1. Spirit Fanfics >
  2. Teacher - Jaeyong. >
  3. Prólogo.

História Teacher - Jaeyong. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


se flopar flopoukkkkkk leiam a tag, viu? eh fundamental p vcs, boleitura e eh nois

Capítulo 1 - Prólogo.





Introdução.

Acordar após uma noite de puro porre e bebida não é fácil, principalmente para um universitário de direito que tem a expectativa de todos como uma pressão exaustiva. Talvez ser filho de pessoas influentes não seja legal como acreditam e eu sei bem como é isso. 

Cocei meus olhos pelo contato instantâneo do sol contra meu rosto e murmurei um palavrão que me forçou a levantar, logo segui caminho ao banheiro e fiz minha higiene, visando meu corpo todo marcado. 

O que me recordou a noite passada e caralho, como aquele estrangeiro foi capaz de me levar a loucura apenas com aquele sotaque britânico e viciante que fazia meu corpo delirar apenas de lembrar?

É muito raro eu me sentir apegado a memórias, mas vou fazer questão de guardar o momento que tivemos na noite passada e seu nome ficará cravado na minha mente como um ímã. Jung Jaehyun. Aquele que não marcou apenas meu corpo, mas toda minha alma. 

— Taeyong, você está atrasado! — A voz de Kun escapou pelo outro lado e bufei baixinho, só queria aproveitar o banho. 

— Eu já estou indo, hyung. Obrigado! 

— Já arrumei sua mochila e seu lanche, vá logo! 

— Kun, sabe que não sou mais criança, né?

— Cala a boca e só termine aí. 

Sorri largamente quando ouvi os passos do mais velho se afastando e um suspiro bobo saiu pelos meus lábios. Para ser sincero, eu não teria noção do que fazer sem Kun ao meu lado. 

Nos conhecemos em uma rave que fiz e desde então, moramos juntos já que Kun veio da China em busca de novas oportunidades. Diferentemente do que eu planejo, o hyung tem um sonho imenso de abrir um restaurante e tenho ajudado ele como posso, por isso busco atingir meus objetivos para orgulhar ele. Ele é o professor do curso de gastronomia da faculdade e é até legal ter Kun por lá já que me sinto meio inerte as demais pessoas. 

Quando terminei meu banho o mais rápido possível, me troquei da maneira devida e fui para a cozinha, lendo o bilhetinho adorável que o dito cujo tinha deixado. 

"Tae-ssi, tive que sair para fazer as compras e vou aproveitar para mandar currículos. Não vou demorar para chegar, tenha um ótimo dia e não se esqueça que eu te amo, cherry." 

Soltei um risinho divertido com aquilo e senti uma nostalgia pairando pelo ar, porque Kun tinha um poder imenso de me fazer sentir em casa ao lado do meu pai que não aceitou muito bem minha sexualidade, me expulsando definitivamente do lar que construímos.

Mas tudo bem, eu não guardo rancor quanto à isso porque meu hyung sabe bem como findar a saudade que sinto de casa.

Tendo terminado de me arrumar, avisei meus amigos que logo estava chegando no campus — só constando que eu nem havia saído de casa — e que não era para se preocuparem. 

Não obtive nenhuma resposta, então acelerei meu passo e fui diretamente para a garagem do prédio em que moro. 

— Olá, jovem Tae! Como tem estado? — Min-Hee era uma mulher humilde e dócil que me acolheu muito bem, ao meu conhecer, me tratou com um neto e sempre deixa mimos tanto para Kun quanto para eu mesmo. 

— Estou bem, noona. E a senhora? As dores nas costas já passou? — Perguntei preocupado, ajudando a idosa a chamar pelo elevador. 

— Sim, sim. Fiz um bolo de cenoura para você e para o Kun, podem ir pegar quando puderem. 

— Oh, sério? Não precisava! Mas agradeço em nome dele e vou pegar quando chegar da faculdade. 

— Tudo bem, vou estar no aguardo. — Sorriu gentil, piscando para mim. — Aliás, sinto por você que hoje é seu grande dia da sorte, rapaz. 

— Isso é bom, né? — Brinquei, rindo baixinho e sendo acompanhado por ela. — Tenho que ir, noona. Até mais e obrigado pelo bolo. 

Deixei um beijo na testa da mais velha que entrou caixa metálica e corri para o carro, não demorando mais do que dois minutos para manobrar e sair em disparada dali. 



Ao chegar no campus da faculdade, fui recebido por Mark com uma carranca um tanto assustadora ao lado de Johnny que tinha um ar descontraído, como era de seu costume.

— Temos um professor novo. — Seo comentou ao me cumprimentar com um abraço de lado. 

— Sério, como se chama? — Perguntei esperançoso, olhando para o mais alto que apenas acenou com a cabeça. 

— Ele é bonito, o nome dele é Jung Jaehyun. — Dessa vez, foi Mark que falou e senti meu corpo gelar quando finalmente me virei, tendo em vista a imagem do corpo bem escupido de Jaehyun, vagando por entre os alunos. 

Meu Deus... Meu dia de sorte foi pro' brecho. 


Notas Finais


o que acharam? *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...