1. Spirit Fanfics >
  2. Teddy Bear Boy >
  3. Capítulo 9

História Teddy Bear Boy - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Bora começar o início do desenvolvimento de um personagem Rs.

Again, desculpe pela demora.
Já estou ansiosa pelo próximo cap, já tenho umas ideias então, creio eu, que não demorará tanto quanto este kssk

Espero que gostem <3

Capítulo 9 - Capítulo 9


Fanfic / Fanfiction Teddy Bear Boy - Capítulo 9 - Capítulo 9

Cap 9


  O time morava em uma república de estudantes. Cada grupo possuía seu quarto, porém a cozinha era de todos. Uma regra básica de convivência era: cada dormitório terá sua vez de fazer o almoço para os demais. 

Daquela vez os responsáveis em questão eram: Nagumo, Suzuno e Atsuishi. 

Na teoria é claro, a prática estava sendo bem diferente. 

- Se vocês dois não vão levantar o dedo para ajudar. Eu prefiro que saiam. - Suzuno disse para os colegas de quarto enquanto afogava pela segunda vez a enorme panela de arroz. 

  Heat estava sentado em cima da mesa e Nagumo escorado quase do outro lado da cozinha. 

- Eu te ajudaria, mas grande parte de mim não quer ser responsável por arruinar a comida do time inteiro. - Atsuishi disse, balançando os pés que não chegavam ao chão.

- Misturar a carne de vez em quando não vai destruir o almoço. 

-  Não subestime minha incapacidade na cozinha. Só por eu estar perto já estamos colocando tudo em risco.

 Suzuno tampou o arroz em seguida mudou sua atenção para o outro colega. 

 - E você? Pretende só ficar aí atrás?

- Ahn… - Nagumo virou para os lados quase como se questionasse se a pergunta estava sendo direcionada a si - Estou bem onde estou. - pigarreou - Você sabe… Fogão… Fogo. É melhor que eu mantenha distância. 

 -  Pensei ter ouvido antes que você não saiu traumatizado do seu incidente. 

- Bom, eu não tenho nenhum trauma. Mas meus pais sim. Desde que me adotaram nunca me deixaram chegar perto de "coisas inflamáveis". - explicou - Sendo assim, é normal que eu não saiba como usar um fogão. 

Você não sabe usar um fogão?

- Não me faça repetir.

Nagumo achava aquilo irritante, se lembrava bem do desespero de sua mãe cada vez que botava os pés na cozinha durante o preparo de alguma fritura. Sentindo-se sendo expulso do cômodo em questão de segundos. 

- Uma hora ou outra você vai ter que aprender a usar um fogão. - Suzuno o puxou pelo braço e o levou até aquela coisa flamejante - Eu vou te mostrar como que faz.

Eh… - Tentou ficar neutro com o outro encostando em sua pele. Era engraçado a maneira que ele pouco se importava se estava sendo invasivo ou não. - Obrigado?

- Não confunda as coisas. - Suzuno o soltou  - Se faço isso é para não ter que cozinhar sozinho da próxima vez.

- Eu não imaginaria qualquer coisa diferente. 

- Heat, desça daí e faça alguma coisa… Corte algumas batatas, a que já temos não foram suficientes para o purê. 

Ele obedeceu. Tinha fé que ao menos aquilo saberia fazer. Puxou um banquinho, colocou perto de uma dos balcões e, de costas, fez o que o irmão lhe pedira. 

- Okay - Suzuno bateu uma única palma, exigindo a atenção do ruivo -, a primeira coisa a se fazer é girar essa peça do fogão quase até o final. 

- Certo… - Hesitate, Nagumo fez o que lhe foi pedido. 

 Alguns segundos se passaram desde então. 

- RÁPIDO APERTA ESSE OUTRO BOTÃO!  O gás todo vai se espalhar pelo ar!

- Que outro?!!! Olha a quantidade botões que tem nesse troço! 

 Suzuno pegou a mão dele, e como um fantoche, fez ele apertar o devido botão, acedendo finalmente as chamas. 

