego um vestidinho em um tom claro de azul que é soltinho da cintura para baixo, visto a lingerie redada preta e o vestido, por último coloco uma meia ¾ e um allstar combinando com o vestido.

[ ••• ]

–Nossa!

Ouço o Hobi surpreender-se, enquanto aproximo aos poucos dele que esta esperando-me encostado em seu carro, ele não está vestido socialmente, como ele está agora, lembra-me da época da escola quando ele estagiava. Calça jeans preta, um moletom em um tom de cinza claro, usava um allstar como eu, seu cabelo está para trás, aproximo e começo:

– Bom, como era um primeiro encontro esperava algo mais social.

– Desculpa desaponta-la, mas não é – ele chega mais perto, ao ponto que sinto deu perfume – Será algo mais divertido.

– Ainda bem, pois não estou com nada formal e muito menos social

– Você está perfeita como sempre – ele beija minha testa, e um sorriso bobo formou em meu rosto – Vamos? – pergunta abrindo a porta do carro ao lado do motorista.

O carro segue pelas as ruas brilhantes da grande cidade, olho pessoas que são borrões por causa da velocidade do carro vivendo suas vidas, quando paramos em um sinal vejo algumas garotas atravessando rápido, parecem assustadas com o quanto de homens ao redor, é ser mulher não é porra nenhuma fácil, viver com medo a qualquer estante não é viver. Logo o sinal abre, olho o Hobi concentrado nas ruas, silêncio demais, então decidi falar:

– Para onde vamos?

– Huh? – ele olha-me rápido – Vamos ao cinema e depois outro lugar.

– Vamos ver qual filme? – pergunto mexendo em meus fios de cabelo cacheado.

– Um filme dos anos 80, um filme maravilhoso, está tendo uma sessão especial dos anos 80, e eu lembro que você ama filmes antigos.

– Que bom que lembra, sempre pensei que fosse bobo isso.

– Não é, é interessante. Você também gosta de clássicos literários, sempre via você lendo no intervalo das aulas.

[ ••• ]

No cinema eu compro os lanches e Jung compra os ingressos, nos encontraremos na lanchonete onde estou comprando as coisas, tem poucas pessoas, entendo, pois raramente jovens gostam desse tipo de conteúdo “velho”, Hoseok chega com os ingressos e pega os refrigerantes deixando-me com a pipoca grande e a barra de chocolate.

– Vamos, será a sessão das 9pm.

– Será qual filme? – pergunto enquanto caminhamos até a porta para a sala do filme.

– Clube dos cinco. Se me lembro bem, você ama esse filme e eu nunca vi.

– Eu sou louca por C5, cresci vendo por causa da minha mãe. Ela via comigo quando ela... – sinto meus olhos encherem de lágrimas.

– Estava viva, esse filme te trás boas lembranças... Eu lembro.

– Obrigada – falo e coloco um sorriso no rosto.

[ ••• ]

O encontro está sendo perfeito, comemos muito e nos divertindo vendo, eu amo como o filme mostra que nossas diferenças são o que nos une, o filme foi algo tão importante para mim e ainda é. Sinto ele leva seu branco para meus ombros e eu me aconchego nele e com sua outra mão ele segura a minha, parece aqueles momentos fofos de filme teen, sinto-me em um. O filme acaba e vamos até o estacionamento do cima, conversamos um pouco sobre o que ambos fizeram esse tempo que não nos vimos, Hoseok estudou muito e viajou por várias países, e eu namorei um amigo da minha infância e conheci a Tailândia. Entramos no carro e eu começo a dialogar:

– Obrigada pelo encontro, foi ótimo.

– Não acabou ainda – ele sorri para mim e liga o carro saindo do estacionamento.

– Não?

– Não, vamos fazer algo mais divertido – ele fala com aquele sorrio que faz você perder o rumo.

– O que será isso? – pergunto confusa.

– Você verá.

[ ••• ]

Logo o carro para no estacionamento da Universidade, olho para fora vendo tudo calmo, só dois seguranças em seus pontos. Olho pro Hobi que pega um chaveiro e coloca no bolso.

– Vamos?

– Para onde? – pergunto confusa.

– Invadir a biblioteca, quero ler um pouco para você – diz saindo do carro, então, faço o mesmo.

– Isso é errado, podemos ser preso! – falo com um pouco de medo, parando no meio do jardim do campus – E pode ser bem pior para você, que é um professor com uma aluna.

– Ei – ele para e leva suas duas mãos as minhas bochechas – Tudo bem, um segurança sabe que vamos está aqui, já havia falado com ele, foi assim que consegui as chaves, não seremos presos, e não seremos pegos se você confiar em mim. Mas não faremos isso, se você não quiser, garotinha – suas palavras acalmaram-me, respiro fundo sentindo ele alisar minha face – Se quiser, posso te levar para casa ou ir tomar sorvete, você ama sorvete a noite.

– Eu quero invadir a biblioteca, na verdade, nem é uma invasão, já que você tem a chaves – falo e ele ri com minha lógica boba, porém real.

– Vamos, gatinha – ele pega minha mão e andamos.

Seguimos pelo jardim até chegar em frente a biblioteca, ele abre a porta e entramos, caminhamos pelos corredores enormes de livros até chegar na sessão dos clássicos da literatura norte-americana, ele escolhe um livro, sentamos em um dos sofás que há no local, eu fico sentada em seu colo com as penas livres pelo sofá, ele começa a ler, eu conheço esses trechos, é do “O grande Gatsby” de 1925 — o original —, ouço sua voz como melodias que acalma-me, seu timbre de voz é perfeito, passamos longo tempo assim, eu encosto minha cabeça em seus ombros, estou com sono, ele continua lendo a obra quando abraça-me com uma das mãos e segura com a outra o livro. Um encontro perfeito. O sono está ficando cada vez mais forte, fechos os olhos para relaxa-los.

[ ••• ]

Continua...


Notas Finais


Vocês já tiveram encontros com alguém? Deseja ter?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...