História TEACHER: um amor proibido (Jin) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jin
Visualizações 165
Palavras 926
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá nenis. Tudo bom? Tá difícil postar o capítulo todos os dias, então me perdoem

Capítulo 18 - Você é tudo que eu tenho


Fanfic / Fanfiction TEACHER: um amor proibido (Jin) - Capítulo 18 - Você é tudo que eu tenho

(...)

Quando entro no quarto que (s/n) estava, vejo que a mesma estava desacordada e com o corpo enfaixado.

Quando vi aquela cena não pude acreditar, fiquei imóvel na porta do quarto sem ação alguma.

Enfermeira: Não precisa ficar tão aflito, sim ela sofreu um grande impacto, mas ainda estamos esperando sair o resultado dos exames. 

Jin: Como vou ficar tranquilo vendo ela assim desacordada e com seu corpo enfaixado?

Enfermeira: Você é irmão dela ?

Jin: Não, sou namorado.

Enfermeiro: Então precisamos avisar para a família dela não acha?

Jin: Sim, mas por favor, não agora, é que a família dela não pode me ver aqui, entende.

Enfermeira: Acho que posso compreender, pelo sua roupa deve ser algum empresário.

Jin: Talvez. 

Enfermeira: Ok, vou deixa-lo um pouco a sós com ela, mas depois terei que avisar à sua família. 

Depois que a enfermeira saiu fui para perto de (s/n) e dei um beijo em sua testa enquanto passava a mão em seus cabelos.

Jin: Por favor meu amor não me deixe assim tão preocupado, acorde logo e volte pra mim, quero ver aquele seu lindo sorriso de novo e seus olhos brilhando. - digo enquanto seguro sua mão.

Depois de alguns minutos a enfermeira volta.

Enfermeira: Agora preciso avisar a família dela, poderia me ajudar com isso?

Jin: Onde está o celular dela?

Ela me entrega o celular, então procuro o número do pai de (s/n). Faço a ligação e entrego para a enfermeira falar com ele.

Enquanto ela falo com ele vou me despedir de (s/n). Ela ainda desacordada, dou um beijo em sua testa.

Jin: Volta logo pra mim meu amor..- escorre uma lágrima ..Te amo. - digo sussurrando em seu ouvido.

Saindo do hospital vou para casa, Sunhee ainda estava lá, até porque eu tinha chegado mais cedo hoje.

Sunhee: Me desculpe, mas já estou quase de saída.

Jin: Tudo bem.

Sunhee: Que cara é essa? Aconteceu alguma coisa?

Jin: Não quero comentar sobre isso com você.

Subo até meu quarto, preparo um banho quente na banheira, pego uma garrafa de uísque e entro na banheira e fico lá bebendo e refletindo, mas meus pensamentos só iam em direção à (s/n).

Jin: Não vou conseguir ficar aqui parado enquanto ela está lá precisando de mim. Tudo bem que ela tem seu pai ao lado, mas quero que eu seja a primeira pessoa que ela irá ver quando abrir os olhos. Já decidi! Não vou me importar com minha imagem e vou até lá ficar ao lado dela. - digo à mim mesmo, enquanto me levanto e saio da banheira.

Coloco uma roupa simples e um casaco por cima, ainda estava nevando muito e fazendo frio. 

Quando desço para a sala Sunhee já tinha ido embora, então apenas pego a chave do carro, tranco a pronta da casa e entro no carro, indo em direção ao hospital.

No caminho lembro-me de passar numa loja de ursos de pelúcia, lá acabo encontrando um bem fofinho, então compro para dar à (s/n).

Chegando no hospital, vou em direção ao quarto que ela estava, quando entro tinha um homem de costas, com farda de policial, olhando pela janela e falando com alguém no celular.

Jin: Sera esse policial o meu sogro? Se ele descobrir que sou professor dela vou ficar bem encrencado. - digo em pensamento.

Desligando o telefone ele virá e me vê.

???: Está aqui pra visitar (s/n)? 

Jin: Sim senhor. Você é o pai dela certo?

???: Sim. E você quem é ?

Jin: Sou um amigo dela. Prazer Jin. - Digo pegando em sua mão.

???: Prazer, Taehyun.

Jin: Já saiu o resultado dos exames?

Taehyun: Não, o médico disse que só vai sair amanhã cedo, mas que não será nada muito grave. Já estou tão aflito.

Jin: Eu entendo, mas ela vai sair dessa, vai ficar tudo bem certo.

Taehyun: Assim espero rapaz.

Fui até ela e dei um beijo em sua testa enquanto seu pai não via. Coloquei o urso que comprei pra ela do lado, numa mesinha. Depois fui caminhar um pouco pelo hospital, deixando ele a sós com ela.

.....

Volto para o quarto e vejo seu pai muito estressado falando com alguém no celular.

Taehyun: Mas general eu não posso sair daqui, tenho que ficar cuidando da minha filha que está no hospital. 

.. 

Taehyun: Ok, ok darei um jeito, espere só um pouco. 

Assim que ele desliga o celular começa a passar a mão na cabeça aflito.

Jin: Algum problema senhor ?

Taehyun: Meu general quer que eu o acompanhe numa investigação nesse exato momento, mas como vou sair e deixar minha filha aqui sozinha?

(s/n) sempre me disse que seu pai era um homem muito ocupado, e que levava muito a sério seu trabalho.

Jin: Eu posso ficar aqui olhando ela, pois sou amigo dela, e amigos é pra esses momentos, também sei que ela faria o mesmo no meu lugar.

Taehyun: Tem certeza rapaz? 

Jin: Sim senhor, não irei sair do lado dela.

Ele me olha desconfiado mas aceita.

Taehyun: Irei deixar meu contato com você. - me entregando um cartão. Se acontecer alguma coisa me avise urgentemente por favor.

Jin: Sim sonhor.

Depois que ele foi embora eu fui pra perto de (s/n) que ainda estava desacordada. Peguei uma cadeira e sentei ao seu lado encostado na cama.

Acabo cochilando, quando percebo sinto uma mão passar sobre minha cabeça, acariciando meus cabelos, quando olho era (s/n).

Olho assustado, surpreso e feliz ao mesmo tempo, enquanto a mesma me olhava e sorria para mim.

Jin: Eu senti tanto medo de te perder. - beijando sua testa e passando a mão sobre seus cabelos.

Ela penas sorria pra mim, ainda estava fraca até mesmo para falar.

Jin: Eu te amo tanto, mas tanto. - fico olhando em seus olhos.

(S/N): P-pare de chorar seu bobo, eu estou aqui meu amor.

......








Notas Finais


I Know (BTS - JK e RM) ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...