- Você é um péssimo professor… - Nagumo murmurou, referindo ao susto que passou a pouco que poderia muito bem ter sido evitado com um aviso prévio...

- Você que é um péssimo aluno. - Suzuno murmurou de volta. 

 Depois de se encararem por alguns segundos com claro desprezo, eles acabaram desviando o olhar e rindo do ocorrido. 

- Podemos acender o fogão com um isqueiro também. - Suzuno acrescentou - Já usou alguma vez?

- Já sim, meu pai me viu com ele na mão e me colocou de castigo por uma semana. 

Suzuno quase sugeriu um psiquiatra para os pais dele. Mas pensou melhor e chegou a conclusão que aquilo seria um pouco rude da sua parte. 

 - Merda

 Ouviram Atsuishi xingar do outro lado da cozinha, dando 5 passos para longe do balcão.

- Não tente fugir da tarefa, você acabou de começar. - O irmão mais novo advertiu, quase em tom de brincadeira. 

- Eu… acho que estou sangrando. - Os dois diante do fogão pararam. De onde estavam, viraram-se para onde poderia haver um possível corte. O sangue na mão de Heat começou a escorrer mais, algumas gotas caíram sobre o ladrilho. - É, definitivamente estou sangrando. 

Suzuno foi até ele, mas antes pegou várias camadas de papel toalha. 

- O corte foi profundo? - Perguntou já enrolando a mão trêmula e ensanguentada. 

- E-eu não sei. Não tive coragem de olhar. - respondeu, tomando-se conta que pegara uma faca muito grande para batatas tão pequenas. 

-  Eu tenho! - Nagumo, curioso, apareceu do nada. Devagar, retirou parte do papel toalha para olhar o ferimento cujo tamanho era quase de sua mão inteira. Contorceu o rosto antes de dizer: - Ai. 

- Vou levar esse seu "ai" como um péssimo sinal. - Heat respondeu ríspido. Tentava de todas as maneiras não demonstrar sinais de desespero, uma tarefa difícil já que… bem, para dizer o mínimo:  estava doendo. 

- Não tá tão ruim quanto imagina. - Nagumo mentiu - Mas certamente você vai precisar de alguns pontos. 

Atsuishi suspirou. Caramba, não tinha nem almoçado ainda e já tinha que sair de casa. 

Parou de comprimir a ferida para checar se o sangue tinha parado de escorrer. 

 Não. Não, tinha. 

- Tá bom. Eu vou logo fazer esses pontos antes que eu morra de hemorragia. - Disse simplista, se virando para a saída. 

- Eu vou com você. - O irmão adotivo acompanhou seus passos. 

- Não precisa, Suzuno. O hospital fica só a algumas quadras daqui. 

- Eu vou com você. - repetiu, agora colocando mais precisão nas palavras. - Não pode preencher os formulários com a mão desse jeito. 

Atsuishi o encarou refletindo se o irmão estava fazendo aquilo para retribuir  aquela vez que ele o tinha levado ao hospital quando fraturou a perna. Ou, se estava mesmo preocupado consigo. 

Qualquer que fosse o motivo, não poderia arriscar ir por conta própria. Toda vez que olhava para a mão lhe batia uma leve tontura.

- O almoço está praticamente pronto, você só precisa desligar na hora certa. - Suzuno, já pegando as chaves para deixar o lugar, avisou para Nagumo. 

- Tá. - olhou para as panelas abertas espalhadas no fogão. - E quando é a hora certa? 

- Apenas… - suspirou - Chame um de seus amigos para te ajudar. 

 ----'''''

- Já cheguei aqui inteiro. - Atsuishi aguardando na sala de espera, disse para Suzuno. Uma enfermeira após ver que se tratava de uma emergência disse que lhe atenderia o mais rápido que podia e que só iria buscar os materiais adequados para começar a sutura - Obrigado pela ajuda, mas pode ir se quiser.

- Não acho nenhum sacrifício estar aqui com você, se é isso que está pensando. 

- Mesmo? - Ele riu, sem de fato achar graça - Toda vez que estamos juntos você parece querer estar em qualquer outro lugar. 

 - Está imaginando coisas.

