História Tears of the Gods - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Mitologia Japonesa, Naruto
Tags Desafiodasfics, Deuses, Épocamedieval, Narusaku, Realeaza, Reinos, Reis, Sasuhina
Visualizações 321
Palavras 1.598
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Então amores, sei que ta todo mundo querendo o Itachi e o Neji por isso vou fazer suspense kk 😌
Mentira os cap deles ainda não estam prontos kkk
Maas aqui vai mais um guardião ❤❤

Capítulo 18 - Segundo guardião


Fanfic / Fanfiction Tears of the Gods - Capítulo 18 - Segundo guardião

Sakura foi a primeira herdeira a chegar em seu Reino, já que era praticamente vizinha do país do fogo a viagem durou apenas um dia e meio e logo ela estava jogada em sua cama com nada além de uma camisola esticando os pés e o corpo dolorido por ter ficado tanto tempo sentada em uma carruagem,  ela odiava viagens isso era um fato que ela não negaria a ninguém,  odiava ficar trancada dentro de uma carruagem minúscula junto aos pais que não paravam de falar e as vezes roncavam quando cochilavam um perfeito desastre para ela.

A princesa estava tão distraída que acabou se esquecendo de Ino,  na verdade ela pedia em seu interior para que tudo fosse apenas um sonho ou que estivesse delirando e Ino estivesse mesmo morta,  mas ela estava errada.

-Descansada minha princesa? - Sakura pulou da cama quando ouviu a voz da loira e acabou caindo no chão. 

-Ai,  olha o que você fez. - Ela resmungar irritada passando a mão na testa que havia batido no chão - Eu poderia ter me machucado,  sua porca. 

-Ah ainda se lembra de nossos apelidos! - A loira bateu Palmas de forma histerica e Sakura se apressou para faze-la parar. 

-Alguém pode ouvir você,  faça menos barulho. -Ela sílabou de forma irritada e Ino apenas riu mais alto. 

-Queria só você me vê e me escuta,  agora é melhor tomar cuidado com o seu tom para não parecer uma louca que gosta de falar sozinha. - A loira continuou a rir da indignação da rosada que queria soca-la por tamanha ousadia,  mas se ela se lembrava de Ino era justamente essa ousadia que a tornaram amigas,  ela era verdadeira e sincera com a princesa e ela sempre admirou isso na loira,  ela nunca ficou perto dela por status ou para se vangloriar era apenas uma amizade sincera entre duas meninas,  Sakura ainda era uma criança e Ino já uma moça que cuidava dela como uma irmã caçula. 

Sakura contendo seu mau humor se sentou na cama e ficou observando Ino praticamente flutuar pelo seu quarto,  como ela era linda,  Sakura sempre a admirou por isso, os longos fios loiros que iam até a metade de sua coxa,  os olhos azuis sempre alegres,  a língua afiada e sua mania por odiar se cobrir com roupas e sempre ter uma parte exposta. 

-Então,  acho que você deve ter perguntas a me fazer. -Ino disse quando terminou de examinar cada canto do quarto, ela voltou a cama e se sentou de frente a Sakura. 

-Quero saber como está viva? Vo-você virou um anjo? 

-Não Sakura.  - Ino riu deixando Sakura nervosa - Não sou um anjo,  deixe-me te explicar. - Ela puxou o ar pela boca e seu sorriso sumiu dando lugar a uma expressão melancólica. -  Quando eu morri por conta da praga que assolou nosso reino meu pai entrou em desespero, e me ofereceu ao Deus Kodama para que eu fosse aceita em seu paraíso e sempre permanesse viva lá,  o coração do meu pai clamava tanto pela certeza de que eu fosse para um lugar melhor que Kodama junto com Inari ouviu duas preces e me aceitou em seu paraíso e deu consolo ao meu pai, eu não sei como,  mas ele sabe que eu estou com Kodama e eu pude ve-lo retornando sua alegria aos poucos e isso me confortou. 

Sakura ficou pensativa,  sim ela era uma criança quando a praga veio, não se lembra com detalhes já que passava mais tempo presa dentro de seu quarto para evitar o risco de contrair a praga,  mas ela ficou sabendo quando Ino adoeceu e sempre se culpou por achar que se ela não fosse visitá-la quase todos os dias ela nunca teria adoecido e ainda estaria viva,  o pai de Ino que sempre foi um homem Alegre se tornou recluso fechando as portas do templo onde morava por mêses até um dia retornar a abri-las e voltar a ser Alegre ajudando o povo em suas orações e desde então uma flor roxa Floresce no interior do templo e ele não deixa que ninguém a toque é como um tesouro. 

-Aquela flor é a certeza que meu pai tem de que eu estou com Kodama. -Ino disse como se lesse os pensamentos de Sakura e ela nunca duvidaria que ela os lia mesmo. 

-E- eu sinto muito por isso Ino. - Ela disse em um fio de voz e Ino apenas balançou a cabeça,  mas do mesmo modo que a tristeza veio ela se foi quando a loira voltou a sorrir e quase pulou da cama. 