- Estou? - virou-se, tomando todo cuidado para não piorar sua condição - Pois eu acho que minha presença te irrita. Ou no mínimo, te deixa desconfortável. Desde que saímos do orfanato foi assim. 

Estavam tendo uma convivência normal de manhã, então trazer aquilo a tona pôde ter parecido confuso para quem visse de fora. Quando moravam na cidade anterior, para Heat, morar na mesma casa e ser ignorado não lhe incomodava tanto porque o lugar era grande, mal se encontravam ou saiam de seus quartos - que a propósito eram separados por um andar de distância - mas agora que estavam no mesmo dormitório, o estranhamento entre os dois ficara mais evidente. Atsuishi estava cansado daquela tensão, se não resolvesse aquilo logo, seu próximo passo seria pedir transferência para outro quarto. 

- Heat- Suzuno fechou os olhos por um momento, se zangava facilmente mas se recusava a fazer uma cena em público. -, nossa convivência é normal e sem farpas. Te trato como qualquer outro colega do time. 

- Aí é que está! - Ele se levantou, chamando atenção de outros pacientes que também aguardavam na sala - Não quero que me trate como um colega, mas sim como um irmão!

 Yay, agora Heat tinha se irritado.

Não soube dizer qual foi o gatilho para aquilo. Talvez se dera conta que Suzuno somente lhe demonstrava algum interesse ou preocupação quando se tratava de questões de saúde. E não gostava de saber que tinha que sentir dor para ter uma conversa decente com o irmão.

- Atsuishi Shigeto. 

Pra quem disse que voltaria rápido, aquela enfermeira demorou mais do que deveria para chamar o seu nome.

Sem olhar para trás, acompanhou a moça até uma outra sala. Fechou a porta, e no momento que fez aquilo, outra porta se abriu. 

Era a porta de entrada, Nagumo tinha aparecido, com as roupas trocadas, como sempre usava mangas compridas. Segurava uma sacola em mãos.  

- Notícias ruins sobre o corte na mão? - Sentou-se ao lado de Suzuno no extenso assento. Fez a pergunta baseando-se na sua cara de poucos amigos. 

- Ele está… - Não, não iria encher Nagumo com seus problemas - Ele vai ficar bem. 

Isso é bom de se escutar. 

Nagumo pegou a sacola que trouxe, e por um segundo, por força do hábito, o de cabelos platinados achou que ele tiraria de lá um ursinho de pelúcia. O susto passou quando na verdade ele tirou de lá duas marmitinhas. 

- Por causa daquela pressão toda, nenhum de vocês dois almoçaram, né? 

Deu um leve sorriso, acreditando que a comida afastaria aquele pensamento de que era um péssimo ser humano. Agradeceu o colega de quarto brevemente, antes de aceitar o almoço. 

- O seu amigo não achou ruim termos abandonado a cozinha no nosso dia de cozinhar?

 Nagumo ficou calado, mas nem por um segundo tirou os olhos do outro. Que diante da sua reação, questionou se havia alguma coisa grande em seu rosto. 

 Suzuno, cansado de esperar, arqueou as uma das sobrancelhas antes de dizer:

- Não vai falar nada?

Diante da indagação, olhou pra baixo, se dando conta das roupas casuais que vestia. 

Ah, é mesmo. Sem a fantasia podia responde-lo. Pigarreou antes de fazê-lo:

- Midorikawa se incomodou de primeira, mas quando expliquei o que tinha acontecido ele meio que entendeu. 

   Suzuno apenas assentiu. 

- Tem certeza que está bem? Você parecia bem abalado quando cheguei. 

- Hum? Eh…  Estou sim, acho que foi só um susto com o lance todo da mão...

Ele estava mentindo. Era óbvio, tão óbvio que chegava a ser triste. Mas Nagumo nem mesmo se importara, já que saberia de tudo mais tarde de qualquer maneira, possivelmente na manhã seguinte, em um belo evento, no mesmo parque de sempre. 


  Continua ~ 


Notas Finais


That's all <3

Espero que tenham gostado <3

Eis que Nagumo já nem se sente mal por estar fazendo o que está fazendo kdkdkdj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...