-Deve querer saber o que aconteceu depois,  certo? - Sakura notando que ela queria mudar de assuntos concordou com a loira. -Então,  Kodama me aceitou em seu paraíso e me tornou uma de suas Ninfas,  eu cuido da floresta onde vivo,  cuido dos animais e de cada ser vivo junto com as outras. 

-Ninfas? E existem mais? - Sakura perguntou maravilhada com a idéia. 

-Claro,  existem Ninfas e espíritos da floresta que a torna viva,  se um dia você a conhecer não vai querer sair de lá e nunca mais verá graça na floresta morta que nos cerca. -Ino com certeza estava animada com o assunto e Sakura se deixou levar por sua animação. 

-E o que mais Há lá? 

-Tem os rios com águas tão cristalinas como um espelho,  animas que conversam conosco,  árvores que andam!  É tão maravilhoso!

-Será que um dia chegarei a conhecer tal lugar? - Sakura de repente se abateu,  de que adiantava ouvir falar de um lugar tão maravilhoso se nunca poderia conhece-lo? 

-Tudo à seu tempo minha princesa,  se for da vontade de Kodama você irá até lá. -Ino disse lhe fazendo um carinho no rosto a vendo se animar. 

-E o que mais à no céu? 

-Ah existem coisas maravilhosas,  coisas que são exatamente como vocês humanos fantasiam e outras da qual nunca se quer ouviram falar, existem os anjos e as kitsunes,  as damas do céus,  as joias celestiais,  cantos,  dança,  se eu fosse falar tudo levaria tempo de mais. - Ela riu recuperando o fôlego. -Pedirei a Kodama permissão para levá-la até lá. 

-Falando nisso,  como se tornou minha guardiã? 

-Oh claro,  havia me esquecido dessa parte da história. -Ela conteve um risinho e Sakura revirou os olhos. -Kodama sabia de nossa amizade,  ele sempre me deixava ver como você estava crescendo,  o que aprendia o quê fazia e vendo que eu me preocupava com você ele me fez uma proposta..  

-Que proposta? 

-Calma sua apressada. - Ino bateu na testa de Sakura que emburrou de vez fazendo a loira rir. - Ele me propros que fosse sua guardiã e quando chegasse hora sua professora,  eu irei lhe ensinar a conhecer e controlar seus poderes de forma ampla e segura. 

-Quanto a esses poderes,  por que eu os tenho? 

-Isso só os deuses podem lhe dizer Sakura,  eu estou aqui apenas para ensina-la e ser sua amiga assim como éramos antigamente. 

-Eu senti sua falta porca. -Sakura murmurou e não era mentira,  Ino era sua única e verdadeira amiga. 

-Eu sempre estive com você Testuda. -Ino riu e Sakura teria batido nela se não estivesse emocionada por saber que a teria ali. -Agora chega de sentimentalismo e vamos começar esse treino. 

-Como vamos treinar? 

-O primeiro passo é conhecer seus poderes,  não tem como controlar algo que não sabe o que é,  você tem que saber o que é capaz de fazer e o que não é,  qual é a sua força e qual o seu limite. 

-E como vamos fazer isso? 

-Meditando. - A loira cantarolou e Sakura quase caiu para trás. 

-Pensei que meditação fosse somente para orações. -Ela disse emburrada. 

-Claro que não,  não há atalhos para isso testuda,  e tirando que isso pode ajudar a controlar esse seu mau humor. - Ino cutucou e uma veia saltou na testa de Sakura. 

-Agora chega. - Sakura começou a correr pelo quarto atrás de Ino que apenas ria quando ela desviava dos socos que Sakura tentava lhe dar,  ela encontrou uma bandeja de metal e cima da cama e jogou contra a rosada para atrapalha-la,  mas ela a segurou e com apenas uma mão amassou ao meio. 

-Como você fez isso? -Ino perguntou assustada e só então Sakura se deu conta do que fez e largou a bandeja no chão assustada. 

-E-eu não sei. -Ela disse tão baixo que Ino mal a ouviu. 

-Ei,  ei não se assuste. - Ino foi até ela e segurou seus ombros. -São seus poderes se manifestando,  não precisa se assustar assim. 

-Ta ta bom. 

-Agora vamos se sente. - Ino a levou até a cama e ajudou a se sentar com as pernas cruzadas. - Coloque as mãos juntas frente ao corpo. - Sakura a obedeceu. - Agora esvazie totalmente sua mente,  não pense em nada,  tente se conectar consigo mesma em seu interior. 

Sakura tentou,  mas não conseguia,  havia um milhão de coisas em sua mente e todas passavam como um furacão a deixando intrigada,  ela imaginava como era o céu,  como é quais poderiam ser seus poderes,  como estariam os outros príncipes,  se já haviam conversado com os guardiões,  essas e outras questões rondava e sua mente e continuaram até ela sentir um tapa em sua testa. 

-Aí, o que foi isso? - Ela perguntou se virando para Ino. 

-É para esvaziar a mente e não enche-la mais.  - Sakura bugou e voltou a tentar e Ino apenas balançou a cabeça em negação. - Pelo visto terei mais trabalho do que imaginava. 


Notas Finais


Qualquer coisa só falar!
Bjinhos da Tia Yas ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...